Posts

https://ndmais.com.br/economia-sc/empresarios-de-turismo-e-eventos-preveem-crescimento-com-a-retomada-das-atividades-em-sc/

Empresários de turismo e eventos preveem crescimento com a retomada das atividades em SC

Em 2019, a economia brasileira e a catarinense avançavam a passos largos. O PIB (Produto Interno Bruto) fechou o ano com 1,1% de crescimento em relação a 2018 no país. Santa Catarina alcançou um PIB de R$ 323,26 bilhões em 2019, o sexto maior valor no Brasil. A variação em volume foi de 3,8%, representando o terceiro maior crescimento entre todos os Estados.Em março de 2020,  a pandemia de Covid-19 pegou a todos de surpresa. Com a ameaça e os riscos de exposição ao coronavírus, a economia, que crescia de forma significativa no Estado, parou – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/NDEm março de 2020,  a pandemia de Covid-19 pegou a todos de surpresa. Com a ameaça e os riscos de exposição ao coronavírus, a economia, que crescia de forma significativa no Estado, parou – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Com praias de tirar o fôlego, paisagens exuberantes e as mais variadas opções para os diferentes setores turísticos, como o de aventura, religioso, de eventos, corporativo, entre outros, a expectativa era de um salto no desenvolvimento econômico crescente nos anos seguintes.

Em março de 2020, no entanto, a pandemia de Covid-19 pegou a todos de surpresa. Com a ameaça e os riscos de exposição ao coronavírus, tudo parou. Os eventos foram paralisados por decreto estadual, o turismo também. Repentinamente, os planos, tão seguros quanto a atividade era considerada pelos visitantes no Estado, viraram incertezas e prejuízos enormes a serem contornados.

Os desafios impostos pela chegada do novo vírus mudaram, então, as relações pessoais, profissionais e transformaram os negócios em todos os segmentos econômicos nacionais e mundiais. Nos micro e pequenos negócios, esse impacto foi sentido de forma ainda mais acentuada, especialmente para quem dependia justamente dos encontros, reuniões presenciais para atuar.

“Foi um período muito difícil, principalmente no início da pandemia, quando houve o lockdown. Os hotéis foram muito afetados, porque ao contrário das lojas, do comércio, que tiveram uma saída e viram um salto gigantesco no ecommerce, a hotelaria necessita que o hóspede esteja dentro da nossa casa. Então, muitas vezes, chegou a ser desesperador. Nós, empresários do setor, conversávamos por grupos e nos encontrávamos sem reação, sem saber pra onde correr. Mais tarde as coisas se acalmaram e alguns segmentos tiveram uma reação mais rápida, como os hotéis fazenda, por exemplo, que foram muito procurados como um refúgio, como ambientes de isolamento. Depois os hotéis de praia também tiveram um retorno nesse sentido e proporcionar um alivio, principalmente para as crianças, que não aguentavam mais ficar em casa. Quem enfrentou e ainda enfrenta mais dificuldades é o turismo de negócios”, explica Rui Schürmann, diretor presidente da ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina).Setor hoteleiro foi um dos mais afetados pela pandemia e agora espera recuperar perdas na temporada, explica Rui Schürmann, diretor presidente da ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina) – Foto: Reprodução/NDTVSetor hoteleiro foi um dos mais afetados pela pandemia e agora espera recuperar perdas na temporada, explica Rui Schürmann, diretor presidente da ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina) – Foto: Reprodução/NDTV

Schürmann ressalta que alguns hotéis chegaram a demitir 80% do seu quadro. “Isso é muito triste, pois muitos estabelecimentos têm uma relação muito forte, de 20, 30 anos com seus funcionários, são praticamente da família”, afirma.

O dirigente conta que, aos poucos, com o avanço na vacinação, as atividades passaram a ser retomadas e que o momento agora é de esperança e muita expectativa para os próximos meses.

“Tivemos que tomar medidas mais fortes no início, para poder retomar as atividades depois. Quem não demitiu, não tomou providências rapidamente, ficou esperando a economia se recuperar em dois, três meses, fechou as portas, quebrou. Agora, felizmente, com o avanço na vacinação, o quadro é outro, há uma tranquilidade, com as UTIs (unidades de terapia intensiva) e equipes de saúde mais liberadas, e a expectativa é de uma forte temporada. Teremos um ótimo verão pela frente. Os feriados, que tiveram uma forte ocupação, já foram uma amostra, o último foi muito bom”, comenta.

