Posts

Primeiro dia do Conotel 2021 reúne ministro do Turismo com o deputado Bacelar,

Primeiro dia do Conotel 2021 reúne ministro do Turismo com o deputado Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados e com a senadora Soraya Thronicke

Com início às 15 horas, o painel “Acelerando para o futuro: o turismo e a hotelaria” reuniu Gilson Machado Neto, ministro do Turismo; o deputado Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, a senadora Soraya Thronicke e Ricardo A. Roman Jr., presidente da ABIH/SP, que debateram os rumos do turismo no país com a mediação de Milton Vasconcelos, presidente Conotel Brasil.

O ministro do turismo destacou em sua fala que o país precisa encaminhar melhor as questões trabalhistas no setor de turismo, além de investir para melhorar sua malha aérea. “Temos nos empenhado em atrair empresas de aviação do exterior para atuarem no Brasil para encaminharmos essa questão da conectividade entre os destinos brasileiros. Outra ação em que temos nos empenhado é divulgar nossos destinos no exterior. Nosso país conta com muita diversidade nesse aspecto”.

Ministro do Turismo Gilson Machado

O deputado federal Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, defendeu a legalização dos cassinos, usando o exemplo de Portugal, e destacou a necessidade de se taxar o Airbnb no país. “Estudos mostram que a oferta de casas de jogos aumenta a permanência do turista no destino. E a questão do Airbnb precisa ser encaminhada através da taxação para que essa modalidade de hospedagem atue regularmente e pague impostos condizentes com sua atividade”, defendeu o deputado.

Deputado Bacelar

Para o presidente da ABIH/SP, Roman Jr., tudo indica que a retomada será intensa no turismo corporativo. “Já percebemos um aumento na demanda nas últimas semanas e a tendência segue em alta no segmento”, afirmou.

A senadora Soraya Thronicke finalizou o painel destacando a falta de transparência na questão do Ecad – Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, relacionada aos direitos autorais pagos pelas músicas executadas nas áreas comuns dos hotéis. “Precisamos garantir que os valores recolhidos cheguem aos artistas”, disse para depois completar: “Como disse o ex-ministro Lummertz, onde tem turismo, não há desemprego. Por isso, contem comigo para defender as pautas do setor”. Finalizando o painel, o ministro do turismo parabenizou o presidente da ABIH Nacional e agradeceu aos organizadores da feira. “Saúdo todos os envolvidos nesse evento, pois ele mostra o potencial do setor de turismo do Brasil”.

Senadora Soraya Thronicke

Conotel 2021 tem início em São Paulo com a presença de autoridades e líderes da hotelaria nacional

A 63ª edição do Congresso Nacional de Hotéis (Conotel), que acontece esse ano juntamente com a 58ª Equipotel, no São Paulo Expo, na capital paulista, teve ontem (22.11) seu primeiro dia de apresentações e debates. Com o tema “Acelerando para o futuro!”, essa edição destaca a retomada das atividades no setor de turismo, após um período difícil causado pela pandemia.  “O Conotel deste ano será um marco da retomada do turismo no país. E a hotelaria tem um papel fundamental nesse processo, pois é ela que promove as condições adequadas para conectar pessoas, governos, indústrias, organizações não-governamentais e diversos outros setores que movimentam a roda do desenvolvimento do nosso país”, afirmou Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, em seu discurso de abertura.

Pesidente da ABIH Nacional Manoel Linhares

A cerimônia de abertura do evento contou com a presença de várias personalidades importantes. Além do presidente da ABIH Nacional, Manoel Linhares, estavam a senadora Soraya Thronicke; o deputado federal Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados; Gilson Machado, ministro do Turismo;  Rodrigo Goulart, vereador de São Paulo; Vinícius Lummertz, secretário de Turismo de São Paulo; Orlando de Souza, presidente do FOHB – Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil; Milton Vasconcelos, presidente do Conotel Brasil; Ricardo A. Roman Jr., presidente da ABIH/SP; Cláudio de La Nina Gustavo, presidente da RX Brasil; Binardi, diretor da Equipotel, Felipe Martinez, presidente da ABMotéis e Roberto Bulbol, presidente da ABIH/AM, representando a CNC.

