Posts

Parques Estaduais são opções de Turismo em meio à Natureza

É verão. A estação mais quente do ano é um convite para atividades de lazer. Em meio à natureza, melhor ainda. O litoral é o mais procurado nesta época. No entanto, há outras opções que atraem cada vez mais visitantes, como é o caso das Unidades de Conservação de Santa Catarina. Trilhas, passeios em ambientes preservados, belezas naturais e ações de educação ambiental são as escolhas de centenas de moradores e turistas em todo o estado.

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) administra 10 Unidades de Conservação, destas em cinco há visitação pública.

Tabuleiro

Na Grande Florianópolis está a maior delas, o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Com mais de 84 mil hectares, o local é um atrativo gigantesco. As centenas de trilhas, as mais conhecidas Pico do Cambirela que tem visão de toda a ilha, Travessia do Tabuleiro, Pico do Tabuleiro, Morro do Queimado em Santo Amaro da Imperatriz e Caminho de Naufragados atraem visitantes de todas as regiões brasileiras e até mesmo de fora do país.

Além das trilhas, dentro dos limites do Parque estão cenários paradisíacos como a famosa Guarda do Embaú, a Praia do Maço, Praia do Vigia e o Rio da Madre, ideal para a prática de remo.  

O Parque tem sua sede em Palhoça, na Baixada do Maciambu que está aberto de quarta a domingo das 9h às 17h. O local conta com um centro de visitantes e trilhas educativas, onde o público pode ter contato com espécies nativas. O Parque possui anda dois centros temáticos na sede dos municípios de Imaruí e de São Bonifácio.

Rio Vermelho

Também no litoral, o Parque Estadual do Rio Vermelho, em Florianópolis, é outro reduto de descanso e beleza. Com destaque para a Trilha Ecológica onde é possível passear em meio à natureza e conhecer animais tratados no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). A trilha funciona de terça-feira a domingo (inclusive feriados), das 10h às 17h.

Outra opção é a Trilha Aquática que proporciona uma experiência única aos participantes ao navegar pelas águas cristalinas do Parque. A visitação pública também é permitida nas trilhas e acessos à Lagoa da Conceição e à praia do Moçambique que também está dentro da Unidade de Conservação, o que a torna uma das mais preservadas de Santa Catarina. Com a orla mais extensa de Florianópolis, areias brancas e macias, vegetação protegida e pouco conhecida pelos banhistas, é o lugar perfeito para relaxar em meio à natureza.

Rio Canoas

Na região serrana, conhecida pelo frio, também há atrações para curtir a temporada de verão. E uma delas é o Parque Estadual Rio Canoas, em Campos Novos. Aberto para visitação pública desde novembro de 2018, a Unidade oferece três trilhas ecológicas: Trilha das Águas (4.400 metros de extensão), a Trilha do Cemitério (600 metros) e a trilha do Lajeado do Roberto (4 mil metros de estrada + 3.400 metros) que tem como principal atração a cachoeira de mesmo nome com cerca de 30 metros de queda. O Parque estará aberto para visitação de quarta-feira a sexta-feira de 9h às 17h, e aos sábados e domingos das 13h às 17h.

Fritz Plaumann

Na região oeste, o Parque Estadual Fritz Plaumann, em Concórdia, também oferece diversas atrações aos visitantes. Antes de sair a campo, os guias do local contam a história da Unidade de Conservação. Na sequência, é hora de escolher uma das quatro trilhas que são repletas de surpresas e riquezas naturais. Decks, pontilhões, mirantes e até ponte pênsil completam a diversão de quem passa pelo Parque. A visitação ocorre de quarta a sábado das 9h às 17h e aos domingos das 13h às 18h.

Araucárias

Também no oeste, nos municípios de Galvão e São Domingos, está o Parque Estadual das Araucárias que conta com três trilhas ecológicas: Trilha do Mirante das Araucárias, da Cascata e da Corredeira do Rio Araçá. O horário de funcionamento é de quarta a sexta-feira das 9h às 17h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 17h. 

Entrada gratuita

Com exceção da Trilha Ecológica no Parque Estadual do Rio Vermelho em que o valor dos ingressos é de R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (estudantes, idosos e moradores do entorno), crianças com até 5 anos de idade são isentas de pagamento, nos demais Parques a entrada e as atrações são gratuitas.

