Posts

Informativo ABIH-SC 26 de julho

 

No Informativo ABIH-SC de 26 de julho você vai ler:

Encatho 2019: Ampla programação foca em qualificação para o ecossistema turístico;-Reunião de Diretoria Executiva da ABIH-SC;-McPlast Embalagens – Sócio Colaborador ABIH-SC;- Seminário de Desenvolvimento Turístico;-Turismo de negócios cresce 14,7% no primeiro semestre do ano;-Audiência pública debate concessão do centro de eventos de Balneário Camboriú;-Effecti Experience ” Uma imersão no mundo das licitações”;- Associados ABIH-SC!

 

Leia também: Seminário de Desenvolvimento Turístico

Audiência pública debate concessão do centro de eventos de Balneário Camboriú

 

A população teve a oportunidade de conhecer todos os detalhes do processo de concessão do Centro de Eventos de Balneário Camboriú em audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira, 24. Agora, abre-se um prazo de 30 dias de consulta pública para que qualquer interessado apresente sugestões. O debate foi realizado no Teatro Municipal Bruno Nitz, em Balneário Camboriú, e teve a participação de cerca de 250 representantes da sociedade civil organizada e da comunidade.

A concessão do equipamento turístico é a primeira do Programa de Parcerias e Investimentos do Estado de Santa Catarina (PPI-SC), conduzido pela SCPar. A licitação está sob responsabilidade da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur).

De acordo com a presidente da Santur, Flavia Didomenico, a concessão do Centro de Eventos tem potencial para impulsionar significativamente o turismo em Balneário Camboriú. “Vai alavancar a economia de toda a região, que já conta com uma rede hoteleira, de comércio, serviços e atrativos turísticos muito rica. Agora se abrem mais oportunidades para a atração de eventos e geração de negócios”, afirmou.

Uma das preocupações do setor é a captação e agendamento de eventos futuros. Para atender a essa demanda, a presidente da Santur anunciou a nomeação de um profissional exclusivo. Até o momento, já há 12 pré-reservas de eventos, com realização a partir de julho de 2020. São seis formaturas, cinco feiras e um congresso. Todos eles farão parte do termo de referência para que a concessionária possa alinhar os procedimentos comerciais necessários. Interessados em agendar eventos podem entrar em contato com Carlos Eduardo de Sá, pelo telefone (48) 3665-7455.

audiencia_publica_debate_centro_de_eventos.jpeg Foto: Cristiano Estrela (Secom-SC)

Primeira concessão da história
O presidente da SCPar, Gustavo Salvador Pereira, ressaltou que esta é a primeira concessão realizada pelo Estado de Santa Catarina. “Após a reforma administrativa, a SCPar assume um papel responsável pela modelagem dos projetos de desestatização. Este é um momento muito importante para o nosso estado”, afirmou.

A expectativa é que o contrato de concessão chegue a R$ 144 milhões. O valor leva em conta a outorga inicial, que deve ser paga antes da assinatura do contrato, e a projeção de receitas ao longo de 20 anos por parte da companhia.

A audiência contou com uma apresentação técnica da equipe da SC Par, que detalhou o termo de referência que vai balizar o processo de concessão e as premissas financeiras que integram o estudo para a licitação. A proposta é que o contrato com a empresa vencedora tenha vigência de duas décadas.

O termo de referência prevê, ainda, a realização de investimentos mínimos e obrigatórios por parte da empresa vencedora, tais como a compra e instalação de mobiliário, equipamentos e demais sistemas necessários à operação comercial. Além disso, o documento inclui a pavimentação do estacionamento com paver de concreto e a adequação do acesso pela via marginal da BR-101.

Audiência_pública_centro_de_eventos_BC.jpeg Foto: Cristiano Estrela (Secom-SC)

Consulta pública aberta
Os documentos da audiência já estão disponíveis no site do PPI-SC, na aba “Consultas públicas”. Até o dia 23 de agosto, ainda será possível encaminhar sugestões pelo site ou pelo e-mail ppi@scpar.gov.br.