O presidente da RX Brasil, Cláudio de la Nina, que iniciou sua fala cumprimentando as autoridades e ressaltou a importância dos eventos realizados pela Reed Exhibitions Alcântara Machado. “Hoje aqui está acontecendo uma demonstração clara de como o setor de eventos é importante para o país. Ele pode ser um dos grandes motores da retomada do turismo. Acreditamos no encontro entre as pessoas para a realização de bons negócios. Mais de 250 marcas estão presentes esse ano. É muito bom encontrar profissionais que estão se dedicando para a retomada desse setor tão importante para o país”.

O presidente do Conotel Brasil, Milton Vasconcelos destacou em sua fala a representatividade que o setor de turismo vem conquistando nos últimos anos. “A ABIH Nacional esteve sempre presente nas principais discussões relativas ao setor junto aos poderes públicos em todos os níveis”, afirmou.

Em seguida foi a vez do secretário de Turismo de São Paulo, Vinícius Lummertz, que destacou a importância do Turismo se adequar ao que chamamos de “novo normal”. “A retomada do turismo vai passar sem dúvida pela capacidade das empresas do setor garantirem a saúde dos usuários de seus serviços”, afirmou.

Felipe Martinez, presidente da ABMotéis – Associação Brasileira de Motéis, ressaltou em sua participação que é preciso deixar para trás conceitos antigos relacionados aos motéis. “Pesquisas mostram que o público que frequenta motéis atualmente é na sua grande maioria casais com relações estáveis. O setor gera em torno de 300 mil empregos diretos e o mesmo número de indiretos. São 100 milhões de hóspedes por ano”, afirmou ele.

Fonte: ABIH Nacional

Setor de Turismo deve contratar meio milhão de trabalhadores formais até fevereiro de 2022

Setor de Turismo deve contratar meio milhão de trabalhadores formais até fevereiro de 2022

Com o avanço da vacinação contra o coronavírus em todo o país, as atividades turísticas têm sido retomadas dia após dia. Como mostra do reaquecimento do setor, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta a contratação de 478,1 mil trabalhadores formais entre novembro de 2021 e fevereiro de 2022. Deste total, 81,7 mil atenderão a demanda da alta temporada, com vagas temporárias.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o número demonstra o impacto do setor no país e seu potencial de contribuição para recuperação econômica, a partir da geração de emprego e desenvolvimento. “Estamos vindo de um ano atípico, em que o nosso setor foi duramente impactado pela pandemia. Esse dado só confirma que temos potencial para gerar mais emprego e desenvolvimento, liderando a recuperação da economia do nosso país”, disse.

No último mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou um crescimento de 4,6% em agosto no Índice de Atividades Turísticas. O aumento na movimentação econômica do setor de turismo chegou a 49,1% no acumulado entre maio e agosto – o melhor resultado desde fevereiro de 2020.

Diante deste cenário, ainda segundo a CNC, a projeção é de que as atividades turísticas faturem R$ 171,9 bilhões ao longo da próxima alta temporada.

RECUPERAÇÃO 

Em 2020, diante da pandemia de Covid-19, o setor havia apresentado retração de 36% no volume de receitas. Já em relação às contratações, o saldo negativo chegou a 238,6 mil, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Neste ano, entre janeiro e setembro de 2021, as empresas do segmento já haviam registrado um saldo positivo de 167,53 mil postos formais.

Em relação às novas contratações para o período de alta temporada que se aproxima, o segmento de bares e restaurantes deve oferecer a maior parte das oportunidades. “Para a temporada iniciada este ano, o ramo deverá responder por 77,5% ou 63,4 mil vagas. Outro destaque é o segmento de hospedagem que, historicamente, oferece durante o período a quase totalidade (97,2%) das suas vagas temporárias ao longo de doze meses. Para a alta temporada 2021/2022, esse segmento deverá responder por 13,8% (11,2 mil) do total de empregos criados no turismo”, aponta economista da CNC responsável pela pesquisa, Fabio Bentes.

