Posts

Sócio Colaborador ABIHSC ECOFLEX

Sócio Colaborador – Ecoflex

A Ecoflex sabe o quanto é importante oferecer conforto, qualidade e boas noites de sonhos para os seus hóspedes, por isso, criou uma promoção incrível.

Fique por 60 dias com os nossos Colchões, sem custo algum, e deixe que seus hóspedes deitem e rolem na nossa qualidade. Entrem agora em contato conosco para saber mais.

Não custa nada seu hotel participar! Linha de Colchões Ecoflex.

Mais uma estrela para o seu hotel.

Alcirene – 47 99105-5594

Fungetur alcança marca

Fungetur alcança marca de R$ 1 bilhão já contratado em apoio ao turismo brasileiro

Ministério do Turismo atingiu a marca de R$ 1 bilhão já contratado em apoio ao setor do turismo brasileiro. O resultado é fruto de um esforço permanente da Pasta para garantir que o dinheiro chegue de forma ágil e facilitada a quem mais precisa. Os recursos permitiram desde a capitalização de empresas com suporte ao seu funcionamento até a realização de obras de infraestrutura turística. Dessa forma, o acesso ao crédito por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) por empreendedores do setor garantiu a preservação ou geração de pelo menos 51,3 mil empregos diretos.

O Fungetur é uma linha de financiamento com recursos do MTur destinada, preferencialmente, aos segmentos de micro, pequenas e médias empresas. Os valores contratados junto a instituições financeiras credenciadas a operar o fundo passou de R$ 68,6 milhões, em 2018, para R$ 769,3 milhões, em 2020 – um crescimento é de 1.021%. Já no primeiro trimestre deste ano, foram negociados quase R$ 50 milhões.

Ao todo, nos últimos três anos, foram realizadas 3.825 operações financeiras. Neste período, a maior parte dos recursos (70%) foi destinada a operações de capital de giro. Na sequência, aparecem as operações para realização de obras (14%), aquisição de bens (11%), obra com aquisição de bens associada (4,69%) e aquisição de bens com capital de giro associado (0,08%).

Para acessar os recursos do Fungetur é necessário estar no Cadastur, que é o cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no turismo. O cadastro é rápido, gratuito e pode ser feito online, clicando AQUI. Com a situação regular no Fungetur, basta procurar uma das 29 instituições financeiras credenciadas a operarem recursos do Fundo. A análise para concessão do crédito é realizada exclusivamente pelo agente financeiro credenciado.

Para saber mais sobre como acessar os recursos, veja o Guia Fungetur.

CRÉDITO EXTRAORDINÁRIO – Diante dos impactos causados pela pandemia de Covid-19, o governo federal autorizou um crédito histórico de R$ 5 bilhões no ano passado para auxiliar empreendimentos turísticos no cenário de crise, com taxas e prazos diferenciados (Lei 14.051/2020). Ainda em 2020, a totalidade desses recursos foi disponibilizada para instituições financeiras credenciadas e estão disponíveis para serem contratadas em qualquer unidade da federação. 

Segundo o secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões do Ministério do Turismo, Lucas Fiuza, o objetivo é “minimizar os efeitos da pandemia e contribuir para a preparação do setor para a retomada das atividades turísticas no país”.

Os recursos podem ser usados tanto para capital de giro – dinheiro necessário para bancar o funcionamento de uma empresa – quanto para aquisição de bens, como máquinas e equipamentos. Podem ser usados, ainda, para a realização de obras de construção, modernização e ampliação para a retomada das atividades, além de reformas em geral em empreendimentos paralisados pela pandemia.

Fonte: Mtur

Câmara de turismo da Fecomércio SC

Câmara de Turismo da Fecomércio SC reúne trade para debater medidas do setor

Os principais atores do trade catarinense debateram a agenda política e econômica do setor durante a reunião da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio SC, realizada na terça-feira (6) a terceira edição em 2021.

