Posts

Costao do Santinho

Costão do Santinho Resort apresenta projeto de turismo de aventura e fomenta retomada do setor

Florianópolis (SC) – O Costão do Santinho Resort, que figura entre os principais resorts do país, e que em 2021 celebra 30 anos de excelência no mercado, apresenta um novo projeto aos consumidores: um projeto de soft adventure, para toda a família, oportunizando vivências com a natureza – tão necessárias em especial no momento pandêmico que o país enfrenta – bem como de resgate da cultura local com as vivências. O projeto foi desenvolvido para fomentar o mercado justamente no período de baixa temporada, com a chegada do frio, criando um novo destino em Santa Catarina para o período de maio a setembro.

“Todas as possibilidades presentes (dentro e fora do Costão -) nos mais de 700 mil m² de Mata Atlântica preservada e nos mais 250 mil m² de estrutura do Resort – uniram-se em um novo produto que vai levar quem tiver vontade de aventura para conhecer a adrenalina nas alturas das dunas e a emoção nas ondas do mar”, destaca Rubens Régis, Diretor Comercial do Costão do Santinho.

O projeto Costão Family Adventure foi integralmente desenvolvido pela equipe de entretenimento do resort, contemplando 23 atividades, todas com foco na vivência com a natureza. “Elaboramos um pacote especial, pensado exclusivamente para este momento de pandemia, com protocolos rígidos e voltado para o entretenimento. O adventure é para toda a família, sem restrições. Aqueles que não estão no clima de aventura ainda vão poder curtir muito o Costão, pois as demais atividades continuam. Seja para quem busca desfrutar a gastronomia do resort, espaços temáticos ou um momento relaxante no SPA ou à beira-mar”, explica Rubens.

Além de criar um novo destino, é um projeto de enfrentamento ao momento atual. “As famílias estão reclusas há mais de um ano, precisam usufruir de momentos de contemplação, de entretenimento, de lazer. E, para as famílias que estão vivendo em home office, o resort figura como uma grande oportunidade para mesclar trabalho e lazer, pois temos toda a infraestrutura para que as famílias possam continuar a desenvolver suas atividades e, também, aproveitar as comodidades”, ressalta a Mila Müller, Gerente de Marketing do hotel.

Para a implantação deste projeto, o Costão do Santinho Resort ampliou em 20% o time de entretenimento de aventura. Foram contratações específicas para o Family Adventure, que tem toda uma cadeia produtiva envolvida. A tecnologia também estará envolvida. O empreendimento desenvolveu um aplicativo no qual os hóspedes poderão interagir com as atividades.

“O Costão Family Adventure une uma seleção de atividades – para todos os gostos, idades e níveis de dificuldade – no Passaporte do Aventureiro, que vai ajudar os aventureiros a registrarem as experiências e mergulharem na cultura local, aprendendo mais sobre a terra e a vida através do contato com a natureza. Por meio de QR Codes oferecidos pela equipe de entretenimento do Costão, cada conquista é registrada, garantindo recompensas como o ‘Selo Sagrado’ que será reconhecido em cerimônia tematizada com o resgate histórico e cultural dos povos Sambaquis e os índios Carijós Tupis e Guaranis, presentes na história da local. É como um grande jogo que vai divertir, ensinar e encantar aqueles que se permitirem”, conta Mila.

Confira as atividades do Aventure Family:

– acampamento/kids

– arco e flecha

– arqueologia

– arvorismo

– bike

– caiaque

– caminhada ecológica

– escalada

– mergulho

– observação de aves

– orientação por bússolas e mapas

– palestra sobre arqueologia

– pesca

– sandboard

– skate

– skate simulador

– slackline

– snorkel

– stand up padle

– subsistência na mata

– surf

– tirolesa

– trilhas

Algumas atividades serão adaptadas em virtude de questões culturais, como, por exemplo, a pesca da tainha, preservando e divulgando a cultura local.

