Posts

Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Turismo debate Coronavírus

Encontro reforçou empenho do MTur para informar trade turístico sobre ações adotadas pelo Governo Federal.

O Ministério da Saúde sediou nesta quarta-feira (04.03), a 3ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional do Turismo com o objetivo de discutir as ações do Governo Federal para enfrentar o Coronavírus no país e ratificar os esforços do MTur para que o impacto no setor turístico seja o menor possível. Durante evento, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, detalhou para o trade turístico e autoridades presentes, as medidas adotadas para informar e orientar a população, e os turistas, sobre a doença.

Participaram da reunião o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo; o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto; o secretário executivo do MTur, Daniel Nepomuceno; e dos secretários nacionais de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William Franca; de Integração Interinstitucional, Bob Santos; e de Estruturação do Turismo substituto, Hercy Filho.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, relembrou em sua fala que desde o primeiro caso suspeito de Coronavírus no Brasil, foi solicitado ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a participação do MTur no Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo Coronavírus (COE-nCoV). O grupo foi criado pelo Governo Federal para deliberar sobre a doença.

Para ele, a reunião com os principais representantes do Turismo é fundamental para orientar o setor. “Importante estarmos neste momento reunidos para ter troca de impressões do impacto do Coronavírus no Turismo”, afirmou. “Por isso, convidamos para tratar disso, entender os acontecimentos e traçar um planejamento para vencer esse momento difícil causado por esse vírus”, completou.

Após abertura do ministro, o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo, apresentou dados atualizados do Coronavírus no Brasil e tranquilizou os membros do Conselho Nacional do Turismo sobre as orientações sobre realização de eventos. “Não recomendamos redução de viagens ou das atividades no comércio. Isso é infrutífero. É preciso adotar as recomendações do Ministério da Saúde e organizar eventos com algumas medidas de segurança e higiene”, disse, citando a importância da orientação sobre prevenção da doença.

Como exemplo, citou o baixo grau de letalidade e de transmissão do Coronavírus em relação a outras doenças. Uma pessoa infectada pelo Coronavírus transmite em média para 2 a 3 pessoas. No caso do Sarampo, um infectado transmite para 16 pessoas. “Não é a primeira vez que enfrentamos isso. Tivemos outras experiências, com o Zika vírus. Como diz o ministro Mandetta, é vida que segue”, afirmou.

O deputado federal Newton Cardoso Jr., presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, elogiou a reunião com o trade turístico. Para ele, a união entre os atores do setor é essencial para superarmos o Coronavírus no país. “Essa preocupação unificada é um grande passo para vencemos esse vírus”, declarou.

WTM LATIN AMERICA CONFIRMADA – A diretora World Travel Market América Latina, Luciana Leite, confirmou a realização de um dos maiores eventos turísticos setor. A WTM Latin America será realizada em São Paulo de 31.03 a 02.04. “Está confirmadíssima. Inclusive, tivemos um aumento de 17% no número de inscritos em relação ao ano passado”, afirmou. O evento atrai anualmente um público mundial para se reunir e debater o rumo do setor de viagens e turismo.

SENACON – Juliana Domingues, diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), ressaltou a proximidade da instituição com os Procons do Brasil para alinhar procedimentos. O objetivo é acalmar o consumidor, orientar sobre os seus direitos e sensibilizar o cidadão para utilizar a plataforma Gov.br, canal digital que reúne os programas e ações do Governo Federal.

Fonte: Ministério do Turismo

Nova Embratur reforça posicionamento do Brasil no exterior

Criação da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo consta da MP 907, em análise no Congresso Nacional.

Ampliar a divulgação do país, elevar a competitividade dos destinos brasileiros, atrair mais turistas internacionais e diminuir o déficit na balança comercial do turismo. Estes são os principais objetivos da transformação da Embratur de autarquia em Agência, prevista na Medida Provisória 907/19. Com a mudança, proposta pelo Ministério do Turismo, o agora serviço social autônomo conquistou verba própria, oriunda do adicional da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) repassado ao Sistema S. Tratam-se de recursos direcionados ao Sebrae, mas não executados pelo órgão, e acabam sendo aplicados no mercado financeiro.

A MP estabelece que a Embratur pode realizar e patrocinar eventos ligados à promoção turística no exterior. Para isso, a Agência passa a dispor de US$ 120 milhões, contra os US$ 8 milhões alocados até então, aproximando o Brasil da realidade de grandes concorrentes mundiais. O ministro do Turismo enfatiza que a mudança evidencia o compromisso do governo Jair Bolsonaro quanto a crescentes avanços na área. Marcelo Álvaro Antônio garante empenho pela aprovação da medida. “É fundamental que deputados e senadores compreendam o momento único do turismo nacional e confirmem essa alteração, que vai permitir que o Brasil possa competir em melhores condições no mercado turístico global”, sustenta. Demanda histórica do trade turístico, a modernização da Embratur é apontada como essencial ao desenvolvimento do setor.