Para fazer um retrato do setor em tempos de pandemia, a Fecomércio SC apresentou em primeira mão a Pesquisa Fecomércio SC de Turismo de Verão no Litoral Catarinense 2021, que traz perfil do turista que circulou no estado e as percepções dos empresários sobre o impacto da temporada nos empreendimentos dos setores de comércio, serviços e turismo. Os dados foram apurados em São Francisco do Sul, Balneário Camboriú, Florianópolis, Imbituba e Laguna nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro.

Leia a pesquisa na íntegra

O presidente da Câmara, Marco Aurélio Floriani, propôs a construção de um guia sobre a cadeia produtiva do turismo, com a participação de todos os atores, e destacou a atuação de diversos representantes do setor na elaboração dos decretos e portarias estaduais.

Auxílio ao setor de eventos

A Diretora de Assuntos Legais da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (ABRAPE), Eveline Orth, detalhou o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), que foi aprovado no Senado no fim de março, mas retornou à Câmara dos Deputados para apreciação por conta de alterações no texto original do PL.

O objetivo do Perse é mitigar as perdas decorrentes da pandemia de Covid-19, disponibilizando diversas medidas de auxílio ao setor, tais como: possibilidade de renegociar dívidas, a contratação de operações de crédito com instituições financeiras públicas e privadas sem a observância de diversas condições legais, a redução a zero das alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins e da CSLL incidentes sobre o seu resultado, a prorrogação do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e o acesso ao Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac).

Pessoas jurídicas de todos os portes estão contempladas pelo PL, incluindo entidades sem fins lucrativos que são ligadas a eventos culturais, esportivos, sociais, corporativos, de lazer; Salas de Cinema; Estabelecimentos Hoteleiros e Serviços Turísticos.

Sinalização turística

Uma das bandeiras da Câmara Empresarial de Turismo e demanda recorrente das IGRs no programa Turismo em Movimento, a sinalização turística em Santa Catarina deve sair do papel em breve. Segundo a Santur, o governo investirá 7,1 milhões de reais para a implantação das placas em 13 regiões, em um projeto de cooperação técnica entre a agência e a secretaria de desenvolvimento. Na primeira etapa serão abarcadas cinco regiões: Caminho dos Canyons, Encantos do Sul, Caminhos do Contestado, Vale das Águas e Caminhos da Fronteira.

A Santur também apresentou o Programa Orla segura, que prevê medidas para tornar as praias mais acessíveis às pessoas com deficiência física, aquisição de equipamentos para balizamento e sinalização náutica em praias e lagoas e a proposta de criação de um novo espaço de pesca esportiva, mergulho  e pesquisas marinhas.

Fonte: Fecomércio

Plano de saúde HAPVIDA

Hapvida – Plano de Saúde

O Hapvida Sistema de Saúde alia tecnologia e humanização, sempre em busca do melhor para seus clientes. Para manter essa performance, aposta no desenvolvimento, realiza inovações constantes, além investimento na infraestrutura e capacitação de pessoal.

Com mais de 40 anos de história e uma estratégia focada na verticalização dos serviços médico-hospitalares, o Sistema Hapvida atende mais de 4 milhões de clientes em todo o território nacional. O Hapvida hoje se posiciona como uma das maiores operadoras de saúde do Brasil, com a maior rede de atendimento próprio das regiões, uma das duas maiores operadoras com capital próprio e genuinamente nacional e a terceira maior do País, em número de beneficiários.

Atualmente, são 32 Hospitais, 105 Clínicas, 20 Prontos Atendimentos, 109 Centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial (Vida&Imagem) distribuídos nos 12 estados onde a operadora atua com rede própria.

Para saber mais entre em contato
48 9 88437711
abih@abih-sc.com.br

http://www.hapvida.com.br/

Almanach Santur

Santur publica quarta edição do Boletim Almanach com dados da temporada de verão

A Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) publicou nesta quinta-feira (18) a quarta edição do Boletim Almanach, apresentando um panorama da Temporada de Verão 2020/2021 em Santa Catarina, que teve um cenário atípico diante da pandemia de Covid-19. Também, dados relativos aos períodos de festas de final de ano e Carnaval, incluindo informações sobre a ocupação hoteleira e fluxo de passageiros aéreos e terrestre e comparativos com a temporada anterior.

