Posts

Outubro: roteiros de fé em destaque

 

Das 185 atrações e festividades inscritas no Calendário Nacional de Eventos do Ministério do Turismo, 49 estão relacionadas ao turismo religioso em outubro.

Em outubro, a força dos destinos brasileiros da fé está voltada para as grandes celebrações, ponto alto da programação religiosa do país. Do total de 185 atrações e festividades inscritas, para o mês, no Calendário Nacional de Eventos do Ministério do Turismo, 49 estão relacionadas a romarias, círios, procissões, peregrinações e missas.

No Brasil, o turismo religioso movimenta cerca de 20 milhões de viagens por ano e é responsável por injetar R$ 15 bilhões nas economias anfitriãs, aquecendo atividades do comércio e serviços com a geração de emprego e renda.

De acordo com Cristiano Borges, coordenador-geral de Produtos Turísticos do MTur, o fato de um a cada quatro eventos do Calendário estar focado neste segmento ao longo do mês revela a importância das comemorações da fé para o turismo doméstico.

“Enquanto os viajantes podem conhecer melhor a oferta de eventos em épocas e regiões específicas, os destinos têm o calendário como uma vitrine de divulgação direta para um público segmentado. Assim, a ferramenta digital oferece apoio ao turista que planeja uma viagem pelo Brasil e aos destinos, por estimular o incremento do fluxo turístico em todas as regiões”, explica Borges.

AGENDA – Entre os grandes momentos de religiosidade no país, estão as festas de São Francisco de Assis, cujo centro de romarias é Canindé (CE), localizada a 110 km de Fortaleza. A cidade tem a segunda maior romaria Franciscana do mundo, com um milhão de fiéis por ano. Eles percorrem até esta quinta-feira (4), Dia de São Francisco, mais de cento e vinte quilômetros debaixo do forte sol até chegar ao maior santuário franciscano das Américas.

Além do complexo do santuário, formado pela basílica e pela praça dos romeiros, o turista poderá conhecer a estátua de São Francisco com 30 metros de altura e sua vista panorâmica, o museu de São Francisco e o zoológico dedicado ao santo protetor dos animais.

O feriadão de 12 de outubro coincide também com o Círio de Nazaré, em Belém (PA), realizado sempre no segundo domingo de outubro, quando a cidade chega a reunir mais de dois milhões de fiéis. A celebração religiosa dura duas semanas e está para os paraenses assim como o Natal para o restante do Brasil. De tão significativa e simbólica, a festa da padroeira da Amazônia foi reconhecida pela Unesco como patrimônio imaterial da humanidade.

No Sudeste, Aparecida do Norte (SP) é amplamente conhecida pelo Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, segundo maior do mundo, atrás apenas da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A Basílica de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, é considerada também o maior santuário mariano do mundo. Maior espaço religioso do país, com 143 mil m² de área construída, recebe mais de 12 milhões de romeiros por ano, entre turistas e excursionistas.

A passagem do turista pelo santuário inclui visita ao Nicho de Nossa Senhora Aparecida, uma capela com 37 metros de altura onde está a imagem encontrada por pescadores no rio Paraíba do Sul (SP) em 1717; e também à Sala das Promessas, ao Memorial da Devoção, ao Museu, ao campanário com 13 sinos e ao mirante no 18º andar, de onde se tem uma visão privilegiada do rio e da Passarela da Fé. Outro atrativo é o passeio nos bondinhos aéreos, com extensão de 1.170 metros, até o Morro do Cruzeiro.

03.10.2018 basilicadenazare belem BrunaBrandao
Basílica de Nazaré, em Belém (PA). Foto: Bruna Brandão/Banco de Imagens do MTur

 

Fonte: Ministério do Turismo

É dia de festa no Turismo!

 

Sob o tema “Turismo e Transformação Digital”, Dia Mundial do Turismo de 2018 marca sucesso do visto eletrônico implantado pelo Ministério do Turismo.

O dia 27 de setembro é de dupla celebração para quem ama ou trabalha no setor de viagens. Foi escolhido pela Organização Mundial do Turismo (OMT) como Dia Mundial do Turismo e também é a data nacional dedicada aos turismólogos, profissionais que atuam no planejamento e execução de ações estratégicas para que as viagens sejam feitas de forma legal, sustentável e segura. Neste ano em que o tema da comemoração é “Turismo e a Transformação Digital”, o Ministério do Turismo aproveita para festejar a marca de 119 mil vistos eletrônicos solicitados por cidadãos do Estados Unidos, Japão, Canadá e Austrália, primeiros países beneficiados com a medida.

