Posts

300 Dias: O Turismo contribuindo para o desenvolvimento do Brasil

Conheça as conquistas alcançadas pela Pasta em quase um ano de gestão.

Geração de emprego e renda, ambiente de negócios mais competitivo, mais atração de investimentos, mais parcerias, mais oferta turística, ações inovadoras e de inclusão social são os objetivos que norteiam a política do MTur, empregada desde o início deste ano. Há 300 dias, o Ministério do Turismo trabalha com o compromisso de progresso e abertura para o desenvolvimento do Brasil defendido pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio.

“Neste quase um ano de gestão, o turismo passou a ser reconhecido pelo seu potencial econômico e vem sendo tratado como prioridade deste governo. Um setor que é responsável por cerca de 6,6 milhões de empregos diretos e indiretos e movimenta US$ 152,2 bilhões no Brasil, como o turismo, deve ter um papel protagonista nas ações de desenvolvimento do país”, destacou o ministro. Marcelo Álvaro parabenizou o esforço conjunto das quatro secretarias que integram a Pasta e ressaltou que ainda tem muito a ser feito. “Em 300 dias conquistamos importantes avanços e continuaremos trabalhando para romper barreiras, driblar desafios e construir um Brasil novo e melhor”, concluiu.

Ao longo de 2019, o turismo avançou nas áreas de infraestrutura, conectividade e competitividade, contribuindo significativamente para o desenvolvimento do país. Diversas medidas assertivas foram tomadas com o objetivo de alcançar metas como dobrar o número de turistas até 2022.

Em junho deste ano, o Brasil isentou a emissão de visto para países como Canadá, Austrália, Estados Unidos e Japão. Em apenas quatro meses após a mudança, a entrada de turistas desses países cresceu 25% comparado com o mesmo período do ano passado. Os Estados Unidos foram o maior emissor entre os contemplados pela isenção, com um aumento de 25,79%, saltando de 56.668 para 71.281 visitantes. Nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que a isenção de visto será ampliada também para os turistas chineses. Essa medida possibilitará o aumento do fluxo de turistas no país e, consequentemente, a receita advinda do turismo. A meta é atrair 600 mil chineses nos próximos anos.

Outra conquista foi a chegada das empresas aéreas de baixo custo, as low costs, ao mercado brasileiro. Quatro companhias já começaram a operar no país. A primeira a operar foi a chilena Sky Airline, seguida por Norwegian Air, Flybondi e Jetsmart. O reflexo da chegada das empresas de baixo custo já gera resultados para o turismo no país. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve queda de 16,85% no preço médio das passagens.

Após a decisão do Governo Federal de converter em lei (13.842/2019) a MP que abriu o mercado brasileiro para a participação de 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras, investidores internacionais demonstraram interesse em operar no mercado interno. A empresa espanhola Globalia foi a primeira empresa estrangeira a ter um registro 100% nacional no país e realiza estudos de viabilidade para dar início às operações.

O Ministério do Turismo também foi protagonista na articulação junto ao Ministério da Infraestrutura que assinou contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs), permitindo a construção do primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas do Brasil, projetado para ser construído em Balneário Camboriú (SC). O porto é o primeiro passo para alcançar a perspectiva de construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais de R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019. O ministro também articula junto a SAC e ANAC a construção de um aeroporto na Bahia. Os estudos de viabilidade de para a construção começam em 20 de novembro.

O Turismo também vem trabalhando para melhorar a qualidade do serviço entregue aos visitantes. O número de profissionais e empresas do setor que se registraram no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur) cresceu 26% na comparação de outubro de 2018 e outubro de 2019. Isso representa 20.286 a mais de empresas legalizadas.

INVESTIMENTO

Ainda no mês de novembro, o Ministério do Turismo concluirá a primeira etapa do Programa Investe Turismo, contemplando 30 rotas turísticas estratégicas de todo o país com um investimento de R$200 milhões. Na segunda etapa serão investidos mais R$300 milhões. O programa vai mudar a realidade do turismo local por meio do fortalecimento dos pequenos negócios e do desenvolvimento social e econômico de cada destino brasileiro.