+++ Para acessar o boletim clique aqui

Outra informação detalhada na publicação é o perfil do visitante que deixa o estado pelo Floripa Airport, conforme pesquisa coordenada pela Santur.

O boletim é elaborado pela Diretoria de Estudos e Inovação (Diesin) da Santur e sintetiza informações do Almanach, painel de dados do turismo. Os dados apresentados provêm de fontes de dados abertos e instituições parceiras relacionadas ao setor.

Fonte; Santur

Mtur

Ministérios do Turismo e da Justiça fortalecem parceria para garantir direitos do consumidor turista

No mês em que se comemora o Dia Internacional do Consumidor, os ministérios do Turismo e da Justiça e Segurança Pública reforçam o compromisso com a garantia dos direitos de turistas em todo o país. Nesta quarta-feira (24.03), os ministros Gilson Machado Neto (Turismo) e André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) assinaram um Acordo de Cooperação Técnica que prevê o compartilhamento de informações e ações conjuntas de proteção aos consumidores turistas.

Entre as ações previstas estão o incentivo à adesão de grandes empresas prestadoras de serviços turísticos à plataforma de resolução de conflitos “consumidor.gov.br”. Trata-se de um serviço público federal gratuito que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução de conflitos de consumo pela internet, como cancelamentos e remarcações de viagens e eventos, principalmente, em decorrência da pandemia de Covid-19. Atualmente, estão presentes na plataforma 28 empresas do segmento de Turismo, Viagens e Hospedagem.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, destaca a importância de ações governamentais conjuntas em defesa do consumidor. “Nossos esforços são para garantir segurança jurídica às empresas do setor e aos cidadãos que, de forma rápida e mais facilitada, consigam cancelar ou remarcar viagens. Atuamos assim para garantir a boa relação entre consumidores e prestadores de serviços, evitando a judicialização”, afirmou.

O Acordo também prevê a oferta de cursos gratuitos pela Escola Nacional de Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, na modalidade de ensino a distância. O objetivo é disseminar informações sobre direitos dos consumidores para prestadores de serviços turísticos. Estão previstas ainda outras ações conjuntas de proteção, como a articulação com os órgãos do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, a partir de demandas apresentadas pelo Ministério do Turismo.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, ressalta que o Acordo assinado vai melhorar a relação entre agências de viagens e consumidores na área do turismo. “Para que ele tenha melhor atendimento para suas demandas e, também, para que o operador dessa área tenha maior conhecimento dos direitos e garantias que o Código do Consumidor dá”, disse. “Queremos que o brasileiro viaje mais, com mais direitos, com mais segurança, preço justo e que as operadoras possam auferir bom resultado de seu trabalho”, completou.

PROTEÇÃO 

Desde os primeiros casos de coronavírus registrados no Brasil, o Ministério do Turismo atuou para diminuir o impacto da pandemia no setor de turismo. Entre as medidas adotadas está o apoio e articulação da Medida Provisória 948, que regulamentou as relações de consumo no país, garantindo os direitos dos consumidores e, ao mesmo tempo, impedindo a falência de empresas do setor.

A MP trouxe regras claras para o cancelamento e a remarcação de reservas, tanto no turismo como na cultura, e disponibilizou o site consumidor.gov.br, reduzindo a judicialização das demandas. Administrada pela Secretaria Nacional do Consumidor, a plataforma registrou um aumento de 427,8% nas reclamações relacionadas a viagens, turismo e hospedagem. Passou de 7.724, em 2019, para 40.765, em 2020. Somente em janeiro e fevereiro deste ano foram 7.807 reclamações, um aumento de 606,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

As reclamações na plataforma Sindec, que congrega informações dos Procons, também teve um crescimento de 220,9% em 2020, quando comparando a 2019. Reclamações de janeiro e fevereiro deste ano chegam a 8.759, uma elevação de 289,6% em relação ao mesmo período de 2020. No setor da cultura houve um aumento de 178,6% no número de reclamações na plataforma Consumidor.gov.br, entre 2019 e 2020. Já na plataforma Sindec, o avanço foi de 157,7%.