O presidente da Agência, Gilson Machado Neto, aposta no aumento da chegada de visitantes. “Pela primeira vez, temos um presidente da República que realmente acredita no turismo. O Brasil é um dos países mais belos e com mais recursos naturais do mundo, mas tinha pouco dinheiro para investir na promoção do turismo”, observa. Com a nova estrutura, a Embratur vai formular e executar ações de promoção, marketing e apoio à comercialização de destinos, produtos e serviços turísticos do país.

Alexandre Sampaio, coordenador do Conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CTur-CNC), vislumbra melhorias com a mudança, aliada a medidas como a isenção de vistos a países estratégicos e à permissão de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas. “A Agência vai poder participar de maneira muito mais ativa de feiras e fazer parcerias com estruturas no exterior, como empresas aéreas e operadoras, que podem enviar turistas ao Brasil. Existe a clara percepção de que o Brasil, a partir de várias reformas estruturais, vai conseguir trazer um volume muito mais significativo de visitantes. Temos potencial de crescer em mercados de grande destaque, como Estados Unidos, América Central e países europeus”, avalia.

O otimismo é compartilhado por Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil). Ele prevê melhorias na competitividade do Brasil no mercado internacional de viagens. “A concorrência entre destinos faz com que a gente tenha que ser mais profissional, criativo e inteligente. Partindo desse princípio, precisamos de um órgão com recursos humanos e financeiros, como a Embratur, para fazer frente a essa competição. E o Brasil tem todos os atributos para ter um papel de liderança”, opina.

Já o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), Manoel Linhares, ressalta que a mudança na Embratur reforçará a imagem do país como destino turístico mundial. “A história da Embratur pode ser dividida em antes, como autarquia, e agora, como agência. Quem não está na prateleira não é lembrado. Um exemplo é o México, que investe US$ 400 milhões em promoção e faz Cancun receber 24 milhões de turistas por ano”, compara.

CONSELHO 

O Conselho Deliberativo da Agência é liderado pelo ministro do Turismo, tendo o presidente da Agência como secretário executivo. O grupo engloba, ainda, integrantes dos ministérios do Turismo, do Meio Ambiente, das Relações Exteriores, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, além da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), da ABIH Nacional, da Clia Brasil e da Confederação Nacional de Municípios (CMN).

INCENTIVOS – A MP 907, elaborada pelo MTur em conjunto com os ministérios da Economia e da Infraestrutura, também define a redução de imposto sobre o leasing de aeronaves e motores, extingue a cobrança de ECAD em quartos de hotéis e de cruzeiros aquaviários e diminui de 25% para 7,9% a alíquota de Imposto de Renda sobre remessas ao exterior, como na compra de pacotes de viagem e na contratação de serviços fora do país.

Fonte: Ministério do Turismo

Em crescimento, turismo com pets vira tendência no Brasil e gera adaptação do mercado

Pesquisa revela que 51% dos donos de animais de estimação só viajarão em 2020 se puderem levá-los.

Só quem tem bichinhos de estimação em casa sabe a alegria que eles trazem: eles são companhia, família, dão amor, brincam com as crianças. Por isso, como deixá-los para trás quando chega a hora de fazer turismo? Uma pesquisa realizada pelo Booking.com revelou que 51% dos entrevistados donos de pets só irão viajar em 2020 se puderem levar seus pequenos companheiros.

Fazer turismo com animais de estimação virou uma tendência no Brasil. Para revelar um pouco mais desse segmento turístico, a Agência de Notícias do Turismo preparou uma reportagem especial para mostrar como está o mercado de viagens para quem tem pets, com dicas de hospedagem, deslocamentos e a opinião de uma especialista.

O turismo é apenas uma parte desse mercado, que cresce ano a ano. Dados do Instituto Pet Brasil (IPB) mostram que o segmento nacional fechou 2019 com projeção de um faturamento de mais de R$ 36 bilhões. Os números, que ainda não estão fechados, representam um crescimento de 5,4% sobre o resultado consolidado de 2018 (R$ 34,4 milhões). A projeção para 2020 é ainda mais otimista: R$ 40 bilhões. De acordo com dados do IBGE, em 2013 existiam mais de 132 milhões de animais de estimação no país. Já um estudo mais recente, do Instituto Pet Brasil, estimou a presença de 139,3 milhões de pets no país em 2018.

