Posts

Pesquisa da Fecomércio SC traça perfil e impacto do turismo de inverno na Serra de SC

 

A combinação de clima, belezas naturais, hospitalidade e boa gastronomia faz da Serra catarinense um destino turístico bastante procurado no inverno, com muito potencial e oportunidades a serem exploradas pelos empresários e setor público, conforme aponta a pesquisa da Fecomércio SC, divulgada nesta sexta-feira (21), na véspera do fim da estação.

Leia a pesquisa na íntegra

A parcela de visitantes que citou o ecoturismo, turismo de aventura e o turismo gastronômico como motivo para a visita mais do que triplicou: chegou a 24,3% neste ano, diante do resultado tímido em 2017 (7,5%). Só o ecoturismo evoluiu de 3,4% para 10,8%. Embora o inverno seja o carro-chefe (52,1%), os dados sinalizam para a importância da dessazonalização do turismo na Serra, ou seja, não concentrar em apenas uma estação.

descentralização dos destinos também foi diagnosticada na pesquisa. Espontaneamente, os visitantes apontaram 60 pontos turísticos diferentes, 47,5% em Urubici, com destaque para a Cachoeira do Avencal, a Serra do Corvo Branco e a Cascata Véu de Noiva.

“O trade catarinense tem trabalhado estas duas frentes para que o turista e o próprio catarinense, que fomenta o turismo interno, possa desfrutar diferentes destinos no Estado e em todas as estações”, afirma o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt. Segundo ele, apesar da paralisação dos caminhoneiros ter impactado diretamente no caixa dos empresários neste ano, com queda de 5,7% no faturamento, a alta de 10,5% em relação aos demais meses reforça a importância da qualificação do destino.

Inteligência de mercado

A pesquisa foi realizada com 514 visitantes e 273 empresários ou gestores dos estabelecimentos no mês de julho, em 12 cidades da região: Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Correia Pinto, Lages, Painel, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

Desde 2011, a Federação mapeia o perfil do visitante e as percepções dos empresários do setor terciário sobre o impacto nos negócios, gerando insights e informações relevantes para a tomada de decisão. Nos últimos dois anos, a entidade encorpou as pesquisas de turismo com a utilização do protocolo Tourqual, que retrata a avaliação da qualidade dos atrativos turísticos a partir das categorias: Acesso, Ambiente, Elemento Humano, Segurança, Qualidade Técnica e Experiência.

Indicadores analisados

Turistas

  • Perfil socioeconômico
  • Origem do visitante
  • Meio de transporte utilizado
  • Opção de hospedagem
  • Tempo de permanência
  • Gasto médio por setor
  • Motivação da viagem
  • Pontos turísticos mais visitados
  • Avaliação da qualidade de serviço em atrativos turísticos (Tourqual®)

Empresários

  • Índice de contratação de temporários
  • Avaliação do movimento
  • Ticket médio
  • Formas de pagamento
  • Variação do faturamento
  • Taxa de ocupação de leitos

Fonte: Fecomércio 

Carta do Comércio apresenta desafios do setor terciário para candidatos ao governo de SC

 

Infraestrutura e o sistema tributário devem ser os principais desafios para o novo líder do governo estadual, conforme sinaliza a Carta do Comércio, apresentada aos candidatos  Décio Lima (PT), Gelson Merísio (PSD) e Mauro Mariani (MDB), nesta terça-feira (18), durante painel no auditório da Fecomércio SC.

O documento produzido pela Fecomércio SC faz um diagnóstico dos entraves nos setores de comércio, serviços e turismo a partir de oito indicadores: comércio exterior, concorrência, legislação trabalhista, captação de recursos, condições de inovação, ambiente econômico, sistema legal e tributário e infraestrutura. O objetivo é expor as maiores dificuldades dos empresários para balizar a construção do plano de governo de quem ocupará a Casa d’Agronômica nos próximos quatro anos.

“A realidade impõe a todos que pleiteiam a chefia do executivo estadual uma gestão enxuta e eficiente, apostando nas forças produtivas e na capacidade empreendedora de nossa gente. Não há estado forte sem empresas competitivas”, afirma o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, na abertura do painel. Para Breithaupt, a nota geral atribuída pelos empresários (7,70) reflete a insegurança no ambiente de negócios em SC. Mas, por outro lado, a percepção sobre a legislação trabalhista melhorou, resultado da Reforma Trabalhista.