Em 2019, o Ministério do Turismo liberou mais de R$ 400 milhões para obras de infraestrutura turística em todo o Brasil e quase 700 obras foram entregues.

Desde o dia 1º de janeiro, para viabilizar investimentos privados no setor com linhas de crédito mais dinâmicas e acessíveis, foram concedidos financiamentos de R$ 86 milhões a 63 empreendimentos, principalmente micro e pequenas empresas. Até o momento, houve a geração e/ou manutenção de 2.063 empregos por meio de projetos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo). O objetivo é que o Fundo possa, até 2020, financiar 2 mil empreendimentos turísticos com 30 mil empregos criados e mantidos.

Pelo Prodetur + Turismo, R$ 5,4 bilhões foram pleiteados em 248 propostas de estados, municípios e da iniciativa privada. O programa do Ministério contempla desde ações como a urbanização de orlas, sinalização turística e a captação de eventos até a instalação de novos empreendimentos e marketing, entre outras.

Fonte: Ministério do Turismo

200 dias: Um Turismo feito de empregos, parcerias e inclusão social

Conheça as entregas do Ministério do Turismo nas áreas de infraestrutura, conectividade e competitividade do setor.

Mais de 410 obras de infraestrutura e R$ 233 milhões investidos em todos os estados brasileiros. Mais de R$ 5 bilhões em projetos para financiar ações de turismo regional e R$ 200 milhões para alavancar o desenvolvimento de 158 municípios. Novas empresas aéreas no mercado nacional e isenção de vistos aliada ao aumento na procura pelo destino Brasil. Esses são alguns marcos que representam as novas políticas e a nova visão sobre o desenvolvimento do setor de Viagens no país, implementada pelo Ministério do Turismo em 200 dias de gestão.

Geração de emprego e renda, ambiente de negócios mais competitivo para o setor, mais atração de investimentos, mais parcerias para integrar destinos turísticos aos países vizinhos, mais opções para os turistas, ações inovadoras e de inclusão social são os objetivos que norteiam a nova política do MTur para os próximos anos. Um pacto de progresso e abertura para o desenvolvimento do Brasil é o que defende o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Para o titular da Pasta, a chave da gestão é um turismo voltado para a transformação da vida dos brasileiros e do posicionamento do Brasil no mercado interno e mundial. Atualmente, o setor é responsável por cerca de 7 milhões de empregos diretos e indiretos no país. “Queremos um setor integrado com os anseios de quem faz o turismo lá na ponta, de quem recebe nossos turistas. E para isso precisamos de um mercado mais atrativo, dinâmico e competitivo. Sem investimento, não há progresso, não há crescimento. O Turismo liderará um novo ciclo econômico e estamos trabalhando para que os resultados venham o mais breve possível”, afirmou o ministro.

Na conectividade aérea, uma das principais bandeiras defendidas por Álvaro Antônio, a aposta é impulsionar a entrada de empresas estrangeiras para tornar o mercado ainda mais acessível à população, com preços menores e uma diversidade de opções para viajar. Após a assinatura do presidente Jair Bolsonaro que sancionou a abertura do mercado aéreo nacional ao capital estrangeiro e com a articulação do ministro do Turismo para trazer a Air Europa ao Brasil, a companhia espanhola foi a primeira a se instalar no país e já está autorizada a operar voos entre destinos nacionais.

Além disso, a Flybondi, companhia low cost (de baixo custo), também incluiu o Brasil em sua estratégia de mercado e já vende bilhetes para o trecho Buenos Aires-Rio de Janeiro. As passagens podem chegar a R$ 300 por voo e o voo inaugural deve acontecer em outubro. Em uma simulação com ida e volta em outubro, as passagens da empresa aérea argentina na rota custam entre R$ 950 e R$ 1.400 (com taxas). No mesmo período, escolhendo os voos mais baratos da Gol, Latam e Azul, a mesma viagem sairia por cerca de R$ 2 a 3 mil. A empresa já estuda ampliar a rota para cidades como São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Salvador. A operação da Flybondi se junta ao grupo de empresas aéreas de baixo custo que já possuem voos regulares ligando outros países a vários destinos do Brasil – a chilena Sky Airline e a norueguesa Norwegian Air.