Fonte: Bom dia SC

Nesta sexta-feira (24), ministro reuniu-se com representantes do Sweedish Institute, Visit Sweeden, Ministério de Indústria e Inovação da Suécia e operadores de viagens no país.

Brasil aposta no ecoturismo para atrair suecos

Nesta sexta-feira (24), ministro reuniu-se com representantes do Sweedish Institute, Visit Sweeden, Ministério de Indústria e Inovação da Suécia e operadores de viagens no país.

Na sexta-feira (24), ministro reuniu-se com representantes do Sweedish Institute, Visit Sweeden, Ministério de Indústria e Inovação da Suécia e operadores de viagens no país.

 

Em reuniões com autoridades governamentais e operadores de viagem da Suécia, governo brasileiro promoveu destinos de natureza.

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, pediu o apoio do governo sueco para aumentar o fluxo de turistas entre os dois países e atrair investidores. O foco são os destinos de natureza, que estão em primeiro lugar na preferência dos viajantes dos países nórdicos.

“Somos o número um no mundo em atrativos naturais e precisamos aproveitar melhor esse nosso diferencial para atrair investimentos e gerar emprego”, comentou o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz. De acordo com o Relatório de Competitividade do Turismo Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês), entre todos os 136 países analisados, o Brasil é o primeiro no quesito natureza.

O ministro do Turismo informou à ministra de Indústria e Inovação, Stina Billinger, a quem os assuntos referentes ao turismo da Suécia estão relacionados, que o Brasil, por meio do Ministério do Meio Ambiente e ICMBio, vai abrir concessões em alguns dos principais parques nacionais do país. “Seria bom contar com empresas suecas participando desse processo. Queremos que os principais atores mundiais nos ajudem a gerir de maneira sustentável esse importante patrimônio da humanidade”, comentou Lummertz.

Os parques nacionais do Pau Brasil, na Bahia, e Chapada dos Veadeiros, em Goiás, serão os próximos a terem serviços como de bilheteria e alimentação concedidos para a iniciativa privada. Atualmente, o Brasil recebe 10,7 milhões de visitantes nas unidades de conservação. Mais da metade desse total são registrados nos parques que já contam com algum tipo de concessão, como os de Foz do Iguaçu (PR), Fernando de Noronha (PE) e Tijuca (RJ). Os Estados Unidos, que estão em terceiro lugar em atrativos naturais no ranking de competitividade do WEF, recebem mais de 300 milhões de pessoas nos seus parques nacionais anualmente.

Pesquisa realizada pela revista sueca especializada em turismo Vagabond sobre o que os suecos buscam nas viagens revela que 16% deles querem “calma e tranquilidade para relaxar” e 10%, “se desligar”. O Brasil, que já chegou a ter 42 mil turistas suecos em 2014, registrou a entrada de 23 mil viajantes desse país no último ano, uma queda de 45,3% em três anos.

Atualmente, o gasto dos turistas dos países escandinavos é o quinto maior do mundo, com 42,8 bilhões de euros, atrás apenas da China (228,1 bi de euros), EUA (119,7 bi de euros), Alemanha (74,1 bi de euros) e Reino Unido (56,1 bi de euros). Para tentar reverter esse quadro, o chefe da Assessoria de Gestão Estratégica da Embratur, Rafael Felismino, apresentou destinos de natureza do Brasil para operadores de viagens da Suécia. Enquanto o turista internacional que visita o Brasil gasta, em média, US$ 55,78 por dia, o sueco deixa US$ 170 por dia nos destinos internacionais.

Além das reuniões com a ministra de Indústria e Inovação, Stina Billinger, e com operadores de viagens, a delegação brasileira na Suécia encontrou-se também com o chefe do Departamento de Diálogo Intercultural do Sweedish, Henrik Selin, e com a presidente da Visit Sweeden, Ewa Lagerqvist. Na pauta, o modelo de gestão dos órgãos especializados em promover os destinos suecos para o mundo.

Para o ministro do Turismo brasileiro, há um enorme potencial a ser trabalhado para aumentar o fluxo turístico de turistas suecos no Brasil. “Enquanto recebemos pouco mais de 20 mil turistas suecos por ano, a Tailândia, que está a mais ou menos a mesma distância, recebe mais de 200 mil”, comparou. Ele destacou que já há uma relação comercial intensa entre os dois países, o que favorece a atração de viajantes. Cinco das maiores empresas do país escandinavo estão no Brasil: Volvo, Scania, Ericsson, Electrolux e Saaby.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Veja também: Curso de Recepção