 

Os macrotemas foram avaliados  de 0 a 10 pontos pelos empresários. Quanto mais próximo a 10, maior o obstáculo para novo governador do Estado.

Propostas de mudanças

Apontada como o maior obstáculo para a competitividade, a infraestrutura recebeu a pontuação 8,5, a mais negativa entre os quesitos avaliados, puxado pelo subitem Segurança Pública (8,92). Para Mariani a solução é blindar o Estado para entrada de drogas e armas. O candidato Décio Lima questionou como o governo do Estado “deixou o crime organizado entrar nos presídios”. Já Merísio afirmou que investir em segurança pública vai fazer “Santa Catarina virar um destino mais atrativo e seguro”, ao ser perguntado sobre a manutenção da Secretária Estadual de Turismo.

Outro ponto debatido pelos candidatos no painel foi o sistema legal e tributário do Estado- a segunda pior avaliação (8,19) no levantamento- que passou a ser mais discutido na campanha eleitoral deste ano após a derrubada na Alesc da MP 220, que reduzia alíquotas de ICMS da indústria, onerando o comércio.

O plano de governo de Merísio prevê o aumento da desoneração fiscal: “Quem paga imposto no Estado é o consumidor. O empresário é apenas o operador da massa tributária. O recurso não pode vir do aumento da carga tributária, mas com a melhora na competitividade das empresas, que faz a receita do Estado crescer”.

O candidato petista falou sobre o fim de “generosidades fiscais”: “Não haverá aumento de impostos na minha gestão, inclusive precisamos de processos que possam reduzir os tributos para atrair investimentos. Os benefícios e isenções devem ser concedidos desde que sejam para empresas que vão gerar emprego e renda”.

Segundo Mariani, a carga tributária já chegou ao limite: “O aumento de impostos inibe a atividade econômica. Precisamos de simplificação da carga tributária para facilitar a vida do cidadão. Parece que existe um pelotão de sabotagem quando o catarinense quer empreender, tamanha a burocracia e quantidade de impostos e taxas”.

Fonte: Fecomércio SC

Observatório de Gastronomia será lançado em Florianópolis nesta segunda (27)

 

Florianópolis contará com um Observatório de Gastronomia a partir deste mês, em uma iniciativa coordenada pelo Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac e FloripAmanhã. O lançamento do site do projeto será realizado nesta segunda-feira (27), às 19h, no Hotel Sesc Cacupé, com palestra da consultora em Políticas Públicas para Economia Criativa pela Organização Mundial do Comércio (OMC), Cláudia Leitão, sobre a relação entre gastronomia, criatividade, cultura e educação.

O Observatório vai apresentar um mapeamento das informações relacionadas à cadeia produtiva do setor. No site será possível acessar gratuitamente dados abertos, indicadores, relatórios, banco de imagens, produção acadêmica e videoteca. Conforme a gestora da plataforma digital, Nathalia Bernardinetti, do Senac SC, o trabalho  vai envolver produção, pesquisas e difusão de dados e ações do setor público, privado, sociedade civil, universidades, produtores e organizações multilaterais.

“Será uma ferramenta para divulgação de produções científicas, técnicas e ações culturais, servindo de base para a geração de conhecimento, fomento de políticas públicas e estímulo à cadeia produtiva da Região Metropolitana de Florianópolis, além de servir de apoio para outras regiões”, explica. O Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac compõe o Grupo Gestor do programa Florianópolis Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia, em parceria com outras 12 instituições.

Há quatro anos a Capital tem a selo internacional, ao lado de Paraty (RJ) e Belém (PA). Este título contribui para o setor turístico-gastronômico local e para o desenvolvimento da região.

Qualificação do setor

O Observatório deve estimular a qualificação do setor e reforçar a vocação de Florianópolis como destino turístico, segundo o presidente do Sistema Fecomércio SC Sesc/Senac, Bruno Breithaupt.

