Posts

Cadastur atinge recorde de 80 mil cadastros

 

Marca histórica é alcançada após 2 anos do início do trabalho de orientação e fiscalização, em parceria com órgãos de Turismo das 27 UFs.

Nesta segunda-feira (11), o Ministério do Turismo atingiu a marca histórica de 80 mil cadastros no Cadastur, cadastro nacional que reúne prestadores de serviços atuando legalmente no mercado de Viagens. O número é resultado do trabalho de sensibilização, orientação e fiscalização iniciado pela equipe de fiscais do MTur em 2017 em parceria com órgãos estaduais de turismo das 27 unidades da Federação.

Para dar continuidade à ampliação da regularização de empreendimentos do setor em todo o Brasil, os agentes do MTur desembarcaram nesta segunda-feira (11) em Ubatuba (SP) para visitar meios de hospedagem que atuam na cidade turística do litoral de São Paulo.

Para o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTur, Aluizer Malab, “a primeira ação de 2019 reforça a conscientização sobre a importância do registro. Ganha o turista, que se sente mais seguro para contratar um serviço; ganha o estabelecimento, que passa a ser considerado legal perante o órgão máximo do setor no Brasil; e ganha o destino, que tem um mercado regularizado e legalmente estruturado”, ressalta.

O trabalho dos fiscais tem produzido resultados marcantes para o setor. No início de 2018, 64.591 prestadores estavam registrados junto ao MTur. A marca de 80 mil significa um crescimento de 24% em apenas um ano.

“Esse trabalho do ministério é importante para conscientizar as pessoas da necessidade do cadastro de seus estabelecimentos. A secretaria de Turismo de Ubatuba está comprometida com essa ação e vai orientar que os turistas procurem apenas estabelecimentos regularizados para se hospedarem”, afirma o secretário de Turismo do município, Luiz Bischof.

Além da formalização de meios de hospedagem, o cadastro também é obrigatório para outras seis categorias: agência de turismo; parque temático; acampamento turístico; organizadora de eventos; guia de turismo e transportadora turística.

A última ação de fiscalização da Pasta em 2018 ocorreu em Alto Paraíso de Goiás (GO), na Chapada dos Veadeiros. Na ocasião, a equipe visitou 89 estabelecimentos turísticos para incentivar o cadastro no Cadastur, além de orientar e notificar irregulares. A fiscalização contemplou, ainda, empreendimentos de São Jorge e Cavalcante.

BENEFÍCIOS – Pessoas físicas e jurídicas inscritas regularmente no Cadastur têm acesso a financiamento por meios de bancos oficiais, participação em programas de qualificação profissional promovidos pelo MTur, visibilidade nos canais oficiais de divulgação da Pasta, entre outras vantagens.

Quem for flagrado sem o registro ou com o cadastro fora do prazo de validade é considerado ilegal, será advertido e pode ser autuado pelos órgãos de controle. Caso não regularize sua situação, o empreendimento ou profissional podem ser penalizados com multa que pode chegar a R$ 854 mil.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Informativo ABIH-SC 17 de janeiro

 

No Informativo ABIH-SC de 17 de janeiro você vai ler:

 

1ª reunião da Diretoria Executiva ABIH-SC 2019/2020;-ABIH-SC inicia a comercialização dos espaços na Exprotel;-Presidente do Conselho Estadual do Turismo assume vaga no Conselho Nacional ;-Mtur publica nova cartilha do Programa de Regionalização do Turismo;-Evento em Piratuba – KERB 2019;-Evento em Guabiruba – Canyoning Mancha Branca;- Evento em Urussanga – 11ª Vindima Goethe;-Associados ABIH-SC!

 

Leia também: Conheça os benefícios que a ABIH-SC oferece

MTur publica nova cartilha do Programa de Regionalização do Turismo

Nova versão do documento está disponível apenas no formato digital.