Os principais profissionais demandados devem ser recepcionistas (14,49 mil vagas); cozinheiros e auxiliares (8,09 mil); camareiros (7,30 mil); garçons e auxiliares (4,76 mil); e auxiliares de lavanderia (7,76 mil). Em relação aos estados que devem registrar o maior número de contratações estão: São Paulo (23,49 mil vagas), Rio de Janeiro (10,34 mil) e Minas Gerais (7,43 mil).

Para o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, “o início da primeira alta temporada após a adoção das medidas de flexibilização não apenas gera expectativas positivas, mas ajuda a definir o andamento da economia brasileira”.

Por Amanda Costa*

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

*Com informações da CNC

Fonte: Mtur

Mais de 2,1 mil empresas turísticas já inseriram perfil oficial usado nas redes sociais no Cadastur

Mais de 2,1 mil empresas turísticas já inseriram perfil oficial usado nas redes sociais no Cadastur

Ação tem o objetivo de evitar a propagação de páginas falsas de agências de turismo e meios de hospedagens. Mais de 2,1 mil agências de turismo e meios de hospedagens já aderiram ao novo serviço, criado pelo Ministério do Turismo, para evitar fraudes na comercialização de produtos e serviços turísticos nas redes sociais. Desde julho deste ano, o Cadastur, que é o Cadastro Nacional de Prestadores de Serviços Turísticos, possui um campo que permite a inclusão dos perfis oficiais dos estabelecimentos no Instagram, Facebook, Twitter, YouTube, WhatsApp e LinkedIn. O objetivo é barrar a criação de perfis falsos nas redes sociais em nome de empresas do setor de turismo para enganar e prejudicar consumidores. Além disso, a ferramenta serve como fonte para o turista confirmar a rede social do estabelecimento.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, a medida é necessária frente ao grande número de fraudes que o setor vem registrando a partir de perfis falsos nestas plataformas. “É mais uma ação do governo federal para beneficiar e garantir a prestação do serviço turístico ao viajante. Esperamos que o número de estabelecimentos que aderiram a esta iniciativa cresça para que possamos, cada vez mais, estabelecer um ambiente mais seguro para a população”, declarou Machado Neto.

Ao todo, já são 1.998 páginas de Instagram e 1.625 de perfis do Facebook. Por segmento, 1.450 agências de turismo e 703 meios de hospedagens incluíram suas informações no Cadastro Nacional de Prestadores de Serviços Turísticos. A inclusão dos perfis no Cadastur possibilitará que o Ministério do Turismo forneça uma lista com os endereços virtuais oficiais às empresas de redes sociais, como o Facebook e Instagram, que, assim, terão subsídios para desativar perfis falsos que possam coexistir nas redes sociais.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França, destacou a importância destes estabelecimentos em aderir à nova ferramenta. “Demos um passo rápido e importante para evitar fraudes no nosso setor, agora precisamos que mais empreendimentos informem suas redes sociais no Cadastur. Vamos juntos trabalhar em prol do consumidor e de vocês. Conto com a participação dos hoteleiros e das agências e operadoras de turismo”, disse.

Para inserir as informações, os responsáveis devem acessar o Cadastur com o login do GOV.BR. Na sequência deve clicar no ícone da atividade e em “Alterar/Resolver Pendência”. Logo após, prosseguir até a aba “Informações da Atividade”, onde deverão ser inseridas essas informações no campo “Redes Sociais”. Para saber mais sobre o novo login, assista o vídeo abaixo ou veja as instruções no site do Cadastur.

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

As empresas aéreas nacionais apresentaram alta no número de passageiros transportados em junho deste ano. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mais de 4,2 milhões de pessoas voaram pelo país, resultando em uma alta de 16,2% comparado ao mês de maio, quando cerca de 3,6 milhões de pessoas passaram pelos aeroportos brasileiros. O número é o maior dos últimos quatro meses, perdendo apenas para fevereiro, quando foram transportados 4,3 milhões de passageiros.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o resultado abre caminho para que as aéreas retornem aos índices registrados antes da pandemia. “Além do setor aéreo, já podemos ver bons resultados no setor hoteleiro, de bares e restaurantes em algumas cidades. Isso mostra que estamos indo no caminho certo, aliando vacinação à adoção de protocolos de biossegurança no setor de turismo para possibilitar o retorno seguro e responsável das atividades em todo o país”, acrescentou.