Outra demanda que beneficia o mercado brasileiro com a entrada de mais estrangeiros e consequentemente mais geração de renda e emprego dentro do país é a isenção de vistos para viajantes de quatro países estratégicos, em vigor desde 17 de junho. Com apoio dos ministérios das Relações Exteriores e da Justiça, o MTur isentou o visto aos turistas do Canadá, Japão, Estados Unidos e Austrália. A medida fez com que a procura pelo Brasil aumentasse significativamente.

De acordo com o Grupo Amadeus, uma das maiores empresas de tecnologia e viagens do mundo, com a assinatura do decreto que dispensou a exigência de vistos para as quatro nacionalidades, houve alta de 53% a 158% na quantidade de reservas em destinos nacionais realizadas por turistas desses países para visitar o Brasil entre junho e setembro deste ano. Também houve crescimento nas pesquisas pelo país para turismo, com índices que variavam de 31% a 76%.

PRESERVAÇÃO ALIADA AO DESENVOLVIMENTO

Prevista no Plano Nacional do Turismo 2018-2022, o Ministério do Turismo vem trabalhando também na execução da Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais. A entrega representa um marco na valorização e preservação dos patrimônios naturais e culturais do país. Paralelamente, o MTur se prepara, ainda, para definir regras e procedimentos da utilização de áreas, preferencialmente da União, com potencial para o desenvolvimento sustentável do turismo. A ideia é fazer a gestão dessas áreas com alta atratividade turística, mas que estão em desuso ou em situação de depreciação, para desenvolver, ali concessões de atividades típicas do setor de Viagens.

TURISMO REGIONAL

As cinco regiões do Brasil contam agora com um programa que vai mudar a realidade do turismo local por meio do fortalecimento dos pequenos negócios e do desenvolvimento social e econômico de cada destino brasileiro. Em parceria com o Sebrae e a Embratur, o Ministério do Turismo vai investir R$ 200 milhões, por meio do Investe Turismo, em 158 municípios contemplados em 30 rotas turísticas estratégicas para o país. A Pasta já percorreu 10 estados brasileiros para desenvolver um plano integrado com as instâncias de governança regionais e com a iniciativa privada, impactando cerca de 4 mil micro e pequenos empreendimentos em todo o Brasil.

Além disso, o Ministério já investiu, por meio de repasses a municípios e estados, R$ 233 milhões em 412 projetos de obras em infraestrutura em 200 dias de gestão. Projetos que haviam sido iniciados em 2007 foram finalizados nestes seis primeiros meses do ano.

Desde o dia 1º de janeiro, para viabilizar investimentos privados no setor com linhas de crédito mais dinâmicas e acessíveis, foram concedidos financiamentos de R$ 28 milhões a 14 empreendimentos, principalmente micro e pequenas empresas. Nos meses de abril e maio, houve a geração e/ou manutenção de 728 empregos por meio de projetos do Fungetur (Fundo Geral do Turismo). O objetivo é que o Fundo possa, até 2020, financiar 2 mil empreendimentos turísticos com 30 mil empregos criados e mantidos.

Selo Prodetur + Turismo, mais de R$ 5 bilhões foram pleiteados em 151 propostas de estados, municípios e da iniciativa privada. O programa do Ministério contempla desde ações como a urbanização de orlas, sinalização turística e a captação de eventos até a instalação de novos empreendimentos e marketing, entre outras.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, “a primeira missão deste governo, como o próprio presidente Jair Bolsonaro afirmou, é não atrapalhar quem quer produzir. Por isso, estamos debruçados em projetos e programas que destravem a economia, gerando um ambiente de negócios frutífero ao empresário, ao investidor e o principal: cheio de oportunidades para os brasileiros”, finaliza.