O visto eletrônico promove uma verdadeira transformação no turismo brasileiro. O início da facilitação de emissões teve início em novembro de 2017 para a Austrália e em janeiro deste ano para os demais países. Desde então, o Ministério das Relações Exteriores observou um aumento de 39% na solicitação do documento – entre os meses de janeiro e agosto de 2018 – em comparação com o mesmo período do ano anterior. Se convertidas em viagens, as autorizações de visita ao Brasil podem representar US$ 47 milhões a mais na economia nacional.

“O visto eletrônico é um exemplo claro de como tecnologia e inovação impactam positivamente no turismo e ajudam na circulação de pessoas e ideias” , afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Para a OMT, os avanços digitais e de inovação são parte da resposta ao desafio de conciliar crescimento contínuo com maior sustentabilidade e responsabilidade no setor do turismo.

“Esse é um dia de festa para nosso setor e de prestarmos homenagens aos profissionais que tanto fazem pelo turismo nacional, além de também ser um momento de reflexão para o momento da chegada de novas tecnologias que vivemos e que já têm um impacto significativo na atividade, contribuindo de forma vital inclusive para o rumo do futuro”, finalizou.

TURISMÓLOGO – Criada inicialmente com o objetivo de celebrar o Dia do Bacharel em Turismo, a ideia é transformar a data em Dia do Turismólogo por meio do Projeto de Lei 3629/12. A profissão passou a ser reconhecida em 2012 e, segundo a Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR), o Brasil conta com aproximadamente um milhão de profissionais. Sua atuação no mercado se divide entre bacharéis, tecnólogos, licenciados e provisionados.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Cruzeiros poderão ficar mais tempo no Brasil

Decreto publicado no Diário Oficial evita a perda de 7 mil empregos e R$ 450 milhões na economia brasileira.

 

Os amantes dos cruzeiros marítimos têm motivo para comemorar. O Decreto Presidencial número 9.500, publicado nesta  terça-feira (11) no Diário Oficial aumentou de 90 para 180 dias a validade do visto dos profissionais que trabalham nos navios em viagem de longo curso. O texto afasta o risco do Brasil ter uma temporada reduzida de 120 para 90 dias em 2018/2019. Pelas estimativas da entidade que representa os navios de cruzeiros, Clia Brasil , com base na última temporada, caso a duração da estada dos navios na costa brasileira fosse encurtada, a economia nacional perderia 7 mil empregos e R$ 450 milhões.

Para os cruzeiros marítimos, o aumento na validade do visto para marítimos representa uma redução no custo operacional com taxas em R$ 5 milhões.  “Essa era uma demanda histórica, que ajuda a simplificar a nossa operação e, consequentemente, facilita a busca por novos navios para a próxima temporada. É mais um entrave que, com a ajuda fundamental do Ministério do Turismo, com a ajuda da Casa Civil e a atuação determinante da Presidência da República a gente consegue superar”, comentou Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil.

A temporada 2018/2019 de cruzeiros começa em novembro e terá sete navios de cabotagem, com viagem com início e fim nos portos nacionais, e 29 embarcações de longo curso, com escalas no país. Em média os navios permanecem 120 dias em operação no Brasil. Uma eventual redução para 90 dias representaria uma perda de 25% na movimentação econômica e geração de emprego. De acordo com estudo da FGV, um cruzeirista gasta mais de R$ 500 em cada escala.

“Não podemos nos dar ao luxo de perder esses empregos e a injenção desses recursos na nossa economia. Temos a obrigação moral de abrir postos de trabalho e criar alternativas para a população. O turismo tem diversas soluções nesse sentido”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Debate realizado no Ministério do Turismo teve como objetivo mostrar novas estratégias de marketing para conquistar turistas internacionais para o Brasil.

 

Tratar sobre a promoção do turismo brasileiro tendo em vista os novos perfis de turistas foi o assunto abordado no workshop “O Futuro da Promoção Turística” realizado nesta terça-feira (31), no auditório térreo do Ministério do Turismo. O encontro teve a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, do secretário-executivo do MTur, Alberto Alves, da presidente da Embratur, Teté Bezerra, além do diretor de estratégias globais e serviços a clientes da consultora MMGY Global, Chris Pomeroy, o qual apresentou palestra para e colaboradores e servidores do MTur e Embratur.

