Santur espera aumento de 5% na circulação de turistas em SC

 

A Santur espera que as boas condições do tempo favoreçam a chegada de turistas ao Estado. De acordo com a pasta, a expectativa é que Santa Catarina receba, ao menos, 5% a mais de pessoas do que na última temporada, quando aproximadamente 8 milhões de pessoas visitaram as terras catarinenses.

De acordo com o presidente da entidade, Valdir Rubens Walendowski, foi feito um trabalho ao longo de 2018, para garantir que o setor consiga registrar crescimento, apesar das previsões de que o turismo de argentinos possa cair, já que o país vizinho vive uma grave crise econômica.

— A gente focou ter melhores relações de turismo com o Chile. Desde 4 de novembro passamos a ter um voo Florianópolis – Santiago, com frequência de cinco dias por semana. Também temos agora um voo entre Foz do Iguaçu e Navegantes — afirma.

Walendowski também acredita que, apesar da mudança administrativa com a troca de governo a partir do dia 1º de janeiro, o setor de turismo continuará recebendo atenção importante do governador eleito Carlos Moisés (PSL).

—  O turismo faz parte de 13% do Produto Interno Bruto, de Santa Catarina (PIB). Acredito que o governo tenha plena consciência de que é importante. Tem que melhorar, ter uma produtividade melhor. O próprio trade turístico sabe disso.

Para o presidente da Santur, a infraestrutura catarinense é muito boa para receber os turistas e coloca o Estado em um patamar que ele considera invejável, em comparação a outros destinos.

Verão deve ter calor e chuvas bem distribuídas

As altas temperaturas dos primeiros dias de dezembro trazem expectativa para moradores, empresários e turistas sobre como será o verão, que se inicia no dia 21 deste mês. De acordo com a Central NSC de Meteorologia, a previsão é de que o clima siga com boa incidência de calor, com chuvas distribuídas, principalmente, em pancadas pouco antes de anoitecer.

O meteorologista Leandro Puchalski explica que os modelos de previsão apontam para um aquecimento das águas do Pacífico Equatorial, o que provocaria a ocorrência do fenômeno conhecido como El Niño. Em geral, essa condição aumentaria a quantidade de chuvas, mas a tendência é que o fenômeno seja de fraca intensidade, mantendo as características da estação.

— A chuva deve ocorrer dentro do padrão da estação na maior parte do estado, ficando um pouco abaixo da média em áreas da Grande Florianópolis, Litoral Norte e Planalto Norte nos meses de dezembro e janeiro — afirma Puchalski.

Ainda conforme o meteorologista, as temperaturas também devem ter pouca alteração. Apenas na região do Meio Oeste catarinense é previsto que elas fiquem acima da média histórica, nos meses de janeiro e fevereiro.

 

Fonte: NSC