Durante a audiência pública, realizada pela Santur e SCPar, com apoio da prefeitura de Balneário Camboriú, foram enviados e respondidos 17 questionamentos à equipe técnica.

Conforme o secretário executivo de Parcerias Público-Privadas (PPPs) da SCPar, Ramiro Zinder, a audiência pública não tinha obrigatoriedade legal para essa concessão, mas o Governo do Estado decidiu realizá-la para dar maior transparência. “Como é um contrato de 20 anos, é importante que façamos de modo responsável, porque essa concessão vai passar por cinco governos e precisa permanecer sólida”, destacou Zinder.

Além dos representantes do Governo, participaram da audiência o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira e a deputada estadual, Ana Paula da Silva (PDT).

 

Fonte: Santur

Turismo de negócios cresce 14,7% no primeiro semestre do ano

 

Setor também teve alta de quase 15% nos gastos destes turistas no Brasil.

Durante o primeiro semestre de 2019, as viagens a negócio no Brasil cresceram 14,7%, se comparado com o mesmo período do ano passado. Os dados são de um levantamento da Associação Brasileira das Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), realizado com empresários do setor. O aumento no índice, consequentemente, gerou mais receita para o país. Os gastos destes turistas também cresceram 14,8%, saindo de R$ 4,85 bilhões, nos seis primeiros meses de 2018, para R$ 5,57 bilhões neste ano.

O ministro do Turismo interino, Daniel Nepomuceno, comemorou o dado, já que este tipo de viagem possui grande relevância para o desenvolvimento do segmento de Viagens, movimenta ainda mais a economia nacional e ajuda a minimizar o efeito da sazonalidade no setor. Dados do Ministério do Turismo comprovam que a receita gerada pelos turistas internacionais que vem ao Brasil a negócios é 33,4% maior que para viagens a lazer.

“O Brasil apresenta grande potencial para a realização destes tipos de eventos, que podem ser o norte para desenvolvermos o turismo dentro e fora do país. Para nós, isso é animador, pois o turismo de negócios reduz a sazonalidade do setor e atrai turistas especializados que podem gastar acima do esperado, resultando em emprego e renda” finalizou.

Entres os setores que mais apresentaram alta, de acordo com a pesquisa da Abracorp, estão o rodoviário, o de hotelaria e o de aviação, que cresceram 56,8%; 25,7% e 24,8%, respectivamente. Juntos, os três movimentaram mais de R$ 3,3 bilhões na economia do país. As principais rotas responsáveis pelo crescimento no setor aéreo são localizadas nas pontes aéreas Rio/São Paulo e Brasília/São Paulo.

Para o diretor-executivo da Associação Brasileira das Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), Gervasio Tanabe, as medidas propostas pelo atual governo podem ter provocado este crescimento. “Todas as ações, nestes primeiros seis meses, sinalizam de forma positiva uma expectativa de alta no mercado de Viagens. Isso muda até o ânimo das empresas, fazendo com que elas se movimentem ainda mais e que seja possível alcançar esse aumento de quase 15% em todo o ano de 2019”.

Tanabe ainda destacou que o setor de infraestrutura deve impulsionar ainda mais esse crescimento no resto do ano. “A partir dos anúncios, feitos pelo governo, de investimentos na infraestrutura, acho que o setor terá um aumento ainda maior. Na medida que se investe na privatização de empresas, o capital se movimenta”, concluiu o diretor.

Dados do Ministério do Turismo apontaram que, em 2018, o turismo de negócio foi o segundo principal motivo da vinda de estrangeiros para o Brasil. Do número total, 13,5% visitaram o país com esta finalidade. Entre os destinos mais procurados estão São Paulo (48,7%), Rio de Janeiro (19,7%), Curitiba (4,5%), Campinas (3,9%) e Porto Alegre (3,4%). O gasto médio per capita, por dia, desses viajantes foi de US$ 84,33.

Recentemente, um estudo mundial da Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA) apontou o Brasil como o principal destino latino-americano para a realização de congressos e eventos corporativos. Em todo mundo, o país está entre os 20 destinos mais procurados pelos executivos para a realização de eventos deste tipo, ocupando a 17ª posição. São Paulo, Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu lideram a lista das cidades mais demandadas no Brasil.

