Santa Catarina Pode Ganhar Mais Duas Praias

O estado almeja para a próxima temporada, a inclusão da Praia do Cerro, em Barra Velha, e da Praia do Pontal, em Navegantes, na lista Reprodução TripAdvisor/Moni S

Região do país com mais praias e marinas certificadas com a Bandeira Azul, o litoral catarinense pode ganhar em breve mais dois pontos com o reconhecimento internacional de preservação ambiental. Contando atualmente com 12 praias e três marinas contempladas com o selo, o estado almeja, para a próxima temporada, a inclusão da Praia do Cerro, em Barra Velha, e da Praia do Pontal, em Navegantes, na lista .

De acordo com o site oficial do programa, a Bandeira Azul “é um prêmio ecológico, voluntário, concedido a praias, marinas e embarcações de turismo”, sendo necessário para a concessão da certificação “uma série de critérios com foco em gestão ambiental, qualidade da água, educação ambiental, segurança e serviços, turismo sustentável e responsabilidade social devem ser atendidos, mantidos e comprovados anualmente”.

O programa foi criado em 1987 pela FEE (Foundation for Environmental Education – Fundação pela Educação Ambiental, em português), instituição internacional cujo representante brasileiro, que exerce a função de Operador Nacional do Programa, é o IAR (Instituto Ambientes em Rede). Atualmente, existem 4.831 praias, marinas e embarcações em 50 países com a Bandeira Azul.

Neste verão de 2021/2022, o Brasil conta com 22 praias e seis marinas certificadas em Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Alagoas – número que, pelo tamanho do litoral do país, ainda é bastante reduzido. Para efeito de comparação, a Espanha, líder do ranking, tem 712 pontos certificados, com 614 praias, 96 marinas e 2 embarcações. Para a próxima temporada, além das duas praias catarinenses postulantes à Bandeira Azul, o Brasil pode ganhar outras nove praias e quatro marinas, nos estados da Bahia, Ceará, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo. 

Litoral catarinense é referência de preservação ambiental

Tendo mais da metade dos pontos certificados no Brasil, o estado de Santa Catarina tem se destacado pela questão da educação ambiental e pelos programas de preservação do litoral, em uma movimentação que traz maior bem-estar à população local na mesma medida que impulsiona o turismo local. 

“Um usuário de praia quando ele procura uma praia Bandeira Azul, ele tem a certeza que ali tem a garantia que vai encontrar um ambiente preservado, com pessoas que estão preocupadas com o resíduo que é gerado, com os ambientes sensíveis, com a vegetação, com a água do mar. Então, é um ambiente que está em equilíbrio e que oferece serviços e segurança”, afirmou a coordenadora da Bandeira Azul em Bombinhas (SC), Kelli Regina Benvegnú, ao G1.

Coordenadora da Bandeira Azul em Bombinhas (SC), Kelli Regina Benvegnú

Os programas de preservação ambiental locais fazem de Bombinhas a cidade brasileira com mais praias certificadas (Praia de Quatro Ilhas, Praia de Mariscal e Praia da Conceição), mas o litoral catarinense ainda conta com praias com Bandeira Azul em Governador Celso Ramos, Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, São Francisco do Sul e Penha.

Para Vinicius Guedes, CEO da Safety Yachts, empresa do segmento de aluguel de lanchas em Balneário Camboriú, Florianópolis e Porto Belo, há em Santa Catarina uma cultura de preservação ambiental arraigada na população, que impacta de forma intensa no setor turístico, sobretudo no litoral do estado. “O turismo é um forte agente econômico de Santa Catarina e o governo sabe bem disso e o explora bem, zelando para dar qualidade de vida aos nativos e atrair os turistas”, afirma.

A eclosão da pandemia de Covid-19, que trouxe consequências para o mercado de turismo em todo o mundo, faz com que os índices relacionados a este setor ainda não tenham se normalizado. No entanto, dados relacionados às temporadas de verão pré-pandemia mostram a força do turismo local. Segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas), cerca de 2,5 milhões de turistas visitavam o estado por ano durante a alta temporada, sendo, deste total, quase 400 mil eram estrangeiros. Tal fluxo de turistas gerava um impacto anual de R$ 10,1 bilhões na economia catarinense.

Para Vinicius Guedes, CEO da Safety Yachts, empresa do segmento de aluguel de lanchas em Balneário Camboriú, Florianópolis e Porto Belo, há em Santa Catarina uma cultura de preservação ambiental arraigada na população, que impacta de forma intensa no setor turístico, sobretudo no litoral do estado

E para que esta economia, responsável por 12,5% do PIB local, volte a funcionar plenamente, é preciso, diz Guedes, avançar no turismo ecológico, ampliando o número de praias Bandeira Azul. “Acreditamos que todo o ecossistema turístico precisa ter um grau de consciência elevado para manter o estado atraente”, afirma. “E os profissionais do turismo em grande parte de Santa Catarina entendem bem isso, fazendo com que o estado seja referência nacional de praias com certificados internacionais de preservação ambiental”