Posts

Ministério do turismo fará pesquisa com hotéis para formular soluções ao setor

 

Ainda nesta primeira semana de abril, o Ministério do Turismo irá iniciar uma pesquisa com os responsáveis pelos meios de hospedagem para identificar a percepção dos empresários desta parcela da indústria no País. O intuito é entender o segmento turístico para a formulação da políticas públicas voltadas para o setor, a partir da concepção das empesas sobre o desempenho da economia do turismo.

Os meios de hospedagem cadastrados junto à pasta receberão, por e-mail um questionário desenvolvido pela DEPES – Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas-, responsável pelo estudo. Batizada de Sondagem Empresarial, a pesquisa será realizada a cada três meses e aborda aspectos relacionados ao desempenho das empresas e dos destinos turísticos em que estão inseridas.

O Ministro do Turismo, Marx Beltrão declarou que o objetivo dessa pesquisa é ampliar os conhecimentos do ministério em relação ao desempenho das empresas e a importância do turismo para o setor econômico brasileiro. “O resultado será de extrema relevância para a formulação de políticas para o desenvolvimento e fortalecimento do turismo no nosso País”, explicou.

A ideia é expandir esse levantamento para os demais segmentos do turismo e possibilitar que os resultados obtidos sirvam para orientar, além do setor público, as próprias empresas que têm no turismo sua fonte de renda. Todas as informações coletadas são confidenciais e, portanto, não haverá divulgação das respostas individuais dos empreendimentos. Em caso de dúvidas, entre em contato com o Depes no e-mail pesquisa@turismo.gov.br

 

Fonte: Revista Hotéis

Leia também

Pesquisa sobre turismo no Litoral Catarinense mostra impactos da temporada para empresários

 

Os turistas desembolsaram em média R$ 4.130,90 na temporada, 33,9% a mais do que 2017 (R$3.085,26). O valor é calculado levando em conta a média de gastos por tipo, conforme relato dos turistas. Enquanto os gastos com lazer representaram aumento de 42,3% em relação ao ano anterior, as compras no comércio caíram 13,5%.

Para atender o aumento no fluxo de clientes, 39,4% dos estabelecimentos contrataram funcionários extras, especialmente bares e restaurantes e mercados e supermercados. A admissão foi maior no setor de hotelaria (63,2%).

Apesar da alta no ticket médio – valor médio que cada cliente gastou nas compras em um estabelecimento, exceto hotelaria- de R$ 135,28 para R$ 156,11, na percepção de mais da metade dos empresários o faturamento encolheu 8,1% em comparação a temporada passada. Já em relação ao outros meses, a avaliação é positiva (34,1%). Nas agências de viagens e operadores turísticos, que vendem de ingressos a pacotes completos de viagens, a alta chegou a 82,2%.

O gasto médio no setor de hotelaria foi de R$ 816,41, crescimento de 26% em relação ao ano anterior. Embora também tenha registrado retração (-0,8%), a queda desacelerou significativamente na comparação com 2017 (-12,5%). Na comparação com os outros meses, houve aumento de 68,3% no faturamento, puxado pelo aumento na média de permanência (5,8 dias) e taxa de ocupação (81,6%). A expansão no número de leitos (7,9%) também aponta mais otimismo e o início da recuperação do nível de investimentos do setor.

 

Fonte: Fecomércio 

Leia também

Convite para reunião de lançamento da 60º CONOTEL e EQUIPOTEL.

ABIH Nacional e Equipotel chegam a Florianópolis para divulgação do Conotel

Convite para reunião de lançamento da 60º CONOTEL e EQUIPOTEL.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC com o objetivo de colaborar e reforçar a importância do Conotel – Congresso Nacional de Hotéis –  um dos eventos mais renomados da hotelaria, realiza sexta-feira, dia 13 de abril, no Centro Sul – Centro de Eventos Florianópolis- às 15:00 a reunião de lançamento da sua 60ª edição, para o trade turístico de Florianópolis em parceria com ABIH Nacional e com a Equipotel. Terá a participação do presidente da ABIH Nacional, Manoel Cardoso Linhares, que tem percorrido diversos estados para destacar a importância e participação de todo trade turistico para fazer da hotelaria e do turismo um dos setores mais fortes da economia, além do anfitrião e presidente da ABIH-SC, Osmar José Vailatti.