INVESTIMENTOS – O Ministério do Turismo tem destinado investimentos constantes em projetos de infraestrutura para fomentar o turismo de negócios. Ao todo, a Pasta investiu R$ 103 milhões na construção, reforma e compra de equipamentos para centros de convenções, viabilizando a ampliação de eventos corporativos em centros urbanos de médio e grande porte.

Fonte: Ministério do Turismo

200 dias: Um Turismo feito de empregos, parcerias e inclusão social

Conheça as entregas do Ministério do Turismo nas áreas de infraestrutura, conectividade e competitividade do setor.

Mais de 410 obras de infraestrutura e R$ 233 milhões investidos em todos os estados brasileiros. Mais de R$ 5 bilhões em projetos para financiar ações de turismo regional e R$ 200 milhões para alavancar o desenvolvimento de 158 municípios. Novas empresas aéreas no mercado nacional e isenção de vistos aliada ao aumento na procura pelo destino Brasil. Esses são alguns marcos que representam as novas políticas e a nova visão sobre o desenvolvimento do setor de Viagens no país, implementada pelo Ministério do Turismo em 200 dias de gestão.

Geração de emprego e renda, ambiente de negócios mais competitivo para o setor, mais atração de investimentos, mais parcerias para integrar destinos turísticos aos países vizinhos, mais opções para os turistas, ações inovadoras e de inclusão social são os objetivos que norteiam a nova política do MTur para os próximos anos. Um pacto de progresso e abertura para o desenvolvimento do Brasil é o que defende o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Para o titular da Pasta, a chave da gestão é um turismo voltado para a transformação da vida dos brasileiros e do posicionamento do Brasil no mercado interno e mundial. Atualmente, o setor é responsável por cerca de 7 milhões de empregos diretos e indiretos no país. “Queremos um setor integrado com os anseios de quem faz o turismo lá na ponta, de quem recebe nossos turistas. E para isso precisamos de um mercado mais atrativo, dinâmico e competitivo. Sem investimento, não há progresso, não há crescimento. O Turismo liderará um novo ciclo econômico e estamos trabalhando para que os resultados venham o mais breve possível”, afirmou o ministro.

Na conectividade aérea, uma das principais bandeiras defendidas por Álvaro Antônio, a aposta é impulsionar a entrada de empresas estrangeiras para tornar o mercado ainda mais acessível à população, com preços menores e uma diversidade de opções para viajar. Após a assinatura do presidente Jair Bolsonaro que sancionou a abertura do mercado aéreo nacional ao capital estrangeiro e com a articulação do ministro do Turismo para trazer a Air Europa ao Brasil, a companhia espanhola foi a primeira a se instalar no país e já está autorizada a operar voos entre destinos nacionais.

Além disso, a Flybondi, companhia low cost (de baixo custo), também incluiu o Brasil em sua estratégia de mercado e já vende bilhetes para o trecho Buenos Aires-Rio de Janeiro. As passagens podem chegar a R$ 300 por voo e o voo inaugural deve acontecer em outubro. Em uma simulação com ida e volta em outubro, as passagens da empresa aérea argentina na rota custam entre R$ 950 e R$ 1.400 (com taxas). No mesmo período, escolhendo os voos mais baratos da Gol, Latam e Azul, a mesma viagem sairia por cerca de R$ 2 a 3 mil. A empresa já estuda ampliar a rota para cidades como São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Salvador. A operação da Flybondi se junta ao grupo de empresas aéreas de baixo custo que já possuem voos regulares ligando outros países a vários destinos do Brasil – a chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air.

Outra demanda que beneficia o mercado brasileiro com a entrada de mais estrangeiros e consequentemente mais geração de renda e emprego dentro do país é a isenção de vistos para viajantes de quatro países estratégicos, em vigor desde 17 de junho. Com apoio dos ministérios das Relações Exteriores e da Justiça, o MTur isentou o visto aos turistas do Canadá, Japão, Estados Unidos e Austrália. A medida fez com que a procura pelo Brasil aumentasse significativamente.