PRORROGAÇÃO 

Na última semana, a MP n°1.036 de 2021 definiu que consumidores, prestadores de serviços dos setores de turismo e cultura, artistas e profissionais contratados para realização de eventos terão um novo prazo para remarcação, concessão de crédito ou devolução de valores referentes a atividades, reservas e eventos turísticos e culturais cancelados em 2020 e 2021 em razão da pandemia.

Na prática ela estende, até o dia 31 de dezembro de 2022, o período para as remarcações, emissão de créditos para utilização na compra ou abatimentos em outros serviços ou devoluções de valores já pagos em serviços, reservas e eventos. A ação visa garantir o direito dos consumidores e a sobrevivência do turismo e da cultura, fortemente afetados pela pandemia.

Além de estabelecer critérios claros e transparentes para cancelamento e remarcação de viagens, o Ministério do Turismo criou o movimento “Não Cancele, Remarque”. A campanha orienta turistas sobre a possibilidade de não cancelar, mas sim adiar viagens e pacotes turísticos.

Fonte: Mtur

abih nacional abih sc

OPINIÃO – A hotelaria nacional pede socorro de novo!

Apesar das esperanças de uma retomada já no início de 2021, os números relacionados às atividades econômicas no país mostram um cenário adverso, com previsões de retração entre 4% e 11% no primeiro trimestre desse ano. Para hotelaria nacional, especialmente a localizada nos grandes centros e calcada no turismo de eventos e de negócios, a situação chega a ser dramática, já que com as atividades novamente paralisadas em diversos destinos Brasil afora, não será possível sequer recuperar as perdas de 2020 este ano. A luta que estamos travando hoje é para sobreviver em 2021, sem praticamente nenhuma receita desde o ano passado.

Nosso setor não tem estoque. O que não foi vendido em 2020 e que não está sendo comercializado em 2021 ficam para trás. Não há como recuperar os investimentos e as dívidas estão se acumulando desde março do ano passado. Para sobrevivermos, precisamos de ações imediatas em todos os níveis – municipal, estadual, federal e da iniciativa privada – para então conseguirmos manter as empresas em atividade, garantindo seu funcionamento e os empregos de seus colaboradores.

Entre as questões principais, precisamos sim da efetivação imediata de uma medida provisória semelhante à MP 936 que possibilite a renegociação de contratos de trabalho e a redução de jornada e salários. Ainda esperamos para 2021 a retomada do turismo, mas para que as empresas continuem suas atividades, é necessária a cooperação imediata dos estados e municípios com medidas de impacto econômico direto como, a nível municipal, a redução de impostos como o IPTU; e a nível estadual, a renegociação das tarifas como a de água, cuja a cobrança deveria ser realizada em cima do consumo, e não por tarifa mínima.

Mais uma vez repito que urge a suspensão da cobrança das parcelas dos fundos de financiamentos também em 2021 – como foi feito a partir de abril até dezembro de 2020 – e a reprogramação dos pagamentos a partir de 2022, bem como a abertura de novas linhas de crédito acessíveis para evitar que unidades hoteleiras encerrem suas atividades, como já vem acontecendo em todo o país.

Estamos prontos! Investimos e nos adaptamos à nova realidade. Os hotéis estão abertos para receber, seguindo todos os protocolos e regras de ouro que as autoridades de saúde recomendam. Precisamos redesenhar o mapa de negócios do turismo no país imediatamente, a partir das novas tendências que vêm se estabelecendo.

Já sabemos que o perfil do negócio e dos viajantes mudou radicalmente e contamos com o Ministério do Turismo e com uma agência de promoção internacional do Turismo, a Embratur, para o reposicionamento do setor, divulgando estrategicamente, dentro dos país, nossas potencialidades com foco no que já aparecem em pesquisas que mostram, por exemplo, maior preferência pelo turismo local, em pequenas cidades, ou destinos de ecoturismo e de luxo, bem como encontros para grupos reduzidos de pessoas em ambientes controlados e seguros, o que estimularia a volta dos eventos presenciais, promovidas por empresas, principalmente nas grandes cidades, segmento bastante afetado pela pandemia.