A proposta do resort também corrobora a tendência de crescimento do turismo de aventura. O ecoturismo dentro do país será uma tendência para 2021 depois de uma drástica mudança nos hábitos do turista, segundo uma pesquisa que monitorou o volume de buscas e de venda de passagens aéreas nacionais durante o ano passado e no começo deste ano. As viagens ecológicas se destacaram por ser uma alternativa mais segura aos brasileiros durante o período de pandemia.

De acordo com o levantamento da agência online de turismo ViajaNet, o Brasil é um dos principais países no ranking de ecoturismo, que atrai viajantes que buscam por dias de descanso longe de casa e com segurança. Desde outubro de 2020, a agência observou que as viagens mais rápidas, isoladas e ecológicas, dentro do país, têm sido algumas das grandes mudanças de rota dos brasileiros.

Fonte: Comex do Brasil

Câmara de turismo da Fecomércio SC

Câmara de Turismo da Fecomércio SC reúne trade para debater medidas do setor

Os principais atores do trade catarinense debateram a agenda política e econômica do setor durante a reunião da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio SC, realizada na terça-feira (6) a terceira edição em 2021.

Para fazer um retrato do setor em tempos de pandemia, a Fecomércio SC apresentou em primeira mão a Pesquisa Fecomércio SC de Turismo de Verão no Litoral Catarinense 2021, que traz perfil do turista que circulou no estado e as percepções dos empresários sobre o impacto da temporada nos empreendimentos dos setores de comércio, serviços e turismo. Os dados foram apurados em São Francisco do Sul, Balneário Camboriú, Florianópolis, Imbituba e Laguna nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro.

Leia a pesquisa na íntegra

O presidente da Câmara, Marco Aurélio Floriani, propôs a construção de um guia sobre a cadeia produtiva do turismo, com a participação de todos os atores, e destacou a atuação de diversos representantes do setor na elaboração dos decretos e portarias estaduais.

Auxílio ao setor de eventos

A Diretora de Assuntos Legais da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (ABRAPE), Eveline Orth, detalhou o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE), que foi aprovado no Senado no fim de março, mas retornou à Câmara dos Deputados para apreciação por conta de alterações no texto original do PL.

O objetivo do Perse é mitigar as perdas decorrentes da pandemia de Covid-19, disponibilizando diversas medidas de auxílio ao setor, tais como: possibilidade de renegociar dívidas, a contratação de operações de crédito com instituições financeiras públicas e privadas sem a observância de diversas condições legais, a redução a zero das alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins e da CSLL incidentes sobre o seu resultado, a prorrogação do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e o acesso ao Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac).

Pessoas jurídicas de todos os portes estão contempladas pelo PL, incluindo entidades sem fins lucrativos que são ligadas a eventos culturais, esportivos, sociais, corporativos, de lazer; Salas de Cinema; Estabelecimentos Hoteleiros e Serviços Turísticos.

Sinalização turística

Uma das bandeiras da Câmara Empresarial de Turismo e demanda recorrente das IGRs no programa Turismo em Movimento, a sinalização turística em Santa Catarina deve sair do papel em breve. Segundo a Santur, o governo investirá 7,1 milhões de reais para a implantação das placas em 13 regiões, em um projeto de cooperação técnica entre a agência e a secretaria de desenvolvimento. Na primeira etapa serão abarcadas cinco regiões: Caminho dos Canyons, Encantos do Sul, Caminhos do Contestado, Vale das Águas e Caminhos da Fronteira.

A Santur também apresentou o Programa Orla segura, que prevê medidas para tornar as praias mais acessíveis às pessoas com deficiência física, aquisição de equipamentos para balizamento e sinalização náutica em praias e lagoas e a proposta de criação de um novo espaço de pesca esportiva, mergulho  e pesquisas marinhas.

