Posts

Palestra em comemoração ao Dia Mundial da Segurança Alimentar

A FACULDADE SENAC FLORIANÓPOLIS convida os alunos da Gastronomia e comunidade a prestigiarem as ações que serão realizadas para trocar experiências e celebrar a seguinte data:

O primeiro Dia Mundial da Segurança Alimentar será comemorado em 7 de junho para chamar a atenção a inspirar ações para ajudar a prevenir, detectar e gerenciar riscos alimentares, contribuindo para a segurança alimentar e saúde mundial.

DATA: 07/06/2019     –

HORÁRIO:   08:40:00  às   12:00:00

LOCAL: Silva Jardim 360

Inscrições: http://portal.sc.senac.br/portal/evento/6650

Brasil emplaca finalista em concurso mundial de startups de turismo e gastronomia

 

1º Concurso Global Startups de Turismo Gastronômico, realizado pela OMT, tem a brasileira Dinneer.com entre os 20 projetos selecionados.

A startup Dinneer.com é a única representante brasileira selecionada entre os 20 finalistas do 1º Concurso Global Startup de Turismo Gastronômico, realizado pela Organização Mundial do Turismo (OMT). O certame internacional registrou mais de 300 inscritos de 84 países, que foram avaliados por especialistas do setor de Viagens e Turismo.

A proposta da Dinneer.com é conectar pessoas em busca de experiências gastronômicas únicas, colocando à disposição, em uma plataforma online, 4 mil anfitriões apaixonados pela arte de cozinhar e de bem receber em 49 países – no Brasil, a iniciativa já chega a cerca de 300 cidades. Eles abrem as portas de suas casas para recepcionar pessoas que querem mais que um bom jantar ou uma refeição. O projeto passa, agora, para o rol dos que contribuem à inovação no turismo gastronômico no mundo.

O conceito de economia compartilhada está em alta no setor, seguindo uma tendência mundial. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destaca a importância da gastronomia como ativo do turismo brasileiro. “Esse reconhecimento global revela a importância do empreendedorismo no turismo e estimula a inovação, trazendo soluções criativas para o setor. Mostra também que o turismo contribui para o desenvolvimento sustentável da economia, oferecendo experiências culturais ímpares, como a ideia de compartilhar um jantar, um piquenique ou um momento de gastronomia regional com anfitriões que têm o bem receber no DNA”, avalia.

A gastronomia brasileira é aprovada por 95% dos estrangeiros que visitam o país, segundo pesquisa de satisfação do turista estrangeiro realizada pelo Ministério do Turismo. “É um segmento dinâmico e criativo. Além de diversificar a oferta turística, a gastronomia é um diferencial competitivo, que promove os destinos e desenvolve a economia regional”, acrescenta.

Natural de Campo Grande (MS), o criador da plataforma online, Flávio Estevam, iniciou a startup em 2015 com objetivo de unir pessoas que amam cozinhar e receber visitas em casa. Aí estão também turistas à procura de experiências gastronômicas regionais e com a cara do Brasil.

Ele ressalta que um dos diferenciais do turismo do país é a gastronomia e que espera inspirar outros projetos que ajudem o Brasil a decolar no setor de Viagens. “Esse negócio nasceu no Brasil e pode ser até um exemplo para outros empreendedores criarem outras soluções de turismo que promovam impacto nacionalmente”, disse o idealizador que aproxima turistas e a cultura local através da gastronomia.

Além da possibilidade de jantar na casa de um morador local, existem milhares de brasileiros morando no exterior e promovendo a culinária brasileira lá fora. A plataforma tem também, por exemplo, baianos em São Paulo, mineiros em Alagoas, gaúchos no Rio de Janeiro e paraenses em Santa Catarina. Todos eles fazem de suas casas verdadeiras embaixadas gastronômicas regionais, onde revelam seus costumes, hábitos e valores culturais de seus estados de origem.

O personal chef Fábio Marques, de Brasília, é um dos anfitriões do Dinneer.com. Engenheiro de formação, mudou a rota da carreira durante um intercâmbio no exterior, e de lá pra cá se apaixonou pelo caminho da culinária. “É muito bom receber turistas que colocam a minha cozinha na rota deles”, comemora.