Os estados e municípios também precisam dar sua contribuição para que a indústria do Turismo possa se reerguer, divulgando internamente seus destinos de forma profissional e constante, pois a demanda por viagens próximas ao local de origem é um dos segmentos que mais crescem. Temos que tomar atitudes comuns que nos permitam movimentar uma indústria que abrange uma vasta cadeia produtiva que inclui áreas como alimentos e bebidas, transporte, comunicação, entre outros muitos segmentos econômicos. Por isso, seria importante, por exemplo, desenvolver campanhas e promoções junto aos veículos de mídia especializados em turismo, estimulando uma retomada imediata, consciente e responsável do setor como um todo.

É disso que estamos tratando: da sobrevivência das empresas e a manutenção dos empregos de cerca de um milhão e cem mil pessoas que direta ou indiretamente dependem das empresas que atuam ou se relacionam com o setor de turismo. Não temos como esperar mais. As vacinas estão chegando e a esperança cresce a cada momento. A hora é de agir, pois já sabemos o que tem ser feito para continuarmos cumprindo com excelência nossa missão de receber bem e com segurança.

Manoel Cardoso Linhares, presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH Nacional

FONTE: Mercado & Eventos

Informativo ABIH-SC

Informativo ABIH-SC 11 de fevereiro

No informativo da ABIH-SC desta semana você vai ver:

Curadoria do Festur SC e Encatho & Exprotel realizam reunião online;-Plano SulAmérica Saúde;-Sócio colaborador – Marcos Hartd Consultores Associados;-ABIH Nacional apresenta pesquisa sobre ocupação dos hotéis para o carnaval;- Veja o resultado da votação de melhores fornecedores da hotelaria 2020;-Nova MP prorrogará prazos de lei que desobriga reembolso para serviços de turismo;-Aplicativo para incentivar o ecoturismo mapeia trilhas em Florianópolis;-Associados ABIH-SC.

Confira o informativo completo AQUI. 

29 de janeiro – Dia da hospitalidade

Hoje é dia de homenagear todos aqueles que trabalham para garantir a melhor experiência  para o hóspede, desde o primeiro atendimento até a hora do check-out. 

 Ser hospitaleiro é muito mais que receber e hospedar… É acolher, abrir as portas para o visitante entrar e cuidar de cada detalhe para que ele se sinta em casa, com segurança, conforto e aconchego.

O ato do bem receber aproxima pessoas, estreita laços e gera um ambiente mais feliz e gentil ❤

Santur bandeira azul

Santa Catarina é o primeiro estado no país a investir em estudo técnico para ampliar a certificação Bandeira Azul

O Instituto Ambientes em Rede (IAR) apresentou à Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), nesta semana, a primeira etapa do Estudo de Viabilidade para Implantação do Programa Bandeira Azul.

O projeto, que recebeu investimento de R$ 80 mil, vai identificar os balneários catarinenses que melhor atendem aos requisitos para obter o selo socioambiental. Santa Catarina é o primeiro estado do país a destinar recursos para incentivar o aumento da certificação, reconhecida em todo o mundo.

– Nesta temporada Santa Catarina conta com 11 praias e duas marinas certificadas pelo Programa Bandeira Azul, somos o estado com mais bandeiras no país. Mas temos condições de ampliar este número e esse estudo de viabilidade vai apontar as potencialidades e auxiliar os municípios a buscarem a certificação – destaca o presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari.

Neste primeiro momento, o trabalho consistiu em avaliar os históricos de balneabilidade de praias catarinenses e definir as 40 com melhores possibilidades de certificação em cada município. Também foi apresentado o Plano de Trabalho, com o detalhamento do cronograma e próximas ações.

As etapas seguintes incluem visitas de inspeção nas praias para conhecer a estrutura dos balneários; preparação de relatórios individualizados e definição do potencial de cada praia para o ingresso na fase piloto; e, por fim, reunião com os municípios para apresentação dos resultados das visitas e sobre as ações necessárias para obter a certificação.

Fonte: Santur

Leia também: ABIH’S unem forças em prol do Amazonas