De acordo com o Grupo Amadeus, uma das maiores empresas de tecnologia e viagens do mundo, com a assinatura do decreto que dispensou a exigência de vistos para as quatro nacionalidades, houve alta de 53% a 158% na quantidade de reservas em destinos nacionais realizadas por turistas desses países para visitar o Brasil entre junho e setembro deste ano. Também houve crescimento nas pesquisas pelo país para turismo, com índices que variavam de 31% a 76%.

PRESERVAÇÃO ALIADA AO DESENVOLVIMENTO

Prevista no Plano Nacional do Turismo 2018-2022, o Ministério do Turismo vem trabalhando também na execução da Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais. A entrega representa um marco na valorização e preservação dos patrimônios naturais e culturais do país. Paralelamente, o MTur se prepara, ainda, para definir regras e procedimentos da utilização de áreas, preferencialmente da União, com potencial para o desenvolvimento sustentável do turismo. A ideia é fazer a gestão dessas áreas com alta atratividade turística, mas que estão em desuso ou em situação de depreciação, para desenvolver, ali concessões de atividades típicas do setor de Viagens.

TURISMO REGIONAL

As cinco regiões do Brasil contam agora com um programa que vai mudar a realidade do turismo local por meio do fortalecimento dos pequenos negócios e do desenvolvimento social e econômico de cada destino brasileiro. Em parceria com o Sebrae e a Embratur, o Ministério do Turismo vai investir R$ 200 milhões, por meio do Investe Turismo, em 158 municípios contemplados em 30 rotas turísticas estratégicas para o país. A Pasta já percorreu 10 estados brasileiros para desenvolver um plano integrado com as instâncias de governança regionais e com a iniciativa privada, impactando cerca de 4 mil micro e pequenos empreendimentos em todo o Brasil.

Além disso, o Ministério já investiu, por meio de repasses a municípios e estados, R$ 233 milhões em 412 projetos de obras em infraestrutura em 200 dias de gestão. Projetos que haviam sido iniciados em 2007 foram finalizados nestes seis primeiros meses do ano.

Desde o dia 1º de janeiro, para viabilizar investimentos privados no setor com linhas de crédito mais dinâmicas e acessíveis, foram concedidos financiamentos de R$ 28 milhões a 14 empreendimentos, principalmente micro e pequenas empresas. Nos meses de abril e maio, houve a geração e/ou manutenção de 728 empregos por meio de projetos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo). O objetivo é que o Fundo possa, até 2020, financiar 2 mil empreendimentos turísticos com 30 mil empregos criados e mantidos.

Selo Prodetur + Turismo, mais de R$ 5 bilhões foram pleiteados em 151 propostas de estados, municípios e da iniciativa privada. O programa do Ministério contempla desde ações como a urbanização de orlas, sinalização turística e a captação de eventos até a instalação de novos empreendimentos e marketing, entre outras.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, “a primeira missão deste governo, como o próprio presidente Jair Bolsonaro afirmou, é não atrapalhar quem quer produzir. Por isso, estamos debruçados em projetos e programas que destravem a economia, gerando um ambiente de negócios frutífero ao empresário, ao investidor e o principal: cheio de oportunidades para os brasileiros”, finaliza.

Fonte: Ministério do Turismo

MTur reabre inscrições para curso gratuito de atendimento ao turista

Trabalhadores que já atuam ou pretendem ingressar no setor turístico terão uma nova chance de aprimorar conhecimentos, melhorar o currículo e contribuir para o desenvolvimento do mercado de viagens no país. O Ministério do Turismo reabre nesta terça-feira (16) as inscrições para o curso de atendimento a visitantes oferecido pelo Canal Brasil Braços Abertos (BBA), plataforma online totalmente gratuita. CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER AGORA NO BBA 2019.

