Posts

Mturs

Ministério do Turismo ofertará cursos de línguas estrangeiras para guias e condutores

Serão ofertadas mais de 4,2 mil vagas em cursos de inglês e espanhol para os profissionais.

Os guias e condutores de turismo de todo o Brasil terão mais uma oportunidade de qualificação profissional. Agora, em línguas estrangeiras. Isso porque o Ministério do Turismo fechou um acordo de cooperação com o Instituto Federal do Tocantins (IFTO), a Federação Nacional dos Guias de Turismo (Fenagtur) e com o Conselho Municipal de Turismo de Alto Paraíso (GO) para ofertar cursos de inglês e espanhol para estes profissionais. Ao todo, serão oferecidas mais de 4,2 mil vagas para os parceiros. 

De acordo com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a disponibilização destes cursos será uma importante aliada na retomada do turismo. “Cada vez mais, o mundo tem buscado um maior aperfeiçoamento para atender às demandas que surgem no dia a dia, principalmente em nosso segmento. Para isso, estamos trazendo mais estas oportunidades para estes profissionais, pois sabemos que a qualificação será uma das molas para que o setor turístico volte com tudo após este período que passamos”, concluiu.

Do total de vagas, 70% serão direcionadas para a oferta de cursos de inglês e os outros 30% para espanhol. Além disso, serão disponibilizadas mais de 2,8 mil oportunidades para os guias de turismo atendidos pela Fenag, 1.180 para os condutores que atendem os visitantes dos parques nacionais coordenados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e 210 para os condutores da região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Os processos de seleção serão realizados pelas instituições.

A previsão é que a partir de agosto, os condutores já possam iniciar as qualificações. Em outubro, será a vez dos guias de turismo. De acordo com o termo de cooperação, as entidades parceiras ficarão responsáveis por monitorar a realização e a conclusão dos cursos por parte dos interessados.

A qualificação no turismo é um dos pilares trabalhados pelo Ministério do Turismo para a melhoria da qualidade dos serviços como diferencial competitivo para o país como destino turístico. Diante disso, além dos cursos já ofertados, o MTur vem conjugando esforços por meio de parcerias, no sentido de identificar novas ofertas de ensino a distância e gratuitas, junto a instituições públicas de ensino, do Brasil. O objetivo é ofertar, de forma ampla, cursos em diversas áreas de atuação que atendam aos variados segmentos e os diversos profissionais da cadeia produtiva do setor.

Fonte: Ministério do Turismo

Informativo ABIH-SC 14 de maio

No informativo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, você vai ver:

Conversa com Gabriela Otto – Análise de dados e tendências para a hotelaria;– Sócio Colaborador – Anfer Design;-TOTVS Hospitalidade;- ABIH-SC participa de live sobre eventos;- Place Checkup – Faça um checkup antes do check-in;- Pesquisa da Santur com o trade avalia expectativas de retomada e impactos do coronavírus no Turismo em SC;-MTur libera R$ 5 bilhões na maior operação de crédito da história para o setor;- Associados ABIH-SC.

Confira o informativo completo AQUI!!

Turismo libera R$ 381 mi em financiamentos para pequenos e médios empresários

Objetivo do MTur é facilitar o acesso a crédito e o pagamento de empréstimos, proporcionando a manutenção de atividades durante a pandemia de coronavírus.

O Ministério do Turismo prepara a edição de uma portaria que vai flexibilizar as regras de empréstimos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur). As mudanças, uma reação aos impactos do coronavírus no mercado de viagens brasileiro, permitirão que os financiamentos, disponibilizados a micro, pequenas e médias empresas do setor de todo o país, tenham juros menores e um prazo maior de carência, com foco especial na modalidade de capital de giro. Atualmente, a carteira do Fungetur possui R$ 381 milhões disponíveis para empréstimos. 