“As práticas de promoção turística farão com que o número de visitantes internacionais que escolhem o Brasil como destino ultrapassem os dados atuais de 6,6 milhões verificado em 2017”, comentou o ministro Vinicius Lummertz.

De acordo com o canadense Chris Pomeroy, existe um processo de mudança no turismo mundial no qual as nações precisam estar atentas. O diretor, que tem experiência no segmento de marketing internacional há mais de 30 anos, trouxe ao público uma análise dos novos perfis de turistas, apontando suas escolhas e desejos dentro do segmento turístico.

Na análise, a internet foi apontada como uma importante ferramenta utilizada por esses perfis para uma busca segmentada. “Não existe mais uma linearidade nas buscas no roteiro das viagens e agora o comportamento de cada turista é único. Portanto, a estratégia de divulgação não pode estar baseada apenas em promover o destino, pois os consumidores já têm essa informação. O que deve ser feito é manter a marca daquele país ou destino estável no mercado”, narra o diretor.

Uma maneira para o uso dessa estratégia está em aproveitar a segmentação para trazer mais viajantes ao Brasil, conforme explica o palestrante, utilizando o item “atrativos naturais” para focar em turistas que gostam de esportes radicais ou ecoturismo.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Hotelaria planeja investimentos em 2018

Sondagem do MTur ouviu representantes de 664 empreendimentos hoteleiros de todos os estados

 

Boa parte dos empreendimentos hoteleiros de todas as regiões deverão receber investimentos ainda este ano. Essa disposição foi manifestada pelos empresários ouvidos em sondagem do Ministério do Turismo, que avaliou as perspectivas do segmento da hotelaria para um período que se estende até outubro próximo. O maior índice de otimismo foi verificado na região Centro-Oeste, onde 71,2% dos entrevistados admitiram a possibilidade de investir nos próprios negócios no período.

No Sudeste, que concentra a maior oferta hoteleira do país, o índice é de 58,5%.  Nos dois estados que abrigam as capitais mais visitadas do Brasil, a situação não é diferente. Em São Paulo, principal destino de negócios no turismo internacional, mais de 2/3 dos entrevistados indicaram a possibilidade de novos aportes para melhoria de seus empreendimentos e no Rio de Janeiro, número 1 em lazer, o percentual é de 43%.

Nas regiões Norte e Sul, o índice dos hoteleiros que manifestaram a possibilidade de realizar investimentos foi de 69%.   Entre os empresários gaúchos, por exemplo, o índice dos que responderam que provavelmente farão investimentos é de 61,4% e de   78,4% entre os donos de hotéis de Santa Catarina.

Na região Nordeste as respostas positivas (farão ou provavelmente farão investimentos) vieram de 66,3% dos empresários consultados. No estado da Paraíba, onde se realiza uma das maiores festas juninas do país, em Campina Grande, 74% dos hoteleiros disseram que devem investir até outubro.

PESQUISA – A Pesquisa de Sondagem – Empresários do Setor Hoteleiro no Brasil ouviu, em abril, representantes de 664 empreendimentos de todos os portes, dos quais 19% com mais de 100 quartos. O objetivo foi apurar as perspectivas dos empresários quanto ao desempenho de seus estabelecimentos e dos destinos onde estão inseridos.  O levantamento trouxe dados do primeiro trimestre de 2018 e apurou também a expectativa do empresariado para um período de seis meses, ou seja, até outubro deste ano.

 

Fonte: Ministério do Turismo.

Meios de hospedagens legais aumentam 54% após fiscalização do MTur

 

Força-tarefa realizada no primeiro semestre de 2017 registrou aumento expressivo no número de estabelecimento regularizados junto à Pasta.

O número de meios de hospedagem cadastrados no Cadastur, do Ministério do Turismo, cresceu 54% desde o início da “Operação Verão Legal” realizada pela Pasta e que visitou, até maio, estabelecimentos de 24 capitais brasileiras. A iniciativa também impactou no número total de cadastros incluindo outros segmentos. Atualmente, o Cadastur conta com 70.760 registro, marca histórica da ferramenta e que representa um aumento de 22% em comparação ao início da operação.