Fonte: Fecomércio

Pandemia afeta venda de chocolates, pescados e a hotelaria na Páscoa

Pandemia afeta venda de chocolates, pescados e a hotelaria na Páscoa

Com a pandemia de covid-19 forçando estados e municípios a adotarem medidas que limitam a circulação de pessoas e o funcionamento de estabelecimentos, comerciantes buscam formas de aproveitar a Semana Santa para incrementar as vendas e faturar.

Na tradição católica, a semana em que se celebra a Sexta-Feira Santa e a Páscoa exalta a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Em tempos normais, a data impulsiona não só as vendas do comércio – principalmente de pescados e de chocolates -, como também o turismo doméstico, já que a sexta-feira é feriado.

No entanto, pelo segundo ano consecutivo, a celebração ocorre em meio às restrições que afetam não só as cerimônias religiosas, como também as atividades comerciais. Para a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as vendas no varejo em geral devem ser 2,2% inferiores às de 2020, movimentando cerca de R$ 1,62 bilhão – o que, se confirmado, seria o pior resultado desde 2008.

Em nota, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, afirmou que a retração nas vendas deste ano se deve não só às restrições de funcionamento do comércio, mas também ao fato de que parte da população viu sua renda cair em um momento em que a desvalorização do real frente ao dólar encareceu a importação de alguns produtos típicos. Segundo a confederação, a quantidade de chocolates importada (2,9 mil toneladas) é a menor desde 2013. A de bacalhau (2,26 mil toneladas), a mais baixa desde 2009.

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), Ubiracy Fonsêca, os fabricantes de chocolate tiveram que levar em conta a perda de poder aquisitivo de parte dos consumidores para pensar suas estratégias de vendas, mas, ainda assim, o setor está otimista.

“A perda de poder aquisitivo é real. Há muita gente sem emprego, sem poder trabalhar. Tendo isso em vista, as fabricantes de chocolate procuraram oferecer produtos acessíveis à população. Quem não puder comprar um ovo de Páscoa, pode adquirir uma barra de chocolate. A estratégia do setor é oferecer o que o mercado quer”, disse Fonsêca à Agência Brasil.

A quatro dias do domingo de Páscoa, Fonsêca destacou que a indústria de chocolates previa criar, direta e indiretamente, 11.665 vagas de trabalho temporário e superar as 8,5 toneladas vendidas em 2020. Metas que, segundo ele, vão ser atingidas.

“Apesar das dificuldades, estamos otimistas. Até porque, cerca de 80% das vendas de ovos de Páscoa acontecem nos supermercados, que estão funcionando normalmente em quase todo o país. Além disso, muitos comerciantes se prepararam para atender aos consumidores pela internet”, comentou o presidente da Abicab, garantindo que as vendas online, que já vinham crescendo ano a ano, deram um salto após o início da pandemia.

O gerente de Marketing, Francisco Alves de Faria Neto, confirma a importância do comércio digital. Com duas lojas físicas no Distrito Federal e uma clientela estabelecida ao longo de 20 anos, a Casa do Chocolate expandiu suas vendas para outras unidades da Federação graças à tecnologia.

“Tivemos um aumento das vendas online de cerca de 70% em comparação à Páscoa do ano passado, quando lançamos o site, em meio à pandemia, que nos fez acelerar o processo”, comentou Neto, acrescentando que o comércio eletrônico já representa metade de todas as vendas da empresa.

De acordo com o gerente, também as vendas nas lojas físicas, autorizadas a funcionar por comercializarem alimentos, “vão indo bem”, embora chocolates mais caros, principalmente os importados, tenham vendido menos que o esperado. “Baixou muito o giro de vários dos itens importados que vendemos. Tanto que tivemos que colocar produtos em oferta para não perder mercadoria. Mas, em geral, vendemos muito bem nas últimas semanas.”

PESCADOS

Em Santos (SP), onde o funcionamento de boa parte do comércio e serviços está suspenso até o domingo (4), os comerciantes do tradicional Mercado de Peixes tiveram que se organizar para levar os produtos ainda frescos até a casa dos clientes, que passaram a fazer suas compras por telefone. Ainda assim, de acordo com Alex Vieira, dono de um dos 20 boxes em funcionamento no local, muitos viram as vendas caírem drasticamente.

“No nosso caso, as vendas caíram em torno de 60% a 70%”, afirmou Vieira, cuja família está no ramo há cerca de 40 anos. “Esta é uma situação totalmente nova para todo mundo, incluindo os clientes. Muitos, que comem peixe sempre e são nossos fregueses há tempos, nos telefonaram e anteciparam seus pedidos, mas há também aqueles que gostam de vir ao mercado, de ver o peixe, escolher. Desses, parte não compra sem olhar o produto, não tem uma relação de confiança já estabelecida”, acrescentou o comerciante santista.

O presidente da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR), Francisco Medeiros, destacou que o comércio de pescados comporta diferentes realidades. Segundo ele, para os produtores de peixes cultivados (piscicultores), cujos principais clientes são os supermercados (autorizados a funcionar mesmo onde o lockdown foi adotado), as boas expectativas já se concretizaram.

“Os supermercados não estão sofrendo grandes restrições. Pelo contrário. Estão vendendo muito bem. E, ao contrário da indústria pesqueira marítima, afetada pela pandemia, a piscicultura também não parou. Mantivemos a regularidade, entregando aos compradores as quantidades previamente estabelecidas em contratos e sem aumento nos preços”, comentou Medeiros, estimando que o segmento vendeu cerca de 100 mil toneladas ao longo do último mês.

“Mais uma vez, não voltamos a registrar uma explosão das vendas como as de 2018 e 2019, quando, em alguns locais, chegaram a crescer 300%. Isso não aconteceu, mas, neste ano, também não perdemos vendas. Ao contrário de 2020, quando aí sim, fomos afetados negativamente”, afirmou Medeiros.

HOTELARIA

Outro ramo de atividade que costuma aguardar pelo feriado de Páscoa, o setor hoteleiro é o mais afetado dos três. Segundo o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), Manoel Linhares, a taxa de ocupação dos hotéis de todo o país não deve chegar a 10%, agravando a crise decorrente da pandemia.Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional. 

“A hotelaria está preparada para receber os hóspedes, adotando todos os protocolos recomendados pelas autoridades sanitárias, mas com parques, restaurantes e outras atrações fechadas em quase todo o país. A situação está muito difícil. Só em São Paulo, 27 hotéis já fecharam as portas, demitiram funcionários e os responsáveis estão decidindo o que fazer com os imóveis”, disse Linhares. 

Para ele, o setor precisa urgentemente da promulgação de uma iniciativa semelhante à Medida Provisória 936, de abril de 2020, posteriormente transformada na Lei nº 14.020, que permitiu acordos de redução temporária de jornada de trabalho e salários ou a suspensão de contratos trabalhistas até 31 de dezembro do ano passado.

“Se algo assim não for feito, muitos outros hotéis terão que encerrar as atividades. Atualmente, a hotelaria não tem recursos nem para arcar com os salários e encargos dos cerca de 1,1 milhão de profissionais que emprega em todo o país”, disse o presidente da ABIH Nacional.

Ele pediu que o Poder Público promova campanhas para estimular os brasileiros a viajar pelo país depois que a pandemia estiver sob controle, e que governos estaduais e municipais ajudem o setor reduzindo impostos e taxas, mesmo que temporariamente, e renegociando tarifas de serviços essenciais. “Neste momento difícil, um desconto no IPTU [Imposto Predial e Territorial Urbano, cobrado pelas prefeituras] ou no ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, estadual] cobrado na conta de luz pode ajudar a manter negócios e preservar empregos”, concluiu.

Fonte: Agência Brasil

Senac Oportuniza: Imersão em Inovação

As inovações, tendências e oportunidades das áreas do comércio, turismo e tecnologia entram em pauta nos próximos eventos do Senac Corporativo Oportuniza. As conversas virtuais dentro da temática “Imersão em inovação” tem foco nas melhores práticas e vivências de especialistas nos respectivos segmentos.

A ideia é mostrar cases do mercado global e os diferenciais das Missões Técnicas Internacionais promovidas pelo Senac SC, entre elas, a Missão Orlando, Missão NY, Vale do Silício e Programa Executivo Ingolstadt.

“As missões serão apresentadas como oportunidades para vivenciar in loco todas essas informações e reconhecer possibilidades de inovação e melhoria em seus negócios”, explica Marcus Tutui, responsável técnico pelo Programa Senac Comércio e Parcerias Internacionais do Senac SC.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas separadamente, para cada evento, pelo link http://senac.sc/c7q16U.  As lives acontecem sempre às 19 horas na plataforma Zoom. Confira os detalhes de cada uma das conversas programadas para os dias 9 e 10 de março:

09/03 – O Comércio e os Mercados Internacionais

Neste cenário sem precedentes, é preciso observar as boas práticas de gestão de empresas que são líderes no mercado internacional. A proposta do evento online, mediado por Marcus Tutui do Senac SC, está em avaliar estes cases e reconhecer oportunidades para crescer.

Para isso, a conversa ao vivo contará com nomes como Paulo Mauro (CEO Global Franchise e ex-Diretor ABF – Associação Brasileira de Franchising), André Leal (Coordenador do Select USA do Consulado Norte-Americano) e Ronald Nossig (Co-fundador do OasisLab e vice-presidente de parcerias e novos negócios da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo).

10/03 – Missão Orlando

Orlando, nos Estados Unidos, conquistou, nos últimos anos, a chancela de referência mundial em turismo. O evento com temática da Missão Orlando, do Senac SC, vai mostrar o modelo de gestão adotado pela cidade, que compartilha decisões estratégicas entre empresários, poder público e comunidade para garantir novos negócios no ecossistema turístico.

Com mediação de Luis Fernando Albalustro, gestor do Observatório do Turismo SC, a live terá a participação de Patrick Yvars (VisitOrlando), Gisele Canova (da Rosen College Of Hospitality Management – University Of Central Florida) e Alfredo Khun (Parque Unipraias Balneário Camboriú).

 Senac Corporativo Oportuniza – Imersão em Inovação

Datas:  9 e 10 de março

Horário: a partir das 19 horas

Local: Plataforma Zoom Quanto: gratuito, mediante inscrição no site  http://senac.sc/c7q16U

abih sc HÁBITOS DE TURISTAS

Hábitos de turistas em SC serão tema de estudo da Santur e Fapesc

O turismo, que é uma das principais atividades econômicas de Santa Catarina e antes da pandemia representava mais de 12% da economia do estado, será tema de amplo estudo. A iniciativa é da Santur, agência de promoção turística do Estado, e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado (Fapesc). Será lançado edital de R$ 725 mil voltado a professores doutores que atuam nas áreas da ciência.

Entre os objetivos do estudo estão traçar perfil de fluxo de visitantes em diversas épocas do ano, qualificar e quantificar o turismo. Apontar hábitos de viagem de catarinenses e visitantes, identificar a percepção de serviços oferecidos e infraestrutura turística, informa a Fapesc.

De acordo com o presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, o objetivo é consolidar a central de inteligência no turismo. Essa pesquisa será desenvolvida em 12 meses e representará um salto na qualidade de dados em SC. 

O setor turístico movimenta mais de 50 atividades econômicas e é um dos principais dinamizadores da economia do Estado, especialmente no verão. 

Fonte: NSC

ABIHSC Rui Schurmann

Conheça Rui Schurmann – O novo timoneiro da ABIH-SC

Ele é um empresário catarinense bem sucedido que comanda o Grupo Vila do Farol que consiste em uma construtora e incorporadora e quatro empreendimentos hoteleiros. O executivo tomou posse no início desse ano como o novo Presidente da ABIH/SC – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina. Ele já participava ativamente na diretoria de Osmar Vailatti na qual o sucedeu, agora tem o objetivo de dar continuidade ao trabalho que estava sendo realizado, assim como modernizar a entidade.

Nessa entrevista exclusiva Rui Eduardo fala dos desafios no comando de um das mais representativas entidades da hotelaria nacional, os impactos da pandemia da COVID-19, a alta temporada do verão bastante comprometida, com redução de mais de 50% na ocupação, como será a retomada do setor e o fato de que os recursos liberados pelo Governo Federal para auxiliar o setor, não chegaram.

As lições que os hoteleiros podem tirar da pandemia da COVID-19, os preparativos para a realização do ENCATHO/EXPROTEL em agosto, perpectivas para a hotelaria nos próximos anos também são abordadas por Rui Eduardo nessa entrevista que ele conclui dizendo: “Aquela ideia romântica de que a pessoa vai se aposentar, montar uma pousada na praia e viver de comer peixe e receber alguns amigos felizmente está acabando. Hoje a hotelaria é um negócio e tem que ser gerido como tal.

Confira a entrevista

Fonte: Revista Hoteis

Anfer Design associado ABIHSC

Anfer Design – Uma coleção linda esperando por você!

Você já viu as novas opções de Florais no site da Anfer Design? Não perca tempo, está incrível! São mais de 2.000 opções entre Quadros, Telas e Espelhos e infinitas possibilidades de customização.

E quando falamos em customização, estamos falando de:

  • Tamanhos especiais
  • Propostas (temas)
  • Quadro ou Canvas
  • Troca de molduras

Não há projeto que não possa ser decorado com lindos Quadros, Telas ou Espelhos, tudo desenvolvido por uma equipe de designers e projetistas em conjunto com o desejo do cliente.

Par de Quadros Floral – AD6543
2 Partes de 70x100cm – 140X100
Tela Floral Emoldurada – AD6560 (Canvas)
Medida Externa de 63x93cm

Envio para todo Brasil e com toda assessoria logística.
Frete CIF para os Estados de SC, RS, PR, SP, MG e RJ.

Consulte as políticas comerciais para o seu Estado.

Gostou? Entre em contato com o departamento comercial da Anfer Design!

Gillieni Pichler 
Departamento Comercial
vendas01@anferdesign.com.br
www.anferdesign.com.br
48 3651 1750 / 48 99147 3440

Leia também: ABIH’S unem forças em prol do Amazonas

Informativo ABIHSC

Informativo ABIH-SC 22 de janeiro

No informativo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina -ABIH-SC – você vai ver:

ABIH’S unem forças em prol do Amazonas;-Bradesco – Plano de Saúde;-Sócio colaborador – Ecoflex;-Revista ABIH-SC;-Está no ar a segunda edição do Boletim Almanach – Dados do Verão;-10 Edição do Trofeu Fornecedor da Hotelaria 2020;-Mtur Ultrapassa marca de 26 mil selos “Turismo Responsável” emitidos no país;-Associados ABIH-SC.

Leia o informativo completo AQUI!

Gostou? Leia também: ABIH’S unem forças em prol do Amazonas

Selo do turismo

MTur ultrapassa marca de 26 mil selos “Turismo Responsável” emitidos no país

Iniciativa do Ministério do Turismo busca trazer segurança ao retorno seguro das atividades turísticas no país.

Na segunda-feira (18.01), o Ministério do Turismo ultrapassou a marca de 26 mil selos “Turismo Responsável, Limpo e Seguro” emitidos a atividades turísticas em todo o país. Ao todo, já são 26.012 selos.

Trata-se de uma sinalização visual que identifica estabelecimentos e guias de turismo que assumiram, declaradamente, o compromisso em adotar protocolos de biossegurança para proteger turistas e trabalhadores contra a Covid-19. E, desta forma, possibilitar que a retomada das atividades turísticas ocorra de forma mais segura no Brasil.

O selo está disponível para 15 atividades turísticas, como meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, centros de convenções, feiras, exposições, guias de turismo, dentre outros. Cada segmento possui um protocolo sanitário específico, elaborado em parceria com empresas e instituições ligadas ao setor (trade), a partir de diretrizes internacionais. Também há um protocolo destinado exclusivamente aos turistas, com atitudes de cada um que protegem a todos. Os documentos foram validados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Para conhecer os protocolos clique AQUI.

Os segmentos com maior número de adesão ao selo são: agências de turismo (7.971), meios de hospedagem (5.817), guias de turismo (3.747), transportadoras turísticas (3.356) e restaurantes, cafeterias, bares e similares (1.746). Já os estados que registraram a maior adesão à iniciativa são: São Paulo (5.045), Rio de Janeiro (3.910), Minas Gerais (2.232), Bahia (1.918) e Rio Grande do Sul (1.906). Para ver a lista completa acesse AQUI.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França, lembra que o Brasil foi um dos 10 primeiros países o mundo a lançar protocolos de biossegurança para o setor de turismo. “A adesão ao selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro mostra o compromisso cada vez maior do setor de turismo brasileiro em se adequar à esta nova realidade que exige medidas de segurança e proteção contra a Covid-19”, acrescenta França.

ADESÃO – O interessado em solicitar o selo precisa, primeiro, estar com a situação regular no Cadastur, que é o cadastro de prestadores de serviços turísticos. O cadastro é rápido, gratuito e pode ser feito online, clicando AQUI. Na sequência, é preciso acessar o site do Selo Turismo Responsável, ler as orientações e declarar atender aos pré-requisitos determinados. Após estes passos, o interessado é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

O selo deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente. O estabelecimento pode disponibilizar um QR Code juntamente com o selo pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional. Caso o turista verifique a ausência da adoção aos protocolos de biossegurança pode entrar em contato com o Disque Saúde pelo telefone 136 ou acionar os órgãos municipais de fiscalização sanitária.

Fonte: Mtur

Viaje+Seguro SC

Selo de turismo responsável Viaje+Seguro SC tem mais de 300 estabelecimentos certificados

O turismo foi um dos setores mais impactados pelas restrições impostas pela Covid-19, e as adaptações foram cruciais para a continuidade das atividades. Em Santa Catarina, o programa Viaje+Seguro SC, da Agência de Desenvolvimento do Turismo (Santur), é uma das iniciativas que reforçam aos turistas que viajar é possível, desde que regras e cuidados sejam seguidos. Desde o lançamento do selo, no final de setembro, mais de 300 empreendimentos já aderiram à certificação, em uma demonstração da união de esforços entre o setor público e privado.

A maior parte dos estabelecimentos certificados está no setor de hospedagem, com destaque para as regiões da Costa Verde & Mar, Encantos do Sul e Grande Florianópolis. Juntas, essas áreas do litoral de Santa Catarina somam 205 adesões, o que corresponde a aproximadamente 75% dos certificados. Em dezembro, foram 155 novos cadastros, o maior número desde o lançamento – 139 só do setor de hospedagem.“A certificação é uma forma de mostrar aos turistas a cooperação entre Estado e iniciativa privada para tornar possível a continuidade do turismo. A sobrevivência do setor depende do compromisso com a saúde das pessoas, assim como um comportamento responsável dos turistas”, enfatiza o presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari.

Além do Viaje+Seguro SC, a Santur também emite o Safe Travels, do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (World Travel & Tourism Council – WTTC).

Novos desafios, novos comportamentos

Assim que as primeiras medidas para conter a disseminação do novo coronavírus foram anunciadas no Estado, o Marambaia Hotel e Convenções, em Balneário Camboriú, começou a rever e adaptar as rotinas de trabalho. O empreendimento é um dos certificados pelo selo Viaje+Seguro SC.

Segundo a gerente-geral do Marambaia, Sheila Petri, o período em que o hotel ficou com portas fechadas foi aproveitado para capacitar as equipes para o momento inédito pelo qual passou o turismo.