Com o tema a Retomada do Crescimento Hoteleiro, o Conotel será realizado em Fortaleza, nos dias 16 a 18 de maio e visa promover o intercâmbio entre os setores ligados ao turismo brasileiro e se transformar no principal ponto de encontro entre empresas, que oferecem produtos e serviços relacionados à arte de receber bem, e proprietários de hotéis, motéis, pousadas, bares, restaurantes, e outros estabelecimentos, que buscam soluções para o primor na habilidade de gerir o seu negócio e acolher o seu cliente, conectando demandas e necessidades às melhores soluções.

“Essa divulgação é muito importante para mobilizar o setor. Eventos como o Conotel e a Equipotel Regional são fundamentais para os profissionais se atualizarem, conhecerem novas empresas e produtos, além entrarem em contato com outros empreendedores, ativando uma cadeia muito rica e produtiva de troca de informações”, comenta o presidente da ABIH Nacional, Manoel Cardoso Linhares.

Leia também

Nº de turistas estrangeiros em SC aumenta

Visitantes de outros países representaram quase 30% do total neste verão. Entre brasileiros, gaúchos são maioria.

Os turistas foram ouvidos para a pesquisa entre janeiro e fevereiro deste ano. O objetivo foi traçar o perfil dos visitantes desta temporada. A Fecomércio ouviu mais de 400 turistas e quase 600 empresários.

Números

Os argentinos continuam sendo a maioria entre os visitantes estrangeiros. Em 2017, eram 10% do total de turistas. Nesta última temporada, esse número chegou a 23,5%.

Entre os brasileiros, os gaúchos ainda são os que mais visitam o nosso litoral: são quase 30% do total de visitantes internos.

A pesquisa mostrou também o quanto os turistas gastaram em média: R$ 156. Esse montante representa R$ 20 a mais do que na temporada anterior.

“O turismo este ano foi um turismo de melhor qualidade dos nossos visitantes. Ascenderam as classes A e B em detrimento de uma redução de turistas na classe D. Então, foi relativamente bom o verão no nosso litoral catarinense”, afirmou o presidente da Fecomércio de Santa Catarina, Bruno Breithaupt.

 Fonte: G1
Reunião técnica avalia obras de acesso ao novo aeroporto de Florianópolis

Reunião técnica avalia obras de acesso ao novo aeroporto de Florianópolis

Reunião técnica avalia obras de acesso ao novo aeroporto de Florianópolis

Reunião técnica avalia obras de acesso ao novo aeroporto de Florianópolis

 

O conjunto de obras em execução no novo acesso ao Terminal Aeroportuário de Florianópolis, com investimentos previstos de R$ 229,1 milhões pelo Governo do Estado foi detalhado em uma reunião técnica com a participação do governador Eduardo Pinho Moreira, na tarde desta quarta-feira, 28, em Florianópolis. O avanço do cronograma, dividido em quatro lotes, foi apresentado pelo secretário de Estado de Infraestrutura, Paulo França, aos representantes de todos os órgãos envolvidos na execução da obra, entre eles, o as empresas construtoras e supervisoras, Fatma, IcmBio, Polícia Militar Rodoviária, Anac, SAC, e Presidência da República, por meio do setor que acompanha os projetos executados em parceria com a iniciativa privada, além do grupo suíço que vai construir o novo terminal em Florianópolis.

Eduardo Pinho Moreira enfatizou que o novo acesso do terminal aeroportuário de Florianópolis é uma das obras prioritárias do Governo. Moreira informou que os recursos para a conclusão do acesso virão do financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). Santa Catarina está autorizado a contratar R$ 723 milhões para executar investimentos estruturantes.

ACELERAR O RITMO
“Esta é uma obra fundamental para o desenvolvimento econômico e turístico do Estado, vamos acelerar o ritmo de trabalho para entregar o acesso pronto dentro do prazo previsto”. O Governo do Estado prevê que a obra esteja concluída em julho de 2019, quando a Floripa Airport também deverá ter finalizado o novo terminal. Tobias Markert, CEO da empresa afirmou que o prazo junto à Anac para a entrega da obra é outubro do ano que vem.

O governador Eduardo Pinho Moreira reforçou que a obra é uma prioridade de Santa Catarina, terá os recursos garantidos e respondeu que, se for necessário, o trabalho será realizado de forma ininterrupta. “Seremos rigorosos e vamos cumprir com o nosso compromisso”, garantiu Moreira.