Fonte: Ministério do Turismo

Fortalecimento do Destino Brasil é tema central de agenda do MTur em Paris

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, cumpre agenda em Paris nesta semana. Três pautas centrais ocupam a programação de reuniões e encontros com autoridades no país europeu. Dentre elas está a defesa de candidaturas de regiões turísticas e culturais do Brasil a títulos de patrimônio da Unesco, apoio à realização da próxima etapa da Fórmula-E junto à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), além da intenção do país de ingressar na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a missão na capital francesa confirma o foco do trabalho que vem sendo desenvolvido nestes cinco meses de gestão à frente do Ministério. “Uma gestão mais integrada para alavancar o turismo, investimentos para tornar o setor mais competitivo e posicioná-lo no centro da agenda estratégica do governo, além das relações bilaterais para tornar o Brasil ainda mais reconhecido como destino turístico mundial. São ações que promovem o desenvolvimento e geram mais empregos e renda para o país”, destaca o titular da Pasta.

O apoio a candidaturas de três regiões turísticas e culturais do Brasil a títulos da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) será tema do primeiro compromisso do ministro em Paris, em reunião com o secretário da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, Tim Curtis.

O conjunto formado pelos municípios de Paraty, Angra dos Reis e Ubatuba (RJ/SP) concorre ao primeiro título brasileiro de patrimônio mundial cultural e natural da humanidade. Atualmente, o país conta com 14 títulos de patrimônio cultural e sete de patrimônio natural.

A festa mais marcante da cultura popular da região maranhense, o Bumba meu boi, também pleiteia junto à Unesco o título de patrimônio cultural imaterial da humanidade. Já os Cânions do Sul, área composta por sete municípios do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, disputa um lugar na lista dos geoparques mundiais – hoje, apenas o Parque Geológico do Araripe, no Ceará, possui essa certificação da Unesco no Brasil.

Além disso, a capital mineira concorre ao título de Cidade Criativa da Gastronomia. Atualmente, a Rede de Criativas da Unesco conta com um total de 180 cidades em 72 países, sendo oito delas no Brasil: Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ), no campo da gastronomia; Brasília (DF) e Curitiba (PR), na área do design; João Pessoa (PB) em artesanato e artes folclóricas; Salvador (BA) na música; e Santos (SP), no cinema.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirma que “as candidaturas têm o total apoio do Ministério e reforçam o potencial singular que o Brasil tem no turismo, na cultura e no desenvolvimento socioeconômico, o que deve ser cada vez mais reconhecido mundialmente”, avalia.

SEDE DA FÓRMULA E – A candidatura do Brasil para sediar uma etapa da próxima temporada da Fórmula E, primeiro campeonato mundial de carros elétricos, também é tema da agenda do Ministério do Turismo na França. A reunião acontecerá nesta quarta-feira (19) com o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt. A ideia é que Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro integrem o circuito do mundial. As três capitais assinaram cartas para declarar a intenção de receberem o evento.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Presidente Jair Bolsonaro recebe entidades do Turismo

 

O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta quarta-feira (24) no Palácio do Planalto, 27 empresários e representantes das principais entidades do setor do Turismo. Acompanhados do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, eles apresentaram reivindicações para impulsionar essa cadeia produtiva no país. O grupo, liderado pelas entidades do setor, busca apoio político para dar celeridade a projetos do setor em tramitação no Congresso Nacional. “Sabemos muito bem onde estamos em relação ao turismo e onde queremos chegar e como chegar. A gente vive um novo no Brasil, momento de economia liberal, certamente o ambiente de negócios vai melhorar muito daqui para frente e temos propostas que vão realmente trazer esse investimento do capital financeiro para o Brasil”, disse o ministro. Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional, contou que foram apresentados os dez pleitos do setor para acelerar o crescimento do Turismo no Brasil. “Em momento descontraído, lembrei a ele que a avó da primeira dama foi hoteleira na cidade de Crateus no Ceará, proprietária do Hotel Oriente”, disse. “O presidente reconhece a importância do Turismo e assumiu o compromisso de acompanhar o andamento destes projetos de perto”, complementou.

O presidente Jair Bolsonaro com Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional

O presidente Jair Bolsonaro com Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional

Entre os projetos destacados, está a instituição de áreas especiais de interesse turístico, o que, segundo ele, engloba medidas de desburocratização e simplificação de licenças, “sobretudo ambientais”, em áreas com vocação para o turismo. Marcelo Álvaro Antônio cita como exemplo Cancún, no México, que é uma área de interesse turístico que atrai mais de 20 milhões de turistas estrangeiros por ano.