Preparação para a temporada

No Hotel Faial, de Florianópolis, 2020 também foi um período de muitas dificuldades e o ano de 2021 foi um período de superações e expectativas positivas para o futuro. Adriano Palma Silva, CEO do Hotel Faial, conta que o empreendimento tinha 72 funcionários em março de 2020. “Com o fechamento das atividades, logo no início da pandemia, fizemos várias demissões e chegamos a ficar com dez trabalhadores. Chegamos a retomar as contratações, mas então tivemos um lockdown e paralisamos tudo novamente. Agora vivemos um período de esperança com essa nova procura registrada para a temporada, que deverá ser histórica na cidade”, explica.Hotel Faial, em Florianópolis, se preparou para uma temporada acima da média nesse verão – Foto: Reprodução/NDTVHotel Faial, em Florianópolis, se preparou para uma temporada acima da média nesse verão – Foto: Reprodução/NDTV

Silva reforça que o hotel está preparado para a temporada desse ano. “A equipe está completa para o verão, estamos preparados para uma temporada como foi a de 2019, que foi muito boa, para cima. A procura está cerca de 30 a 40% maior que antes, então, com o alto percentual de vacinação na Capital, por exemplo, a previsão é de que tenhamos um verão acima da média”, afirma.

Retomada no setor de entretenimento

Outro segmento duramente atingido pela pandemia foi o de entretenimento.  Logo no primeiro mês de pandemia, em abril de 2020, uma pesquisa realizada pelo Sebrae, em parceria com a Abeoc (Associação Brasileira de Empresas de Eventos) e a Ubrafe (União dos Promotores de Feiras), mostrou que 98% das empresas de eventos foram impactadas pelas restrições sociais e sanitárias. O faturamento de algumas delas, aponta o levantamento, diminuiu em até 100% em relação a abril de 2019.

Grande parte destas empresas ainda não se recuperou ou fechou as portas. Quem conseguiu manter as operações teve que se reiventar, diz Romeu Pompilio, vice-presidente da Anpe (Associação dos Produtores de Entretenimento).

“O primeiro setor que parou foi o entretenimento. Fizemos vários apelos para o governo pedindo para que a atividade retornasse de maneira segura e as coisas foram ocorrendo gradativamente. Mas o fato é que, com o lockdown, tivemos que parar, isso aumentou o desemprego, o empresário ficou na incerteza, sem saber quando as atividades seriam retomadas. Infelizmente, hoje, quase 40% dos empreendedores que tinham bares e casas noturnas não vão retornar porque quebraram. Isso impacta num dano muito grande para o empresário e toda a cadeia no Estado”, avalia.Profissionais e empresários do setor de eventos também estão otimistas com retorno das atividades – Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom/ Divulgação/NDProfissionais e empresários do setor de eventos também estão otimistas com retorno das atividades – Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom/ Divulgação/ND

O avanço na vacinação, no entanto, mudou todo esse quadro e as perspectivas são de incremento na área, especialmente a partir de janeiro, antecipa Pompilio.

“Agora enxergamos um cenário muito melhor já em janeiro. Com a maioria da população em Florianópolis e no Estado já completamente imunizada, acreditamos que essa é a hora do setor ter as atividades liberadas e retomarmos o crescimento. Agora vivemos uma euforia por parte dos empresários, que estão planejando eventos de fim de ano, Carnaval, que querem voltar a trabalhar, isso aquece o setor e a economia do município, do estado e do país. Por isso, fazemos um apelo para que todos se vacinem e tomem as doses de reforço, para que o cenário melhore para todos, cada vez mais”, finaliza o dirigente.

Crédito para impulsionar as micro e pequenas empresas

Muitos dos empresários destes segmentos atingidos em cheio pela pandemia encontraram uma saída para se manter de portas abertas nas linhas de crédito. Em Santa Catarina, desde julho agosto deste ano, o programa SC Mais Renda Empresarial oferece operações de crédito para micro e pequenos empreendedores e MEIS (microempreendedores individuais).