LIBERAÇÃO DO PRIMEIRO TRECHO
Com 96% da obra executados, o Governo do Estado pretende liberar em breve o primeiro trecho do acesso ao Sul da Ilha, que vai do Rio Fazendinha à entrada do novo terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis.

Para concluir este trecho, faltam pintura das pistas, sinalização e acabamentos. Além de melhorar a mobilidade na região, a abertura do acesso vai facilitar o transporte de materiais para a construção do novo terminal do aeroporto.

A OBRA EM LOTES
Lote 01-A

Começa na interseção da SC-405 (Trevo da Seta) e vai até o acesso ao Bairro Carianos (Estádio da Ressacada). A obra avança no que se refere à pavimentação, ciclovias, calçadas e sinalização. Falta desapropriar alguns terrenos.

O lote 01-A está em plena execução: 90,10% da terraplenagem e 88,40% da pavimentação. Entre a nova ponte do Rio Tavares até a intercessão de acesso ao Bairro Carianos já foram concluídos os serviços referente à primeira camada de capa asfáltica. No momento, estão em execução os serviços de drenagem e as obras complementares.

Lote 01-B

O desafio final para a entrega completa da obra é o chamado Lote 01-B, que liga os dois trechos atualmente em execução, do Viaduto Carianos até o Rio Fazendinha. A obra está sendo licitada depois de receber a licença do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), com condicionantes apresentadas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

 

Fonte:FloripAmanhã

Município da Grande Florianópolis tem a segunda melhor água termal do mundo

Município da Grande Florianópolis tem a segunda melhor água termal do mundo

De acordo com um estudo realizado por médicos da cidade alemã Baden-Baden, as águas termais de Santo Amaro da Imperatriz, cidade da Grande Florianópolis com pouco mais de cinco mil habitantes, é considerada a segunda melhor do mundo, perdendo apenas para a localidade de Vichy, na França.

Como sai direto da fonte e recebe a influência de rochas, camadas subterrâneas e minerais diversos, a água brota da terra a uma temperatura de 39,8°C com um grande número de elementos químicos em sua composição como bicarbonatos, cloretos, brometos, sódio, cálcio e sulfato.

A temperatura alta e a radioatividade garantem bem-estar e benefícios à saúde. Especialistas garantem que estas fontes operam verdadeiros milagres para doenças de ossos, estresse e depressão. Em uma praça, de frente para o hotel, um fontanário é aberto para a população. Lá, as pessoas chegam a toda a hora para encher garrafas da água preciosa sem nenhum custo.

O limite é de 100 litros por família. Perto dali, há um parquinho para as crianças, toboáguas, churrasqueiras, mesas e bancos, tudo, rodeado por uma corrente de água (não termal) que servem como espaço público de lazer.

 

Fonte: Destino Florianópolis

Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização

Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização

 

Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização

Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização

A Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte convida para evento do Ministério do Turismo em que será abordado a “Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização”.

A apresentação será feita por representante do Ministério do Turismo no dia 03/04/2018 (terça-feira), às 15h, e terá a seguinte pauta:

1) Apresentação do Novo Cadastur e esclarecimento de eventuais perguntas/dúvidas;

2) Anúncio da implantação da fiscalização e o esforço da Operação Verão Legal que está percorrendo todas as capitais e fiscalizando os meios de hospedagem irregulares;

3) Apresentação do material promocional dos deveres de cada tipo de prestador de cadastro obrigatório;

4) Solicitação de apoio das entidades em sensibilizar o trade, pois essa ação é o início de um grande trabalho do MTur contra a informalidade do setor.

Mais informações e confirmações de presença através do e-mail cadastursc@sol.sc.gov.br ou pelos telefones (48) 3665-7422/ 7493.  

 

Leia também

Cruzeiro MSC Preziosa em Florianópolis

Florianópolis está mais próxima de entrar na rota dos cruzeiros

No último sábado, dia 24 de março, a capital catarinense recebeu o transatlântico MSC Preziosa da MSC Cruzeiros, que comporta 4.300 passageiros mais 1.300 tripulantes, para uma escala teste próxima ao Trapiche de Canasvieiras. Desde o ano passado, o prefeito Gean Loureiro vinha pleiteando em Brasília esse avanço para o turismo da capital catarinense, aguardado há anos pelo trade. A operação foi marcada pela tradicional cerimônia de troca de placas, que acontece sempre que um transatlântico atraca em um destino pela primeira vez.