A veterinária Juliana Stephani, fundadora da PETFriendly Turismo, agência de turismo especializada em viagens com animais de estimação, afirma que é cada vez mais comum os tutores fazerem turismo acompanhados de seus pets. E a busca aumenta tanto para viagens nacionais como internacionais. “Os tutores que reconhecem a relação do pet como um membro da família, e na maioria das vezes como filhos, optam por viajarem com seus pets ou não viajarem”, aponta.

Juliana, que fundou a agência em 2018, explica que hoje as hospedagens já estão entendendo essa nova realidade e muitas se adaptam para ter um serviço realmente especial a esses novos hóspedes. Porém, explica ela, existem muitos que dizem que “aceitam pets”, mas restringem o animal ao quarto, por exemplo. “Ou seja, aceitar animais não é sinônimo de ser pet friendly. Pet friendly é incorporar o hóspede pet na realidade do sistema de hospedagem. Mas hoje já existem locais que usam isso como marketing: ‘aqui aceitamos seus humanos’”, comenta, entre risos.

Nesse contexto, aeroportos estão seguindo essa ideia e implantando adaptações para receber pets. Alguns oferecem aos passageiros uma área de descanso para os seus bichos, como o terminal internacional de Guarulhos (SP). O local é destinado para os animaizinhos fazerem suas necessidades e relaxarem, principalmente após longas viagens.

Uma medida importante ao planejar a estada com seu pet é pesquisar um local que se adeque ao bicho. Juliana explica que não existe um destino específico para pets, mas sim aquele que mais agrada e se encaixa no perfil da família. “Animais que não gostam de água, por exemplo, não é uma boa opção levar para praias ou lagos. Animais mais velhos ou com problemas respiratórios não devem ir a lugares muito quentes”, orienta Juliana.

HOSPEDAGEM – Outra iniciativa importante é verificar se a hospedagem é a chamada “pet friendly” (na tradução literal do inglês, ‘amigo dos animais’, expressão utilizada para identificar lugares onde animais são bem-vindos) e oferece serviços que permitem que o pet fique à vontade junto com seus responsáveis. No Brasil, vários meios de hospedagem já se renderam a essa tendência e passaram a oferecer comodidade aos bichinhos.

Algumas redes de hotéis convidam as pessoas a se hospedarem com seus animais. A Ibis, que é “dog friendly”, dá várias dicas em seu site para quem quer levar o pet para uma das unidades da rede. Algumas delas são não esquecer de levar o kit de higiene e verificar se a carteirinha de vacinação está em dia, pois a apresentação é obrigatória no check-in.

Em São Paulo, o Maksoud Plaza passa a receber, a partir deste mês, cães de pequeno porte, que podem acompanhar os donos nos quartos e corredores do hotel. Segundo a diretoria do estabelecimento, a novidade surgiu de uma demanda dos próprios hóspedes, que pediam que seus pets os fizessem companhia.  “Cada vez mais os negócios devem ser inclusivos. Certamente existe uma tendência ainda maior de pessoas viajarem com seus animais de estimação”, observa Carlos Lessa, diretor de Vendas e Marketing do Maksoud.

maksoud.jpg

Meios de hospedagem se adaptaram à tendência de Turismo com pets. Crédito: Michell Santana/Maksoud Plaza

Para hospedar o pet no local, é necessário realizar a reserva antecipadamente pelos canais de atendimento, via e-mail ou telefone. São aceitos cães de até 10 kg, e a diária inclui uma confortável caminha, comedouro, bebedouro e tapete higiênico. “O turismo pet virou uma tendência, e cabe aos estabelecimentos se adaptarem para atender aos mais diversos públicos, se assim desejarem. No caso do Maksoud, certamente nos adequamos ao mercado. Mais precisamente, às grandes redes que atuam em São Paulo”, conta Lessa.

No momento do check-in, o hóspede recebe todas as orientações, e é necessário apresentar a carteira de vacinação em dia do pet. A circulação dos cães é livre nos corredores, no lobby e na área externa, desde que seja feito o uso de guia. No elevador, o pet deve ficar no colo do tutor. Em áreas como restaurante, lojas, SPA, bar e Fitness Center, a circulação é restrita, mesmo com o animal no colo. As regras não se aplicam a cães-guias.

