Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo: visibilidade que gera investimentos

Vencedor da 1ª competição de startups da OMT incentiva a participação na disputa nacional, que classificará projetos para concurso global da entidade.

“Ganhar a competição abriu portas com investidores do mundo inteiro. E neste momento de coronavírus, criar um futuro mais digital e melhor para o turista vai abrir portas”. O depoimento de Ziv Tirosh, fundador da israelense Refundit, campeã da primeira competição de startups da Organização Mundial do Turismo (OMT), em 2018, ilustra a importância do 1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo, que classificará projetos à semifinal da edição 2020 da disputa da OMT.

A Refundit, que tem como sócio Uri Levine, também cofundador do aplicativo Waze, desenvolveu uma plataforma por meio da qual viajantes podem solicitar o reembolso de IVA (Imposto sobre o Valor Agregado), incidente sobre compras, na União Europeia. Após a vitória na competição global, o reconhecimento veio rápido: no ano passado, o negócio conquistou um investimento de US$ 10 milhões liderado pelo Grupo Amadeus, uma das maiores empresas de tecnologia e viagens do planeta.

O caminho promissor é uma das oportunidades em jogo na competição brasileira, promovida conjuntamente pelo Ministério do Turismo e o Wakalua Innovation Hub – primeiro polo global de inovação no setor -, com a colaboração da OMT. As inscrições são realizadas pelo site startups.turismo.gov.br e estão abertas até 2 de setembro, em busca de soluções tecnológicas que proporcionem não só a retomada do mercado de viagens no pós-pandemia, mas também a superação de desafios gerais do segmento.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, defende empenho no sentido de incentivar a participação no desafio. “Contamos com a ajuda de gestores públicos e de todo o trade turístico para estimular inscrições. As soluções apresentadas por empreendedores nacionais podem contribuir para dinamizar o mercado nacional de viagens, favorecendo a inclusão social por meio do turismo, além de posicionar o Brasil como referência em inovação no setor”, sublinha.

Até o momento, os estados com mais inscrições são: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Ceará e Rio Grande do Sul. A disputa tem duas categorias: Reativar o Turismo, com foco em soluções imediatas, e Construir o Turismo do Futuro, voltada a soluções de efeito prolongado. Os 10 melhores projetos disputarão uma viagem à Espanha, onde vão participar de um treinamento e acompanhar a Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur).

A competição integra uma parceria entre MTur e o Wakalua para o desenvolvimento de uma estratégia nacional de inovação em turismo, que também prevê a implantação de um hub da entidade no Brasil. Mais detalhes a respeito do evento final do desafio, realizado totalmente online, serão anunciados por meio do site startups.turismo.gov.br e a avaliação dos projetos caberá a líderes do turismo e da inovação no país.

INSPIRAÇÃO – Em 2019, o 2º concurso global de startups de turismo da OMT consagrou iniciativas desenvolvidas na Espanha, México, Namíbia, Países Baixos, Portugal, Romênia e Senegal. As ideias envolveram novidades como o gerenciamento ecológico de veículos e frotas, a oferta de experiências inspiradas em filmes, livros ou lendas locais, a avaliação automatizada do atendimento a clientes de hotéis e o uso de veículos elétricos, entre outras.

Fonte : Mtur