A solenidade

Na solenidade, estiveram presentes o diretor geral da armadora, Adrian Ursilli, o governador do Estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, o deputado estadual, Luiz Fernando Cardoso “Vampiro”, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Francisval Dias Mendes, além do Capitão de Mar e Guerra da Capitania dos Portos, Emerson Gaio Roberto, dentre outros convidados.

“Esse é um momento histórico, marcante e repleto de expectativas. A escala teste é o primeiro passo para tornar realidade um desejo forte da sociedade e contou com o envolvimento de todos os setores, empresarial e público. Estamos mais próximos de possibilitar a chegada de visitantes pelo mar, o que significa mais investimento em nossa Ilha da Magia e uma economia mais fortalecida”, salienta Gean Loureiro.

MSC Cruzeiros nas próximas temporadas

Com a finalização desta operação e, após a análise da armadora e das autoridades competentes, o destino poderá se tornar mais uma escala oficial e inédita da MSC Cruzeiros nas próximas temporadas. “A escala teste na capital de Santa Catarina é um momento extremamente importante para nós. Estamos muito felizes e entusiasmados por sermos pioneiros em mais uma iniciativa nacional. Para a próxima temporada, confirmamos Itajaí (SC) como mais um porto de embarque e estamos bastante confiantes de que Florianópolis será a nossa próxima novidade”, destaca Adrian Ursilli, diretor geral da MSC Cruzeiros.

Santa Catarina

“Só neste verão, Santa Catarina recebeu 2,5 milhões de turistas, movimentando a economia, gerando trabalho e renda para os catarinenses. A escala teste de um cruzeiro na capital do Estado representa uma nova oportunidade para o setor, atendendo aos anseios dos visitantes de Florianópolis, que encontram aqui lazer e um povo hospitaleiro, além de todas as belezas naturais da cidade”, afirma o governador do Estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira.

 

Leia também

 

Fonte: Prefeitura de Florianópolis

Informativo ABIH-SC 22 de março de 2018

Informativo ABIH-SC 22 de março

Informativo ABIH-SC 22 de março de 2018

Receba semanalmente o informativo ABIH-SC

No Informativo ABIH-SC de 22 de março você vai ler:

Exprotel já está com mais de 50% dos espaços comercializados;- 2º Congresso Catarinense de Empreendedorismo;- Acessibilidade nos meios de hospedagem;- 15 Motivos para seu Hotel ter atendimento via chat; -Presidente da Embratur Comemora Avanço no Congresso Nacional; – Pedido de entrada no Brasil cresce com o pedido de visto eletrônico; – Imprensa divulga Encatho & Exprotel 2018;- ABIH-SC de site novo;

 

Leia também:

 

Seguro na hotelaria e turismo

​O Cenário dos Seguros na Hotelaria

Seguro na Hotelaria por Otavio Novo 

A prática de contratação de seguros é conhecida e utilizada pela maioria das pessoas. Considerada uma das atividades econômicas mais antigas ainda em prática, a obtenção de apólices securitárias também faz parte das atividades de turismo e hospitalidade e, de modo geral, a maioria dos hotéis têm suas apólices vigentes.

Entretanto, uma pergunta importante para todos os hoteleiros é: essas apólices contratadas estão, realmente, protegendo os hotéis e suas atividades?

Com algumas exceções, normalmente, a realidade que encontramos nas operações hoteleiras são processos inadequados de cotação, definição de coberturas e contratação das apólices que, portanto, deixam de cumprir o objetivo de agregar a proteção devida aos negócios diante dos riscos variados a que estão expostos.

Desinformação

Esse contexto de desinformação, muitas vezes acompanhado do objetivo de uma economia imediata nos custos do prêmio dos seguros, constrói um cenário muito negativo para as empresas e profissionais das atividades hoteleiras.

A falta de conhecimento do tema seguros por parte de muitos hoteleiros e, ao mesmo tempo, de conhecimento das necessidades da atividade hoteleira por parte de corretores de seguros e seguradoras é regra, e com isso, as coberturas tem, em geral, uma tendência a serem mal definidas e na maioria das vezes, subestimadas.

A contratação de seguros com coberturas em desacordo aos riscos do negócio, cria diversas consequências indesejáveis: investimento num seguro com valor de indenização insuficiente, gastos indevidos diante de estimativas de riscos exageradas, riscos importantes sem cobertura em caso de sinistros, falsa sensação de proteção implicando na negligência às prevenções necessárias etc.

Tipos de Seguros na hotelaria

Vale lembrar que são diversos os tipos de seguros utilizados numa operação hoteleira. Os mais comuns são os seguros de: Responsabilidade Civil para a proteção em caso de danos causados pelo hotel e suas atividades à terceiros; Danos à Propriedade, para cobrir perdas a patrimônio inclusive, caso haja interrupção da operação; Riscos de Engenharia (por exemplo em caso de reformas); para danos causados por erros de gestores; para pagamento de sanções judiciais; para crimes cibernéticos, entre outros.

No entanto, além da definição do tipo de seguro a ser contratado, que deverá ser feita considerando as exigências legais, financeiras e o contexto de gestão de riscos da empresa, deverão ser analisadas a definição das coberturas diante dos riscos e vulnerabilidades, e, por último, os valores de cada cobertura para que, cumpram a função de gerar indenizações adequadas e o devido ressarcimento de perdas no decorrer da gestão dos negócios.

Fato é que por limitação de tempo ou de interesse, é dada pouca atenção ao tema seguros nas atividades hoteleiras.  E apesar dos gastos e contratações realizadas, as lacunas e descuidos nesse processo costumam causar surpresas desagradáveis e prejuízos para as administrações, acionistas e executivos.

Boa Notícia

A boa notícia é que, assim como em outras áreas, existem sinais de maior especialização também no tema seguros da hotelaria e turismo. Atualmente, começam a surgir profissionais da hotelaria e do setor securitário que visam o atendimento especializado aos hotéis, trazendo com isso mais equilíbrio entre a inteligência relacionada ao mundo do mercado securitário, e das atividades e necessidades específicas dos meios de hospedagem.

E isso é uma novidade. Afinal, o que normalmente existe é um abismo entre os conhecimentos do negócio que os hoteleiros possuem, e os conhecimentos das normas e soluções que as corretoras e seguradoras detém. E isso acontece, porque empresas de seguros, muitas vezes, tem os hotéis como contas menores nos seus portfólios, e, associada a pouca capacidade funcional de se aprofundar em temas específicos, acabam não tendo o foco que a hotelaria necessita.

Diante disso, se torna ainda mais importante que os gestores dos hotéis considerem o tema seguros como parte integrante da gestão de riscos do negócio. E assim, no processo de priorização dos riscos e criação dos procedimentos de prevenção e de gestão de crises, as situações de risco que não puderem ser eliminadas, sejam transferidas por intermédio da contratação de condições de seguros adequadas.

As boas e modernas práticas de gestão, estabelecem que cada gestor responsável pelos seguros do hotel revisite periodicamente o tema seguros, e providencie a análise das condições das apólices contratadas, verificando se estas possuem eficácia diante dos riscos a que suas operações estão expostas.

Mudança

Essa mudança de perspectiva é uma evolução no setor, mas que só será eficiente se realizada a seis mãos, contando com o olhar e a colaboração da gestão do hotel, da corretora de seguros e das seguradoras, interessados não apenas no relacionamento e na economia com os valores dos prêmios, mas também no compartilhamento de conhecimento para criação de soluções de gestão de riscos completas. Só assim, os bons e velhos seguros farão parte fundamental das novas tendências e exigências de proteção para esse mercado em plena e acelerada transformação.

 

Sobre Otavio Novo

Otavio Novo é profissional de Gestão de Riscos e Crises, com 17 anos de atuação em empresas líderes nos setores de serviços, educação e hospitalidade. Consultor e idealizador do projeto Novo8, mencionado pela ONU no IY TOURISM 2017.  Advogado e membro da comissão de Direito aplicado à hotelaria e turismo da OAB/SP. Durante 6 anos foi responsável pelo Departamento de Segurança e Riscos da Accor Hotels para cerca de 300 propriedades e 15 mil colaboradores em nove países da América Latina.

Em junho de 2018, Otavio Novo participa como um dos professores da segunda edição do Curso HRCM – Hotel Risks and Crisis Management (Gestão de Riscos e Crises na Hotelaria).

 

Contato

otavio@novo8.com.br

novo8.com.br

FONTE: HOTELIERNEWS