O MTur também articula com instituições financeiras que viabilizam o crédito a aplicação de norma pela qual o pagamento das parcelas de juros das operações ainda em período de carência ocorra em um prazo de até três meses, e não apenas mensalmente. Os juros para capital de giro serão reduzidos de 7% para 5% ao ano e a carência do início de pagamento das parcelas de 6 meses para 1 ano.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, frisa que a decisão representa mais uma iniciativa do governo federal para enfrentar adversidades do período. “O presidente Jair Bolsonaro e todo o governo estão empenhados em dar suporte ao empresariado em geral. O nosso objetivo é permitir que serviços turísticos atravessem esse momento delicado e, superado o problema, o turismo possa continuar contribuindo fortemente para a economia nacional e a geração de emprego e renda no país”, explica.

Os financiamentos do Fungetur, que possuem um limite de R$ 10 milhões, são concedidos por 17 instituições financeiras credenciadas (Clique aqui para acessar). Os empréstimos, com taxas diferenciadas, podem ser acessados por empreendimentos privados de toda a cadeia produtiva do turismo para, além de capital de giro, implantar, ampliar, modernizar ou reformar atrativos, além de adquirir máquinas e equipamentos.

A contratação do crédito é permitida a prestadores de serviços elencados no art. 21 da Lei 11.771/2018 e que estejam devidamente inscritos no Cadastur, o cadastro oficial de operadores da área.

FACILITAÇÃO – Desde julho de 2019, o Ministério do Turismo facilitou o acesso de micro e pequenos empresários a empréstimos do Fungetur. Com as mudanças, empreendedores passaram a dispor de uma linha específica de capital de giro e puderam utilizar fundos para reduzir exigências, como a oferta de bens em garantia. A Pasta também ampliou de 8 para 17 o número de instituições financeiras credenciadas a operar o crédito.

Fonte: Ministério do Turismo

Reunião Extraordinária do Conselho Nacional de Turismo debate Coronavírus

Encontro reforçou empenho do MTur para informar trade turístico sobre ações adotadas pelo Governo Federal.

O Ministério da Saúde sediou nesta quarta-feira (04.03), a 3ª Reunião Extraordinária do Conselho Nacional do Turismo com o objetivo de discutir as ações do Governo Federal para enfrentar o Coronavírus no país e ratificar os esforços do MTur para que o impacto no setor turístico seja o menor possível. Durante evento, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, detalhou para o trade turístico e autoridades presentes, as medidas adotadas para informar e orientar a população, e os turistas, sobre a doença.

Participaram da reunião o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo; o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto; o secretário executivo do MTur, Daniel Nepomuceno; e dos secretários nacionais de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William Franca; de Integração Interinstitucional, Bob Santos; e de Estruturação do Turismo substituto, Hercy Filho.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, relembrou em sua fala que desde o primeiro caso suspeito de Coronavírus no Brasil, foi solicitado ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a participação do MTur no Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo Coronavírus (COE-nCoV). O grupo foi criado pelo Governo Federal para deliberar sobre a doença.

Para ele, a reunião com os principais representantes do Turismo é fundamental para orientar o setor. “Importante estarmos neste momento reunidos para ter troca de impressões do impacto do Coronavírus no Turismo”, afirmou. “Por isso, convidamos para tratar disso, entender os acontecimentos e traçar um planejamento para vencer esse momento difícil causado por esse vírus”, completou.

Após abertura do ministro, o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo, apresentou dados atualizados do Coronavírus no Brasil e tranquilizou os membros do Conselho Nacional do Turismo sobre as orientações sobre realização de eventos. “Não recomendamos redução de viagens ou das atividades no comércio. Isso é infrutífero. É preciso adotar as recomendações do Ministério da Saúde e organizar eventos com algumas medidas de segurança e higiene”, disse, citando a importância da orientação sobre prevenção da doença.

Como exemplo, citou o baixo grau de letalidade e de transmissão do Coronavírus em relação a outras doenças. Uma pessoa infectada pelo Coronavírus transmite em média para 2 a 3 pessoas. No caso do Sarampo, um infectado transmite para 16 pessoas. “Não é a primeira vez que enfrentamos isso. Tivemos outras experiências, com o Zika vírus. Como diz o ministro Mandetta, é vida que segue”, afirmou.

