Posts

Bolsonaro indica deputado mais votado de Minas para o Turismo

O futuro ministro do Turismo no governo de Jair Bolsonaro, deputado federal Marcelo Álvaro Antônio, fala à imprensa, no CCBB.

 

O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, anunciou na tarde de hoje (28) que o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL) será ministro do Turismo no governo de Jair Bolsonaro. O anúncio foi feito ao lado do presidente eleito, no momento em que ele deixava a sede do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), para retornar ao Rio de Janeiro.

Marcelo Álvaro está no segundo mandato e foi o deputado mais votado de Minas Gerais nas últimas eleições, com mais de 230 mil votos. Ele integra a frente parlamentar evangélica no Congresso. É o segundo ministro filiado ao PSL, partido do presidente eleito, no governo. O primeiro é Gustavo Bebianno, indicado para ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

O futuro ministro do Turismo já foi filiado ao PRP, MDB, PR e, neste ano, se transferiu para o PSL, partido que ele preside em Minas Gerais.

“O presidente sempre defendeu que no Brasil o governo tivesse um olhar especial para o turismo, por conta da possibilidade de geração de emprego e renda, e para que o país pudesse desenvolver esse círculo de comércio tão venturoso, como a Espanha, países asiáticos e tantos outros”, disse Lorenzoni, ao confirmar a indicação.

Segundo ele, Marcelo Antônio recebeu o apoio de todo o segmento empresarial do setor no país, além da Frente Parlamentar em Defesa do Turismo.

 

Fonte: EBC

Ministro diz que paradoxo do Brasil é “querer empregos, mas ser contra as empresas”

Em palestra, Lummertz afirmou que alta carga burocrática joga contra o desenvolvimento do País.

Em palestra ao Grupo de Líderes Empresariais de Santa Catarina (LIDE) nesta terça-feira (23) em Florianópolis, o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, fez duras críticas à “burocratização, à judicialização e ao custo Brasil”, o que ele classificou como “pensamento contrário ao empreendedorismo”. Segundo ele, esses entraves jogam contra o desenvolvimento nacional e “fazem deste um país travado, fechado ao mundo”, sem o amadurecimento do ambiente de negócios que pode atrair investimentos de alto quilate.

O ministro afirmou que apesar do ambiente de negócios desfavorável, o turismo brasileiro vem crescendo mais rápido que a própria economia do país. Segundo o Estudo de Competitividade do Fórum Econômico Mundial, enquanto a economia brasileira ocupa a 72ª posição no ranking geral de Competitividade do Fórum Econômico Mundial, somos o 27º do mundo no Ranking de Viagens e Turismo da entidade. “Ou seja, o turismo é três vezes mais competitivo do que a economia global do Brasil. E esse dado é histórico: não é de hoje que o PIB do turismo cresce mais que a própria economia”, comparou.

Lummertz também falou do movimento “Turismo, nosso trabalho gera empregos” ao destacar que o setor é o que tem mais condições de criar postos de trabalho nos próximos quatro anos no Brasil. “Enquanto na indústria a automação aumenta a produtividade mas diminui o número de empregos, no turismo a tecnologia e a inovação geram cada vez mais empregos, porque na medida que você facilita as condições para que o turista viaje, mais gente é contratada para atender essa demanda”, explicou.

O ministro ainda prestou contas dos avanços obtidos pelo turismo brasileiro este ano. Citou a implantação dos vistos eletrônicos, que ampliou em 40% o movimento de visitantes dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália; a desregulamentação dos voos charter; o aumento de 90 para 180 dias nos vistos de trabalho das tripulações de navios de cruzeiro; e as medidas que estão em pauta na Câmara dos Deputados, como a transformação da Embratur em agência e a abertura do capital das companhias aéreas.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Parques temáticos protocolam 21 pedidos de compras de equipamentos no regime de ex-tarifário

 

Caso seja atendida, demanda vai gerar um investimento de R$ 15 milhões e criar mais de 600 novos empregos.