O presidente Jair Bolsonaro entre Edmar Bull e Geraldo Rocha, da Abav Nacional

O presidente Jair Bolsonaro entre Edmar Bull e Geraldo Rocha, da Abav Nacional

A meta do Ministério do Turismo é dobrar o número de visitantes estrangeiros no Brasil, que hoje é de cerca de 6 milhões ao ano, impulsionar mais os turismos de eventos e corporativo e fazer crescer o turismo de lazer.

 

Fonte: Mercado&eventos

MTur carimba mais três projetos com Selo do Prodetur+Turismo

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, entregou, na tarde desta quarta-feira (27), dois Selos Oficiais +Turismo para o município paulista de São Sebastião. A chancela de aprovação do MTur credencia projetos que pleiteiam financiamento junto aos bancos operadores do programa de crédito Prodetur+Turismo. Juntas, as duas propostas de estruturação do destino somam R$ 150 milhões.

O projeto das três marinas públicas, no valor de R$ 100 milhões, cria capacidade para receber até três mil embarcações com uma infraestrutura de padrão internacional para clientes e usuários. “Se pensarmos que cada embarcação de esporte e recreio gera, no mínimo, sete empregos, temos um grande potencial nesse sentido. Saímos do ministério extremamente animados e com uma perspectiva positiva por estes projetos representarem um salto de qualidade no turismo em toda a região”, comentou o prefeito Felipe Augusto.

O ministro do Turismo destacou a importância das iniciativas para impulsionar o turismo na região e contribuir para a geração de riqueza e postos de trabalho no país. “Desde que assumi o Ministério do Turismo, tenho como objetivo quebrar as burocracias que ainda travam o nosso setor. Vivemos em um país com um enorme potencial turístico mas precisamos proporcionar condições para que este potencial se desenvolva e contribua cada vez mais para a geração de emprego e renda no Brasil”, afirmou o ministro.

O segundo selo foi concedido ao projeto de construção de um aeroporto municipal, no valor de R$ 50 milhões, que tem como objetivo melhorar a conectividade do município para atrair mais turistas.

ECO PARK – Ainda na agenda do dia, o ministro concedeu o Selo + Turismo para o Eco Park Club, em Campo Grande (MS). O projeto, no valor de R$ 20 milhões, prevê a ampliação, qualificação e fortalecimento do empreendimento por meio da ampliação e qualificação da estrutura hoteleira, bem como a construção de um complexo aquático com piscina de ondas e outros atrativos.

“O estado se ressentia de não ter um parque aquático nos moldes de outros existentes que estão em funcionamento no país, mas esse projeto irá resolver essa questão. Além disso, vai contribuir para o avanço da atividade turística na capital sul-mato-grossense ao estimular que os turistas permaneçam mais tempo em nossa cidade”, explicou o diretor presidente do empreendimento, Cícero Ávila.

27.02.2019 selo campogrande

 

Fonte: Ministério do Turismo

Turismo traça estratégia para fomentar cruzeiros no Brasil

 

Representantes das principais companhias de navios do mundo apresentam demandas para reduzir o custo operacional e desenvolver o setor.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, traçou uma estratégia junto com os representantes das maiores empresas de cruzeiros do mundo para desenvolver o setor no Brasil. A pauta do encontro, realizado nesta quinta-feira (21), em Brasília, incluiu a redução do custo operacional para atrair mais navios e aumentar a oferta no país. O Brasil, que já chegou a ter 20 embarcações no seu litoral e mais de 800 mil cruzeiristas, atualmente tem sete navios e 420 mil passageiros.

“Vamos atacar os gargalos para que esse setor, que apresenta expansão no mundo todo, possa crescer também no Brasil”, comentou Marcelo Álvaro Antônio. De acordo com um estudo realizado pela FGV, a última temporada de cruzeiros (2017/2018) movimentou R$ 1,8 bilhão e gerou 27,7 mil empregos na economia brasileira. Apesar de os números serem impactantes, eles são extremamente baixos se comparados com o contexto internacional.