 “O crescimento expressivo de pessoas físicas e jurídicas credenciadas reforça que a ação inovadora do Ministério do Turismo encontrou respaldo em todo o setor que entendeu a importância de estar regularizado junto ao órgão máximo do turismo. Sempre tratamos a operação como uma ação acima de tudo de sensibilização sobre a importância da formalização para o desenvolvimento do setor”, explicou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

A ação contou com a participação de sete fiscais da Pasta que visitaram 1,3 mil estabelecimentos.  Destes, 940 estavam irregulares e foram notificados. Pela Lei do Turismo, sete atividades turísticas são de cadastro obrigatório: guias de turismo, agências de turismo, meios de hospedagem, transportadoras turísticas, empresas organizadoras de eventos, acampamentos turísticos e parques temáticos.

Os estados com maior índice de regularização foram Paraná (88%), Piauí (87%)m Maranhão e Mato Grosso do Sul (83%) e Paraíba (80%). “Os altos índices de regularização confirmam que o trabalho em parceria entre governo federal e governos estaduais é altamente benéfico para o setor e gera resultados positivos para todos aqueles que trabalham com a atividade turística”, afirma a coordenadora-geral de cadastramento e fiscalização de prestadores de serviços turísticos, Tamara Galvão.

NOVO CADASTUR – O trabalho de fiscalização é realizado para acompanhar a nova versão da ferramenta lançada em março deste ano. Totalmente modernizado, o Cadastur 3.0 possibilita que a inscrição seja inteiramente eletrônica, feita em uma interface amigável e interligada ao banco de dados da Receita Federal, trazendo menos burocracia e mais rapidez para quem deseja estar formalizado.

A ferramenta é mais um passo dado pelo Ministério do Turismo em busca da formalização total dos prestadores de serviço turísticos.  O novo Cadastur também modernizou o certificado que agora contará com a tecnologia de QR Code com todas as informações dos cadastrados. Além disso, os veículos que realizam transporte turístico receberão também novos selos com a mesma tecnologia.

Fonte: Ministério do Turismo

Prodetur+Turismo

Paraná sedia Prodetur+Turismo Itinerante

Prodetur+Turismo

O Paraná é o terceiro estado a receber uma missão técnica do Prodetur Itinerante, iniciativa do Ministério do Turismo que oferece consultoria especializada de projetos a governos e empresários interessados em investir no setor. O objetivo é prepará-los para acessar os R$ 5 bilhões das linhas de crédito do Prodetur+Turismo. Os recursos são destinados a financiar infraestrutura pública e privada de turismo no Brasil, bem como ações de promoção dos destinos, informação ao turista e estudos de planejamento e diagnósticos de mercado.

A oportunidade de investimento foi apresentada pelo ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, que está em Foz do Iguaçu (PR) nesta quarta-feira (20) durante evento com representantes do poder público e setor privado paranaenses. Na ocasião o ministro entregou o Selo+Turismo a três projetos do estado.

“Bons projetos trazem bons resultados. E criar as condições para que isso aconteça é o nosso papel, isso é democracia. Oferecer a oportunidade e as ferramentas para que o desenvolvimento saia do papel”, afirmou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

As propostas das prefeituras de Foz do Iguaçu, Paranaguá e Pontal do Paraná estão prontas para dar entrada no programa e por isso receberão o carimbo que garante prioridade de tramitação junto ao BNDES. Juntos, os projetos somam R$ 200 milhões. Cerca de 70% (283) dos municípios do estado estão aptos a solicitar recursos por meio do Prodetur + Turismo, caso tenham capacidade de endividamento.

“O novo Prodetur é um sonho para todos os municípios que apostam no turismo: um programa que olha estrategicamente para o potencial de cada destino. Por meio dele, vamos começar ocupar o espaço e a perspectiva enorme que o turismo em Foz, e o Ministério do Turismo tem sido um parceiro nesse propósito”, comentou o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro.

Até o momento, foram apresentados ao MTur R$ 1,16 bilhão em 21 projetos que passarão a tramitar no BNDES. Desses, R$ 712 milhões são dos pleitos formalizados pelos três estados do Sul.

A governadora do estado, Cida Borghetti, ressaltou as belezas naturais do estado. “O Paraná tem belezas naturais que são símbolos do turismo no Brasil e vamos, com a força do trabalho e de investimentos como esses, fomentar o setor como oportunidade de emprego e renda”, ressaltou.