Demonstrando também sinais de recuperação da aviação civil, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) divulgou que as companhias aéreas registraram, em julho, o terceiro mês consecutivo de crescimento da malha aérea doméstica. Por dia, foram registrados uma média de 1.624 partidas em julho. A quantidade de voos é 16,4% maior do que a anotado em junho, mês que teve 1.230 decolagens. E é o maior desde janeiro de 2021, quando houve 1.798 voos por dia.

O aumento no número de voos reflete diretamente na movimentação de passageiros nos aeroportos do país. Os terminais da Rede Infraero, por exemplo, devem receber cerca de 3,5 milhões de viajantes durante o mês de julho. O número representaria um aumento de 284% em relação ao mesmo período do ano passado, quando mais de 900 mil pessoas embarcaram e desembarcaram nos terminais da empresa, que contempla terminais como o de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ).

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Ministério do Turismo lança campanha “Turismo em Natureza”

Ministério do Turismo lança campanha “Turismo em Natureza”

Ministério do Turismo lançou, nesta quarta-feira (14.07), no Parque Estadual do Cantão, em Caseara (TO), a campanha promocional “Turismo de Natureza”, que busca reposicionar o país no segmento. Com o slogan “Viaje pelo Brasil. Gigante pela própria natureza”, as peças publicitárias terão como foco a experiência do viajante e retratarão a importância de se praticar um turismo consciente, sustentável e seguro neste momento de retomada. Todo o material, que inclui cards, vídeos, entre outros, poderá ser conferido em mídias digitais, sites do trade turístico e na TV aberta.

A escolha do Cantão para o lançamento da campanha foi um pedido do ministro Gilson Machado Neto, que destacou o local como um dos destinos pouco conhecidos pelos turistas, mas que possui um potencial gigantesco para o turismo. O Parque Estadual do Cantão, que completa 23 anos nesta quarta-feira, é uma unidade de conservação de proteção integral que faz parte do Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do governo do estado do Tocantins. Tem uma área definida de aproximadamente 90 mil hectares, com cerca de 800 lagos.

Durante o lançamento, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou que a campanha deve proporcionar maior visibilidade a destinos pouco conhecidos pelos brasileiros. “Nada se compara ao Brasil quando falamos em recursos naturais. Estamos entre os maiores no segmento em um ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial e somos o único no mundo com seis biomas: Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa. Temos atrativos ainda pouco conhecidos que podem ser visitados agora pelos cerca de 11 milhões de brasileiros, que antes viajavam para o exterior, e que agora têm a oportunidade de conhecer melhor o nosso país”, disse.

Esta campanha é mais uma das ações que o Ministério do Turismo vem realizando para promover um turismo mais sustentável e inclusivo no país. As ações passam também pela concessão dos parques nacionais e implementação da RedeTrilhas, iniciativas conjuntas com o Ministério do Meio Ambiente, que garantirão infraestrutura adequada para a visitação turística, de forma sustentável, já que os investimentos e as ações provenientes destas medidas aprimorarão a conservação das unidades do país.

O turismo de natureza vem despontando no país. Pesquisas apontam um crescimento na busca por destinos deste segmento e por atividades ao ar livre. Levantamento da Booking.com mostra, por exemplo, que 9 em cada 10 viajantes brasileiros passaram a buscar destinos mais tranquilos e mais afastados, o que reforça a ideia do turismo em natureza.

Neste mês, o Ministério do Turismo já havia lançado uma radiografia do Turismo Náutico no país, destacando a forte vocação do Brasil para o desenvolvimento e consolidação de atividades praticadas em água, que também possibilitam o contato com a natureza. Sobretudo, devido aos 8.500 quilômetros de litoral, 35 mil quilômetros de rios e canais navegáveis e mais 9.260 quilômetros de margens de reservatórios de água doce, lagos e lagoas, além de um clima propício ao esporte e ao lazer náutico.

#AgendadoMinistro 🗓️

O ministro @gilsonmachadont lançou hoje, no Parque Estadual do Cantão, em Caseara (TO), a campanha promocional #TurismoemNatureza. Confira o discurso no lançamento e o vídeo da campanha ⬇️ pic.twitter.com/2EsPNCfMC5— Ministério do Turismo (@MTurismo) July 14, 2021

DADOS DO BRASIL –

O Turismo de Natureza foi responsável por motivar a viagem de 18,6% dos turistas internacionais, em 2019, registrando o maior índice dos últimos cinco anos. No mesmo ano, o IBGE apontou que cerca de 1,5 milhão de turistas brasileiros viajaram dentro do país motivados pela aventura e natureza, o que representa 26% das viagens realizadas a lazer. Entre os destinos mais procurados, atualmente, para Turismo em Natureza estão: Foz do Iguaçu (PR), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Angra dos Reis (RJ) e Florianópolis (SC).

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Mtur Cadastur

Regularização de serviços turísticos avança no país

A regularização dos prestadores de serviços turísticos segue avançando no país. Atualmente, 127.758 prestadores fazem parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos, o Cadastur, administrado pelo Ministério do Turismo. O número representa um aumento de 97,7% em relação a 2017.

São Paulo lidera o ranking dos estados com maior número de serviços cadastrados (27.203), seguido do Rio de Janeiro (19.993) e de Minas Gerais (10.677). Já o estado de Alagoas se destaca por apresentar crescimento de 112% nos cadastros no primeiro semestre deste ano, saindo de 2.726, em janeiro, para 5.790, em julho.

“O aumento contínuo do número de cadastros mostra que o trabalho do Ministério do Turismo está fazendo efeito e que os prestadores de serviços turísticos têm consciência da importância da regularização para melhorar a qualidade do turismo brasileiro”, comentou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

O registro no Cadastur é obrigatório para guias de turismo, acampamentos turísticos, agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de evento, parques temáticos e transportadoras turísticas. O cadastro é válido por dois anos, no caso das pessoas jurídicas, e cinco anos para os guias de turismo.

Também podem se cadastrar, mas de maneira opcional, as seguintes atividades: casas de espetáculo, centros de convenções, empreendimentos de entretenimento e lazer e parques aquáticos, empreendimentos de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva, locadoras de veículos para turistas, prestadoras de serviços de infraestrutura para eventos, prestadoras especializadas em segmentos turísticos e restaurantes, cafeterias, bares e similares.

BENEFÍCIOS – O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo (SNDTur), William França, explica que o Cadastur, além de ser uma importante fonte de consulta para os turistas, também garante diversas vantagens e oportunidades aos cadastrados.

“São diversos benefícios ofertados, como acesso a financiamento; oportunidades de qualificação exclusivas; apoio em eventos, feiras e ações do Ministério do Turismo; incentivo à participação em programas e projetos do governo federal; e visibilidade nos sites do MTur e do Cadastur”, pontua o secretário.

Entre os programas exclusivos para os prestadores regulares no Cadastur está o Selo “Turismo Responsável, Limpo e Seguro”. A iniciativa foi criada pelo Ministério do Turismo há um ano em resposta à pandemia de Covid-19 e é uma importante aliada na retomada do turismo. “Até agora, mais de 28 mil estabelecimentos e guias de turismo possuem o selo. Ele é um diferencial para os prestadores de serviços turísticos, um símbolo do compromisso assumido por eles em adotar medidas que protejam turistas e trabalhadores do setor”, destacou França.

Saiba mais sobre o Selo Turismo Responsável e como aderir à iniciativa AQUI.

Os prestadores de serviços turísticos que fazem parte do Cadastur também têm acesso a linhas de crédito especiais pelo Fundo Geral de Turismo (Fungetur). O Fungetur possui como principais diferenciais as taxas, que são pré-definidas e menores que as comumente praticadas no mercado, e a possibilidade de ser utilizado para financiar capital de giro, aquisição de bens (máquinas e equipamentos) e realização de obras (implantação, modernização, ampliação ou reforma). Após emissão do certificado do Cadastur, o empresário pode se dirigir a um agente financeiro credenciado para solicitar o financiamento.

Saiba mais sobre o Fungetur e quais são os bancos credenciados AQUI.