A capacitação, aberta a qualquer pessoa com mais de 15 anos, pode ser feita a partir de equipamentos conectados à internet, como computadores, tablets e smartphones. O prazo de cadastro termina em 31 de dezembro e o aluno deve concluir o curso até 30 de março de 2020. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, ressalta que a iniciativa impulsiona avanços no setor. “Nossa gestão tem adotado várias ações para reforçar o turismo, mas isso exige crescente qualificação. Com isso, nós aprimoramos a capacidade de atender bem os visitantes e contribuímos para a geração de emprego e renda no Brasil”, ressalta.

O curso, com um total de 80 horas-aula, se divide em quatro módulos: Introdução, Atendimento, Comunicação e Temas Transversais. A capacitação usa linguagem simples e engloba conteúdos como noções de inglês, ética e marketing, transmitidos por meio de jogos e vídeos. O secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do MTur, Aluizer Malab, destaca os esforços conjuntos por adesões ao canal. “É muito importante o engajamento dos secretários estaduais e municipais de Turismo pela participação dos profissionais nesta iniciativa, uma vez que qualquer município do Brasil pode acessar a plataforma”, observa.

A conclusão do curso exige que o inscrito some um total de 696 pontos no sistema. Ao final da capacitação, o próprio aluno pode emitir um certificado, chancelado pelo MTur e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), que é válido como curso de extensão. A plataforma do BBA também oferece atendimento direto aos alunos, pelo email pea@turismo.gov.br ou pelo telefone gratuito 0800 200 8484.

QUALIFICADOS

O BBA formou 2.349 pessoas na sua última edição (2018/2019), concluída em 30 de abril deste ano. Uma delas foi Gladys Dinah, secretária de Turismo de Pomerode (SC), cidade conhecida como ‘a mais alemã do Brasil’. Ela conta que a qualificação permitiu uma melhor orientação da própria equipe. “O curso me subsidiou para orientar nossos recepcionistas, como em museus. A questão da gentileza, de ser prestativo, foi apresentada no curso de uma forma muito didática e prática. Essa é uma base para o primeiro contato com os turistas, o que pode deixar uma ótima impressão”, aponta.

Já a guia de turismo Alcimari Franco, coordenadora da Associação Turística da Rota da Uva de Jundiaí (SP), que reúne vinícolas da região, frisa que a capacitação aprimorou a recepção de estrangeiros. “O curso abrange coisas básicas, que você necessita diariamente, como a questão do inglês. A capacitação me orientou principalmente sobre, por exemplo, como o ferecer um cardápio em inglês a um estrangeiro. O turista já se sente acolhido, e no nosso caso tem muito turista chinês, que geralmente fala inglês”, comenta.

AVALIAÇÃO

De acordo com uma pesquisa promovida pelo MTur com alunos da última edição do curso, 95% dos que responderam apontaram a flexibilidade de horário e local para estudar como a principal motivação da qualificação. Outros 90% citaram a chance de aperfeiçoamento profissional. A coordenadora-geral de Qualificação do Ministério do Turismo, Neuza Portugal, afirma que o curso busca atender às necessidades dos interessados e  também de qualificação do mercado. “O curso, voltado aos profissionais que atuam na linha de frente do turismo, independente do perfil de ocupação, permite que o aluno, especialmente o que já trabalha, planeje seus estudos conforme a disponibilidade de horário. Trata-se de uma excelente oportunidade de se posicionar melhor no mercado, aumentando as possibilidades de contratação na área e aprimorando, de forma geral, o nível de excelência do atendimento ao turista no Brasil”, salienta.

De acordo com a pesquisa, 84% citaram a possibilidade de obter um certificado como motivação, e 80% elegeram a facilidade de acesso às aulas. Já 77% indicaram a ampliação das oportunidades de inserção no mercado de trabalho. A pesquisa, realizada entre 16 de maio e 4 de junho deste ano, consultou um total de 480 voluntários.

 

Fonte: Ministério do Turismo

MTur reúne interlocutores de Regionalização de todo o Brasil

 

Em Brasília, encontro promoveu troca de experiências e apresentou como os programas e ações do Ministério do Turismo podem ajudar os destinos a se qualificarem.