FAMÍLIA – O jornalista Luis Oscar Delamanha sempre viaja com a Eva, uma Cocker de dez anos que é o xodó da casa, especialmente das filhas Júlia (6) e Alice (2). Juntos, já foram para vários destinos brasileiros, como Búzios (RJ) e cidades do litoral e do interior de São Paulo, a exemplo de Ilhabela e Atibaia. Para ele, quanto maior a estrutura oferecida aos pets, mais atrativa e fácil fica a viagem. “A Eva é como uma filha e está sempre com a gente nas viagens. Sempre busco dar o máximo de conforto para que ela também aproveite os bons momentos que o turismo nos traz. Os hotéis e pousadas que oferecem a possibilidade de receber a família completa, incluindo os pets, sempre terão minha preferência. Com certeza, é um diferencial que levo em conta”, afirma.

DICAS – A Agência de Notícias do Turismo levantou uma série de dicas para que a viagem com seu pet seja a mais tranquila e feliz possível. Confira:

Saúde: carteira de vacinação, vermifugações e antipulgas sempre em dia. Manter a saúde do pet permite – ou não – ao tutor levá-lo para a viagem. É preciso saber a localização de clínicas veterinárias 24 horas no destino.

Identificação: “microchipar” é uma forma de identificação bem útil e comum atualmente. O pet é cadastrado num banco de dados, que pode ser acessado por qualquer veterinário ou agente sanitário, por exemplo. Isso facilita a localização caso o pet se perca.

Remédios: não medicar os animais para tranquiliza-los durante voos, por riscos à saúde do pet. Existem remédios que relaxam e diminuem o enjoo, mas eles são recomendados em viagens de carro ou ônibus. Cada tutor deve conversar com o veterinário para saber a indicação.

Transporte: cada companhia aérea tem suas regras para levar animais, na cabine ou no porão. O mais importante é adaptar o pet à caixa de transporte. Para viagens de carro, recomenda-se cinto de segurança ou caixa própria. De ônibus, sempre dentro da caixinha.

Fonte: Ministério do Turismo

Redução de imposto para aluguel de aeronaves e motores mantém 92 mil empregos no turismo

Se confirmado, benefício, que faz parte da MP 907, garantirá R$ 5,9 bilhões na economia brasileira.

Cerca de 92 mil empregos, R$ 2,52 bilhões em salários e R$ 5,9 bilhões no PIB brasileiro. Esses são alguns dos benefícios garantidos pela Medida Provisória (MP) 907/2019, elaborada pelo Ministério do Turismo. Entre as ações previstas no texto está a redução do tributo relativo ao arrendamento mercantil (leasing) de aeronaves e motores, uma espécie de aluguel desses itens pelas empresas aéreas do país.

A queda do imposto de 15% para 1,5% começou a valer em janeiro. A proposta, que aguarda aprovação do Congresso Nacional, contribui ainda para a ampliação dos destinos atendidos – sobretudo no interior do país, novos voos e empresas aéreas no mercado nacional, além de possibilitar novos investimentos, como o aumento de frotas e assentos. Neste ano, 423 aeronaves vão voar pelo Brasil, o maior quantitativo da aviação desde 2015.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a iniciativa vai ao encontro das medidas que vem sendo adotadas para melhorar a competitividade do setor aéreo brasileiro, com o objetivo de aumentar os destinos atendidos e reduzir o preço das passagens aéreas. “A redução amplia a oferta turística no Brasil, permitindo que cada vez mais pessoas possam voar e conhecer os destinos nacionais a preços mais baixos”, destaca o ministro.

Até dezembro de 2019, o setor aéreo contava com a isenção total do imposto sob o leasing de aeronaves e motores. No entanto, sem a proposta de redução de 1,5% incluída na MP 907, a tributação passaria a ser de 15%, já a partir de 1º de janeiro de 2020, o que impactaria nos custos de operação das companhias aéreas, podendo resultar em mais custos ao consumidor. Por restrições da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), aprovada no governo anterior, não foi possível manter a isenção para 2020. “Apesar de reconhecer a grande conquista que foi reduzir o imposto de 15% para 1,5%, temos o compromisso de apresentarmos já neste ano uma nova proposta para reduzir – ou mesmo eliminar – os impostos que incidem sobre o nosso setor”, reforça Álvaro Antônio.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, afirma que o Brasil precisa equiparar suas regulamentações aos padrões internacionais, pois isso estimula a competitividade e beneficia o passageiro. “Reconhecemos e agradecemos os esforços do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, para que o Imposto de Renda (IR) gradual de 1,5% sobre o leasing de aeronaves, motores e peças seja zerado, já que ele poderá representar, apenas em 2020, um custo adicional de R$ 79 milhões para as companhias, o que resultaria em mais custos ao consumidor”, defende Sanovicz.