 

O Portal da Regionalização do Ministério do Turismo acaba de disponibilizar a versão atualizada da cartilha institucional que aborda a sensibilização e da mobilização entre parceiros e interlocutores do Programa de Regionalização do Turismo (PRT). Os materiais foram condensados em um documento único que aborda a temática do PRT de forma mais clara e enxuta. Os usuários poderão baixar, gravar ou imprimir o documento de 41 páginas. O PRT faz parte do atual Plano Nacional de Turismo 2018-2022 – Mais emprego e renda para o Brasil.

Rogério Cóser, diretor do Departamento de Ordenamento do Turismo (Deotur) ressaltou a praticidade e a economicidade da cartilha digital, acessível aos usuários e demais interessados na temática da regionalização do turismo. “É importante destacar toda a colaboração e parceria da equipe técnica da Pasta neste documento que recebeu contribuições externas dos órgãos oficiais de turismo dos estados e dos interlocutores regionais do Programa de Regionalização do Turismo”, disse. A descentralização das decisões e ações nas esferas estadual, regional e municipal é um dos princípios do PRT.

Para a coordenadora-geral de Mapeamento e Gestão Territorial do Turismo, Ana Carla Fernandes Moura, o documento fundamenta o princípio da sustentabilidade da regionalização do turismo com o objetivo de gerar ganhos através da atividade para quem vive nos destinos. “Nem sempre a comunidade percebe o potencial do turismo em sua volta. É necessário formar lideranças, interlocutores e envolver o poder público, setor privado e sociedade civil para fortalecer o turismo”, comentou.

Nesse contexto, a regionalização apresenta-se como política pública de turismo parceira dos municípios que integram o Mapa do Turismo e que formam as regiões turísticas. A regionalização ajuda no planejamento, gestão, promoção e comercialização integrada e compartilhada dos destinos. O programa olha a região turística, e não apenas o município de forma isolada. Essa visão busca o maior aproveitamento dos recursos financeiros, técnicos e humanos. A integração cria condições e oportunidades para revelar e estruturar novos destinos turísticos mais qualificados e competitivos. O PRT orienta o desenvolvimento turístico contemplando as regiões e o crescimento dos municípios.

 

Fonte: Ministério do Turismo 

Leia também: Conheça os benefícios que a ABIH-SC oferece

Conheça iniciativas de marketing e comercialização turística que são destaque no país

 

Em premiação nacional, MTur reconheceu três iniciativas consideradas inovadoras e inéditas no turismo brasileiro.

 

O 1º Prêmio Nacional do Turismo reconheceu 21 iniciativas brasileiras, desenvolvidas nos últimos dois anos, consideradas inovadoras para o setor no país. As ações foram selecionadas entre 242 inscritos em sete categorias. Entre os casos de sucesso mais bem classificados pelo júri do prêmio, três são da categoria Marketing e Apoio à Comercialização no Turismo, que registrou 35 concorrentes. Inéditos e inovadores, os projetos dessa área estão contribuindo de maneira significativa para impulsionar o turismo brasileiro.

A estratégia desenvolvida para estimular o fluxo de turistas para o Brasil pelo Aeroporto do Galeão (RJ) foi a iniciativa de Marketing e Apoio à Comercialização no Turismo classificada em 1º lugar da categoria. O “Plano de Desenvolvimento de Passageiros” do Aeroporto Internacional Tom Jobim recorre a ferramentas pioneiras e de marketing estratégico, dando suporte as ações do aeroporto para o desenvolvimento de novas rotas e atração de novas companhias aéreas.

Segundo o executivo da concessionária RioGaleão, Bruno Giovanni dos Reis, o plano atua de várias maneiras: ferramentas de promoção não convencionais, participação em eventos, liderança em grupos de trabalho e ações pioneiras com o trade turístico e desenvolvimento de mercados. “As ações implementadas geraram resultados surpreendentes, como por exemplo a atração de 12 mil passageiros que vieram da Europa através da utilização de mídia programática, fazendo com que atingíssemos mais de 96 milhões de americanos com a campanha E-Visa”, disse.

Já a plataforma digital ‘O Bom de Viajar’, elaborada pela rede de hotéis BHG com o objetivo de ser a melhor companhia de viagem para seus hóspedes e seguidores, alcançou a 2ª colocação do na categoria de Marketing do certame do MTur. A ferramenta oferece conteúdo autoral e exclusivo, como histórias e entrevistas com viajantes, sugestões de moradores e dicas de viagens. A estratégia foi desenvolvida para aproximar a marca dos clientes de maneira diferenciada e inovadora, segundo explica a representante do grupo BHG, Juliana Sousa Silveira.

‘O Bom de Viajar’ foi pioneiro em usar esse tipo de tecnologia em benefício do cliente, proporcionando experiências que permeiam a jornada do turista antes e depois da viagem. Nos últimos dois anos, a plataforma de marketing entregou mais de 20 milhões de e-mails e suas campanhas geraram um retorno superior a R$ 8 milhões em receita para a BHG. Já o seu marketplace próprio teve um volume de aproximadamente R$ 12 milhões em vendas e cerca de 21 mil reservas. Atualmente a plataforma recebe cerca de 100 mil visitas únicas por mês e acumula quase 500 mil seguidores nas redes sociais.

A Gestour, plataforma virtual de e-Marketplace voltada para o turismo brasileiro, ficou em 3º lugar na premiação. A ferramenta tecnológica disponibiliza um modelo de negócios que apoia a criação, gestão, distribuição, promoção e apoio à comercialização de destinos e empresas do setor. São diversas lojas virtuais organizadas por macrorregiões, regiões turísticas, estados e destinos, conforme o interesse e estratégia de posicionamento de seus produtos no mercado.

A plataforma digital está inserida nos conceitos da economia colaborativa e do consumo compartilhado. “Formatamos um negócio que ‘empodera’ empresas e destinos com tecnologia, serviços e modelo de negócios a custo zero de investimento tecnológico e despesas de manutenção, reduzindo ainda os custos com estrutura de back office operacional”, ressalta Vadis Luiz, responsável pela inovação tecnológica da Gestour. Atualmente o e-Marketplace da Gestour é formado por 6.457 lojas virtuais, sendo 5.570 de cidades, 328 de regiões turísticas, 27 de UFs e 5 de macrorregiões.

BOAS PRÁTICAS – O Ministério do Turismo criou um Banco de Boas Práticas para divulgar as dez iniciativas com melhor classificação, por categoria, no 1º Prêmio Nacional do Turismo. O objetivo é dar visibilidade e multiplicar os casos de sucesso do setor, disponibilizando contatos, vídeos e materiais informativos apresentados pelos proponentes inscritos no certame. Das 242 propostas apresentadas, 70 podem ser consultadas NESTE LINK.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Turismo de observação de baleias é restabelecido em Santa Catarina

Ministros do Turismo (D) e do Meio Ambiente (E) comemoram regulamentação do turismo embarcado

Ministros do Turismo (D) e do Meio Ambiente (E) comemoram regulamentação do turismo embarcado

 

Portaria normatiza o turismo embarcado na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca como atividade recreativa e educativa.

 

Os ministros do Turismo, Vinicius Lummetz, e do Meio Ambiente, Edson Duarte, assinaram nesta terça-feira (18), em Brasília, portaria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) que estabelece normas e procedimentos para o turismo embarcado de observação de baleias. A visitação turística na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, em Santa Catarina, será feita mediante autorização prévia das embarcações de empresas regularizadas no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur), atendendo a um pleito apresentado pelo Ministério do Turismo.