Representantes de diversos segmentos do turismo nos Estados estiveram reunidos nesta terça-feira (10), em Brasília, com secretários, diretores e coordenadores do Ministério do Turismo para a 5ª reunião do PRT + Integrado. Esses encontros apoiam o trabalho realizado nos estados pelos interlocutores do MTur e dirigentes das instâncias de governança das regiões turísticas (IRG´s) que formam o Mapa do Turismo Brasileiro.

“Esta é uma oportunidade de apresentarmos as ações e programas do Ministério do Turismo que servem de base para o desenvolvimento do setor de forma descentralizada, com atenção às especificidades e à diversidade da oferta turística de cada estado ou região”, destacou o secretário nacional de Estruturação do Turismo, Robson Napier, cuja secretaria é responsável pelo Programa de Regionalização do Turismo (PRT).

O secretário nacional de Integração Interinstitucional do MTur, Bob Santos, que também participou da abertura do evento, disse que a principal característica do PRT é a integração entre os gestores das IRG´s, os interlocutores dos estados e o MTur, para, juntos, desenvolver um trabalho alinhado de fortalecimento do turismo regional. “A integração de forma pactuada é fundamental para a construção de parcerias e atuação conjunta do MTur com outros órgãos e instituições”, afirmou.

Entre as ações destacadas no encontro, estão projetos desenvolvidos em parceria pelo MTur e ministérios do Meio Ambiente e da Cidadania para fortalecer as atividades turísticas nos parques nacionais e cidades históricas. O MTur também trabalha para formar uma rede brasileira de cidades criativas, com o objetivo de atrair visitantes e fomentar a economia dos destinos através do incentivo a atividades como o artesanato, a gastronomia, o design, o cinema, a música e a literatura, entre outras áreas relacionadas.

Até o fim do dia também serão discutidos temas como segurança turística, sustentabilidade e turismo responsável, além da regularização e fiscalização dos prestadores de serviços turísticos no Brasil. O Cadastur e o Mapa do Turismo Brasileiro estão entre as ferramentas que orientam várias ações do MTur realizadas em parceria com estados e municípios – é o caso de repasses de recursos para obras de infraestrutura e de programas de financiamento de projetos públicos e privados como o Prodetur + Turismo e o Fungetur, além de programas de qualificação e capacitação no turismo.

O propósito do encontro foi promover a troca de experiências entre os líderes das governanças turísticas regionais de todo o Brasil, além de aprimorar a comunicação entre os governos federal, estadual e municipal e agentes envolvidos no PRT. A diretora do Departamento de Ordenamento do Turismo do MTur, Silvana Melo do Nascimento, ressaltou que a interlocução entre os participantes do PRT + Integrado ajuda a sanar gargalos identificados em áreas de grande importância para o desenvolvimento da Política Nacional do setor.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Alterações no Fungetur beneficiam micro e pequenas empresas

Interessados em adquirir recursos do programa terão mais facilidade e menos burocracia.

As micro e pequenas empresas do setor de turismo terão mais agilidade e menos burocracia para acessar as linhas de crédito do Fundo Geral de Turismo (Fungetur). Isso porque o Ministério do Turismo publicou, no Diário Oficial da União (DOU), portaria que altera as normas gerais e os critérios de aplicação dos recursos do programa. A medida tem por objetivo dar uma maior facilidade a esses empresários em contratar operações de financiamento em condições favoráveis ao desenvolvimento de seus negócios.

Com as mudanças, esses empreendedores terão à disposição uma linha de capital de giro própria e a possibilidade de financiamento associado aos projetos de investimentos e aquisição de bens. Além disso, eles terão a oportunidade de utilizar fundos garantidores, reduzindo as exigências para a captação de recursos, como a oferta de bens dos mesmos como garantia.

Para o secretário Nacional de Estruturação do Turismo, Robson Napier, a mudança é mais uma ação do Ministério do Turismo para deslanchar o desenvolvimento do setor no país. “A alteração permitirá ao Fungetur, além de se tornar uma linha de crédito mais atrativa e competitiva, cumprir com mais efetividade o seu papel de indutor do desenvolvimento do setor de turismo, por meio da facilitação de acesso a recursos de financiamento para que, principalmente, os pequenos negócios realizem seus investimentos”, finalizou.