“A gastronomia tem um grande potencial turístico e econômico. A diversidade é um das maiores riquezas de Santa Catarina e também da sua Capital. Foi justamente essa pluralidade que colocou Florianópolis no calendário internacional com a conquista do título da Unesco. Contar com um mecanismo para acompanhar os indicadores do setor nos coloca um passo à frente para impulsionar a geração de emprego e renda e abrir oportunidades de investimentos”, pontua Breitahupt.

Estado produtor de alimento

Santa Catarina tem na gastronomia uma importante plataforma de desenvolvimento socioeconômico. O Estado, por exemplo, é o segundo maior produtor de ostras da América Latina, ficando atrás apenas do Chile, e hoje responde por 98% da produção nacional.

Em 2017, Florianópolis foi a que mais contribuiu para a produção total do molusco no Estado, com quase duas toneladas e movimentação de cerca de R$ 11,5 milhões, de acordo com o Centro de Desenvolvimento de Aquicultura e Pesca – CEDAP, da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri). A produção de moluscos comercializados (mexilhões, ostras e vieiras) por Santa Catarina somou 13.567 toneladas no ano passado, gerando uma receita bruta estimada em R$ 66.229.093,67 para o Estado, envolvendo diretamente mais de 550 maricultores, distribuídos em 10 municípios do litoral, entre Palhoça e São Francisco do Sul.

 

Fonte: Fecomércio SC

 

Empossada presidência e nova diretoria da Fecomércio SC

 

A presidência e a nova diretoria da Fecomércio SC para o exercício 2018- 2022 foi empossada nesta segunda-feira (13) em solenidade interna, durante a 1ª reunião extraordinária do Conselho de Representantes da Fecomércio SC, no Sesc Cacupé, em Florianópolis. O empresário Bruno Breithaupt foi reeleito em votação unânime no mês de maio e permanece à frente da entidade pelo terceiro mandato consecutivo.

Confira a galeria de fotos da posse

Veja a galeria de fotos da reunião

O ato de posse contou com a participação dos membros do Conselho de Representantes da Fecomércio SC, vice-presidentes da Federação, novos diretores e dirigentes do Sesc e Senac.

Durante o discurso de posse, Breithaupt destacou o DNA empreendedor do catarinense e instigou os novos membros da diretoria a serem agentes de transformação em SC. “Diante de um período turbulento, enxergamos oportunidades e vislumbramos a diversidade econômica como um farol na tempestade. Também lideramos campanhas importantes em favor da produtividade e contra e alta carga tributária. Estamos atentos às mudanças no cenário sindical. Se a reforma trabalhista pôs fim à contribuição sindical obrigatória, também nos trouxe oportunidades: com a prevalência do negociado sobre o legislado, o sindicato patronal conquistou protagonismo na legítima defesa da categoria. Inicio esta nova gestão certo de que ainda temos muito a construir com os empresários, poder público e sociedade civil”, afirmou após a entrega dos certificados de posse aos novos vice-presidentes.

Representatividade

Desde o final da década de 1940 a Fecomércio SC tem sólida atuação com o setor terciário, impulsionando direta ou indiretamente o desenvolvimento da economia catarinense. Com os braços sociais- Sesc e Senac- contribuiu para que SC se consolidasse nos indicadores econômicos e sociais. As duas casas dispõem de uma rede de instalações e unidades móveis para promover o bem-estar social, desenvolvimento cultural, melhoria da qualidade de vida e qualificação profissional no Estado.

Leia mais: Trajetória da Fecomércio SC é afinada com história do país

Atualmente, a Fecomércio SC reúne 72 sindicatos dos setores de serviços, habitação, varejo, atacado, turismo, supermercados e comércio farmacêutico em Santa Catarina, que respondem por 63,9% do emprego no Estado e englobam mais de 650 mil empresas.