“Esse entendimento é uma prova de que o turismo pode ajudar e muito no desenvolvimento sustentável e nas políticas de preservação das baleias”, disse Lummertz. O futuro ministro da Pasta, Marcelo Álvaro Antônio, que também participou da solenidade, reafirmou o compromisso de manter a parceria do MTur com o MMA. “É possível promover o desenvolvimento do turismo respeitando o meio ambiente. Esse é o meu compromisso”, firmou

Além da portaria, também foi assinado o Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (Apa) da Baleia Franca, que abrange a costa e parte do território dos municípios de Imbituba, Garopaba e Laguna. “Estamos normatizando a visitação, regulamentando o uso da área de proteção e garantindo a segurança jurídica do berçário da baleia Franca na região sul”, destacou o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte. Ele ressaltou que na temporada encerrada este mês foram avistadas mais de 280 baleias na região. “Meio ambiente e turismo sustentável andam juntos e a visitação embarcada é uma grande oportunidade de desenvolvimento”, completou o presidente do ICMbio, Paulo Carneiro.

A próxima temporada turística de observação da baleia Franca na costa catarinense está prevista para iniciar em 15 de agosto de 2019, terminando no dia 5 de dezembro, com alterações do calendário de visitação quando da ocorrência e distribuição das baleias na área. Os passeios embarcados serão realizados apenas em quatro dias da semana, com uma embarcação por vez nas baias e enseadas. Um mesmo local só poderá ser visitado duas vezes por dia com intervalo mínio de duas horas entre um passeio e outro. Nos outros três dias da semana, não haverá passeio para avistamento das baleias. O número de visitantes é limitado à capacidade da embarcação.

A portaria determina, ainda, áreas de refúgio ecológico, onde não será permitida a visitação a bordo, mesmo dentro da APA da Baleia Franca. O refúgio adicional fica situado entre as praias da Ibiraquera e Ribanceira. O documento detalha também a distância mínima de 120 metros entre as embarcações e os animais a serem observados, até meia hora de observação por animal ou grupo, posicionamento dos barcos em relação as baleias, velocidade e acionamento dos motores, tanto para a segurança dos passageiros como dos animais. Em caso de aproximação voluntária das baleias, os motores devem ser engrenados a uma distância mínima de 60 metros.

Os passeios contarão com a presença de condutores de visitantes treinados sobre a preservação do meio ambiente e conservação das espécies avistadas. A atividade turística também será acompanhada de um observador de bordo. O profissional ou estudante da área de biologia não será vinculado a qualquer operadora turística. Ele vai ser responsável pelo monitoramento e levantamento de dados para avaliação dos possíveis impactos ambientais causados pelo turismo na área pré-estabelecida de observação das baleias.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Brasil ganha código de conduta contra a exploração de crianças e adolescentes no turismo

 

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, e o secretário executivo do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), Marcelo Varella, assinaram nesta quinta-feira (13), em Brasília, portaria interministerial que institui o código de conduta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo. O documento tem o objetivo de orientar e regular a conduta ética de empresas e prestadores de serviços turísticos, seus funcionários e colaboradores, para que, no desempenho de suas atividades, adotem ações de enfrentamento à exploração de crianças e adolescentes.

“Estamos lançando uma semente para defender o lado do bem. O enfrentamento à exploração de crianças e adolescentes é um assunto transversal com o qual o Brasil tem um compromisso internacional e com este código de conduta estamos deixando um importante legado para o país”, afirmou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Na avaliação dele, a geração de empregos por meio do turismo pode ser uma ferramenta importante para ajudar o país a enfrentar a violência e tirar os jovens da situação de vulnerabilidade.

O secretário executivo do MDH defendeu a importância de se criar normas de conduta, mas disse que somente a mobilização da sociedade permitirá que o problema seja enfrentando com efetividade. Segundo Varella, como o governo não tem condições de estar em todos os lugares para fiscalizar, a sociedade precisa aprender a se auto proteger e se unir. “A indiferença virou indignação e agora tem que virar ação”, comentou.

Responsável pela equipe que trabalhou na elaboração do código, o secretário nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do MTur, Bob Santos, elogiou o empenho dos técnicos e a celeridade para a entrega do documento ainda este ano. “É um crime da maior gravidade e vamos enfrentar isso juntos. Esperamos que o código seja multiplicado por todos os segmentos que compõem o setor de turismo”, disse.