O Prodetur Itinerante tem como objetivo criar um canal direto de atendimento entre o contratante (cliente público ou privado) e o contratado (bancos de desenvolvimento), com toda a orientação e apoio técnico do Sebrae, que vai oferecer assessoria especializada da formatação à aprovação dos projetos. Representantes do Ministério do Turismo e do BNDES estarão à disposição para esclarecimentos em relação ao passo a passo do processo, até a assinatura da operação de crédito.

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO – São elegíveis empresas de turismo de qualquer porte, microempreendedores individuais, fundações, associações, cooperativas, entidades, clubes, órgãos públicos e prefeituras dos 3.285 municípios que fazem parte do Mapa do Turismo, pré-requisito para dar entrada no Prodetur. Os projetos incluem pequenas e grandes obras de infraestrutura pública; construção, reforma ou ampliação de empreendimentos; estudos e projetos de planejamento; promoção e apoio à comercialização dos destinos; compra de equipamentos, máquinas, móveis e utensílios; treinamentos; e também capital de giro associado ao projeto-base.

Prazos e taxas serão definidos pela instituição financeira em função do porte e características do projeto, e também da capacidade de pagamento do empreendimento, cliente público ou grupo econômico contratante. O prazo de carência não poderá ultrapassar três anos e o prazo limite para pagamento é de 20 anos.

PRODETUR + TURISMO – O Ministério do Turismo instituiu o Programa Nacional de Desenvolvimento e Estruturação do Turismo (PRODETUR+Turismo) por meio da portaria nº 74, de abril de 2018. O objetivo é disponibilizar recursos para a estruturação dos destinos turísticos brasileiros, oferecendo oportunidade de fomento ao desenvolvimento local e regional por meio de parcerias com estados, municípios e entes privados.

Propostas alinhadas às diretrizes da política nacional de turismo receberão o Selo Oficial +Turismo. O carimbo identifica que os planos ou projetos foram previamente analisados pelo MTur e receberão prioridade de tramitação junto ao banco contratado na operação de crédito.

Os pleitos de financiamento devem ser encaminhados diretamente ao Ministério do Turismo, em versão digital, para o e-mail institucional cgpla@turismo.gov.br (Coordenação Geral de Planejamento Territorial do Turismo). O telefone para contato é o 61 2023-7291 ou 7888.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Vinda de ministro deve render verbas para o turismo de Blumenau

Entidades empresariais de Blumenau vão homenagear o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, em um jantar na noite desta quinta-feira no Teatro Carlos Gomes. Natural de Rio do Sul, Lummertz estudou na cidade na adolescência. A expectativa, é claro, é que ele não venha para a cidade de mãos vazias.

​​​​​A prefeitura já preparou uma lista de pedidos para o Ministério do Turismo e busca cerca de R$ 86 milhões em recursos, por meio do programa Prodetur, para obras e intervenções ligadas ao segmento.

Os projetos a serem contemplados incluem a restauração do Casarão Jensen, a pavimentação das ruas Erwin Manske, Wunderwald, Sarmento, Gertrud Sierich e Braço do Sul, a reurbanização da Rua Henrique Conrad e a implantação de mobiliário turístico e mirante no Parque Nacional da Serra do Itajaí.

Também estão na relação um mirante no Morro do Aipim, a revitalização das ruas Curt Hering e Alberto Stein e a reurbanização da Margem Esquerda do Rio Itajaí-Açú. Há a expectativa ainda pela liberação de recursos para melhorias na Prainha.

Antes de vir a Blumenau, mais cedo, Lummertz vai fazer uma parada em Gaspar. Na cidade vizinha, participará da solenidade de entrega de uma emenda do senador Dario Berger (MDB), no valor de R$ 400 mil, para pavimentação do segundo trecho da Rua Itália, no bairro Alto Gasparinho, e também da entrega de um recurso do deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB), de R$ 1,3 milhão, para a construção de uma praça no bairro Bela Vista.

Fonte: NSC Total

Turismo reativa contratações nos primeiros quatro meses de 2018

Estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta para criação de 2.477 novos empregos em abril.

 

O setor de turismo no Brasil começa a mostrar sinais de recuperação na geração de empregos. Foram criados 2.477 novos empregos em abril que contribuíram para um saldo positivo de 2.762 postos de trabalho neste ano. O resultado interrompe a sequência negativa de fevereiro e março (-3.032 no total).