O deputado federal Newton Cardoso Jr., presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, elogiou a reunião com o trade turístico. Para ele, a união entre os atores do setor é essencial para superarmos o Coronavírus no país. “Essa preocupação unificada é um grande passo para vencemos esse vírus”, declarou.

WTM LATIN AMERICA CONFIRMADA – A diretora World Travel Market América Latina, Luciana Leite, confirmou a realização de um dos maiores eventos turísticos setor. A WTM Latin America será realizada em São Paulo de 31.03 a 02.04. “Está confirmadíssima. Inclusive, tivemos um aumento de 17% no número de inscritos em relação ao ano passado”, afirmou. O evento atrai anualmente um público mundial para se reunir e debater o rumo do setor de viagens e turismo.

SENACON – Juliana Domingues, diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), ressaltou a proximidade da instituição com os Procons do Brasil para alinhar procedimentos. O objetivo é acalmar o consumidor, orientar sobre os seus direitos e sensibilizar o cidadão para utilizar a plataforma Gov.br, canal digital que reúne os programas e ações do Governo Federal.

Fonte: Ministério do Turismo

Curso de Atendimento ao Turista supera os 15 mil inscritos

Objetivo da iniciativa é melhorar a qualidade do serviço prestado aos visitantes e a gestão do turismo no país.

O curso de atendimento ao turista Brasil Braços Abertos, oferecido pelo Ministério do Turismo, atingiu a marca de 15.875 inscritos. Os alunos têm até o dia 30 de março para concluir as aulas que dão direito a certificado válido como curso de extensão. O BBA é uma plataforma online, totalmente gratuita, aberta a pessoas com mais de 15 anos e se destina a profissionais que já atuam ou pretendem operar no setor.

A manauense Ivânia Fernandes é técnica em guia de turismo e acaba de terminar o curso Brasil Braços Abertos. Todos os dias, ela atende turistas brasileiros e estrangeiros interessados em conhecer as belezas amazônicas encontradas na cidade de Manaus. “O curso me ajudou muito a reciclar as informações de como oferecer um bom atendimento aos visitantes. A região norte recebe muitos turistas e precisamos sempre estudar e nos atualizar. Se os turistas são bem recebidos, com certeza eles voltam e fazem propaganda para os amigos e familiares”, comentou.

A região Sudeste se destacou em número de inscritos (49,8%), seguida do Nordeste (20%), do Sul (17,1%), do Centro-Oeste (6,5%) e do Norte (5,2%). O maior número de alunos é de São Paulo (3.650). Na sequência, Rio de Janeiro (2.325), Minas Gerais (1.525), Santa Catarina (1.094) e Rio Grande do Sul (979). Residentes em outros países somam 115 inscritos, com destaque para Argentina (48), Venezuela (11), Portugal (6), Chile (6) e Uruguai (5).

A coordenadora-geral de Qualificação do Ministério do Turismo, Neuza Portugal, afirma que o curso busca atender às necessidades dos interessados e de qualificação do mercado. “O curso, voltado aos profissionais que atuam na linha de frente do turismo, independente do perfil de ocupação, permite que o aluno, especialmente o que já trabalha, planeje seus estudos conforme a disponibilidade de horário. Trata-se de uma excelente oportunidade de se posicionar melhor no mercado, aumentando as possibilidades de contratação na área e aprimorando, de forma geral, o nível de excelência do atendimento ao turista no Brasil”, salienta.

AVALIAÇÃO – De acordo com uma pesquisa promovida pelo Ministério do Turismo com alunos da última edição do curso, 95% apontaram a flexibilidade de horário e local para estudar como a principal motivação da qualificação. Outros 90% citaram a chance de aperfeiçoamento profissional como diferencial para realizar o curso.