Durante a cerimônia, a representante da Rede Accor de Hotéis, Adriana Pinto, assinou o primeiro termo de adesão ao novo código, que será disponibilizado para empresas e prestadores de serviços turísticos que quiserem aderir ao projeto. “Esperamos que a hotelaria se envolva nesta campanha. A tolerância com a exploração de crianças e adolescentes em nossos empreendimentos é zero”, disse ela.

O código de conduta será disponibilizado no portal do Ministério do Turismo. Tem como público-alvo empresas, pessoas físicas e prestadores de serviços que atuem direta ou indiretamente no setor de turismo. O documento está alinhado ao Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e ao Grupo de Ação Regional das Américas (GARA).

Para aderir ao código, a empresa ou prestador de serviços turísticos deverá preencher o Termo de Adesão e encaminhá-lo por e-mail ao Ministério do Turismo, além de estar com o cadastro regular no Cadastur e cumprir os 12 compromissos estabelecidos no documento.

 

Fonte: Ministério do Turismo

De cara nova!

Ministério do Turismo cria novo modelo para carteira de guias de turismo e altera o certificado do Cadastur.

 

A tecnologia é mais uma aliada do Ministério do Turismo para impulsionar o setor no país. Após a modernização do site do Cadastur, foi a vez das carteiras de guia de turismo ganharem “cara nova”. A emissão do documento é gratuita e o cadastro deve ser realizado pelo site do Cadastur (CLIQUE AQUI E ACESSE).

Agora, a carteira tem também um QR Code (ou Código QR), símbolo que pode ser lido por aplicativo de celular e que facilita a identificação do guia. O cadastro no Cadastur e a carteira são obrigatórios para quem exerce a profissão de guia de turismo.

Profissionais que buscarem regularização ainda em 2018 já receberão o novo documento. Para os que possuem a carteira de guia no modelo antigo e dentro do prazo de validade, não é necessária a troca, que só será feita quando o profissional for renovar a documentação.

“A nova carteira veio para acompanhar a mudança de todo Sistema Cadastur, buscando oferecer, cada vez mais, um trabalho digital e prático tanto para os prestadores de serviços quanto para o turista”, ressalta a coordenadora-geral de Cadastramento e Fiscalização de Prestadores de Serviços Turísticos do MTur, Tamara Galvão.

O viajante que vai contratar o serviço deve ficar atento à documentação do profissional. A carteirinha, válida nos dois modelos, certifica que o guia atua de forma legal e formal no mercado. A dica para o turista é observar o prazo de validade do documento como mais uma credencial de segurança do passeio.

CERTIFICADOS ALTERADOS – Quem emite o certificado no site do Cadastur vai notar que o diploma também foi renovado. Foram incluídas informações sobre a atividade exercida pelo prestador e a data de validade do documento. O novo material pode ser adquirido pelo site do Cadastur (CLIQUE AQUI E ACESSE).

12 12 18 NovaCarteiraGuia2

 

Fonte: Ministério do Turismo

Atual e futuro ministros têm primeira agenda pública de transição da Pasta

Ministros Marcelo Antônio e Vinicius Lummertz durante o primeiro encontro oficial de transição da Pasta

Ministros Marcelo Antônio e Vinicius Lummertz durante o primeiro encontro oficial de transição da Pasta

 

Atributos do turismo brasileiro e continuidade dos programas estratégicos do MTur foram assunto de reunião no Rio de Janeiro.

 

No primeiro evento público de transição de comando do Ministério do Turismo, no Rio de Janeiro, o futuro ministro Marcelo Álvaro Antônio afirmou ao trade e líderes do setor que dará continuidade aos programas estratégicos da Pasta em andamento.