As vantagens do cadastro também se ampliam ao campo da qualificação. Os guias de turismo regulares no Cadastur têm acesso a cursos exclusivos, ofertados periodicamente pelo Ministério do Turismo em parceria com instituições de ensino de todo o Brasil. Só no último mês foram disponibilizadas mais de 7.100 vagas de capacitação a guias de turismo cadastrados de todas as regiões do país.

“Vários programas do Ministério do Turismo estão interligados com o Cadastur. Ademais de todas essas vantagens, os prestadores de serviços turísticos possuem um canal estreito com o Ministério do Turismo, estados e municípios. Eles estão sempre recebendo informações, sendo atualizados sobre políticas públicas e novos programas”, destaca William França.

Clique AQUI e conheça os principais programas do Ministério do Turismo.

O secretário da SNDTur lembra ainda que, além de todos estes benefícios, algumas atividades turísticas só poderão ter acesso ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) se estiverem regulares no Cadastur, como estabelece a Portaria n° 7.163/2021 do Ministério da Economia. É o caso de empresas de realização ou comercialização de congressos, eventos esportivos, feiras de negócios, shows, festas, casas de eventos, hotelaria em geral, entre outros. A Lei nº 14.148/2021, que cria o Perse, foi sancionada em maio deste ano pelo presidente Jair Bolsonaro e apoia o setor de eventos e turismo diante dos impactos causados pela pandemia.

fONTE: Mtur

Ministério do Turismo debate medidas para propagação de ações de biossegurança no setor

Ministério do Turismo debate medidas para propagação de ações de biossegurança no setor

Encontro tratou do Selo Turismo Responsável do MTur e teve o objetivo de subsidiar o Programa Nacional de Segurança Turística, em desenvolvimento pela Pasta.

esta terça-feira (29.06), uma equipe do Ministério do Turismo e da Embratur se reuniu para debater ações que consolidem o Selo “Turismo Responsável, Limpo e Seguro” no país. O encontro faz parte de um conjunto de ações que estão sendo desenhadas para subsidiar o Programa Nacional de Segurança Turística, em desenvolvimento pela Pasta. Esta é a sexta reunião temática do grupo, que já discutiu outras propostas para aprimorar a segurança entre os turistas nos atrativos brasileiros, como as relações de consumo entre empresas do setor e turistas e a segurança pública.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, ressaltou a necessidade de comunicar ao trade e aos turistas sobre a importância de se adotar e de se informar sobre medidas de biossegurança para a retomada do setor. “O Selo Turismo Responsável é um grande aliado do nosso setor, e precisamos estampá-lo em todos os estabelecimentos do país para garantir que o turista se sinta seguro ao viajar, principalmente neste momento de retomada. Estou colocando toda a minha equipe para fazer com que esta certificação possa estar em todos os estabelecimentos turísticos do país”, disse.

Durante a reunião, os participantes apresentaram algumas propostas para ampliar a capilaridade do Selo, que hoje está presente em mais de 28,6 mil prestadores de serviços do país. Entre elas, está a divulgação da iniciativa através de ações específicas e estratégicas, integrar e agregar os diversos selos criados pelos municípios e estados brasileiros e revisar e incluir conteúdo com dicas de segurança, com foco em saúde, no portal “Viaje Legal”, do Ministério do Turismo.

SELO TURISMO RESPONSÁVEL – Lançado em junho, o Selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, disponibilizado pelo Ministério do Turismo, busca auxiliar a retomada de atividades do setor seguindo requisitos de biossegurança. (Acesse aqui) O órgão publicou protocolos sanitários recomendados a 15 segmentos que integram o Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), além de um conjunto de orientações a visitantes.

OFICINA DE SEGURANÇA TURÍSTICA – Nas últimas semanas, o Ministério do Turismo e a Embratur estão realizando uma série de encontros para debater assuntos relacionados à segurança turística no país. Além do tema, o grupo planeja trabalhar em outros eixos que envolvem as seguintes áreas: Vigilância Sanitária; Relações de Consumo; Prevenção à Exploração de Crianças e Adolescentes no Turismo; Defesa Civil; Transporte e Comunicação Positiva. Entre as contribuições estão a possibilidade de realização de campanhas que incentivem os turistas a adotarem o “Turismo Responsável” e que impulsionem a adesão de empresas ao Código de Conduta Brasil – que tem por objetivo orientar e estabelecer padrões de comportamento ético quanto a prevenção e enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Fonte: Mtur

Ministério do Turismo veicula segunda fase da campanha “Não cancele, Remarque”

Iniciativa tem como objetivo conscientizar sobre a importância do não cancelamento de viagens.