Gestão eleita para 2018- 2022

Presidente: Bruno Breithaupt
Vice-presidente: Celio Spagnoli
Vice-presidente Financeiro e de Gestão: Francisco Antônio Crestani 
Vice-presidente de Habitação: Sergio Luiz dos Santos
Vice-presidente de Serviços: Sandro Alberto Moretti
Vice-presidente de Turismo: Helio Dagnoni
Vice-presidente de Varejo: Emilio Rossmark Schramm
Vice-presidente de Atacado: Telmo Sandro Poli
Vice-presidente de Supermercados: Atanazio dos Santos Netto
Vice-presidente de Comércio Farmacêutico: Gentil Coradelli
Vice-presidente Grande Florianópolis:
 Marcelo Faria Brognoli
Vice-presidente Região Sul: Tito Livio de Assis Goes
Vice-presidente Planalto Serrano: Walter Hoeller de Souza
Vice-presidente Região Oeste: Marcos Antonio Barbieri
Vice-presidente Meio Oeste:  Leocergio Sarturi
Vice-presidente Região Norte: Herton Scherer
Vice-presidente Planalto Norte: Carlos Roberto Burigo
Vice-presidente Vale do Itajaí: Marcelo Gevaerd
Vice-presidente Litoral: Amarildo José da Silva

Representantes CNC Titulares: Bruno Breithaupt e Celio Spagnoli
Representantes CNC Suplentes: Marcelo Faria Brognoli e Sandro Alberto Moretti

Suplentes da Diretoria: Laureci Volpato, Romildo Letzner, Célio Fiedler e Natanael Wisintainer

Conselho Fiscal – Titulares:  Roque Pelizzaro Júnior, Fernando Wilrich e Lucio José de Matos
Conselho Fiscal – Suplentes: Luiz Alfredo Werka, Adriano Manoel dos Santos e Vanderlei Rogério de Limas

Fonte: Fecomércio SC

Fecomércio SC completa 70 anos de história

 

A Fecomércio SC celebrou 70 anos de fundação na sexta-feira (10/.08.2018) com um calendário de ações e projetos ao longo do ano. Para marcar a data, a entidade lançou a campanha “O Futuro é o Nosso Presente”, na qual um olhar mira o horizonte, transmitindo o propósito da entidade de representar, defender e orientar os setores do comércio, serviços e turismo em Santa Catarina, motores do emprego (63,9%) e do PIB (65,3%) estadual.

Líder da entidade desde 2009, o empresário Bruno Breithaupt será reconduzido à presidência e empossado nesta segunda-feira (13) ao lado da nova diretoria da Fecomércio SC. A ato da posse da gestão 2018-2022 contará com a participação dos membros do Conselho de Representantes da Fecomércio SC, vice-presidentes da Federação e dirigentes do Sesc e Senac. O empresário foi reeleito em votação unânime no mês de maio e permanece à frente da entidade pelo terceiro mandato consecutivo.

“Ano a ano, a Federação atua de forma propositiva nas diferentes esferas do poder público e privado, articulando forças com os setores representados e o braços sociais do Sistema – Sesc e Senac em SC-  para construir um ambiente de negócios propício à competitividade e eficiência das empresas e do próprio Estado, e uma sociedade direcionada ao bem-estar social, desenvolvimento humano, qualidade de vida e qualificação profissional da população”, afirma Bruno Breithaupt.

Saiba mais como foi a gestão à frente da Fecomércio SC e do Sesc e Senac  de 2010 a 2018

A Fecomércio SC congrega 72 sindicatos dos setores de serviços, habitação, varejo, atacado, turismo, supermercados e comércio farmacêutico em Santa Catarina e também é gestora do Sesc (52 unidades fixas e móveis) e Senac (29 unidades operativas) no Estado.

 

Fonte: Fecomércio

Bruno Breithaupt

Em votação unânime, Bruno Breithaupt é reeleito presidente da Fecomércio SC

Bruno Breithaupt

 

O empresário Bruno Breithaupt foi reeleito à presidência da Fecomércio SC em votação unânime realizada no auditório da entidade, na tarde desta segunda-feira (7). A nova gestão – o terceiro mandato consecutivo- começa oficialmente em 10 de agosto, mas a posse ocorrerá durante a festa de 70 anos da Fecomércio SC no dia 13.

A chapa única encabeçada por Breithaupt e pelo atual vice-presidente, Celio Spagnoli, recebeu 46 votos, que representam 100% dos presentes aptos a participar do pleito.