O ministro Vinicius Lummertz agradeceu o apoio incondicional do trade ao longo de sua gestão e falou que o Brasil precisa deixar de lado os medos imaginários e usar o turismo como resolução dos problemas reais. Ele citou como exemplo a abertura dos parques nacionais e as marinas. “Trabalhamos muito, sempre morro acima. Agora, acredito que no novo ciclo, com a visão liberal do novo governo, será morro abaixo, com tudo mais fácil”, acredita.

Segundo o indicado para o MTur, “o presidente eleito, Jair Bolsonaro, é um entusiasta do Turismo. Isso vai ser um facilitador para articular um maior orçamento para o ministério”, garantiu. Ele ainda disse que Bolsonaro “tem plena consciência de que o Turismo pode ser um dos principais pilares para a volta do desenvolvimento econômico e social do país”, o que, segundo Marcelo Antônio, vai ser realizado em parceria com o Congresso Nacional.

O futuro ministro também levantou soluções para gargalos históricos e disse que vai dar continuidade a programas importantes em execução pela gestão Vinicius Lummertz. “Sabemos que muitos gargalos estão ligados à legislação vigente no país, como é o caso da Lei Geral do Turismo, e podem ser supridos por pautas legislativas que devem avançar na Câmara com celeridade ainda em 2018”, ressaltou. Ele também destacou que que dará sequência ao trabalho por mais competitividade e capilaridade de voos no Brasil e que o aumento da conectividade, rotas e destinos atendidos pela malha aérea nacional terá atenção especial.

Para Marcelo Antônio, o potencial adormecido do País para o Turismo deve ser amplamente explorado com o apoio e parceria do trade turístico. “Assim como o ministro Lummertz sempre fez, estarei aberto para a discussão dos problemas e construção de soluções para que o Brasil seja grande no Turismo”, concluiu.

O deputado federal Herculano Passos, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo (Frentur), afirmou que vai articular a votação de projetos estratégicos para o setor ainda em 2018, como a transformação da Embratur em agência, a modernização da Lei Geral do Turismo e a abertura das empresas aéreas ao capital internacional.

Seaview – O encontro entre os ministros e convidados aconteceu no porto do Rio de Janeiro, durante a apresentação do transatlântico Seaview, o maior navio de passageiros da atual temporada de cruzeiros marítimos na costa brasileira. O navio fará escalas no Rio de Janeiro; Ilha Grande e Búzios (RJ); Santos e Ilhabela (SP); Balneário Camboriú e Porto Belo (SC); Salvador e Ilhéus (BA). O gigante do mar tem 323 metros de comprimento, conta com 18 andares e pesa 154 mil toneladas. A capacidade é para 5,3 mil passageiros.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Prodetur+Turismo Itinerante chega a Minas Gerais

 

MTur roda o Brasil para apresentar programa de crédito que oferece incentivo ao desenvolvimento de projetos públicos e privados do setor.

Minas Gerais é o décimo estado a receber a ação itinerante do Prodetur+Turismo, programa que dispõe de R$ 6 bilhões para a estruturação de destinos brasileiros. Durante o Encontro Mineiro dos Dirigentes das Instâncias de Governanças Regionais de Turismo, em Belo Horizonte, o coordenador-geral de Planejamento Territorial do Turismo do MTur, Eduardo Madeira, apresentou a linha de crédito do Ministério do Turismo, atendeu gestores públicos e empresários do setor e tirou dúvidas sobre projetos que se preparam para acessar o financiamento.

Segundo Madeira, durante o encontro, o estado confirmou interesse pela expansão do mercado de Viagens, com iniciativas de aproveitamento da vocação turística dos municípios mineiros e fomento à geração de empregos. “As instâncias de governança regionais são importantes pilares na implementação do Prodetur + Turismo, pois integram projetos e apoiam os municípios que pleiteiam o Selo + Turismo”, disse Madeira. O Selo+Turismo é um carimbo de aprovação do MTur para proposta alinhadas às diretrizes da Política Nacional do setor.

Além de Minas Gerais, o Programa já foi apresentado em outros nove estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Amazonas. Até o momento, as propostas em análise somam R$ 3,8 bilhões em 91 projetos apresentados ao MTur. Desses, R$ 530 milhões são pleitos da região Sudeste. Os recursos são destinados a financiar infraestrutura pública e privada de turismo no Brasil, bem como ações de promoção dos destinos, informação ao turista e estudos de planejamento e diagnósticos de mercado.

São elegíveis ao Prodetur empresas de turismo de qualquer porte, microempreendedores individuais, fundações, associações, cooperativas, entidades, clubes, órgãos públicos e prefeituras dos 3.285 municípios que fazem parte do Mapa do Turismo, pré-requisito para dar entrada no programa.

PRODETUR + TURISMO – O Ministério do Turismo instituiu o Programa Nacional de Desenvolvimento e Estruturação do Turismo por meio da portaria nº 74, de abril de 2018. O objetivo é disponibilizar recursos para a estruturação dos destinos turísticos brasileiros, oferecendo oportunidade de fomento ao desenvolvimento local e regional por meio de parcerias com estados, municípios e entes privados.

Um call center disponibilizado pelo MTur esclarece dúvidas de gestores públicos e privados em relação ao Prodetur+Turismo. O trabalho agiliza o atendimento de demandas municipais e estaduais, bem como de empresários interessados em investir no setor. O telefone é o 0800 200 8484, e o email atendimento.prodetur@turismo.gov.br também recebe questionamentos sobre o programa.

Os pleitos de financiamento devem ser encaminhados diretamente ao Ministério do Turismo, em versão digital, para o e-mail institucional cgpla@turismo.gov.br (Coordenação Geral de Planejamento Territorial do Turismo). O telefone para contato é o 61 2023-7291 ou 7888.

 

Fonte: Ministério do Turismo

MTur facilita acesso ao Selo +Turismo para projetos do setor

Nova portaria elimina limite mínimo de R$ 20 milhões para projetos de financiamento da iniciativa privada no setor turístico.

 

Uma portaria do Ministério do Turismo publicada no Diário Oficial da União flexibiliza as regras de concessão do Selo + Turismo, que garante prioridade à análise de financiamentos por meio do Prodetur+Turismo. O programa, lançado em abril deste ano, proporciona acesso a crédito para investimentos do setor por meio do BNDES e, mais recentemente, do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

A portaria também permite que os municípios apresentem, como documentação exigida à aprovação do projeto, planos diretores locais que façam referência ao setor turístico, mesmo que ainda estejam em fase de elaboração. Além disso, estados que pleiteiem recursos vão poder sugerir propostas que não contemplem obrigatoriamente todas as cidades integrantes de uma mesma região do Mapa do Turismo Brasileiro, bastando apenas que estas façam parte do grupo.

Para pleitos privados, o novo texto extingue o limite mínimo de R$ 20 milhões exigido à contratação. O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, explica que o objetivo é facilitar o apoio a interessados em dinamizar a atividade turística no Brasil. “Vamos ampliar o alcance do programa, cujos resultados mostram a disposição de representantes do setor em contribuir com o desenvolvimento do mercado nacional de Viagens e favorecer a geração de emprego e renda”, ressalta.

O Prodetur+Turismo já soma 89 projetos recebidos, com um total de 55 Selos +Turismo concedidos até o momento para 66 municípios de 19 estados brasileiros. Juntas, essas propostas totalizam R$ 3,8 bilhões sob análise, onde estão incluídos financiamentos a 19 empreendimentos privados.

ORIENTAÇÕES – Um call center disponibilizado pelo MTur esclarece dúvidas de gestores públicos e privados em relação ao Prodetur+Turismo. O trabalho agiliza o atendimento de demandas municipais e estaduais, bem como de empresários interessados em investir no setor. O telefone é o 0800 200 8484, e o email atendimento.prodetur@turismo.gov.br também recebe questionamentos sobre o programa.

 

Fonte: Ministério do Turismo