Posts

Vigilância Epidemiológica alerta para aumento de viroses no verão em SC

Entre as causas estão o preparo e acondicionamento incorreto de alimentos, consumo de bebidas de procedência duvidosa e ausência de cuidados com a higiene pessoal.

 

As altas temperaturas do verão chegam com o alerta para os casos de doenças diarreicas agudas, especialmente nas cidades litorâneas e turísticas do Estado. De acordo com a DIVE/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), os casos tendem a crescer nesta época do ano em função do aumento do consumo de alimentos e bebidas contaminados, contato com água imprópria para banho e aumento na circulação de vírus, bactérias e parasitas que causam a doença. Em 2018, foram notificados 241 surtos de Síndrome Diarreica Aguda, sendo 39 de Doenças Transmitidas por Alimento(DTA) e 202 de Doenças Diarreicas Agudas (DDA). As informações são da Dive.

As causas da doença estão relacionadas a diversos patógenos, entre eles o Rotavírus e Norovírus, as bactérias Escherichia coli (enteropatôgenicas), Salmonella e Shigellae os parasitas Cryptosporidium, Cyclospora e Giárdia. Em geral, eles são transmitidos devido ao preparo e acondicionamento incorreto de alimentos, ao consumo de bebidas (água, sucos, gelo) de procedência duvidosa e à ausência de cuidados com a higiene pessoal (lavagem das mãos), que facilitam a transmissão de patógenos causadores da diarreia.

A principal manifestação da doença é o aumento do número de evacuações, com fezes aquosas ou de pouca consistência, podendo ser acompanhadas de náusea, vômito, febre e dor abdominal. Em alguns casos, há presença de muco e sangue nas fezes.

A DIVE/SC salienta a importância dos cuidados durante o verão para evitar casos e surtos de diarreia. Segundo o médico infectologista da DIVE/SC Fábio Gaudenzi, caso sejam identificados sintomas da doença, a indicação é não se automedicar e procurar uma unidade de saúde mais próxima para tratamento adequado, bem como para que a vigilância epidemiológica possa iniciar uma investigação, com coleta de material biológico, para tentar identificar os possíveis alimentos e agentes causadores da diarreia.

Confira dicas para evitar os fatores de risco:

– Não consuma alimentos que estejam fora do prazo de validade estabelecido pelo fabricante, mesmo que sua aparência seja normal;

– Mesmo dentro do prazo de validade, não consuma alimentos que pareçam deteriorados, com aroma, cor ou sabor alterados;

– Não consuma alimentos em conserva cujas embalagens estejam estufadas ou amassadas;

– Evite comer carne crua e mal passada, qualquer que seja sua procedência;

– Só tome leite fervido ou pasteurizado;

– Embale adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira;

Fonte: Noticias do Dia

Informativo ABIH-SC 14 de dezembro

No Informativo ABIH-SC de 14 de dezembro você vai ler:

 

Última reunião da Diretoria Executiva ABIH-SC 2018;-Escolha trabalhar e ser feliz;-Quatro praias de SC estão entre as preferidas dos brasileiros em site de viagem;-3º Floripa Beer Festival movimenta Beira-mar Norte neste sábado (15);-Revista ABIH-SC na versão digital;-Praias de Florianópolis terão quiosques containers na temporada 2018/2019;- Brasil ganha código de conduta contra a exploração de crianças e adolescentes no turismo;-Associados ABIH-SC!

 

Praias de Florianópolis terão quiosques containers na temporada 2018/2019

 

A temporada de Verão 2018/2019 traz novidades para os quiosques de praia em Florianópolis por meio de iniciativa privada. Até a temporada passada, era disponibilizada aos comerciantes uma tenda 3x3m sem fechamento lateral. Este ano, estão sendo implantados 69 containers, de 10 m², em capas de aço galvanizado. As informações são da Prefeitura de Florianópolis.

Em fase teste, as praias contempladas são a Brava, Jurerê Internacional, Jurerê Tradicional, Praia do Forte, Santinho, Lagoa da Conceição, Joaquina, Mole, Campeche e Novo Campeche. “Estamos sempre buscando trazer melhorias nas nossas temporadas, quando recebemos muitas pessoas de outras cidades, ficando uma grande movimentação nas praias. Este ano, além dos chuveiros e banheiros, também vamos testar os quiosques em formato de containers, dando mais conforto aos comerciantes e melhor manipulação do que será servido”, afirma o prefeito Gean Loureiro.

 

Fonte: Noticias do dia

Quatro praias de SC estão entre as preferidas dos brasileiros em site de viagem

Uma pesquisa com internautas feita pelo site da agência virtual de viagens norte-americana Expedia, listou as praias preferidas dos brasileiros para aproveitar um dia de sol. Entre as 22 “melhores praias do Brasil segundo os brasileiros”, quatro são catarinenses.

Balneário Camboriú, Bombinhas, Jurerê Internacional e a Guarda do Embaú estão no ranking. SC lidera, junto com Pernambuco e o Rio de Janeiro, a lista de estados com mais praias incluídas na pesquisa pelos internautas _ quatro cada um.

Confira o ranking:

1. Copacabana, Rio de Janeiro

2. Praia de Maracaípe, Pernambuco

3. Ipanema, Rio de Janeiro

4. Jericoacoara, Ceará

5. Praia do Forte – Cabo Frio, Rio de Janeiro

6. Boa Viagem, Pernambuco

7. Praia Grande – Arraial do Cabo, Rio de Janeiro

8. Canoa Quebrada, Ceará

9. Praia da Pipa, Rio Grande do Norte

10. Praia do Futuro, Ceará

11. Praia Ponta Negra, Rio Grande do Norte

12. Balneário Camboriú, Santa Catarina

13. Jurerê Internacional, Santa Catarina

14. Maragogi, Alagoas

15. Santos, São Paulo

16. Bombinhas, Santa Catarina

17. Praia do Espelho – Trancoso, Bahia

18. Praia dos Carneiros – Tamandaré, Pernambuco

19. Cabo Branco, Paraíba

20. Guarda do Embaú, Santa Catarina

21. Praia de Atalaia, Sergipe

22. Praia Vermelha – Ubatuba, São Paulo

Fonte: NSC Total

Brasileiros farão 75,5 milhões de viagens domésticas no verão

 

Crescimento é de 2% e setor projeta aumento de vendas da ordem de 18% a 20% em relação à temporada 2017/18.

 

Estimativa do Ministério do Turismo aponta para a realização de 75,5 milhões de viagens entre dezembro deste ano até fevereiro de 2019. O resultado é cerca de 2% maior em relação aos números do verão passado. A Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) também projeta crescimento nas vendas em percentuais entre 18% e 20% no mesmo período.

São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina e Minas Gerais estão entre os estados que serão mais visitados no período das festas de fim de ano (Natal e Réveillon) e das férias escolares em todo o país. Outros destinos que também receberão expressivos volumes de turistas, segundo a projeção do MTur, são Rio Grande do Sul, Paraná, Ceará, Pernambuco e Goiás.

“Tenho batido muito nesta tecla, de que o turismo é um celeiro de respostas positivas pois tem uma capacidade incrível de influenciar positivamente a economia. O aumento do número de viagens gera mais oportunidades de geração de empregos temporários e movimenta o comércio e equipamentos turísticos nas nossas cidades”, avalia o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

Segundo a Abav, as vendas devem manter a mesma proporcionalidade do verão passado. Ou seja, 60% das vendas para destinos nacionais e 40% para o exterior. “Tivemos uma instabilidade cambial importante este ano, revertida agora, e a projeção é de que a demanda reprimida dos meses anteriores se concretize em vendas para a alta temporada”, comenta a presidente em exercício da entidade, Magda Nassar.

Os destinos de sol e praia lideram a preferência na maior operadora de turismo do país para o período. No Nordeste, estão na dianteira destinos como Porto Seguro, Fortaleza, Maceió, Salvador e Natal. Em outras rotas destacam-se atrativos sem e com litoral, como Foz do Iguaçu, Caldas Novas (GO) e Balneário Camboriú, os dois últimos “devido aos parques aquáticos e de diversão”.

Outra grande empresa do setor, a agência de viagens online Decolar, coloca Rio de Janeiro, Porto Alegre e Natal como destinos nacionais preferidos para o Ano Novo. Entre os dez mais buscados pelo público estão também Foz do Iguaçu, Recife, Florianópolis, São Paulo, Fortaleza, Vitória e Salvador, reforçando a tese de que sol e praia ainda é o segmento mais demandado no país.

MUDANÇA – A operadora CVC identificou nesta temporada uma mudança de comportamento de viagem do brasileiro: “diferente de anos anteriores, quando os brasileiros deixaram a decisão da viagem para a última hora, neste a CVC percebe que o consumidor voltou a se planejar e tem fechado a viagem com maior antecedência, aproveitando as promoções do mercado” comenta a assessoria de comunicação da empresa.

RANKING – Segundo as estimativas do Ministério do Turismo, o estado de São Paulo deverá receber o maior contingente de turistas no período, cerca de 18% do total ou 13,65 milhões de viagens realizadas. Já o Rio de Janeiro, na segunda posição, ficará com 10,3% do volume de viagens, seguido da Bahia, com 9,5%. Santa Catarina e Minas Gerais devem ser destino de 5,86 milhões e 5,3 milhões das viagens que serão realizadas no próximo verão, que começa em 21 de dezembro próximo.

12.12.2018 Filhos de Gandhy BentoViana

 

Fonte: Ministério do Turismo

Santur espera aumento de 5% na circulação de turistas em SC

 

A Santur espera que as boas condições do tempo favoreçam a chegada de turistas ao Estado. De acordo com a pasta, a expectativa é que Santa Catarina receba, ao menos, 5% a mais de pessoas do que na última temporada, quando aproximadamente 8 milhões de pessoas visitaram as terras catarinenses.

De acordo com o presidente da entidade, Valdir Rubens Walendowski, foi feito um trabalho ao longo de 2018, para garantir que o setor consiga registrar crescimento, apesar das previsões de que o turismo de argentinos possa cair, já que o país vizinho vive uma grave crise econômica.

— A gente focou ter melhores relações de turismo com o Chile. Desde 4 de novembro passamos a ter um voo Florianópolis – Santiago, com frequência de cinco dias por semana. Também temos agora um voo entre Foz do Iguaçu e Navegantes — afirma.

Walendowski também acredita que, apesar da mudança administrativa com a troca de governo a partir do dia 1º de janeiro, o setor de turismo continuará recebendo atenção importante do governador eleito Carlos Moisés (PSL).

—  O turismo faz parte de 13% do Produto Interno Bruto, de Santa Catarina (PIB). Acredito que o governo tenha plena consciência de que é importante. Tem que melhorar, ter uma produtividade melhor. O próprio trade turístico sabe disso.

Para o presidente da Santur, a infraestrutura catarinense é muito boa para receber os turistas e coloca o Estado em um patamar que ele considera invejável, em comparação a outros destinos.

Verão deve ter calor e chuvas bem distribuídas

As altas temperaturas dos primeiros dias de dezembro trazem expectativa para moradores, empresários e turistas sobre como será o verão, que se inicia no dia 21 deste mês. De acordo com a Central NSC de Meteorologia, a previsão é de que o clima siga com boa incidência de calor, com chuvas distribuídas, principalmente, em pancadas pouco antes de anoitecer.

O meteorologista Leandro Puchalski explica que os modelos de previsão apontam para um aquecimento das águas do Pacífico Equatorial, o que provocaria a ocorrência do fenômeno conhecido como El Niño. Em geral, essa condição aumentaria a quantidade de chuvas, mas a tendência é que o fenômeno seja de fraca intensidade, mantendo as características da estação.

— A chuva deve ocorrer dentro do padrão da estação na maior parte do estado, ficando um pouco abaixo da média em áreas da Grande Florianópolis, Litoral Norte e Planalto Norte nos meses de dezembro e janeiro — afirma Puchalski.

Ainda conforme o meteorologista, as temperaturas também devem ter pouca alteração. Apenas na região do Meio Oeste catarinense é previsto que elas fiquem acima da média histórica, nos meses de janeiro e fevereiro.

 

Fonte: NSC 

Prefeitura de Florianópolis lança Operação Verão e promete reforço na infraestrutura e segurança

Praias terão mais guarda-vidas, chuveiros e banheiros químicos, disse a administração municipal.

A prefeitura de Florianópolis apresentou na manhã desta terça-feira (9) os detalhes da Operação Verão para a próxima temporada. A proposta é de reforços na segurança, na infraestrutura das praias e acessos a elas, nas creches, na saúde e na manutenção da limpeza. Conforme a administração municipal, são mais de 8 mil pessoas envolvidas.

A Operação Verão vai começar em 15 de dezembro. “Vamos trabalhar a melhoria nas rodovias de acesso às praias, buscando a revitalização através da melhoria da pavimentação asfáltica, roçagem , pintura de meio-fio, uma nova sinalização horizontal e vertical, melhoria na iluminação em alguns pontos”, disse o prefeito Gean Loureiro (MDB).

Veja os números anunciados pela prefeitura:

  • 710 policiais militares, sendo 590 do efetivo local e mais 120 de outras cidades;
  • 370 guarda-vidas civis;
  • 119 funcionários temporários da Comcap (Companhia de Melhoramentos da Capital) para manter a limpeza da cidade;
  • 60 fiscais temporários vão monitorar os trabalhos dos vendedores ambulantes;
  • 780 vagas em oito creches para o período de janeiro;
  • 70 quiosques para venda de produtos nas praias;
  • 40 chuveiros na praia que poderão ser usados de graça;
  • 224 banheiros químicos;
  • 9 praias acessíveis com esteiras na areia e cadeiras anfíbias para ajudar os banhistas que têm algum tipo de deficiência física;
  • 69 garis, 40 auxiliares operacionais e dez motoristas temporariamente para o verão para reforçar a estrutura e manter a cidade limpa e organizada;
  • Contratação temporária de dez médicos de família, dois enfermeiros e 25 técnicos de enfermagem para recompor equipes de família e unidades de saúde dos balneários;
  • Contratação de dois cirurgiões e cinco médicos pediatras para ajudar no atendimento das UPAs.

Em relação ao transporte coletivo, a administração municipal disse que haverá renovação da frota e mudanças nos horários e itinerários das linhas de ônibus para adequar o sistema aos locais com maior demanda durante a temporada. Se comprometeu ainda a ampliar o wi-fi nos abrigos de ônibus e atualização do aplicativo Floripa no Ponto para deficientes visuais.

Preços baixam para atrair argentinos durante a temporada de verão

 

No sábado (22) começa a primavera e vão faltar 90 dias para o começo do verão. A preparação para a próxima temporada já começou em Santa Catarina. Porém, este ano a preocupação maior se relaciona com a presença dos turistas argentinos que, anualmente, lotam as praias do Norte da Ilha em Florianópolis. Com uma crise interna grave e o preço do dólar frente ao peso dobrando em relação ao último verão, o sinal vermelho acendeu para empresários que possuem negócios ou empreendimentos que sobrevivem da movimentação turística. Em uma imobiliária consultada pelo Conexão, o pedido de reservas da Argentina caiu 50% em relação a 2017. Até os hotéis estão baixando as tarifas para conseguir atrair esse público que vai gastar menos na temporada.

Para vir de férias, os 330 mil argentinos que estiveram na Capital na última temporada, trocam o peso pelo dólar. Chegando ao Brasil, eles fazem a conversão novamente e acabam ganhando mais dinheiro na troca. Só que na última temporada, o valor de U$$ 1 dólar era $ 20 pesos. Hoje, o valor dobrou com possibilidade de aumentar para $ 60 pesos até o fim do ano, segundo preveem economistas. No país vizinho, a moeda se desvalorizou e a inflação disparou.

Em uma imobiliária dos Ingleses, os hermanos diminuíram o número de reservas para o verão em 50%, se comparado o mesmo período do ano passado. Para tentar driblar a crise argentina, a SC Imóveis está diminuindo ou congelando preços para aluguéis de temporada. Segundo José Carlos de Oliveira, proprietário, para o período pós-réveillon os valores de apartamentos com ar-condicionado, TV e internet estão sendo segurados.

“Um apartamento de um dormitório, não pode passar de R$ 200 reais por dia. Dois dormitórios R$ 300 e três R$ 400. Isso, no período intermediário da temporada, depois do ano novo e antes do Carnaval. Nos períodos de maior movimento, estamos colocando aqui para a virada, por exemplo, valores que chegam a R$ 300 reais para um imóvel de um quarto, R$ 400 de dois dormitórios e R$ 500 por dia se for de três quartos. Precisa haver uma conscientização de que se não baixarmos preços em vários setores neste verão, os turistas argentinos não vão vir para nossas praias e ninguém ganha nada”, comentou.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina (ABIH/SC) também confirmou a diminuição no valor das diárias de hotéis. Osmar Vailatti, presidente da entidade, explicou que não só a redução de valores, mas o prazo para pagamento também está mudando. “A consciência do hoteleiro é real que vivemos um momento difícil. Temos que atuar com promoções, tarifas e preços menores, prazos mais dilatados de pagamento para mantermos o nosso faturamento. Isso é certeza, tarifas menores. Quando faltam turistas, você faz isso. Não só em Santa Catarina, mas diárias em todo o país estão menores para não perder venda. É uma política nova que os hoteleiros estão tendo para não deixar quartos vazios”, explicou. A associação ainda não calcula perdas, pois espera a Feira Internacional do Turismo (FIT) marcada para Buenos Aires no mês de outubro.

Uma reportagem do jornal argentino Clarín, publicada na semana passada, adjetivou como “caro” um voo de ida e volta para um casal que vem férias para Florianópolis. A pesquisa realizada pela publicação colocou o trecho a $ 20 mil pesos, enquanto no último verão o valor era a metade. Uma casal e dois filhos sai por $ 85 mil pesos, cerca de R$ 8,5 mil. No Facebook, agências argentinas comercializam pacotes de sete dias em Canasvieiras com voo, hotel (7 noites), traslado e meia pensão negociado a $ 65 mil pesos por pessoa, cerca de R$ 6,5 mil reais. Existem pacotes mais baratos. Outra agência negocia em valores que chegam a $ 22 mil pesos, o que dá R$ 2,2 mil reais no câmbio do dia 19/09. Uma empresa de Buenos Aires montou pacotes de ônibus e hospedagem em Canasvieiras por 7 noites por $ 19 mil pesos, cerca de R$ 1,9 mil por pessoa. Uma agência consultada pelo Conexão confirmou que está sofrendo muitas consultas, mas não tem fechado pacotes para Florianópolis.

Para Vinicius de Lucca, superintendente de turismo de Florianópolis, ‘provavelmente’ teremos menos turistas argentinos nesta temporada, sendo que no ano passado 330 mil visitaram a cidade. Segundo ele, ações já estão sendo desenvolvidas. “Estamos trabalhando para que eles não venham no período de alto movimento. Estamos buscando a negociação com as empresas que fretam voos para que eles venham para cá fora do período de altíssima temporada (Ano Novo e Carnaval). As tarifas estão mais altas no ano novo em Florianópolis. Queremos colocar para a segunda semana de janeiro. Estamos tentando colocar também para março voos charter, quando as tarifas estão mais baixas”, comentou. Ele ainda não especula quanto deve ser a redução no número de argentinos na cidade.

Quem lida com o turista

Foto: Divulgação

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/SC) confirmou que a temporada será ditada pelo câmbio. Eles acreditam na redução no número de argentinos. Segundo Raphael Dabdab, presidente da associação, o setor trabalha com a redução no número de turistas e que os preços serão pautados pela concorrência. “Florianópolis tem um restaurante por mil habitantes. (…) Não teríamos artifícios para regularizar os preços. Vimos na última temporada turistas frequentando mais supermercados e atacados, do que restaurantes. Entendemos que existem abusos de preços, mas são pontuais. Não é a grande maioria. Hoje o empresário luta para sobreviver. No verão, o empresário tira as promoções e não aumenta os preços. Porém, camarão e filé mignon triplicam de preço (no fornecedor) no verão”, comentou. Ele disse ainda que não faz sentido o dono do restaurante aumentar o preço e não ganhar na quantidade, quando não há muito movimento. “O maior inibidor de abusos é a concorrência”.

Eduardo Loch, presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (ABAV/SC), acredita que quem ia para outros destinos mais distantes daqui, deve vir para Florianópolis. Ele não aposta em diminuição de preços ou congelamento de tarifas. “Queremos um turismo que seja profissional. (…) Nós precisamos qualificar o turista. Precisamos de uma cidade que seja boa para o turista”, afirmou. Ele defende que o turista que venha tenha condições financeiras de gastar na cidade, além de comentar que haverá um incremento de turistas vindos do Chile diretamente para a Capital.

Fonte: Jornal Conexão

Praia de Piçarras (SC)

Temporada Bandeira Azul tem aumento de 50%

Praia de Piçarras (SC)

Praia de Piçarras (SC)

As 15 indicações do Brasil foram encaminhadas para homologação do júri internacional em Copenhague, na Dinamarca. Santa Catarina terá o maior número de certificação.

 

No próximo verão as praias do Brasil estarão ainda mais pontilhadas de bandeiras azuis. Serão 15 certificações internacionais, 50% a mais do que as 10 homologadas no verão passado. A conquista é exibida como um troféu. A Bandeira Azul hasteada significa mais qualidade da água para os banhistas e moradores dos locais que obtiverem os certificados validados pelo júri internacional.

“O programa Bandeira Azul reconhece o compromisso das comunidades e governos locais com a proteção das praias, rios e lagoas e a prática responsável das atividades turísticas em 45 países”, destacou Gabrielle Nunes, coordenadora-geral de turismo responsável do Ministério do Turismo, que integra o júri nacional.

A lista oficial será divulgada em outubro, quando o júri internacional vai homologar as certificações do programa para a próxima temporada de verão no hemisfério sul. A lista dos locais brasileiros que pleiteiam a Bandeira Azul foi divulgada nesta terça-feira (3). A escolha foi feita pelo júri nacional, em reunião realizada no dia 28 de junho no Ministério do Turismo, em Brasília. Os jurados, que representam 10 instituições públicas e não-governamentais, aprovaram a inclusão de cinco novas praias e uma marina no programa Bandeira Azul.

NOVAS BANDEIRAS – A partir de 15 de novembro Poderão hastear a Bandeira Azul, pela primeira vez, as praias do Estaleiro e do Estaleirinho, em Balneário Camboriú e Piçarras, em Santa Catarina. A praia de Palmas, em Governador Celso Ramos, também em Santa Catarina, que havia perdido a certificação na temporada passada, retornou ao programa e vai poder hastear a Bandeira Azul novamente. Ainda em Santa Catarina, a Marina Tedesco, de Balneário Camboriú, terá a Bandeira Azul pela primeira vez. A praia do Peró, em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, também atendeu todos os pré-requisitos do programa.

RENOVAÇÃO – Os turistas que visitarem a praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha do Frade, em Salvador (BA), vão continuar desfrutando da mesma qualidade da água e dos serviços oferecidos na temporada anterior. A praia do Tombo, no Guarujá (SP) também teve a Bandeira Azul renovada pelo júri nacional. A praia Grande/Caravelas, em Governador Celso Ramos (SC) continuará exibindo a certificação internacional, bem como a Lagoa do Peri, na capital catarinense, Florianópolis.

 

A lista das bandeiras renovadas inclui, ainda, a Marina CostaBella, em Angra dos Reis (RJ); Marina Nacionais, no Guarujá (SP); Marina Kauai, em Ubatuba (SP) e Iate Clube de Florianópolis (SC). A 15ª Bandeira Azul da próxima temporada do programa no Brasil será hasteada pela embarcação Água Viva Mergulho, que faz passeios turísticos e de mergulho em volta da Ilha de Santa Catarina e renovou o certificado, em Florianópolis. “Obter este certificado é uma grande responsabilidade que deve ser traduzida em mudança de comportamento e gestão responsável. Hastear a bandeira é somente o início deste processo de mudança”, destacou a coordenadora do programa no Brasil, Leana Bernardi.

O júri nacional é composto pelo Ministério do Turismo, Ministério do Meio Ambiente, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – Secretaria do Patrimônio da União, Ministério da Educação, SOS Mata Atlântica, Agência Costeira, ACATMAR – Associação Náutica Brasileira, SOBRASA – Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático e ANAMMA – Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Leia também: Festival de Dança gera expectativas positivas para a hotelaria de Joinville (SC)

São Francisco do Sul analisa cobrar taxa de proteção ambiental para turistas na temporada de verão

 

Município de 50 mil habitantes recebe 2 milhões de visitantes entre dezembro e março. Projeto de lei ainda deverá passar pela Câmara de Vereadores.