O Fundo Geral de Turismo dispõe de R$ 450 milhões que poderão beneficiar cerca de 1.500 empreendimentos, proporcionando a geração de 7.500 empregos direto no setor de turismo. O programa ainda oferece, para as empresas cadastradas no Cadastur, prazos de até 20 anos para pagamento de financiamento para investimentos fixos, com carência máxima de 5 anos, e até 4 anos para capital de giro, com carência máxima de 6 meses. O custo é calculado pela variação do INPC e juros máximos de 5 a 7% ao ano, dependendo da finalidade do financiamento.

O FUNDO – Criado por lei e vinculado ao Ministério do Turismo, o FUNGETUR é um instrumento de política de investimentos voltado para a melhoria da infraestrutura turística, fornecendo a base para dinamizar os destinos das regiões. A promoção do setor com recursos do FUNGETUR resulta na elevação do nível dos serviços prestados ao turista e na expansão das oportunidades de instalação de novos negócios e de geração de emprego e renda, em atividades direta ou indiretamente ligadas ao turismo. Atualmente, o FUNGETUR tem R$ 113,9 milhões em 72 operações contratadas.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Informativo ABIH-SC 19 de junho

No Informativo ABIH-SC de 19 de junho você vai ler:

Qualificação e negócios para o turismo e a hotelaria;-Transcenda as expectativas na hospitalidade com linhas de banho modernas e inspiradoras;-Mudanças no consumo e seus impactos no mercado;-ABIH-SC Em Ação;-Sócio Colaborador – 7 Seven Publicidade e Propaganda;-Fortalecimento do Destino Brasil é tema de agenda do Mtur em Paris;-Effecti Experience ” Uma imersão no mundo das licitações”;-Associados ABIH-SC!

Leia também: ABIH-SC Em Ação

Fortalecimento do Destino Brasil é tema central de agenda do MTur em Paris

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, cumpre agenda em Paris nesta semana. Três pautas centrais ocupam a programação de reuniões e encontros com autoridades no país europeu. Dentre elas está a defesa de candidaturas de regiões turísticas e culturais do Brasil a títulos de patrimônio da Unesco, apoio à realização da próxima etapa da Fórmula-E junto à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), além da intenção do país de ingressar na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a missão na capital francesa confirma o foco do trabalho que vem sendo desenvolvido nestes cinco meses de gestão à frente do Ministério. “Uma gestão mais integrada para alavancar o turismo, investimentos para tornar o setor mais competitivo e posicioná-lo no centro da agenda estratégica do governo, além das relações bilaterais para tornar o Brasil ainda mais reconhecido como destino turístico mundial. São ações que promovem o desenvolvimento e geram mais empregos e renda para o país”, destaca o titular da Pasta.

O apoio a candidaturas de três regiões turísticas e culturais do Brasil a títulos da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) será tema do primeiro compromisso do ministro em Paris, em reunião com o secretário da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, Tim Curtis.

O conjunto formado pelos municípios de Paraty, Angra dos Reis e Ubatuba (RJ/SP) concorre ao primeiro título brasileiro de patrimônio mundial cultural e natural da humanidade. Atualmente, o país conta com 14 títulos de patrimônio cultural e sete de patrimônio natural.

A festa mais marcante da cultura popular da região maranhense, o Bumba meu boi, também pleiteia junto à Unesco o título de patrimônio cultural imaterial da humanidade. Já os Cânions do Sul, área composta por sete municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, disputa um lugar na lista dos geoparques mundiais – hoje, apenas o Parque Geológico do Araripe, no Ceará, possui essa certificação da Unesco no Brasil.

Além disso, a capital mineira concorre ao título de Cidade Criativa da Gastronomia. Atualmente, a Rede de Criativas da Unesco conta com um total de 180 cidades em 72 países, sendo oito delas no Brasil: Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ), no campo da gastronomia; Brasília (DF) e Curitiba (PR), na área do design; João Pessoa (PB) em artesanato e artes folclóricas; Salvador (BA) na música; e Santos (SP), no cinema.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirma que “as candidaturas têm o total apoio do Ministério e reforçam o potencial singular que o Brasil tem no turismo, na cultura e no desenvolvimento socioeconômico, o que deve ser cada vez mais reconhecido mundialmente”, avalia.

SEDE DA FÓRMULA E – A candidatura do Brasil para sediar uma etapa da próxima temporada da Fórmula E, primeiro campeonato mundial de carros elétricos, também é tema da agenda do Ministério do Turismo na França. A reunião acontecerá nesta quarta-feira (19) com o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt. A ideia é que Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro integrem o circuito do mundial. As três capitais assinaram cartas para declarar a intenção de receberem o evento.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Qualificação e negócios para o turismo e a hotelaria

 

Encatho e Exprotel viabiliza local para atualização e aproximação entre fornecedores e consumidores.

Há mais de três décadas a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC reúne empresas, empresários, hoteleiros, gestores, funcionários, profissionais do turismo, fornecedores, entre outros, oferecendo qualificação, troca de experiência, comercialização de produtos e serviços e, é claro, apresentação das novidades para o setor.

Em 2019, com o tema “Soluções e Inovações para a Hotelaria”, o Encatho chega em sua 32ª edição. Paralelamente, a maior feira do setor em Santa Catarina, Exprotel, chega na 30ª edição, com centenas de expositores de produtos e serviços para a hotelaria.

“A ABIH-SC está novamente preparando diversas palestras para qualificar e atualizar os profissionais do setor, bem como, proporcionar ótimas oportunidades de negócios para os empresários. Um evento esperado pela cadeia produtiva do turismo por apresentar tendências e inovações do mercado, tanto em produtos quanto em serviços e tecnologias, além de capacitar a mão de obra de forma totalmente gratuita”, pontua o presidente da entidade, Osmar José Vailatti.

A abertura do evento será no dia 13, a partir das 18h30, seguindo dia 14, com uma programação extensa, com palestras sobre: Soluções e Inovações nas compras e suprimentos para hotelaria; Como o seu hotel pode ser encantador para lua de mel e casamento; Impacto da maturidade digital na hotelaria; Novas Diretrizes de Acessibilidade em Edificações de Hospedagem; Segurança da Informação – Adequação e monitoramento as potenciais ameaças no ambiente hoteleiro, 10º Simpósio de Governança, Manutenção e Recepção Hoteleira, Encatho Científico, reuniões de entidades do trade e, para encerrar, a palestra Magna Como melhorar seus resultados usando soluções de vendas com  Fabio Vieira, da Resultados Digitais.

No dia 15 a programação novamente é extensa e contará com a palestra Beto Carrero World, A Fantasia que te leva, RM não precisa ser um jogo de azar, Gameficação – a experiência que fideliza; Inovação e soluções em tecnologia de atendimento digital, Envelhecimento populacional e oportunidade de negócios na Hotelaria, Como a formação continuada dos colaboradores contribui para o ambiente e os resultados do meio de hospedagem; Como obter maior eficiência e reduzir perdas utilizando a sistemática do Design for Service – DFS, O controle dos processos de lavanderia como fator de  Inovação na gestão do enxoval, Informações de Segurança para Turistas e o impacto na operação hoteleira; Riscos, desafios e como a hotelaria pode se adaptar a Lei Geral de Proteção de Dados, a palestra magna do dia com Jorge Della Via Junior da PluginBot que falará sobre Robôs e a Inteligência Artificial trazendo o Futuro para o Presente na Hospitalidade e, Mudanças no consumo e seus impactos no mercado, palestra que iremos apresentar hoje.

Além de todo enfoque na qualificação dos profissionais que trabalham no setor, o evento traz a feira de produtos e serviços, a Exprotel, que funciona das 13h às 20h apresentando soluções e inovações para auxiliar na gestão e comercialização dos empreendimentos.

Confira a programação completa no site www.encatho.com.br e inscreva-se agora mesmo. O acesso é gratuito!