Ainda segundo o levantamento, 84% citaram a possibilidade de obter um certificado como motivação, e 80% elegeram a facilidade de acesso às aulas. Já 77% indicaram a ampliação das oportunidades de inserção no mercado de trabalho. A pesquisa, realizada entre 16 de maio e 4 de junho deste ano, consultou um total de 480 voluntários.

SOBRE O BBA – A capacitação, que possui 80 horas-aula, abre inscrições a cada ano e se divide em quatro módulos: Introdução, Atendimento, Comunicação e Temas Transversais. O curso utiliza linguagem simples e engloba conteúdos como noções de inglês, ética e marketing, transmitidos por meio de jogos e vídeos.

A conclusão exige que o inscrito some 696 pontos. Ao final, o próprio aluno pode emitir certificado, chancelado pelo MTur e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). O BBA oferece atendimento ao público por meio do endereço eletrônico pea@turismo.gov.br ou do telefone gratuito 0800 200 8484. Informações sobre novas inscrições ainda serão divulgadas.

Fonte: Ministério do Turismo

Prêmio Nacional do Turismo: conheça os finalistas da categoria “Dirigentes e Parlamentares”

Concorrem agentes públicos que ocupam cargos diretivos. As votações estão abertas até o próximo domingo (1.12).

O Ministério do Turismo divulga nesta quinta-feira (28.11) mais uma categoria do Prêmio Nacional do Turismo: “Dirigentes e Parlamentares”. O evento busca reconhecer e valorizar profissionais que tenham atuado de forma proativa em benefício do desenvolvimento do turismo no País nos últimos 24 meses. Os vencedores deste ano serão conhecidos durante cerimônia no próximo dia 4, durante a Semana Nacional do Turismo, em Belo Horizonte (MG).

O Ministério do Turismo conta com a participação do público na escolha dos vencedores em oito categorias, que já somam um recorde de mais de 45 mil votos registrados, contra 44.202 da edição de 2018. Veja abaixo os finalistas e vote.

Dirigentes e Parlamentares

Alexandre Pereira

Secretário Municipal de Turismo de Fortaleza (CE), é empresário e administrador de empresas. Pós-graduado em gestão pelo INSEAD e em gestão pública pela UFC.

Bruno Wendling
Diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, é turismólogo e já atuou como consultor, palestrante e facilitador em mais de 100 destinos.

Felipe Guerra
Secretário Municipal de Turismo, Indústria e Comércio de Ouro Preto (MG) e presidente da Associação Circuito do Ouro. É formado em Turismo.

Gilmar Piolla
Secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu (PR), é um dos idealizadores do Fundo Iguaçu e da Gestão Integrada de Turismo do município.

Rodrigo Parisotto

Secretário Municipal de Turismo de Bento Gonçalves (RS), foi empresário no ramo da comunicação e participou de projetos como o Dia do Vinho, Jantar sob as Estrelas e eventos como o ExpoBento.

Fonte: Ministério do Turismo

Veja também: Revista ABIH-SC – 2ª Edição

300 Dias: O Turismo contribuindo para o desenvolvimento do Brasil

Conheça as conquistas alcançadas pela Pasta em quase um ano de gestão.

Geração de emprego e renda, ambiente de negócios mais competitivo, mais atração de investimentos, mais parcerias, mais oferta turística, ações inovadoras e de inclusão social são os objetivos que norteiam a política do MTur, empregada desde o início deste ano. Há 300 dias, o Ministério do Turismo trabalha com o compromisso de progresso e abertura para o desenvolvimento do Brasil defendido pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio.

“Neste quase um ano de gestão, o turismo passou a ser reconhecido pelo seu potencial econômico e vem sendo tratado como prioridade deste governo. Um setor que é responsável por cerca de 6,6 milhões de empregos diretos e indiretos e movimenta US$ 152,2 bilhões no Brasil, como o turismo, deve ter um papel protagonista nas ações de desenvolvimento do país”, destacou o ministro. Marcelo Álvaro parabenizou o esforço conjunto das quatro secretarias que integram a Pasta e ressaltou que ainda tem muito a ser feito. “Em 300 dias conquistamos importantes avanços e continuaremos trabalhando para romper barreiras, driblar desafios e construir um Brasil novo e melhor”, concluiu.

Ao longo de 2019, o turismo avançou nas áreas de infraestrutura, conectividade e competitividade, contribuindo significativamente para o desenvolvimento do país. Diversas medidas assertivas foram tomadas com o objetivo de alcançar metas como dobrar o número de turistas até 2022.

Em junho deste ano, o Brasil isentou a emissão de visto para países como Canadá, Austrália, Estados Unidos e Japão. Em apenas quatro meses após a mudança, a entrada de turistas desses países cresceu 25% comparado com o mesmo período do ano passado. Os Estados Unidos foram o maior emissor entre os contemplados pela isenção, com um aumento de 25,79%, saltando de 56.668 para 71.281 visitantes. Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que a isenção de visto será ampliada também para os turistas chineses. Essa medida possibilitará o aumento do fluxo de turistas no país e, consequentemente, a receita advinda do turismo. A meta é atrair 600 mil chineses nos próximos anos.

Outra conquista foi a chegada das empresas aéreas de baixo custo, as low costs, ao mercado brasileiro. Quatro companhias já começaram a operar no país. A primeira a operar foi a chilena Sky Airline, seguida por Norwegian Air, Flybondi e Jetsmart. O reflexo da chegada das empresas de baixo custo já gera resultados para o turismo no país. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve queda de 16,85% no preço médio das passagens.

Após a decisão do Governo Federal de converter em lei (13.842/2019) a MP que abriu o mercado brasileiro para a participação de 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras, investidores internacionais demonstraram interesse em operar no mercado interno. A empresa espanhola Globalia foi a primeira empresa estrangeira a ter um registro 100% nacional no país e realiza estudos de viabilidade para dar início às operações.

O Ministério do Turismo também foi protagonista na articulação junto ao Ministério da Infraestrutura que assinou contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs), permitindo a construção do primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas do Brasil, projetado para ser construído em Balneário Camboriú (SC). O porto é o primeiro passo para alcançar a perspectiva de construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais de R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019. O ministro também articula junto a SAC e ANAC a construção de um aeroporto na Bahia. Os estudos de viabilidade de para a construção começam em 20 de novembro.

O Turismo também vem trabalhando para melhorar a qualidade do serviço entregue aos visitantes. O número de profissionais e empresas do setor que se registraram no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur) cresceu 26% na comparação de outubro de 2018 e outubro de 2019. Isso representa 20.286 a mais de empresas legalizadas.

INVESTIMENTO

Ainda no mês de novembro, o Ministério do Turismo concluirá a primeira etapa do Programa Investe Turismo, contemplando 30 rotas turísticas estratégicas de todo o país com um investimento de R$200 milhões. Na segunda etapa serão investidos mais R$300 milhões. O programa vai mudar a realidade do turismo local por meio do fortalecimento dos pequenos negócios e do desenvolvimento social e econômico de cada destino brasileiro.

Em 2019, o Ministério do Turismo liberou mais de R$ 400 milhões para obras de infraestrutura turística em todo o Brasil e quase 700 obras foram entregues.

Desde o dia 1º de janeiro, para viabilizar investimentos privados no setor com linhas de crédito mais dinâmicas e acessíveis, foram concedidos financiamentos de R$ 86 milhões a 63 empreendimentos, principalmente micro e pequenas empresas. Até o momento, houve a geração e/ou manutenção de 2.063 empregos por meio de projetos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo). O objetivo é que o Fundo possa, até 2020, financiar 2 mil empreendimentos turísticos com 30 mil empregos criados e mantidos.