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) recebeu, nesta quarta-feira (17), vinte e um pedidos de compras de equipamentos para a indústria de parques temáticos, aproveitando o enquadramento dos bens como ex-tarifários. Coordenados pelo ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, os representantes do setor argumentaram que não há produção de equipamentos similares na indústria nacional e o segmento depende da renovação constantes de atrações.

Pelo regime ex-tarifário, bens de capital, de informática e telecomunicação têm redução temporária da alíquota do Imposto de Importação para zero quando não há produção nacional equivalente. Os pleitos serão analisados pelo Grupo Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex). Os pedidos protocolados no MDIC representam investimentos de cerca de R$ 15 milhões, na estimativa do presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Alain Baldacci. “Estamos tratando de um setor que precisa renovar suas atrações constantemente e tem alta tecnologia embarcada”, comentou.

“É uma satisfação receber todas essas solicitações de investimento”, disse o ministro Marco Jorge ao receber cópia dos pedidos protocolados no MDIC, em Brasília. “O que for de competência do Ministério para estimular o setor turístico, nós estudaremos e avaliaremos. Temos toda disposição para continuar avançando e permitir investimentos e a geração de empregos no Brasil”, afirmou.

De acordo com Baldacci, a chegada dos novos equipamentos gerará mais de 600 novos empregos nos parques temáticos. “Os equipamentos dos parques são tratados como bens de consumo e isso encarece muito a compra de novas atrações”, explicou o ministro Lummertz. “Agora, com o enquadramento desses bens na categoria de ex-tarifário, os investimentos estão voltando. Temos muito o que comemorar”, disse. Na avaliação do ministro, o volume de pedidos e o montante projetado de investimentos mostra o otimismo e o vigor do setor.

Beneficiado pelo ex-tarifário, o setor de parques importou sete equipamentos num investimento total de R$ 42 milhões e uma geração de quatro mil empregos em 2018. Para construir uma solução definitiva, que permita ao setor fazer planejamentos de longo prazo, os ministérios do Turismo e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços têm trabalhado junto ao Mercosul para mudar a nomenclatura dos equipamentos de bens de consumo para bens de capital.

 

Fonte:  Ministério do Turismo

Rota das Baleias Franca poderá oferecer turismo embarcado

 

Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, comentou a vitória do setor durante palestra em Imbituba (SC).

 

A autorização da justiça para a retomada dos passeios embarcados para avistamento de baleias Franca no litoral catarinense, após seis anos de proibição, foi o destaque da programação desta quinta-feira (20) da Semana Nacional da Baleia Franca, realizada em Imbituba (SC). O evento contou com a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

O município integra, juntamente com Laguna e Garopaba, a Rota da Baleia Franca, um roteiro desenvolvido para incentivar o turismo na região, principalmente durante o período de inverno. No entanto, com a proibição dos barcos durante o avistamento, a atividade turística foi prejudicada. Situação que deverá mudar com a nova decisão judicial.

“Já conversei com o ministro do Meio Ambiente que garantiu que os técnicos daquele ministério estão trabalhando no assunto e até novembro deveremos ter uma solução positiva. Certamente isso é motivo de otimismo para todo o turismo desta região de Santa Catarina”, anunciou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

A ideia é que uma portaria que orienta a atividade nos estados da Bahia e Espírito Santo, onde a observação de baleias é um atrativo turístico, passe a reger também a prática no litoral catarinense, de modo a assegurar a proteção dos cetáceos.

“O turismo de observação embarcada das baleias representa um passo importante para qualificar a atividade turística na região. A nova regulamentação vai trazer mais segurança e, com certeza, ajudará na preservação da baleia Franca”, assegurou o ministro.

MUSEU – Ainda durante a tarde, o ministro visitou o Museu Ferroviário de Tubarão, criado em 1997, com o objetivo de resgatar e preservar a história da ferrovia no sul de Santa Catarina. O acervo do atrativo é composto por máquinas a vapor (28 locomotivas), vagões, documentos e outros objetos utilizados no transporte ferroviário.