O estudo aponta crescimento do emprego nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, com destaque para São Paulo (9.244 postos criados) e Distrito Federal (1.469 vagas). Já a região Sul teve redução líquida de 4.203 postos formais, apesar do crescimento verificado no Paraná (911 empregos novos).

“O turismo é um setor vital para a retomada do crescimento de um país por meio da geração de emprego e renda. O governo federal, por meio do Ministério do Turismo, tem atuado fortemente para o fortalecimento desta atividade através de ações de financiamento público de projetos públicos e privados além de medidas para reduzir a burocracia para quem deseja investir no turismo brasileiro”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

Os restaurantes e similares foram os responsáveis pelo maior número de empregos: 1919. O segmento de transportes contribuiu com 1702 novos postos de trabalho com destaque para o transporte rodoviário que contribuiu com 1.050 vagas deste total. Assim, com exceção do segmento cultura e lazer, que perdeu 72 vagas, todos os grupos das atividades do turismo revelaram crescimento.

“A concentração do emprego reflete o interesse das pessoas pelo consumo de viagens, hospedagem e alimentação fora do domicílio, principalmente”, afirma o economista da CNC Antonio Everton.

Para a CNC, embora tímido, o crescimento do emprego reflete a recuperação de alguns segmentos importantes. No entanto, a greve dos caminhoneiros e a escassez de combustíveis, ocorridas por 11 dias no mês de maio, podem modificar a tendência no curto prazo. “As medidas de resolução da crise tomadas pelo governo afetarão o equilíbrio inicial da economia. Isso vai interferir nas decisões de gastos das famílias, deixando-as cautelosas com relação às despesas com turismo”, pondera o economista.

 

Fonte: Ministério do Turismo 

Prodetur + Turismo

SC pode obter R$ 500 milhões do Prodetur+Turismo para projetos estruturantes

Prodetur + Turismo

 

Infraestrutura turística, saneamento básico, renovação de frota, softwares e capital de giro são alguns dos itens que podem ser financiados pelo Prodetur+Turismo, programa do Ministério do Turismo (MTur), desenvolvido em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que foi apresentado a gestores públicos e empresários na terça-feira, 12, em Florianópolis.

“Estamos trazendo algo diferente com esse novo Prodetur, que foi ampliado e atualizado. Hoje, emprestamos ao mesmo tempo para municípios e empresários para melhorar a estruturação do turismo”, destacou o ministro do Turismo, Vinícius Lummertz.

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Tufí Michereff, participou do evento e destaca que nesta primeira etapa do programa o Governo Federal disponibilizará R$ 5 bilhões, sendo que Santa Catarina pode obter R$ 500 milhões ou mais para projetos públicos e privados que tenham como meta impulsionar a atividade turística. “Há uma grande variedade de ações que podem ser viabilizadas com recursos do Prodetur+Turismo de forma a qualificar um segmento tão relevante para o estado”, acrescenta o secretário.

Fungetur e selo +Turismo

Durante o evento também foi formalizada a concessão de recursos do Fungetur (Fundo de Gestão do Turismo) no valor de R$ 7,7 milhões para Santa Catarina. A ordem bancária foi assinada pelo ministro, o diretor-administrativo do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Renato Vianna, e o governador Eduardo Pinho Moreira. Ainda, os municípios de Rio Negrinho, Bombinhas, Balneário Camboriú, Blumenau, Abdon Batista, São Francisco do Sul e Massaranduba receberam o selo +Turismo, o que os habilita a acessar recursos próprios do MTur, além das linhas de crédito do Prodetur+Turismo.

A apresentação do Prodetur+Turismo foi incluída na programação do Congresso de Prefeitos, promovido pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam), que ocorre até quinta-feira, 14.

O que pode ser financiado pelo Prodetur+Turismo:
– Infraestrutura básica e turística;
– Saneamento básico;
– Transporte e mobilidade urbana;
– Implantação, expansão modernização ou recuperação de empreendimentos, obras civis, instalações, treinamentos, entres outros;
– Produção ou aquisição de máquinas e equipamentos novos, inclusive veículos utilitários, ônibus, caminhões e aeronaves de fabricação nacional e credenciados pelo BNDES;
– Bens novos, insumos, serviços, softwares, capital de giro.

 

Fonte: Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte.