Observatório de Gastronomia será lançado em Florianópolis nesta segunda (27)

 

Florianópolis contará com um Observatório de Gastronomia a partir deste mês, em uma iniciativa coordenada pelo Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac e FloripAmanhã. O lançamento do site do projeto será realizado nesta segunda-feira (27), às 19h, no Hotel Sesc Cacupé, com palestra da consultora em Políticas Públicas para Economia Criativa pela Organização Mundial do Comércio (OMC), Cláudia Leitão, sobre a relação entre gastronomia, criatividade, cultura e educação.

O Observatório vai apresentar um mapeamento das informações relacionadas à cadeia produtiva do setor. No site será possível acessar gratuitamente dados abertos, indicadores, relatórios, banco de imagens, produção acadêmica e videoteca. Conforme a gestora da plataforma digital, Nathalia Bernardinetti, do Senac SC, o trabalho  vai envolver produção, pesquisas e difusão de dados e ações do setor público, privado, sociedade civil, universidades, produtores e organizações multilaterais.

“Será uma ferramenta para divulgação de produções científicas, técnicas e ações culturais, servindo de base para a geração de conhecimento, fomento de políticas públicas e estímulo à cadeia produtiva da Região Metropolitana de Florianópolis, além de servir de apoio para outras regiões”, explica. O Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac compõe o Grupo Gestor do programa Florianópolis Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia, em parceria com outras 12 instituições.

Há quatro anos a Capital tem a selo internacional, ao lado de Paraty (RJ) e Belém (PA). Este título contribui para o setor turístico-gastronômico local e para o desenvolvimento da região.

Qualificação do setor

O Observatório deve estimular a qualificação do setor e reforçar a vocação de Florianópolis como destino turístico, segundo o presidente do Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac, Bruno Breithaupt.

“A gastronomia tem um grande potencial turístico e econômico. A diversidade é um das maiores riquezas de Santa Catarina e também da sua Capital. Foi justamente essa pluralidade que colocou Florianópolis no calendário internacional com a conquista do título da Unesco. Contar com um mecanismo para acompanhar os indicadores do setor nos coloca um passo à frente para impulsionar a geração de emprego e renda e abrir oportunidades de investimentos”, pontua Breitahupt.

Estado produtor de alimento

Santa Catarina tem na gastronomia uma importante plataforma de desenvolvimento socioeconômico. O Estado, por exemplo, é o segundo maior produtor de ostras da América Latina, ficando atrás apenas do Chile, e hoje responde por 98% da produção nacional.

Em 2017, Florianópolis foi a que mais contribuiu para a produção total do molusco no Estado, com quase duas toneladas e movimentação de cerca de R$ 11,5 milhões, de acordo com o Centro de Desenvolvimento de Aquicultura e Pesca – CEDAP, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). A produção de moluscos comercializados (mexilhões, ostras e vieiras) por Santa Catarina somou 13.567 toneladas no ano passado, gerando uma receita bruta estimada em R$ 66.229.093,67 para o Estado, envolvendo diretamente mais de 550 maricultores, distribuídos em 10 municípios do litoral, entre Palhoça e São Francisco do Sul.

 

Fonte: Fecomércio SC