29.04.2019 chef fabio
Chef Fábio Marques, de Brasília, está entre os anfitriões da plataforma. Na foto, ele prepara jantar tipicamente mineiro, que inclui pão de queijo recheado com carne suína. Crédito: Divulgação/MTur

 

SOBRE O CONCURSO – Participaram do concurso internacional startups de países de culinária renomada como Japão, Espanha, Israel, Itália, Singapura, Tailândia, Colômbia, República Checa, Ilhas Maurício e Líbano. O vencedor será anunciado no 5º Fórum Mundial de Turismo Gastronômico, de 2 a 3 de maio, em San Sebastián, na Espanha. O concurso da OMT é realizado em parceria com o Centro Culinário Basco.

A premiação é direcionada para o reconhecimento de soluções e novas tecnologias que integrem turismo e gastronomia, além de projetos de desenvolvimento do turismo baseados na comunidade. São iniciativas de software e projetos de sustentabilidade, voltados para a inovação, contribuindo para o avanço dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Para a ONU, o turismo é uma das alternativas para redução da pobreza no mundo.

 

Fonte: Ministério do Turismo

OMT vai premiar startups pioneiras em inovação no turismo gastronômico

 

Processo seletivo, aberto a empresas e pessoas físicas de qualquer país, busca identificar e reconhecer experiências que relacionam a culinária ao mercado de Viagens.

 

Empreendedores com ideias inovadoras na área de gastronomia associada ao turismo terão a chance de conquistar visibilidade internacional e ainda aprimorar o seu negócio. Estão abertas até 5 de março de 2019 as inscrições no 1º Concurso de Startups de Turismo Gastronômico da Organização Mundial do Turismo (OMT), organizado em conjunto com o Centro Culinário Basco, da Espanha. As inscrições podem ser feitas por este link: www.gastronomytourismventures.org.

A ideia da seleção, aberta a empresas e pessoas físicas de todos os países, é destacar e reconhecer exemplos capazes de integrar as duas áreas, de forma a indicar novas possibilidades e inspirar a realização de viagens. Os concorrentes devem apresentar modelos de trabalho relacionados à sustentabilidade, ao respeito à cadeia produtiva local e à oferta de narrativas autênticas, além de agregar valor ao patrimônio cultural da região onde estão inseridos.

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, estimula a participação de brasileiros no processo. “A gastronomia é um dos quesitos que melhor ilustram a rica identidade do país e constitui um forte fator de atração de visitantes. A inclusão de projetos nacionais no prêmio reforça o nosso trabalho pela inovação em turismo, consolidando o mercado de Viagens como importante propulsor de desenvolvimento e da geração de emprego e renda”, enfatiza.

A competição vai permitir identificar projetos pioneiros na implementação de tecnologias emergentes e disruptivas, voltados à superação de desafios e problemas do setor. As propostas devem estar comprometidas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS), a exemplo da erradicação da pobreza e da redução de desigualdades, bem como a introdução ou adaptação de elementos digitais.

O secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, observa que o prêmio contribui para a melhoria da qualidade de vida de todos os povos. “Investimentos em inovação e turismo não são fins em si, mas são meios para promover melhores produtos turísticos, melhorar a governança do setor e aproveitar sua comprovada capacidade de promover a sustentabilidade, criar empregos e gerar oportunidades”, ressalta.

FINALISTAS – Os cinco finalistas serão conhecidos no dia 1º de abril do próximo ano. Já o anúncio do vencedor ocorrerá durante a quinta edição do Fórum Mundial de Turismo Gastronômico, que vai acontecer de 2 a 3 de maio na cidade de San Sebastián, na Espanha. O primeiro colocado na seleção poderá ostentar um selo internacional e participar de um programa de acompanhamento personalizado oferecido pelo Centro Culinário Basco (CCB). O CCB, instituição acadêmica pioneira no mundo e filiada à OMT, compreende a Faculdade de Ciências Gastronômicas da Universidade Mondragon e uma unidade de inovação e pesquisa. Possui um Conselho com 11 dos principais chefs do mundo e tem como objetivo o ensino superior, a pesquisa e a promoção da gastronomia como alavanca de desenvolvimento socioeconômico.