 

Fecomércio SC – gestão 2018-2022

 

Presidente: Bruno Breithaupt
Vice-presidente: Celio Spagnoli
Vice-presidente Financeiro e de Gestão: Francisco Antônio Crestani 
Vice-presidente de Habitação: Sergio Luiz dos Santos
Vice-presidente de Serviços: Sandro Alberto Moretti
Vice-presidente de Turismo: Helio Dagnoni
Vice-presidente de Varejo: Emilio Rossmark Schramm
Vice-presidente de Atacado: Telmo Sandro Poli
Vice-presidente de Supermercados: Atanazio dos Santos Netto
Vice-presidente de Comércio Farmacêutico: Gentil Coradelli
Vice-presidente Grande Florianópolis:
 Marcelo Faria Brognoli
Vice-presidente Região Sul: Tito Livio de Assis Goes
Vice-presidente Planalto Serrano: Walter Hoeller de Souza
Vice-presidente Região Oeste: Marcos Antonio Barbieri
Vice-presidente Meio Oeste:  Leocergio Sarturi
Vice-presidente Região Norte: Herton Scherer
Vice-presidente Planalto Norte: Carlos Roberto Burigo
Vice-presidente Vale do Itajaí: Marcelo Gevaerd
Vice-presidente Litoral: Amarildo José da Silva

Representantes CNC Titulares: Bruno Breithaupt e Celio Spagnoli
Representantes CNC Suplentes: Marcelo Faria Brognoli e Sandro Alberto Moretti

Suplentes da Diretoria: Laureci Volpato, Romildo Letzner, Célio Fiedler e Natanael Wisintainer

Conselho Fiscal – Titulares:  Roque Pelizzaro Júnior, Fernando Wilrich e Lucio José de Matos
Conselho Fiscal – Suplentes: Luiz Alfredo Werka, Adriano Manoel dos Santos e Vanderlei Rogério de Limas

 

Fonte: Fecomércio SC

Leia também: Comitiva da ABIH-SC faz visita técnica à Lava Sul, em Porto Belo

Cadastur vai desburocratizar o setor de turismo

 

Para oferecer mais segurança aos turistas e maior agilidade na regularização dos empreendimentos turísticos junto à Receita Federal do Brasil (RFB), o Ministério do Turismo (MTur) lançou o novo formato do Sistema Nacional de Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur). Com a versão 3.0, todo o procedimento burocrático das empresas do setor será realizado de maneira eletrônica e interligado com o banco de dados da RFB.

Lançado recentemente nas cinco regiões do país, o uso do Cadastur 3.0 é obrigatório para meios de hospedagem, agências de turismo, transportadoras, guias de turismo, organizadores de eventos, parques temáticos e acampamentos dedicados a turistas. Já para restaurantes e cafeterias, parques aquáticos, locadoras de veículos, prestadores de serviços especializados, casas de espetáculos, empreendimentos náuticos e de apoio à infraestrutura de eventos o uso da ferramenta é opcional.

De acordo com a analista de turismo da Fecomércio MG, Milena Soares, o cadastro dessas empresas vem acompanhado de benefícios aos empresários. “Quem adere ao Cadastur tem acesso a financiamento em bancos oficiais, pode participar de cursos de qualificação e concorrer em licitações públicas, além de melhorar a visibilidade do seu negócio”, declara.

Para os consumidores, a ferramenta proporciona mais segurança e transparência. “O turista fica mais seguro na hora de contratar qualquer serviço, uma vez que poderá verificar se a empresa é cadastrada e se ela segue os princípios de qualidade exigidos pelo MTur”, finaliza Soares.

 

Fonte: Fecomércio MG

Leia também:

Conheça em detalhe o perfil do turista na temporada 2018

O litoral catarinense reúne diferentes perfis de turistas durante a temporada. As principais características de quem circulou no Litoral neste ano estão detalhadas na Pesquisa Turismo de Verão no Litoral Catarinense 2018realizada pela Fecomércio SC em Balneário Camboriú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Imbituba, Laguna, Porto Belo e São Francisco do Sul.