MP 907/19 – Além da diminuição do imposto para o leasing de aeronaves e motores, o texto, proposto pelo Ministério do Turismo em conjunto com as pastas da Economia e da Infraestrutura, transforma a Embratur em Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, extingue a cobrança de ECAD em quartos de hotéis e cruzeiros marítimos e também reduz de 25% para 7,9% a alíquota de IRRF incidente sobre as remessas do exterior, por exemplo, na compra de pacotes de viagem e na contratação de serviços fora do país. A MP tramita no Congresso Nacional, e o prazo final de votação é 06 de março, sendo que a partir de 21 de fevereiro ela terá regime de urgência.

Fonte: Ministério do Turismo

Rio do Rastro Eco Resort recebe prêmio Viagem e Turismo na categoria “Melhor Hotel-Fazenda”

Santa Catarina é o estado brasileiro com o maior número de vencedores na 18ª edição do prêmio “O Melhor de Viagem e Turismo 2019/2020” promovido pelo site Viagem e Turismo, do Grupo Abril. Além de ser reconhecido como o “Melhor Estado para viajar”, SC teve outros três equipamentos premiados: o Beto Carrero World, em Penha, como “Melhor Parque Temático”, o Costão do Santinho, em Florianópolis,como “Melhor Resort” e o Rio do Rastro Eco Resort, em Bom Jardim da Serra, como “Melhor hotel-fazenda”. Nesta semana, a Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur) vai divulgar um pouco de cada um dos vencedores.

O hotel-fazenda Rio do Rastro Eco Resort foi construído em meio aos canyons e de frente para o mirante da Serra, na cidade de Bom Jardim da Serra. O empreendimento possui uma arquitetura que une o campestre e o rústico com conforto e sofisticação. O local foi planejado com o intuito de proporcionar aos hóspedes momentos de relaxamento e contato direto com a natureza exuberante . As instalações oferecem todas as comodidades necessárias para o viajante explorar os campos de cima da Serra do Rio do Rastro, um dos cartões-postais de Santa Catarina.

Para o proprietário do empreendimento, Ivan Cascaes, a premiação foi uma grata surpresa: “Uma conquista dessa representa muito para nós, para o turismo de Santa Catarina e marca o reconhecimento da beleza da nossa região da Serra catarinense”, comemorou o empresário.


Instalações do hotel-fazenda

Situado na bela Serra do Rio do Rastro, o resort ecológico dispõe de lago, piscina coberta, banheira de hidromassagem, academia e restaurante. As atividades adicionais incluem passeios a cavalo, trilhas a pé e canoagem. A estrutura do local atende hóspedes que buscam aventuras em meio à natureza ou descanso e tranquilidade com uma bela paisagem natural. O hotel é composto pelo casarão e pelos chalés, inseridos entre árvores e vegetação que rodeiam um extenso e tranquilo lago. Os chalés possuem ar-condicionado, varanda térrea e banheiro com piso aquecido, assim como TV a cabo, telefone, cofre e frigobar. Além disso, todos os chalés têm sinal de Wi-Fi e vista para o lago.

O casarão ainda disponibiliza aos turistas jacuzzi aquecido, piscina térmica interna e externa, sauna seca e úmida, academia de ginástica e sala de massagem, salão de jogos, biblioteca de livros e DVDs, boutique de roupas e bar com lareira, além de local para eventos e convenções. Muitos casais escolhem o local para realizar a tão sonhada festa de casamento, bem como ensaios fotográficos e comemoração de bodas.


Gastronomia serrana
O restaurante local oferece como base a gastronomia típica serrana, com toques especiais, servindo pratos apropriados para os exploradores, com produtos locais da da Serra catarinense. O cardápio foi elaborado com o desejo de agradar a todos os paladares, mas privilegiando a gastronomia regional. O serviço é a la carte no almoço e jantar, porém, quando o hotel está lotado, eventualmente há refeições com serviço de buffet. O hotel também oferece café da manhã incluso.


Vinhos

O clima de montanha também pede um bom vinho, por isso há uma seleção de 75 rótulos que abrangem as mais variadas regiões do mundo, tanto quanto os melhores vinhos locais, que vem se destacando com rótulos premiados. O hotel permite acesso à adega para escolha de qual vinho degustar.


Galpão Tropeiro
Aos sábados à noite é realizado o Galpão Tropeiro, no qual é servido o típico churrasco serrano, acompanhado de pratos variados no buffet. O evento é animado com música ao vivo, shows típicos e apresentações de dança.