Pelo Prodetur + Turismo, R$ 5,4 bilhões foram pleiteados em 248 propostas de estados, municípios e da iniciativa privada. O programa do Ministério contempla desde ações como a urbanização de orlas, sinalização turística e a captação de eventos até a instalação de novos empreendimentos e marketing, entre outras.

Fonte: Ministério do Turismo

MTur realiza diagnóstico para alteração em Registro de Hóspedes

Pasta está se reunindo com gestores e trade turístico para traçar mudanças a serem realizadas.

O Ministério do Turismo está fazendo uma avaliação junto ao trade turístico e gestores do setor para realizar mudanças na Ficha Nacional de Registro de Hóspedes (FNRH). A ideia é fazer com que ela se torne uma declaração digital, trazendo benefícios tanto para o turista, quanto para os empresários da rede hoteleira. Com o documento, o governo federal pode coletar informações que identifiquem o perfil do turista e as taxas de ocupação de cada região, atuando assim, na melhoria da elaboração de políticas públicas direcionadas ao setor.

De acordo com o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Aluizer Malab, a iniciativa vem sendo trabalhada desde o início do ano e irá modernizar o setor. “Estamos trabalhando para trazer algo moderno e que acompanhe o momento tecnológico que estamos vivendo, tornando mais ágil o processo de chegada dessas informações. Isso beneficiará quem está lá na ponta: o cidadão e, também, os empresários já que para qualquer negócio ter sucesso, é necessário entender bem o seu público-alvo”, destacou.

Para se hospedar em qualquer hotel ou pousada pelo país, os turistas nacionais e internacionais devem preencher a Ficha Nacional de Registro de Hóspedes. Ela conta com informações como o tempo de permanência no destino, o número de acompanhantes, o meio de transporte e o local de residência, entre outros dados. O envio dessas fichas é obrigatório para todos os estabelecimentos que atuam legalmente e possuem, portanto, registro no Cadastur, o sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas, do Ministério do Turismo, que atuam no setor.

Fonte: Ministério do Turismo

Pesquisa do MTur aponta otimismo entre empresários do setor hoteleiro

Intenção de investir em estabelecimentos no segundo semestre é 21,1% superior à registrada no mesmo período do ano passado.

Uma pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo com empresários de hotéis do país revela confiança quando o assunto é investir e criar empregos no setor. Isso porque dois em cada três deles (65,9%) planejam melhorias em seus estabelecimentos no segundo semestre de 2019. A intenção é 21,1% maior do que a verificada quanto ao mesmo período do ano passado, quando 54,4% se posicionaram positivamente.

A perspectiva também é positiva para a contratação de profissionais: 22,7% dos empreendedores afirmam que pretendem empregar novos funcionários até o final do ano, já que 39,8% deles acreditam que haverá aumento na demanda por serviços ofertados. Além disso, o estudo aponta que 42,8% dos empresários esperam alta de faturamento dos negócios no período.

Em agenda na Rússia, durante a 23ª Assembleia Geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou os indicadores que demonstram otimismo do setor hoteleiro em investir no turismo brasileiro, principalmente com a geração de emprego ao país. O titular da Pasta reforçou ainda a importância de pesquisas como essa para mensurar os resultados das políticas públicas que vem sendo desenvolvidas nestes oito meses de gestão.

“O segmento de hospedagem é de extrema relevância para o turismo e, por isso, funciona como um termômetro para medir o desempenho do setor como um todo. Os resultados demonstram uma perspectiva otimista para os meses seguintes e fundamental aos próximos passos. Sinal de que estamos no caminho certo. O aumento da geração de empregos no turismo já é realidade comprovada. O turismo no centro da agenda econômica proporciona isso”, ressaltou o ministro.

Esta é a segunda etapa da Sondagem Empresarial do Setor Hoteleiro no Brasil, promovida pela Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas do MTur. São consultadas empresas de hospedagem de todos os portes, entre hotéis, pousadas, resorts e acampamentos turísticos. O objetivo é apurar as perspectivas quanto ao desempenho dos estabelecimentos e dos destinos onde eles se localizam.