O Brasil, com uma população de 207 milhões de habitantes, responde por apenas 0,25% do número de cruzeiristas no mundo. A título de comparação, a Austrália, com uma população de 25 milhões de pessoas, recebe 36 navios e 1,3 milhão de cruzeiristas, o equivalente a 5,3% do mercado global.

As demandas apresentadas pelo setor envolvem ainda a redução de impostos e taxas operacionais, bem como a melhoria da infraestrutura na área. O ministro do Turismo firmou o compromisso de levar o pleito à equipe econômica do governo, a fim de buscar soluções para permitir o desenvolvimento do setor no Brasil. “Não faz sentido, com o litoral que temos, receber apenas sete navios numa temporada curta e responder por menos de 0,24% dos cruzeiristas do mundo”, afirmou o ministro.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Ministro do Turismo reassume comando da Pasta nesta quinta-feira (7)

Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, saudou os parlamentares integrantes do colegiado em solenidade realizada em Brasília nesta quarta-feira (06).

Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, saudou os parlamentares integrantes do colegiado em solenidade realizada em Brasília nesta quarta-feira (06).

 

Ministro Marcelo Álvaro Antônio lidera instalação da maior frente parlamentar da história do Congresso Nacional; FrenTur abriu trabalhos nesta quarta-feira (06) com mais de 300 parlamentares.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, retoma o comando do Ministério do Turismo nesta quinta-feira (7). A nomeação publicada no Diário Oficial da União oficializa o retorno à Pasta um dia depois de tomar posse como deputado federal eleito para a 56ª Legislatura do Congresso Nacional.

Na manhã desta quarta-feira (6), Marcelo participou da reinstalação da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo (FrenTur), hoje o maior colegiado do tipo no Congresso Nacional, com mais de 300 parlamentares, e primeira a ser instalada nesta legislatura. A solenidade deu início aos trabalhos do grupo em prol do desenvolvimento do setor de viagens nos próximos quatro anos. Juntos, os membros acompanham as proposições de interesse do setor na Câmara e no Senado, defendendo medidas que contribuam para a geração de emprego e renda por meio do desenvolvimento do mercado de Viagens no Brasil.

Além do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, participaram da solenidade de reinstalação da Frentur o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Daniel Nepomuceno; o secretário nacional de Integração Interinstitucional, Bob Santos; e o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Aluizer Malab, além de parlamentares e executivos do trade.

Entre os principais projetos que estão sendo discutidos pelo grupo, estão as iniciativas contempladas na agenda estratégica do Ministério do Turismo na gestão Jair Bolsonaro, com foco na melhoria do ambiente de negócios do turismo nacional e na potencialização da atração de investimentos para o Brasil.

O ministro Marcelo ressaltou que importantes pautas do setor dependem da aprovação do Congresso Nacional, como a abertura total das aéreas ao capital estrangeiro, a modernização da Lei Geral do Turismo e a transformação da Embratur em agência. “O turismo reúne as melhores condições para alavancar o desenvolvimento do Brasil. Uma série de outros países, como Espanha e Portugal, servem de exemplo. Vamos seguir esse caminho”, comentou. Durante a solenidade, o ministro recebeu uma homenagem da Frentur pelos trabalhos prestados ao setor enquanto membro da frente parlamentar e, agora, na condução do Ministério do Turismo. Essa é a primeira vez que o colegiado homenageia um de seus integrantes.

Para o presidente da frente parlamentar, Herculano Passos, o ano de 2018 foi encerrado com duas vitórias importantes, o que abre um panorama extremamente positivo para os trabalhos de 2019. “Conseguimos convencer o governo federal a manter o Ministério do Turismo como pasta independente e ainda tivemos um dos membros da Frente do Turismo escolhido para comandar o Ministério, com a nossa chancela. Além de termos atingido esse grau de força e reconhecimento, ainda ganhamos um grande parceiro, que tem excelente trânsito junto ao Executivo Federal e que sabe exatamente como o Legislativo funciona. Nós da FrenTur vamos construir um Brasil melhor, com turismo forte e em conjunto com o Ministério do Turismo”, disse, ao elogiar o comando de Marcelo Álvaro Antônio à frente da Pasta.

Passos ainda reforçou o apoio ao comandante do ministério: “o ministro Marcelo tem todo o apoio dos parlamentares da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo pela sua liderança e dedicação pelo turismo nacional”, disse. Os préstimos pelo trabalho do ministro foram registrados também por Felipe Carreras, deputado federal e ex-presidente do Fornatur: “Temos tudo para desenvolver o turismo no Brasil e sob o comando do ministro Marcelo vamos conseguir destravar os gargalos do setor aqui no Congresso Nacional”, destacou.

COMPOSIÇÃO – O colegiado é presidido pelo deputado Herculano Passos e tem os seguintes vice-presidentes, por Casa e por região: deputado federal Marx Beltrão (representante da Câmara dos Deputados), senador Veneziano Vital do Rego (representante do Senado), deputado federal Rogério Peninha (vice-presidente representando a região Sul), deputado federal Joaquim Passarinho (vice-presidente representando a região Norte), deputado federal Felipe Carreras (vice-presidente representando a região Nordeste), deputado federal Evair de Melo (vice-presidente representando a região Sudeste) e Magda Mofatto (vice-presidente representando a região Centro Oeste). Os deputados Lídice da Mata e Affonso Hamm são os secretários da Frentur.

CNC – O ministro do Turismo também se reuniu, na tarde desta quarta-feira (06), com lideranças do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Na pauta, os gargalos a serem vencidos para que o setor desenvolva todo o seu potencial e gere mais empregos no Brasil. “Agradeço ao apoio que tenho recebido de vocês, dos colegas parlamentares e do mercado. Vou transformar essa confiança em resultados. Enquanto alguns trabalham contra o desenvolvimento do país, eu prefiro focar minha energia em produzir”, firmou o ministro. O presidente da CNC, José Roberto Tadros, e o presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da entidade, Alexandre Sampaio, foram os anfitriões do encontro.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Crescimento do turismo mundial pode chegar a 4% em 2019

Resultado do setor em 2018 foi o segundo melhor da década, segundo relatório da Organização Mundial do Turismo.

 

O turismo mundial vai crescer entre 3% e 4% em 2019. Essa é a previsão da Organização Mundial do Turismo (OMT), segundo relatório recém divulgado. Além disso, de acordo com o último levantamento da entidade, o setor registrou, em 2018, o segundo melhor resultado dos últimos 10 anos, atingindo a marca de 1,4 bilhão de chegadas internacionais no mundo todo, um aumento de 6% sobre 2017.

Apesar do resultado positivo, as Américas estão na lanterna do crescimento, com 3% de alta no período 2017/2018. O número segue tendência histórica do continente (2% a 3%). Entre 2017/2018 a América do Sul registrou aumento de 3,2%, enquanto no período anterior – 2016/2017 – o crescimento foi de 9%.

O diagnóstico relata que a alta se deve a fatores como ambiente econômico favorável, forte demanda dos principais mercados emissores, consolidação da recuperação em destinos anteriormente em crise, melhor conectividade aérea e maior facilitação de vistos.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o Brasil está na rota do crescimento do setor em 2019. “Nosso trabalho a partir de agora é criar recursos para o incremento da competitividade e incentivo à inovação em todas as atividades da cadeia produtiva. Com um novo ambiente de negócios, teremos um mercado de viagens mais acessível, gerando empregos, renda e desenvolvimento”, prevê.

O titular do Turismo no Brasil destacou medidas prioritárias para obter resultados importantes da atividade no país: “a isenção de visto para países considerados estratégicos, a criação de Áreas Especiais de Interesse Turístico (AEITs) e a ampliação da conectividade aérea no país para expandir os mercados doméstico e internacional estão entre as nossas metas. É urgente repensar e reorganizar o setor para fazer o Brasil crescer”, defende.

Em comunicado, o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, afirmou que “o crescimento do turismo nos últimos anos confirma que o setor é hoje um dos motores mais poderosos de crescimento e desenvolvimento econômico a nível global. Temos a responsabilidade de geri-lo de maneira sustentável para converter essa expansão em benefícios reais para todos os países, e em particular para todas as comunidades locais, criando oportunidades de emprego e empreendimento”.

A expectativa da OMT é que em 2030, as chegadas internacionais cheguem a 1,8 bilhão.

 

Fonte: Ministério do Turismo 

Informativo ABIH-SC 10 de janeiro

 

No Informativo ABIH-SC de 10 de janeiro você vai ler:

 

Conheça os benefícios que a ABIH-SC oferece;-Marcelo Álvaro Antônio assume o cargo de ministro do Turismo;-Votação do prêmio Melhores Fornecedores da Hotelaria de 2018 acontece até 31 de janeiro;-Diretora executiva da ABIH-SC, a Relações Públicas Lara Perdigão, toma posse no CONRERP 4;-Cães que são “guias”!;-Dez novos pontos em praias de Florianópolis passam a ter testes de balneabilidade;- Conheça iniciativas de marketing e comercialização turística que são destaque no país;-Associados ABIH-SC!

 

Leia também: Conheça os benefícios que a ABIH-SC oferece

Marcelo Álvaro Antônio assume o cargo de ministro do Turismo

Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo.

Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo.

 

Ministro ressalta a importância do setor para o desenvolvimento econômico e geração de emprego no Brasil no discurso de transmissão do cargo.

Colocar o turismo no centro da agenda política e econômica do governo. Esta será uma das prioridades da gestão do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que recebeu o cargo na quarta-feira (2) do antecessor Vinicius Lummertz em cerimônia realizada em Brasília. A continuidade de ações e programas que vem gerando resultados, como o Prodetur + Turismo, visto eletrônico, concessões de parques naturais, também estão na agenda do novo titular da Pasta.

No discurso de posse, o ministro ressaltou a importância do setor, como um vetor para geração de emprego, renda e desenvolvimento do país. Fez um agradecimento especial ao presidente Jair Bolsonaro pela confiança e disse que, mesmo antes de tomar posse na Presidência, ele já havia demonstrado “grande visão e sensibilidade” com a manutenção do Ministério do Turismo como uma pasta exclusiva na Esplanada dos Ministérios.

“Hoje, assumo um dos maiores desafios da minha vida pública e me sinto honrado com a oportunidade de contribuir para este Governo que se inicia e que, certamente, fará mudanças estruturantes em nosso país”, disse Marcelo Álvaro Antônio para uma plateia composta por parlamentares, prefeitos, membros do Conselho Nacional de Turismo e do corpo diplomático, servidores do Ministério do Turismo e da Embratur, de familiares do novo ministro, entre outros.

Na presença da mãe Vilma Penido Dias, que integrou a mesa de autoridades, Marcelo Antônio fez uma homenagem ao pai Álvaro Antônio, de quem herdou o nome político, e falou também dos desafios de sua gestão. Entre eles, o de melhor aproveitar as vantagens comparativas do país, reduzir o custo Brasil, dar prosseguimento às ações de ampliação da conectividade aérea, melhorar o ambiente de negócios e incentivar o empreendedorismo com a redução da burocracia. “É hora de transformar todo o vasto potencial do Brasil em retorno econômico”.

Ao transmitir o cargo ao novo ministro, Vinicius Lummertz fez um balanço da sua gestão. Apontou como conquistas importantes a implantação do visto eletrônico, com crescimento de 40% na concessão para turistas do Japão, Estados Unidos, Canadá e Austrália; os novos acordos de céus abertos com países como os EUA, Holanda e Grã-Bretanha e a entrada de empresas de baixo custo no país, a edição de Medida Provisória que abre o mercado de aviação a empresas internacionais.

O ex-ministro citou ainda a isenção de impostos de importação para parques temáticos, a flexibilização das leis trabalhistas, atribuindo esses avanços ao trabalho conjunto do MTur com as entidades e empresas do setor de turismo. O ex-ministro, nomeado secretário de Turismo do Estado de São Paulo, manifestou ainda “um sentimento de fé nesse novo momento do Brasil”.

Cerimônia – Durante a transmissão de cargo ocuparam lugar no palco, além da mãe do novo ministro, o deputado Herculano Passos, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo; o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade; o presidente do Conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio, Alexandre Sampaio, que representou as entidades do setor de turismo.

 

Fonte: Ministério do Turismo