Como chegar
O acesso é marcado por subidas íngremes e curvas fechadas. A rodovia SC-390, que corta a Serra do Rio do Rastro e faz ligação entre as cidades catarinenses de Bom Jardim da Serra e Lauro Müller, é considerada uma das mais bonitas do Brasil. A cadeia de montanhas é coberta pela Mata Atlântica, com uma fauna diversificada, sendo possível encontrar diferentes espécies de felinos, macacos, quatis, pacas, tatus, tamanduás e muitas aves, dentre outros animais comuns em uma floresta preservada.

Assim, debruçado sobre o canyon da Serra do Rio do Rastro, com um panorama privilegiado, o Rio do Rastro Eco Resort pretende incentivar uma nova forma de fazer turismo, propondo que cada viagem seja uma experiência diferenciada e única.

Distância de Bom Jardim da Serra:

  • 200 quilômetros da Capital, Florianópolis – SC
  • 60 km Criciúma – SC
  • 130 km de Lages – SC
  • 340 Km de Porto Alegre – RS
  • 490 Km de Curitiba – PR
  • 920 Km São Paulo – SP

Fonte: Santur

Escolha pela internet revela destinos preferidos no Brasil

Bonito (MS), Gramado (RS), Fernando de Noronha (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Santa Catarina foram alguns dos destinos escolhidos pelos internautas no prêmio O Melhor de Viagem e TurismoEssa é a 18ª edição do prêmio que tem como objetivo prestigiar a indústria do turismo com a homenagem a 24 categorias distintas. De acordo com a organização do concurso, foram 2.621 votos de todas as regiões do Brasil, coletados entre 1 de outubro e 9 de dezembro de 2019.

O público também escolheu os melhores parques do país. O vencedor como melhor parque temático foi Beto Carrero World (Penha/SC), e como melhor parque aquático do Brasil, o Beach Park (Aquiraz/CE) foi o eleito. Além do reconhecimento por meio da premiação, o levantamento mostrou também que 67% do público faz uso de buscadores e comparadores de preços antes de comprar uma passagem, pacote ou reservar uma hospedagem. O número de quem fecha negócio pela internet é um pouco menor, 49%.

Bonito, eleito Melhor Destino de Ecoturismo, é um dos principais destinos de aventura e ecoturismo do país. Suas paisagens naturais, com rios próprios para mergulhos, grutas e cavernas oferecem condições para atividades de lazer aquático, passeios em trilhas, banhos em cachoeiras e modalidades de turismo de aventura. Em 2012, 242 mil turistas estiveram no município visitando as atrações.

Gramado (Melhor Destino de Inverno) possui infraestrutura turística que oferece excelência de seus hotéis, pousadas, restaurantes e cafés, além de mais de 50 espaços de entretenimento e lazer como parques e museus. Além das belezas naturais, a cidade organiza anualmente o Natal Luz, marcada por espetáculos musicais e teatrais, desfiles, paradas e concertos que transformam o município em um “grande sonho de Natal”. Milhões de turistas visitam o evento todos os anos.

Com uma população de cerca de 3 mil habitantes, Fernando de Noronha (Melhor Destino de Praia) foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (Unesco). Noronha é constituído de duas unidades de conservação federais (UCs): o Parque Nacional Marinho, mantido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); e a Área de Proteção Ambiental, administrada pelo Governo de Pernambuco.

O Rio de Janeiro (Melhor Cidade) é uma metrópole mundialmente conhecida por sua excepcional interação entre cultura e natureza e destino desejado pelos turistas do Brasil e do mundo. A intensa vida cultural e o centro histórico exuberante se unem à paisagem natural com muitos atrativos urbanos. São ícones do roteiro turístico carioca: a Floresta da Tijuca (considerada a maior mata urbana do mundo), as praias de Copacabana, Ipanema e Leblon, além do mundialmente famoso Pão de Açúcar com o vai-e-vem do seu Bondinho e o Corcovado com a estátua gigante do Cristo Redentor.

Santa Catarina (Melhor Estado) conta com 12 regiões turísticas no atual Mapa do Turismo Brasileiro. São elas: Caminho dos Canyons, Caminho dos Príncipes, Caminhos das Fronteiras, Caminhos do Alto Vale, Costa Verde & Mar, Encantos do Sul, Grande Florianópolis, Grande Oeste, Serra Catarinense, Vale das Águas, Vale do Contestado e Vale Europeu.

Alguns dos ganhadores do O Melhor de Viagem e Turismo:

Estado

Santa Cataria

Cidade

Rio de janeiro 

Destino de praia

Fernando de Noronha

Destino de inverno

Gramado

Destino de ecoturismo

Bonito

Parque Temático no Brasil

Beto Carrero World (Penha/SC)

Parque Aquático do Brasil

Beack Park (Aquiraz/CE)

Fonte: Ministério do Turismo

Informativo ABIH-SC 24 de janeiro

No informativo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, você vai ver:

ABIH-SC reunida para tratar do Encatho & Exprotel 2020;–ABIH-SC presente nas discussões da comunidade;-ABIH-SC Informa: Gestão do Dinheiro;-Sócio Colaborador – Cleaning Dry;- DiCarlo – Sócio Colaborador;- Ponte Hercílio Luz será liberada para tráfego de veículos oficiais e do transporte coletivo municipal;-Parques Estaduais são opções de Turismo em meio à Natureza ;-Associados ABIH-SC.

Confira o informativo completo AQUI!!

Parques Estaduais são opções de Turismo em meio à Natureza

É verão. A estação mais quente do ano é um convite para atividades de lazer. Em meio à natureza, melhor ainda. O litoral é o mais procurado nesta época. No entanto, há outras opções que atraem cada vez mais visitantes, como é o caso das Unidades de Conservação de Santa Catarina. Trilhas, passeios em ambientes preservados, belezas naturais e ações de educação ambiental são as escolhas de centenas de moradores e turistas em todo o estado.

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) administra 10 Unidades de Conservação, destas em cinco há visitação pública.

Tabuleiro

Na Grande Florianópolis está a maior delas, o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Com mais de 84 mil hectares, o local é um atrativo gigantesco. As centenas de trilhas, as mais conhecidas Pico do Cambirela que tem visão de toda a ilha, Travessia do Tabuleiro, Pico do Tabuleiro, Morro do Queimado em Santo Amaro da Imperatriz e Caminho de Naufragados atraem visitantes de todas as regiões brasileiras e até mesmo de fora do país.

Além das trilhas, dentro dos limites do Parque estão cenários paradisíacos como a famosa Guarda do Embaú, a Praia do Maço, Praia do Vigia e o Rio da Madre, ideal para a prática de remo.  

O Parque tem sua sede em Palhoça, na Baixada do Maciambu que está aberto de quarta a domingo das 9h às 17h. O local conta com um centro de visitantes e trilhas educativas, onde o público pode ter contato com espécies nativas. O Parque possui anda dois centros temáticos na sede dos municípios de Imaruí e de São Bonifácio.

Rio Vermelho

Também no litoral, o Parque Estadual do Rio Vermelho, em Florianópolis, é outro reduto de descanso e beleza. Com destaque para a Trilha Ecológica onde é possível passear em meio à natureza e conhecer animais tratados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). A trilha funciona de terça-feira a domingo (inclusive feriados), das 10h às 17h.

Outra opção é a Trilha Aquática que proporciona uma experiência única aos participantes ao navegar pelas águas cristalinas do Parque. A visitação pública também é permitida nas trilhas e acessos à Lagoa da Conceição e à praia do Moçambique que também está dentro da Unidade de Conservação, o que a torna uma das mais preservadas de Santa Catarina. Com a orla mais extensa de Florianópolis, areias brancas e macias, vegetação protegida e pouco conhecida pelos banhistas, é o lugar perfeito para relaxar em meio à natureza.

Rio Canoas

Na região serrana, conhecida pelo frio, também há atrações para curtir a temporada de verão. E uma delas é o Parque Estadual Rio Canoas, em Campos Novos. Aberto para visitação pública desde novembro de 2018, a Unidade oferece três trilhas ecológicas: Trilha das Águas (4.400 metros de extensão), a Trilha do Cemitério (600 metros) e a trilha do Lajeado do Roberto (4 mil metros de estrada + 3.400 metros) que tem como principal atração a cachoeira de mesmo nome com cerca de 30 metros de queda. O Parque estará aberto para visitação de quarta-feira a sexta-feira de 9h às 17h, e aos sábados e domingos das 13h às 17h.

Fritz Plaumann

Na região oeste, o Parque Estadual Fritz Plaumann, em Concórdia, também oferece diversas atrações aos visitantes. Antes de sair a campo, os guias do local contam a história da Unidade de Conservação. Na sequência, é hora de escolher uma das quatro trilhas que são repletas de surpresas e riquezas naturais. Decks, pontilhões, mirantes e até ponte pênsil completam a diversão de quem passa pelo Parque. A visitação ocorre de quarta a sábado das 9h às 17h e aos domingos das 13h às 18h.