A pesquisa foi realizada pela Subsecretaria de Inovação e Gestão do Conhecimento do Ministério do Turismo por meio de questionário eletrônico. Ao todo, 1.173 empresários do setor hoteleiro, de todas as Unidades Federativas do Brasil, responderam às perguntas em todo o mês de Julho de 2019. Foram questionadas informações econômicas tanto do estabelecimento quanto do destino, referente ao 2º trimestre de 2019 comparado ao mesmo período de 2018, além das perspectivas para os próximos seis meses. A pesquisa teve apoio das secretarias e órgãos estaduais de Turismo e entidades representativas do ramo hoteleiro. Clique aqui para conferir o estudo na íntegra.  

HOTELARIA EM ALTA – Recentemente, dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA) revelaram que Salvador (BA) teve em agosto o melhor índice de ocupação hoteleira dos últimos 8 anos, com 62,29% dos quartos reservados por visitantes. Outro dado positivo do turismo vem do Ceará: no primeiro semestre deste ano, o estado, cenário de um dos mais belos litorais do país, recebeu 129,4 mil turistas estrangeiros, um crescimento de 99% na comparação com o mesmo período de 2018.

Fonte: Ministério do Turismo

Registros no Cadastur sobem 16% nos sete primeiros meses de 2019

O número de profissionais e empresas do setor de turismo que se registraram no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur), de janeiro a julho deste ano, teve um aumento de 16,09% em relação ao mesmo período do ano passado. O índice representa um incremento de 12.580 novos prestadores formalizados até esta quarta-feira (31), atingindo um total de 90.784 cadastros.

Em termos numéricos, as novas agências de turismo (4.072) representam 32% do aumento de cadastros nos últimos 7 meses. Já os meios de hospedagem formalizados no mesmo período (2.147) correspondem a 17% dos cadastros em 2019. O Brasil conta, atualmente, com 28.065 agências de turismo e 13.492 meios de hospedagem formalizados no Ministério do Turismo que representam, respectivamente, 31% e 15% do total de cadastrados atualmente.

Para a coordenadora-geral de Regulação e Fiscalização do Ministério do Turismo, Tamara Galvão, o aumento é fruto das ações realizadas pelas equipes da Pasta, que têm trabalho para aprimorar o setor no país. “Esse crescimento se deve ao trabalho de fiscalização, remota e presencial, realizado pelos fiscais do MTur e a orientação junto aos municípios e instâncias de governança das regiões turísticas, que é feita pelo Programa de Regionalização do Turismo”, destacou.

Um exemplo desse trabalho realizado em parceria com os destinos é o estado do Espírito Santo. No primeiro semestre de 2019, a Unidade Federativa registrou um crescimento de 51% no Cadastur em relação ao ano inteiro de 2018. No ano passado, o estado capixaba contava com 1.177 prestadores de serviços turísticos formalizados. Em 2019, número já soma 1.788.

A participação no Cadastur é obrigatória para agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de eventos, parques temáticos, transportadoras turísticas e também para os guias de turismo. Além disso, a iniciativa promove o ordenamento, a formalização e a legalização destes prestadores.

Tamara Galvão ressalta, ainda, que são muitas as vantagens para os empreendedores regularizados junto ao Ministério do Turismo. Ela destaca a participação em programas de qualificação e infraestrutura, acesso a financiamentos, apoio a eventos, feiras e ações do MTur, além de maior visibilidade nos sites do Cadastur e Mapa do Turismo Brasileiro, entre outros. O turista também pode consultar o Cadastur antes de contratar um serviço turístico.

Quanto maior a adesão dos prestadores de serviços turísticos no Cadastur, melhor para o segmento. O cadastro é simples, online e gratuito. Os interessados devem acessar o site (www.cadastur.turismo.gov.br) e preencher o formulário. O número do Cadastur precisa ser renovado a cada cinco anos para os guias de turismo e a cada dois anos para as demais atividades.

 

Fonte: Ministério do Turismo