Criado justamente para atender empresários afetados pela pandemia de Covid-19, o programa oferece linhas de crédito para os micro e pequenos empresários de até R$ 100 mil com juros subsidiados integralmente pelo Governo do Estado para aqueles que estiverem adimplentes, com carência de até 12 meses e 36 meses para amortização.

Para os MEIs, o valor para financiamento é de até R$ 10 mil, tendo 6 meses de carência e 12 meses de amortização. Os empréstimos são viabilizados pelo BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) e pelo Badesc – Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina -, com o apoio de cooperativas de crédito conveniadas.Marcelo Haendchen Dutra, vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE destaca que a iniciativa é inédita no Estado Foto: Reprodução/NDTVMarcelo Haendchen Dutra, vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE destaca que a iniciativa é inédita no Estado Foto: Reprodução/NDTV

Segundo Marcelo Haendchen Dutra, vice-presidente e diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE, a iniciativa é inédita no Estado.

“O programa concede um grande diferencial de o empresário poder receber um recurso, num período difícil, quando talvez nem faturamento ele tivesse, e poder pagar mais adiante. O micro e pequeno empreendedor vai ficar um ano praticamente sem efetuar pagamentos e somente depois deste período ele vai devolver esse montante, ao longo dos três anos subsequentes, no exato valor que ele pegou emprestado. Na prática é juro zero! Este subsídio concedido pelo Governo do Estado, através da sensibilidade do governador Carlos Moisés, é uma conquista importante para os setores mais atingidos pela pandemia.”, explica.

Mais de R$ 200 milhões financiados

O diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, acrescenta que a iniciativa foi idealizada como um plano de governo. “Esse programa tem um grande alcance social. Santa Catarina, assim como o mundo todo, também sofreu as consequências da Covid-19, isso trouxe uma instabilidade econômica e financeira para essas micro e pequenas empresas e para os microempreendedores individuais. E o governo de Santa Catarina, sensível a essa questão, buscou junto aos seus parceiros, O BRDE e o Badesc, a condição de atendermos esses empresários e essas pessoas atingidas fortemente”, ressalta.

Até o momento, de acordo com Pinho Moreira, já foram financiados mais de R$ 200 milhões e firmados mais de 3.560 contratos para micro e pequenos empresários e MEIs. “Por isso registramos uma procura imensa pela iniciativa, por meio das cooperativas de crédito parceiras, mais de 70% do território catarinense foi atendido por esse grande programa social de geração de empregos”, reforça.O diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, ressalta o grande alcance social da iniciativa e diz que a ação  foi idealizada como um plano de governo -Foto: Reprodução/NDTVO diretor financeiro do BRDE, Eduardo Pinho Moreira, ressalta o grande alcance social da iniciativa e diz que a ação  foi idealizada como um plano de governo -Foto: Reprodução/NDTV

Podem solicitar o empréstimo MPEs, até o dia 31 de dezembro deste ano, MPEs com faturamento bruto de até R$ 4,8 milhões por ano e é necessário que a atividade principal ou secundária seja nos setores de turismo, bares, restaurantes, eventos, educação, transportes, salões de beleza e estética, comércio varejista e atacadista, atividades de contabilidade, artigos de vestuário e confecções de vestuário.

Além do pagamento das parcelas em dia para ter direito aos juros subsidiados, os micro e pequenos empreendedores beneficiados devem manter quadro de funcionários compatível com a realização da sua atividade econômica, mantendo, no mínimo, o mesmo quadro de funcionários pelo período da carência concedida.

Além da geração de renda e desenvolvimento dos negócios, desde o início do programa, o SC Mais Renda Empresarial ajudou a manter mais de 12,5 mil empregos em diversos setores da economia do Estado.

Fonte: ND+

Santur investe em plano de desenvolvimento do turismo para a Grande Florianópolis

Santur investe em plano de desenvolvimento do turismo para a Grande Florianópolis

Oito municípios catarinenses participaram da assinatura do acordo de cooperação técnica entre a Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Santa Catarina, nesta quarta-feira (8). O objetivo é elaborar um plano de desenvolvimento integrado do turismo sustentável para as cidades de Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, Angelina, Anitápolis, São Bonifácio, Rancho Queimado, São Pedro de Alcântara e Alfredo Wagner.

– É extremamente importante para o turismo de Santa Catarina. Vamos conseguir fazer um trabalho de turismo segmentado e estruturado para que cada município, com a sua potencialidade, possa ser evidenciado. Esse é o objetivo com essa parceria junto da Fazenda e do Sebrae – destacou o presidente da Santur, Renê Meneses.

Segundo Paulo Eli, o trabalho inclui a orientação para aprimoramento e diversificação da oferta turística, aumentando a visibilidade destas cidades, desenvolvendo ações para valorizar o ecoturismo, as águas termais, além do turismo religioso e da gastronomia.

– Queremos desenvolver os potenciais turísticos destes municípios, que já contam com diversos atrativos, mas que precisam do apoio do Estado para realizar as ações de forma integrada – destacou o secretário da SEF/SC, Paulo Eli.

Foto: Renan Koerich/ Santur 

O projeto é composto por três etapas, que incluem os planejamentos municipais, o plano integrado regional e a elaboração e uma marca turística.

– Para que esse planejamento turístico regional aconteça, é necessário desenvolver planos em cada uma das oito cidades, fazendo os levantamentos das suas potencialidades. O Sebrae/SC já tem conduzido trabalhos em todo o Estado e, agora, vai auxiliar no desenvolvimento deste projeto -, esclarece o analista do Sebrae/SC, Alan Claumann.

O prefeito de Alfredo Wagner, Gilmar Sani, agradeceu em nome dos outros prefeitos presentes o empenho do Governo do Estado em fomentar o turismo na região.

– Essa parceria é necessária. O Governo está dando o suporte para desenvolver nossos municípios e é isso que nós queremos, é o que o povo precisa”, disse.

Fonte: Santur

Informativo ABIH-SC

Informativo ABIH-SC 25 de novembro

No informativo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, você vai ver:

Workshop com o tema LGPD é postergado para março/2022;-BenLife4Guest – Garanta proteção para seu hóspede durante a temporada!! ;-Benefício para o associado ABIH-SC! Liberty Seguros;-ABIH-SC presente no Conotel 2021!;-Regularize seus débitos com o ECAD!;-Governo do Estado libera ocupação total de estádios e flexibiliza uso de máscaras em ambientes abertos;-MTur abre período para credenciamento de agências interessadas em receber turistas chineses;-Mogano Business Hotel;-Paraíso Palace Hotel.

Confira o informativo completo AQUI!

Rui Schurmann e Osmar Vailatti ABIH-SC

ABIH-SC presente no Conotel/Equipotel 2021

Estiveram presentes no 63º Congresso Nacional de Hotéis (Conotel), que acontece juntamente com a 58ª edição da Equipotel, o Diretor-presidente da ABIH-SC, Rui W. Schürmann e o Presidente do Conselho Deliberativo da ABIH-SC, Osmar J. Vailatti.

Organizado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), o Conotel é voltado para empreendedores, gestores e profissionais de hospitalidade e turismo e tem como foco estimular os debates institucionais e políticos entre as principais lideranças do setor, parlamentares e agentes econômicos, que discutiram maneiras de favorecer o ambiente de negócios no país.

No primeiro dia do congresso, a mesa de abertura reuniu o ministro do Turismo, Gílson Machado Neto, o deputado federal João Carlos Bacelar Batista, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, a senadora Soraya Thronicke e o presidente da ABIH/SP, Ricardo A. Roman Jr., que falaram sobre as ações, aprovações de leis e atualizações legislativas necessárias para estimular o setor de turismo brasileiro. O primeiro dia do congresso também incluiu as apresentações da Confederação Nacional do Comércio (CNC) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

No segundo dia, o destaque foi a presença de Vinícius Lummertz, secretário estadual de Turismo de São Paulo, que falou da parceria público-privada e seus benefícios. Durante o evento as colaboradoras da ABIH-SC, Juliana Bossi Castro e Josiane Castilhos estiveram presentes no evento prestigiando a feira de produtos e serviços e participando da 2ª reunião de executivas das ABIH’S.

Juliana Bossi Castro (ABIH-SC), Leonora Poltronieri (ABIH-ES), Glaucia Sangiovanni (ABIH-SP), Bianca Borges (ABIH NACIONAL) e Josiane Castilhos (ABIH-SC).

Encerrando o Conotel 2021, no dia 24, o painel financeiro, composto por representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco do Nordeste, do Banco do Brasil, da XP Investimentos e do Hotelinvest, discutiam as oportunidades do mercado para o setor.

O Conotel 2021 tem o apoio comercial da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Serviço Social do Comércio (Sesc), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Souza Cruz, CVC Corp, ABMotéis, RenTV, Saga Systems e Realgem’s, além do apoio institucional da Secretaria de Estado de Turismo de São Paulo.

ABIH Nacional

BenLife4Guest

BenLife4Guest – Garanta proteção para seu hóspede durante a temporada!

Com BenLife4Guest, seu hotel oferece uma assistência à saúde e a integridade de seus clientes, incluindo assistência 24h, garantindo proteção durante sua estadia e mais tranquilidade e segurança para o dia-a-dia de suas operações.

Um hotel proporciona experiências únicas para garantir a satisfação de quem se hospeda. Mas por melhor que seja sua estrutura ou o treinamento de sua equipe, seus clientes estão sujeitos a incidentes durante a hospedagem. Nessas horas, o importante é estar preparado para lidar e reverter dificuldades em amparo aos hóspedes.

Uma nova experiência para seu hotel transformar imprevistos em cuidado com a saúde e o bem-estar de seus hóspedes.


Mais vantagens para seu hotel

Contratação fácil, rápida e de baixo custo na estadia: A ativação é integrada ao sistema do hotel e efetivada no check-in, com cadastro simplificado e baixo impacto no valor final da hospedagem.

Reverta dificuldades em experiências positivas ao hóspede: É uma forma de seu hotel estar preparado para lidar com imprevistos e uma oportunidade de impactar na satisfação do hóspede até mesmo na hora da adversidade.

Proteção extra que supera as expectativas: O benefício vai além dos cuidados usuais com a saúde e a integridade do hóspede, garantindo ainda mais segurança a sua estadia.

A estrela que faltava para completar e destacar seu hotel: BenLife4Guest ajuda a diferenciar seu hotel no mercado, agregando um benefício que protege a saúde do hóspede e traz mais tranquilidade para a equipe e suas operações.

Confira qual é o plano ideal para seu hotel!!

Entre em contato agora mesmo!

BenLife4Guest é um diferencial para atrair e fidelizar seus hóspedes. Tire suas dúvidas e veja como oferecer esse benefício em seu hotel.

https://benlife4guest.com.br/

Florianópolis tem expectativa para verão parecido com o pré-pandemia

Florianópolis tem expectativa para verão parecido com o pré-pandemia

Cerca de 80% das vagas de hotéis já estão reservadas para as festas de final de ano. Um convite para praia aqui, um dia de sol por ali, o final do ano vem se aproximando e uma palavra começa a martelar na cabeça de quem gosta de aproveitar o calor: verão!

Principalmente depois de períodos difíceis por causa da pandemia. Agora com internações e óbitos pela Covid-19 em queda e o percentual da vacinação subindo, o setor de turismo começa a olhar para os meses mais quentes como uma boa oportunidade de retomada.Segundo o superintendente do Turismo de Florianópolis, Vinícius de Luca, haverá um grande movimento de turistas no verão e algumas datas têm servido de termômetro para medir a presença de visitantes na Capital.

“Os últimos feriados de setembro, outubro e novembro já demonstraram que o turista de lazer está retornando com força. Os números de ocupação hoteleira já são iguais aos registrados antes da pandemia nos hotéis de praia”.

A expectativa do superintendente bate com os números. De acordo com a Abih (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), a taxa de ocupação dos hotéis da Grande Florianópolis no Natal e Réveillon de 2019 foi de 80,68% e 90% respectivamente, já para esta temporada cerca de 80% das vagas já foram reservadas para as festas deste fim de ano.

“A busca hoje está mais concentrada até a primeira semana de janeiro, mas o brasileiro tem o hábito de marcar essas viagens em cima da hora, então acredito que teremos turistas no restante do verão também” disse o diretor regional da Abih-SC, Luciano Oliveira.

Como a busca é maior nas festas de fim de ano, a prefeitura está se mobilizando para chamar a atenção de quem escolher Floripa para passar a virada. Esse ano, apesar de não ter o palco com os shows, a cidade terá a volta da queima de fogos e Vinicius de Luca garante que “o show pirotécnico será especial”.Ele ainda adiantou que terá duas surpresas, uma delas relacionada à ponte Hercílio Luz, cartão postal onde costuma acontecer o show pirotécnico.

Perspectiva de melhora na contratação para a temporada

Todo esse movimento traz também uma outra perspectiva para quem trabalha no verão, que é a da oferta de empregos, principalmente no setor alimentício. Essa época do ano faz com que muitos bares e restaurantes busquem mais gente para atender à alta demanda.Praias da Capital devem receber grande número de turistas neste verão – Foto: Leo Munhoz/NDPraias da Capital devem receber grande número de turistas neste verão – Foto: Leo Munhoz/ND

Conforme a Abrasel-SC (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) o setor gerava, antes da pandemia, 25 mil empregos diretos em Florianópolis e chegou a ter apenas 60% de funcionários do pico da segunda onda do coronavírus.“Ainda não temos os dados porque os estabelecimentos estão começando a se planejar, mas já conseguimos ver uma procura grande e nesse período o número de empregados chega a triplicar”, conta o presidente da entidade em SC, Raphael Dabdab.

Não só em empregos diretos, mas a temporada que está para chegar pode ser uma oportunidade. Gregory Ferreira mora em Curitiba, mas há três anos vem para a ilha trabalhar como ambulante na praia de Canasvieiras. Com a presença maior de pessoas na areia, decidiu comprar o próprio carrinho de drinks.

“Temos acompanhado as vendas diárias e o consumidor vem disposto a aproveitar mais. Conforme a vacinação avança, eles vão se soltando mais”, conta.

E é a vacinação que tem gerado segurança para o turismo prosperar novamente. A secretaria de Saúde da Capital trata da imunização como principal caminho para uma abertura mais ampla e retorno à “normalidade”, tanto que a prefeitura pretende liberar o uso de máscaras (com a condição do governo federal e estadual) quando a cidade chegar a 80% das pessoas completamente imunizadas. Ontem o índice estava em 75,91%.

Caminho é longo para recuperar as perdas

Apesar de hoje o fim da pandemia estar um pouco mais visível, o setor do turismo ainda vê um longo caminho para “recuperar” as perdas. Ferreira, que hoje possui cinco funcionários para fazer os coquetéis e pretende dobrar para a temporada, conta que ainda assim não será fácil. “Provavelmente nós não vamos conseguir compensar esse ano com o que passou, vai levar um tempo”.

A Abrasel estima que o setor do turismo em Florianópolis precisará de dois a quatro anos para conseguir voltar a crescer. “Mesmo com a boa perspectiva do verão, muitos estabelecimentos podem não sobreviver. De cada 10 bares e restaurantes na Capital, três fecharam e cinco estão com dívidas”, completa Dabdab.

Foto: Leo Munhoz/ND

Fonte: ND+

Setor de Turismo deve contratar meio milhão de trabalhadores formais até fevereiro de 2022

Setor de Turismo deve contratar meio milhão de trabalhadores formais até fevereiro de 2022

Com o avanço da vacinação contra o coronavírus em todo o país, as atividades turísticas têm sido retomadas dia após dia. Como mostra do reaquecimento do setor, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta a contratação de 478,1 mil trabalhadores formais entre novembro de 2021 e fevereiro de 2022. Deste total, 81,7 mil atenderão a demanda da alta temporada, com vagas temporárias.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o número demonstra o impacto do setor no país e seu potencial de contribuição para recuperação econômica, a partir da geração de emprego e desenvolvimento. “Estamos vindo de um ano atípico, em que o nosso setor foi duramente impactado pela pandemia. Esse dado só confirma que temos potencial para gerar mais emprego e desenvolvimento, liderando a recuperação da economia do nosso país”, disse.

No último mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou um crescimento de 4,6% em agosto no Índice de Atividades Turísticas. O aumento na movimentação econômica do setor de turismo chegou a 49,1% no acumulado entre maio e agosto – o melhor resultado desde fevereiro de 2020.

Diante deste cenário, ainda segundo a CNC, a projeção é de que as atividades turísticas faturem R$ 171,9 bilhões ao longo da próxima alta temporada.

RECUPERAÇÃO 

Em 2020, diante da pandemia de Covid-19, o setor havia apresentado retração de 36% no volume de receitas. Já em relação às contratações, o saldo negativo chegou a 238,6 mil, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Neste ano, entre janeiro e setembro de 2021, as empresas do segmento já haviam registrado um saldo positivo de 167,53 mil postos formais.

Em relação às novas contratações para o período de alta temporada que se aproxima, o segmento de bares e restaurantes deve oferecer a maior parte das oportunidades. “Para a temporada iniciada este ano, o ramo deverá responder por 77,5% ou 63,4 mil vagas. Outro destaque é o segmento de hospedagem que, historicamente, oferece durante o período a quase totalidade (97,2%) das suas vagas temporárias ao longo de doze meses. Para a alta temporada 2021/2022, esse segmento deverá responder por 13,8% (11,2 mil) do total de empregos criados no turismo”, aponta economista da CNC responsável pela pesquisa, Fabio Bentes.

Os principais profissionais demandados devem ser recepcionistas (14,49 mil vagas); cozinheiros e auxiliares (8,09 mil); camareiros (7,30 mil); garçons e auxiliares (4,76 mil); e auxiliares de lavanderia (7,76 mil). Em relação aos estados que devem registrar o maior número de contratações estão: São Paulo (23,49 mil vagas), Rio de Janeiro (10,34 mil) e Minas Gerais (7,43 mil).

Para o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, “o início da primeira alta temporada após a adoção das medidas de flexibilização não apenas gera expectativas positivas, mas ajuda a definir o andamento da economia brasileira”.

Por Amanda Costa*

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

*Com informações da CNC

Fonte: Mtur

REUNIÃO-DA-DIRETORIA-EXECUTIVA-ABIHSC

Reunião da Diretoria Executiva ABIH-SC

Na manhã desta quinta-feira (04) aconteceu a tradicional reunião da Diretoria Executiva da ABIH-SC. A reunião foi presidida por Rui Eduardo W. Schurmann (Diretor-presidente), no formato digital, possibilitando a participação dos diretos regionais: Allan Edgard Kreutz (Caminhos da Fronteira), Ana Lizis Ghizoni de Macedo Wasserberg (Vale dos Imigrantes), Carlos Roberto Klaus (Grande Oeste).

Estiveram presentes também: Mariléia Folster (Conselheira), Silviane Schaffrath (Diretora de Marketing), Vania Monteiro (VM Comunicação – conteudista da 4ª edição da revista ABIH-SC), Juliana Bossi Castro (Comercial) e Josiane Castilhos (Administrativo).

Foi colocado em pauta a organização do evento Dia do Hoteleiro, que será realizado no Majestic Palace Hotel no dia 18/11, a 4ª edição da Revista ABIH-SC, orçamentos para o Encatho & Exprotel e Assuntos Gerais de Interesse da Associação.

A reunião do Conselho Deliberativo da entidade será realizada no dia 18 de novembro, antes de iniciar a programação do evento Dia do Hoteleiro.

O evento – Dia do Hoteleiro

No dia 18 de novembro, no Majestic Palace Hotel, em Florianópolis, a ABIH-SC, receberá empresários e fornecedores em uma programação que terá além de lançamentos nacionais de renomadas empresas do setor, Rodada de Negócios, palestras, apresentação de produtos e jantar comemorativo ao Dia do Hoteleiro.

Na oportunidade, os hoteleiros poderão fazer contato direto com fornecedores de diferentes segmentos, conhecer novas tecnologias, compreender novas estratégias de gestão, além de adquirir produtos com descontos e condições exclusivas.

Para os interessados em participar da programação, os ingressos para o evento estão sendo comercializados pela plataforma Sympla, sendo que, os associados da ABIH-SC têm acesso gratuito. As vagas são limitadas!

Serviço:

O que: Dia do Hoteleiro

Data: 18 de novembro

Onde: Majestic Palace Hotel

Informações: abih-sc.com.br | comercial@abih-sc.com.br | (48) 98843-7659

Inscrições: Sympla

ABIH Nacional celebra 85 anos

ABIH Nacional comemora 85 anos em sessão solene no Senado Federal

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH Nacional, celebra 85 anos de atuação no próximo dia 09 de novembro, com uma sessão solene no plenário do Senado Federal, em Brasília, que reunirá mais de 300 personalidade do setor hotelaria e turismo de todo país.

A solenidade faz parte das comemorações de aniversário da entidede e incluem o lançamento da edição especial do livro “ABIH Nacional: 85 anos” e do selo postal comemorativo da ABIH Nacional.

Para Manoel Linhares, presidente nacional da entidade, a intenção é marcar a importância e a representatividade do steror de hotéis, numa data em que, não por acaso, também se comemora o Dia do Hoteleiro.

“A história da ABIH Nacional é a história da hotelaria nacional e uma demonstração de como o trabalho coletivo e a união de um setor pode ajudá-lo a conquistar mais espaço no cenário econômico no país. Desde sua fundação, a meta sempre foi mostrar às autoridades a importância da hotelaria e do turismo e apresentar sugestões de medidas que pudessem estimular sua expansão”, afirmou Manoel Linhares..

Segundo o presidente da ABIH Nacional, o lançamento do livro e do selo posta e do carimbo comemorativo celebram o sucesso do associativismo na defesa das pautas relacionadas ao turismo e à hotelaria. “Nesses 85 anos, como está registrado no livro, nosso principal foco foi mostrar às autoridades o potencial do setor e apresentar as soluções para sua expansão. Sempre procuramos ressaltar que a hotelaria e o turismo geram emprego e renda por destinos espalhados por todas as regiões, estimulando o crescimento econômico, principalmente, em menores destinos. E essa história precisava ser registrada para que todos pudessem conhecer melhor nossa entidade e o setor de hotelaria brasileiro”, afirmou o presidente da ABIH Nacional.

Governo do Estado define projeto arquitetônico do PMI para o Complexo Turístico da Serra do Rio do Rastro

Governo do Estado define projeto arquitetônico do PMI para o Complexo Turístico da Serra do Rio do Rastro

Dentro da estrutura proposta, estão: mirante, bondinho, circuito de montain bike, ponte de vidro, lago cênico, pista de patinação interna, estação de ski, tirolesa, mirante panorâmico, quiosques, restaurantes, espaços para piquenique, SPA, heliponto e casas de campo. “A Santur e seus técnicos trabalharam em parceria com a SCPar para encontrarmos a melhor estrutura também dentro dos critérios turísticos. Um projeto como esse vai revolucionar a Serra”, destacou o presidente da Santur, Renê Meneses.

Estudo selecionado passou por análises criteriosas

As duas propostas finalistas passaram pela análise da Comissão de Avaliação e precisaram contemplar a construção de mirantes e estrutura de apoio ao visitante, como lojas, estacionamentos e restaurantes. Ainda dentro do projeto, apresentaram estudos de viabilidade técnica, operacional, econômica, financeira, ambiental e aspectos jurídicos para a estruturação do projeto de concessão do novo complexo turístico.

As propostas finalistas para a análise foram conhecidas no dia 11 de outubro, quando o prazo de envio das propostas foi encerrado. Além da vencedora, a proposta da empresa Volare também foi analisada pela Comissão.

“O avanço desse projeto significa a celeridade e a eficiência deste Governo, que fará entregas aos catarinenses. Em menos de 8 meses, lançamos o PMI, recebemos e selecionamos os estudos para realizar esse projeto que, há décadas, é aguardado pela região”, pontuou o secretário Executivo de PPPs da SCPar, Ramiro Zinder. 

Foto: Reprodução 

Os próximos passos

Com o estudo definido para o projeto, o processo de licitação do Complexo Turístico da Serra do Rio do Rastro avançará para uma consulta pública, em dezembro, com a região da Serra Catarinense, para uma discussão dos impactos e benefícios da obra. Em seguida, uma audiência pública será realizada em parceira com a prefeitura do município de Bom Jardim da Serra.

Avançada esta etapa, a licitação da obra e gestão do equipamento turístico será lançada para encontrar empresas interessadas no projeto. A expectativa é que a licitação seja publicada no começo de 2022.

O que é o PMI?

PMI – Procedimento de Manifestação de Interesse – é um instrumento previsto no Programa de Parcerias e Investimentos do Estado de Santa Catarina (PPI-SC) para viabilizar a cooperação com a iniciativa privada em projetos de interesse público.

Fonte: Santur