Nos últimos cinco anos a classe C foi o maior motor do turismo catarinense, variando de 57% a 65% do público desde o início da série histórica, mas dois movimentos chamam a atenção nesta temporada: o aumento da presença da classe A B de 14% para 19% e o recuo da D, de 14% para 9%.

O turismo na temporada é majoritariamente terrestre (90%). Sete a cada dez chegam ao destino de carro- 52,6% dos brasileiros, 15,3% dos argentinos, 1,6% dos uruguaios e 1,3% dos paraguaios- e os outros 15% de ônibus em linhas regulares ou fretados. A maioria (55,9%) dos visitantes também utiliza veículos próprios para deslocamento dentro da cidade, inflando o trânsito durante a temporada.

Os principais tipos de hospedagem foram os imóveis alugados (35,2%), hotéis/pousada/hostel (33,4%) e casa de parentes/amigos (20%). Um dado preocupante da pesquisa é a informalidade nas locações: 65,1% foram feitas direto com os proprietários ou zeladores, o que facilita a ação de estelionatários, deixa de gerar impostos para a cidade e traz insegurança para o turista. O Airbnb também cresceu significativamente, passando de 2,3% para 9,9%.

Até 2016 a divisão de turistas por sexo era bastante equilibrada. Em 2017 e 2018 houve uma oscilação no perfil: em 2017 predominou o sexo feminino (60,6%) e em 2018 o público foi mais masculino (66,5%).

Pelo menos a metade dos turistas é da faixa etária de 31 a 40 anos e de 41 a 50 anos, comportamento que já apareceu nas temporadas anteriores. Chama atenção o aumento do público jovem (26 a 30 anos), de 12,3% para 16, 9%, e a queda do público mais velho (51 a 60 anos e acima dos 60), de 16,2% para 11,7% e de 9,7% para 5,5%, respectivamente. O perfil dos destinos fica evidente na distribuição do turista por faixa etária: enquanto São Francisco do Sul tem 34% do público a partir dos 51 anos, as praias de Porto Belo/Bombinhas e Garopaba atraiu percentual significativo de visitantes até 30 anos, representando 44% em cada.

Outra mudança nesta temporada foi no estado civil dos turistas.  Os casados ou em união estável representam mais da metade, embora neste ano tenha recuado de 59,8% para 55,4%; enquanto os solteiros avançaram de 30,8% para 37,9%. As duas cidades com o público mais jovem têm também o maior percentual de solteiros, representando cerca de metade do público.

Os dados são apurados com turistas e empresários desde 2013.  A coleta de dados da Pesquisa Turismo de Verão no Litoral Catarinense 2018 ocorreu nos meses de janeiro e fevereiro, com 407 turistas. A margem de erro foi de 5% e o nível de confiança de 95% para a amostra estadual, com entrevistas diretas. Os empresários foram abordados por entrevistas telefônicas e somaram 552, garantindo uma margem de erro de 4% e nível de confiança de 95% para a amostra estadual.

 

Fonte: Fecomércio 

Leia também: Informativo ABIH-SC

Nº de turistas estrangeiros em SC aumenta

Visitantes de outros países representaram quase 30% do total neste verão. Entre brasileiros, gaúchos são maioria.

Os turistas foram ouvidos para a pesquisa entre janeiro e fevereiro deste ano. O objetivo foi traçar o perfil dos visitantes desta temporada. A Fecomércio ouviu mais de 400 turistas e quase 600 empresários.

Números

Os argentinos continuam sendo a maioria entre os visitantes estrangeiros. Em 2017, eram 10% do total de turistas. Nesta última temporada, esse número chegou a 23,5%.

Entre os brasileiros, os gaúchos ainda são os que mais visitam o nosso litoral: são quase 30% do total de visitantes internos.

A pesquisa mostrou também o quanto os turistas gastaram em média: R$ 156. Esse montante representa R$ 20 a mais do que na temporada anterior.

“O turismo este ano foi um turismo de melhor qualidade dos nossos visitantes. Ascenderam as classes A e B em detrimento de uma redução de turistas na classe D. Então, foi relativamente bom o verão no nosso litoral catarinense”, afirmou o presidente da Fecomércio de Santa Catarina, Bruno Breithaupt.

 Fonte: G1