Este ano o Ministério do Turismo retomou as discussões do Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário coordenado, desde 2010, pela Pasta e responsável pela elaboração de políticas de fomento ao setor. Atualmente, o Brasil conta com mais de 30 trens turísticos em operação. Desde 2003, o MTur já investiu mais de R$ 20 milhões na recuperação de equipamentos, estações e trechos ferroviários.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e ministro de Turismo da Índia

Brasil busca aumento do fluxo de turistas indianos

Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e ministro de Turismo da Índia

Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, Ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e Ministro de Turismo da Índia

 

Embratur vai organizar reuniões de trabalho na Índia e em São Paulo

 

A pedido do Ministério do Turismo, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) vai preparar uma agenda de trabalho que incluirá visita à Índia de grupo composto por autoridades e lideranças do trade turístico nacional. O principal objetivo é alavancar o fluxo turístico daquele país – um dos maiores do mundo – para o Brasil. No ano passado, mais de 34 milhões de indianos viajaram para fora do país. Deste total, pouco mais de 24 mil estiveram no Brasil.

Para o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, o potencial de crescimento é imenso. E o Brasil deve buscar soluções para aumentar esse fluxo, bem como trabalhar em conjunto com governantes e iniciativa privada indiana, para, também, aumentar o fluxo de brasileiros em direção a Índia. Lummertz sugeriu ao ministro indiano, K. J. Alphons, um outro encontro entre as duas partes, desta vez em São Paulo. A agenda foi definida nesta terça-feira (17) em Buenos Aires, durante a reunião dos ministros de turismo do G-20, que reúne os países com economia mais forte em todo o mundo.

“Todos os que estão aqui sabem que o turismo será a grande alavanca de empregos nessa aceleração do desenvolvimento das novas tecnologias. Dentro desse quadro, é preciso avançar e buscar parcerias para mover grandes fluxos, em especial entre os países que têm grande potencial a mostrar e mercado para conhecer novos destinos”, resumiu o ministro. Lummertz sugeriu ao representante da Índia que solicite ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil um pedido para que os indianos possam ter a possibilidade de solicitar vistos eletrônicos para entrar no País, a exemplo do que fazem hoje turistas norte-americanos, canadenses, japoneses e australianos. O ministro brasileiro apontou ainda dificuldades a serem superadas, como a baixa conectividade aérea entre os dois países.

O assessor de Gestão Estratégica da Embratur, Rafael Felismino, acredita que apesar do enorme desafio, será possível aumentar esse fluxo. “Hoje, a Índia não é um mercado emissor importante para o Brasil. Mas, pode vir a ser. Dentro desse contexto de BRICS, temos grandes países com enorme potencial. É importante começar um processo de crescimento mútuo, trabalhando mais fortemente com esses países”, comentou Rafael.

A comitiva brasileira participa do encontro de ministros do Turismo do G-20 e da 18ª Cúpula do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês), em Buenos Aires, na Argentina. No encontro de ministros, o foco da discussão é o turismo como instrumento prioritário para a criação de empregos.

Fonte: Embratur

Veja também:

Presidente da Embratur será o novo ministro do turismo

Vinícius Lummertz substituirá o atual titular da pasta, Marx Beltrão, que deixará o cargo nesta sexta para disputar as eleições

 

O presidente da Embratur, Vinícius Lummertz, será o novo ministro do Turismo. Ele substituirá o atual titular da pasta, Marx Beltrão, que deixará o cargo nesta sexta-feira, 6, para disputar as eleições de outubro. O novo ministro tomará posse na próxima semana.

A escolha de Lummertz para o cargo foi definida durante reunião na manhã desta quinta-feira, 6, entre Beltrão; o presidente Michel Temer; os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Carlos Marun (Secretaria de Governo); e o líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP).

Lummertz foi indicado pela bancada do MDB de Santa Catarina, Estado onde o novo ministro do Turismo nasceu. Ele comandava a Embratur desde julho de 2016. O nome do substituto dele na empresa ainda não foi definido.

Além de Lummertz, eram cotados para substituir Beltrão no cargo Carlos Henrique Sobral, chefe de gabinete da Secretaria de Governo; e Teté Bezerra, secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do Ministério – mulher do deputado federal Carlos Bezerra (MDB-MT).

 

Fonte: Estadão

Leia também: