Posts

Cães que são “guias”!

 

 

De acordo com a lei 11.126, o cão-guia de pessoas com deficiência visual tem direito a ingressar e permanecer em estabelecimentos turísticos.

Não há desafios que não possam ser encarados por quem é apaixonado por viajar. Para pessoas com deficiência visual, essa máxima também é válida e tem se tornado cada vez mais possível em virtude da lei nº 11.126, que define a permissão a cães-guia, acompanhados de seus donos, para ingressarem e permanecerem em ambientes de uso coletivo. A regra vale para todo o território brasileiro e os estabelecimentos ou serviços – incluindo os do setor turístico – que descumprirem a medida estão sujeitos à interdição e multa.

Proprietários e profissionais do mercado de Viagens devem estar atentos à facilitação do acesso de pessoas com deficiência em visita aos destinos turísticos. Para auxiliar nessas e outras informações de apoio, o Ministério do Turismo disponibiliza, em versão eletrônica, a cartilha Dicas para Atender Bem Turistas com Deficiência. O material foi desenvolvido para orientar prestadores de serviços turísticos a receberem melhor os visitantes com algum tipo de deficiência visual.

EXPERIÊNCIA – A paulistana Mellina Hernandes, 34 anos, foi diagnosticada com uma doença degenerativa que retirou sua capacidade de enxergar. Há cinco anos ela adotou Hilary, uma labradora preta que se tornou os olhos de Mellina. É Hilary que auxilia a turismóloga na locomoção do dia a dia e que também se transformou em uma grande companheira de viagem. Juntas, a dona e a “filha” de quatro patas já viajaram para mais de 29 destinos brasileiros.

“Em 2015 embarquei para Curitiba (PR) e viajei pela primeira vez sozinha com a Hilary. No primeiro dia fiquei com medo de sair só com ela. Depois fui me sentindo segura, pois minha cão-guia aprendeu rapidamente os trajetos e não tivemos dificuldade para nos locomovermos. Essa experiência foi o ponto crucial para que eu diga que o cão-guia traz uma experiência inenarrável na vida de quem é cego”, explica a turismóloga e viajante assídua.

Apesar dos bons momentos em viagem, Mellina se depara constantemente com a falta de informação em estabelecimentos turísticos, que, em alguns casos, barram a entrada de Hilary. “Às vezes as pessoas não permitem nossa entrada ou ficamos um tempão esperando fora do local até que o funcionário consiga autorizar nossa entrada com o supervisor. Já fui barrada em hotel, passeio turístico e até transporte público, mesmo explicando que existe uma lei que dá respaldo para a presença dela”, conta.

Mesmo com as dificuldades, a turismóloga não desiste de se aventurar com sua companheira pelas belezas do Brasil e do mundo. Juntas, elas já viajaram para mais de 33 destinos e pretendem continuar conhecendo outros lugares. “A maior vantagem do cão-guia é que ele me proporciona autonomia e me ajuda a, literalmente, a sair andando por aí”, comemora Mellina.

09.01.2018 mellina hilary
Juntas, elas também conheceram o Parque Flamboyant, em Goiânia (GO). Foto: Arquivo pessoal

APLICATIVO TURISMO ACESSÍVEL – O Ministério do Turismo simplificou e modernizou o aplicativo para smartphones e o site do Guia Turismo Acessível. A ferramenta oferece avaliações e características de acessibilidade de empreendimentos e pontos turísticos em todo o Brasil. Na nova versão, o cadastramento de novos empreendimentos está mais prático e rápido, graças ao novo sistema de georreferenciamento. O prestador do serviço ou proprietário do estabelecimento também dispõe de função exclusiva para atualizar informações como fotos, telefone ou endereço da empresa.

O turista com deficiência ou dificuldade de locomoção só precisa acessar o Windows Phone ou a AppStore para baixar a nova versão do aplicativo gratuitamente. “Essa ferramenta facilita o acesso e a inclusão das pessoas com algum tipo de deficiência aos serviços turísticos e permitem que elas avaliem a qualidade dos serviços e da acessibilidade dos locais visitados, tanto dos empreendimentos como dos atrativos turísticos em todo o Brasil”, explica a coordenadora geral de Turismo Responsável do Ministério do Turismo, Gabrielle de Andrade.

O aperfeiçoamento da interface do aplicativo tem o recurso de sugestão de palavras que permite ao usuário acessar rapidamente informações de estabelecimentos e atrativos turísticos avaliados. O turista também poderá fazer upload de fotos durante as avaliações. Outro recurso é a interpretação por áudio de cada detalhe na tela do dispositivo, além de mapa interativo que permite a localização de estabelecimentos próximos ao usuário por meio do Google Maps e histórico de lugares pesquisados.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Cidades iluminadas pelas festas natalinas dão cor e “mágica” aos destinos turísticos neste fim do ano.

 

Desfiles artísticos, decorações temáticas, shows e árvores gigantes estão entre as atrações que acompanham o acender das luzes de Natal em destinos turísticos de todo o Brasil. Comemorar a data em cidades que se vestem de luz pode oferecer uma completa experiência de imersão na magia natalina.

Somente em dezembro, o Calendário de Eventos do Ministério do Turismo conta com mais de 50 eventos relacionados ao Natal. Segundo o coordenador-geral de produtos turísticos do Ministério do Turismo, Cristiano Borges, “o calendário é uma ferramenta gratuita que cadastra e exibe eventos de interesse turístico, auxiliando os visitantes na busca por atividades a fazer no destino visitado. Além de ajudar o destino a se promover, auxilia o turista no planejamento da viagem para aproveitar o melhor dos destinos em cada época do ano”.

É o caso de Brasília, que celebra a festa com uma iluminação moderna e inovadora. O tema Natal Cidade Design abrange oito dos principais pontos turísticos com projeções mapeadas, que lembram a arte do escultor Athos Bulcão. Além das tradicionais luzes da Esplanada dos Ministérios, prédios como a Biblioteca Nacional, o Teatro Nacional e o Palácio do Itamaraty recebem interações de vídeos 2D e 3D. As projeções mapeadas duram 10 minutos e ocorrem a cada meia hora, sempre das 19h às 23h. Um motivo a mais para o turista conhecer o modernismo da capital federal também à noite.

O Natal Luz de Gramado (RS) reúne mais de 500 eventos em sua 33ª edição. A cerimônia de acendimento das luzes do Natal vira atração diária para os turistas, seguida por desfiles, apresentações musicais e teatrais e paradas culturais. O Sonho de Natal, na vizinha Canela, completa o destino de Natal mais desejado e iluminado do Brasil.

Luzes, enfeites e eventos gratuitos marcam as comemorações de Natal no Triângulo Mineiro. Uberaba e Araxá estão entre os destinos mais festejados do Natal na região. Um dos destaques é o Natal no Parque da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, em Uberaba, com cerca de um milhão de lâmpadas. Já Araxá, conhecida pelas águas termais, conta com a Vila Noel – o presépio gigante fica na praça Governador Valadares.

Em Santa Catarina, parques, praças, monumentos e avenidas da capital, Florianópolis, ganham as cores do Natal. Em Blumenau, a Vila Germânica – conhecida pela realização de grandes eventos como a Oktoberfest –, é ocupada, nesta época do ano, pela celebração Magia de Natal, com atrações típicas da colonização alemã.

Em São Paulo, as opções para festejar o Natal vão da capital ao interior. Em Socorro, o Natal dos Sonhos harmoniza a atmosfera da festa com uma decoração feita de materiais recicláveis. Na cidade serrana de Campos do Jordão, além da iluminação especial, atrações musicais movimentam o destino. Itu, a ‘cidade dos exageros’, ergue uma árvore gigante com mais de 80 metros. E na capital, a Avenida Paulista, a árvore de Natal do Parque Ibirapuera e os shoppings decorados estão entre as atrações mais visitadas.

No estado do Paraná, a capital, Curitiba, fica ainda mais atrativa com a decoração do Natal Luz dos Pinhais. São presépios, guirlandas, luzes e prédios totalmente iluminados. A principal atração, no centro histórico, é a apresentação do coral de crianças nas janelas do Palácio Avenida.

Em Itatiaia, interior do estado do Rio, o bairro de Penedo, única colônia finlandesa do Brasil, tem um atrativo ímpar: a casa do Papai Noel. Há quem diga que o ilustre “morador” pode ser visto, nessa época, em um refrescante banho de cachoeira no pé do Parque Nacional de Itatiaia. Na capital, Rio de Janeiro, a Árvore da Lagoa Rodrigo de Freitas é o principal símbolo de Natal.

Em Natal, no Rio Grande do Norte, os turistas dividem-se entre as praias de águas mornas, passeios nas dunas e noites festivas. Na cidade que nasceu no dia de Natal, um dos locais mais visitados é a Praça de Mirassol, com uma árvore com mais de 100 metros de altura. Nos arredores, turistas podem curtir a feira de artesanato, com várias lembrancinhas especiais para a época.

 

Fonte: Ministério do Turismo