Araucárias

Também no oeste, nos municípios de Galvão e São Domingos, está o Parque Estadual das Araucárias que conta com três trilhas ecológicas: Trilha do Mirante das Araucárias, da Cascata e da Corredeira do Rio Araçá. O horário de funcionamento é de quarta a sexta-feira das 9h às 17h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 17h. 

Entrada gratuita

Com exceção da Trilha Ecológica no Parque Estadual do Rio Vermelho em que o valor dos ingressos é de R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (estudantes, idosos e moradores do entorno), crianças com até 5 anos de idade são isentas de pagamento, nos demais Parques a entrada e as atrações são gratuitas.

Fonte: Bom dia SC

Santur dá sequência aos preparativos de evento internacional de inovação tecnológica no turismo

A presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), Flavia Didomenico, reuniu-se nesta quinta-feira, 23, em Florianópolis, com representantes de outros órgãos do Governo do Estado para tratar da organização de dois eventos de inovação tecnológica que serão realizados em Florianópolis em 2020, com apoio da Organização Mundial do Turismo (OMT) e o Ministério do Turismo.

No mês de abril a capital catarinense receberá o fórum especializado Tourism Tech Adventures (TTA) e também a OMT Competição Nacional de Startups de Turismo, em parceria com o Wakalua, hub de inovação com sede na Espanha, em Madri. “A realização de um  evento dessa envergadura requer o envolvimento de diferentes áreas do estado. Será um marco para Santa Catarina ser sede do Wakalua deste ano”, frisou Flavia.

Participaram do encontro o Cel. Ricardo Sabatini, da Casa Militar, Douglas Gonçalves e Julia Bonanova, da Secretaria Executiva de Articulação Internacional, Júlia Pitthan, da Secretaria de Comunicação, além da equipe da Santur, Luana Emmendoerfer, diretora de Estudos e Inovação, Mané Ferrari , diretor de Planejamento Turístico, René Meneses, gerente de Infraestrutura Turística, Bianca Pinto Vieira, assessora especial.

Sobre o Wakalua

Com sede em Madri, na Espanha, o Wakalua foi criado em 2019 e é o primeiro hub de inovação em turismo, que promove ações público-privadas em diversas regiões do mundo. Durante a primeira competição global de startups de turismo, em 2018, participaram projetos de 133 países. O Wakalua atua com três programas principais: a transformação digital para o turismo, o impulso do ecossistema de inovação para o setor e também a conexão estratégica para o investimento em startups.

Fonte: Santur

ABIH-SC Informa

Gestão do Dinheiro

Conhecida também como Finanças, a Gestão do dinheiro, de forma resumida, nada mais é do que você gerir seus ganhos e gastos de forma integral.

Acrescento ainda que essa integralidade deve vir acompanhada de responsabilidade, pois numa gestão financeira, não é só o nosso dinheiro que está em jogo, mas dos credores também.

Faço sempre a analogia da Gestão Financeira Pessoal com a Gestão Financeira Empresarial.

Nossa vida financeira pessoal é idêntica a de uma empresa, salvo as proporções.

Numa empresa, para que se tenha lucro, você precisa gastar menos do que ganha. Isso vai gerar um resultado operacional positivo (lucro). Com os lucros, podemos fazer os investimentos e ainda ter o retorno do capital investido, como se fosse uma aplicação financeira.

Nas finanças pessoais, precisamos controlar nossos gastos de acordo com nossos ganhos. Precisamos de controle financeiro. E ainda fazer sobrar um pouco no final de cada mês ou período. Essa sobra seria o nosso lucro. E da mesma maneira que uma empresa, faríamos investimentos (carro novo, casa, apartamento, poupança, viagens).

Muitas pessoas se espelham em outras mais bem sucedidas financeiramente criando parâmetro para saberem se estão indo bem nas finanças. Fazer a comparação propriamente dita não é ruim, pois devemos nos inspirar em bons cases. O problema é que esquecemos de avaliar as proporções. Cada caso é um caso particular. O sucesso é algo individual. Devemos respeitar o nosso tempo, nossas limitações e criar metas que sejam desafiadoras mas alcançáveis, caso contrário, teremos frustrações.

Não devemos nunca gastar mais do que ganhamos. As finanças fazem parte das ciências exatas, onde 1 + 1 é 2 e ponto final.

E é com essa matemática que as pessoas e empresas com bom controle financeiro se destacam em relação as que não possuem controle nenhum.

Não existe milagre. É apenas gestão financeira.

Desejo saúde financeira a todos!!!

Deverson L. G. Pereira

Diretor de Controladoria ABIH-SC