O treinamento dos colaboradores para os novos padrões de higienização dos ambientes foi o primeiro passo. Em seguida, outras adaptações foram necessárias para reduzir os riscos de contágio do novo coronavírus, conforme recomendações das autoridades sanitárias. O salão de café da manhã, por exemplo, teve a capacidade de ocupação reduzida, as mesas foram montadas com distanciamento de 1,5 metro e o acesso ao buffet só é permitido com o uso de luvas e máscaras.

viajeseguro sc

Colaboradores do Hotel Marambaia passaram por treinamento. Foto: Cristiano Estrela / Secom

>>>Veja a galeria de fotos

>>> Confira aqui o vídeo sobre o programa Viaje+Seguro SC

A nova rotina também alcançou o preparo dos quartos para poder receber os hóspedes com segurança. “Utilizamos produtos de limpeza à base de peróxido de hidrogênio, que têm eficácia de desinfecção hospitalar. Os quartos também passam por uma esterilização após o check out com a máquina de ozônio, seguindo o protocolo de 20 minutos” explica Sheila Petri.

A supervisora comercial do Marambaia, Daniela Argenta, acrescenta que o hotel ainda foi equipado com tapetes sanitizantes nas entradas e foram disponibilizados frascos de álcool gel em todos os setores para uso de hóspedes, fornecedores e colaboradores. “Além da obrigatoriedade do uso de máscara nas áreas internas, todos passam por aferição de temperatura”, destaca.

O mesmo cuidado foi destinado às áreas de lazer. As jacuzzis foram fechadas, as toalhas de praia ficaram de uso exclusivo para piscina e cartazes foram colocados nas áreas comuns, lembrando aos hóspedes de que todos precisam estar atentos aos cuidados.

Segurança para clientes e colaboradores

Na hotelaria, outra referência na adoção de medidas para prevenção da Covid-19 é o Costão do Santinho Resort, em Florianópolis, local também certificado com os selos Viaje+Seguro SC e Safe Travels.

“Na recepção, o hóspede atravessa um túnel de ozônio que elimina cerca de 99,9% dos vírus e bactérias, seguido da aferição de temperatura e utilização do álcool em gel que está espalhado por todo o empreendimento. No atendimento é respeitado o distanciamento recomendado e o transporte interno teve a capacidade reduzida a 50%, para assegurar o espaçamento entre os clientes”, explica o gerente de operações do empreendimento, Junior Teixeira.

Além dos cuidados nas áreas comuns, os protocolos de higienização dos apartamentos, que já existiam antes da pandemia, foram ajustados conforme as regras sanitárias em vigor, tanto no uso de produtos, como no treinamento periódico das equipes que realizam esta tarefa. No caso do Costão do Santinho, pessoas diferentes atuam para retirar o enxoval usado e a limpeza e arrumação para a próxima ocupação. Um lacre na fechadura do quarto garante que o local só será aberto pelo novo hóspede.

“Em relação à segurança dos colaboradores, passamos a adotar novos equipamentos de proteção individual e o uso de produtos muito específicos para desinfecção desses locais. O enxoval é embalado em ambiente estéril por uma equipe exclusiva. Também retiramos dos quartos o máximo de itens, buscando reduzir ainda mais a possibilidade de contaminação”, acrescenta Aurelice da Silva Santos, coordenadora de governança no Costão do Santinho.

Embora reconheça que o novo momento representa um grande desafio, Junior Teixeira afirma que colaboradores e hóspedes compreendem que o combate à Covid-19 é uma responsabilidade coletiva e que requer atenção permanente.

“Foi difícil no começo por serem processos completamente inéditos. Mas, nos esforçamos e criamos um manual para conscientizar nossos colaboradores sobre a importância dos cuidados e, mais que isso, sobre a necessidade de olharmos por si e pelo próximo”, conclui.

Fonte: Santur