APROVAÇÃO – A gastronomia é um dos itens mais bem avaliados por estrangeiros que visitam o Brasil. Segundo estudo do Ministério do Turismo, 95,7% dos viajantes internacionais que estiveram no país em 2017 avaliaram positivamente a culinária dos destinos brasileiros. Os destinos que mais se destacaram foram São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e Brasília.

Florianópolis, capital catarinense, com sua culinária à base de massas e frutos do mar; Paraty (RJ), onde a culinária reúne elementos da cozinha caiçara e uma fartura de peixes, e Belém (PA), onde predominam pratos ligados à cultura indígena, além de influências africana e portuguesa, possuem o título de Cidades Criativas para a Gastronomia, concedido pela Unesco.

 

Fonte: Ministério do Turismo 

Observatório de Gastronomia será lançado em Florianópolis nesta segunda (27)

 

Florianópolis contará com um Observatório de Gastronomia a partir deste mês, em uma iniciativa coordenada pelo Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac e FloripAmanhã. O lançamento do site do projeto será realizado nesta segunda-feira (27), às 19h, no Hotel Sesc Cacupé, com palestra da consultora em Políticas Públicas para Economia Criativa pela Organização Mundial do Comércio (OMC), Cláudia Leitão, sobre a relação entre gastronomia, criatividade, cultura e educação.

O Observatório vai apresentar um mapeamento das informações relacionadas à cadeia produtiva do setor. No site será possível acessar gratuitamente dados abertos, indicadores, relatórios, banco de imagens, produção acadêmica e videoteca. Conforme a gestora da plataforma digital, Nathalia Bernardinetti, do Senac SC, o trabalho  vai envolver produção, pesquisas e difusão de dados e ações do setor público, privado, sociedade civil, universidades, produtores e organizações multilaterais.

“Será uma ferramenta para divulgação de produções científicas, técnicas e ações culturais, servindo de base para a geração de conhecimento, fomento de políticas públicas e estímulo à cadeia produtiva da Região Metropolitana de Florianópolis, além de servir de apoio para outras regiões”, explica. O Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac compõe o Grupo Gestor do programa Florianópolis Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia, em parceria com outras 12 instituições.

Há quatro anos a Capital tem a selo internacional, ao lado de Paraty (RJ) e Belém (PA). Este título contribui para o setor turístico-gastronômico local e para o desenvolvimento da região.

Qualificação do setor

O Observatório deve estimular a qualificação do setor e reforçar a vocação de Florianópolis como destino turístico, segundo o presidente do Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac, Bruno Breithaupt.

“A gastronomia tem um grande potencial turístico e econômico. A diversidade é um das maiores riquezas de Santa Catarina e também da sua Capital. Foi justamente essa pluralidade que colocou Florianópolis no calendário internacional com a conquista do título da Unesco. Contar com um mecanismo para acompanhar os indicadores do setor nos coloca um passo à frente para impulsionar a geração de emprego e renda e abrir oportunidades de investimentos”, pontua Breitahupt.

Estado produtor de alimento

Santa Catarina tem na gastronomia uma importante plataforma de desenvolvimento socioeconômico. O Estado, por exemplo, é o segundo maior produtor de ostras da América Latina, ficando atrás apenas do Chile, e hoje responde por 98% da produção nacional.

Em 2017, Florianópolis foi a que mais contribuiu para a produção total do molusco no Estado, com quase duas toneladas e movimentação de cerca de R$ 11,5 milhões, de acordo com o Centro de Desenvolvimento de Aquicultura e Pesca – CEDAP, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). A produção de moluscos comercializados (mexilhões, ostras e vieiras) por Santa Catarina somou 13.567 toneladas no ano passado, gerando uma receita bruta estimada em R$ 66.229.093,67 para o Estado, envolvendo diretamente mais de 550 maricultores, distribuídos em 10 municípios do litoral, entre Palhoça e São Francisco do Sul.

 

Fonte: Fecomércio SC