O Ministério do Turismo deu início na segunda-feira (08.06) a segunda edição da Campanha “Não Cancele, Remarque”. O objetivo é sensibilizar e mobilizar os consumidores a não cancelarem viagens e eventos diversos durante o período de pandemia, mas sim optarem pela remarcação. A medida e possível graças a MP 1036/21 que prorrogou as regras para cancelamento ou remarcação de eventos por seus organizadores nas áreas de turismo e de cultura prejudicados pela pandemia de Covid-19 até 2022.

O texto, publicado em 18 de março, atualiza a Lei 14.046/20 que desobriga a empresa de reembolsar os valores pagos pelos consumidores desde que assegure a remarcação dos serviços, eventos ou reservas adiados ou cancelados, ou disponibilize crédito para uso na compra de outros serviços da empresa. O consumidor que optar pelo reembolso de serviço ou evento adiado ou cancelado até 31 de dezembro de 2021 poderá usá-lo até 31 de dezembro de 2022.

“Estamos vivendo um momento inédito do turismo nacional e pensando em garantir os direitos dos consumidores, bem como assegurar a sobrevivência das empresas dos segmentos de turismo e cultura é que atuamos para garantir a prorrogação do prazo para remarcação de viagens e serviços, bem como da devolução do valores gastos pelos consumidores. Nosso objetivo é que os turistas brasileiros remarquem suas viagens se assim desejarem mas não cancelem seus passeios”, comentou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Se a empresa não conseguir remarcar o evento ou disponibilizar o crédito na forma prevista, terá que devolver o valor recebido pelo consumidor até 31 de dezembro de 2022.

Ainda segundo a MP, artistas, palestrantes e outros profissionais contratados até 31 de dezembro deste ano, com eventos adiados ou cancelados, não terão obrigação de reembolsar imediatamente os valores dos serviços ou cachês. A medida vale desde que o evento seja remarcado e realizado até 31 de dezembro de 2022.

CAMPANHA – A campanha será veiculada nas redes sociais – Facebook, Instagram , Twitter e veículos de comunicação do trade turístico até 20 de junho. Os espaços foram definidos com foco na utilização de players com grande potencial de alcance para a cobertura.

Fonte: Mtur

ABIH-SC Ministro de turismo

Ministro recebe governadora em exercício de Santa Catarina para debater ações para o turismo

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, recebeu nesta terça-feira (27.04) a governadora em exercício de Santa Catarina, Daniela Reinehr, para debater ações para fortalecimento do setor e alinhar visita ao estado. Nos últimos anos, o Ministério do Turismo destinou recursos para várias obras em Santa Catarina que estão prestes a ser inauguradas. O encontro foi acompanhado pelo deputado federal Daniel Freitas; pelo secretário estadual de Articulação Nacional, Jorge Davi; e pela equipe do governo estadual.

A visita a Santa Catarina, prevista para meados de maio, vai marcar a entrega de importantes obras de infraestrutura turística. O ministro Gilson Machado também de aproveitar a ocasião para visitar alguns destinos de cidades como Bombinhas, Itapema, Balneário Camboriú, Governador Celso Ramos, São Joaquim. As atividades previstas na agenda serão confirmadas na próxima semana.

O ministro destacou as belezas de Santa Catarina e colocou o governo federal à disposição para medidas que possam trazer melhorias para o estado. “Santa Catarina tem um dos maiores potenciais turísticos da América Latina. Tanto pelas belezas naturais de praias e de costas, como de serra, das vinícolas, seu inverno”, disse. “Vamos visitar o estado, fazer várias entregas. Vamos colocar definitivamente Santa Catarina no mapa mundial do turismo”, afirmou.

A governadora em exercício de Santa Catarina, Daniela Reinehr, agradeceu o encontro com o ministro e as ações que o governo federal tem feito. “Que bom perceber que o Ministério vê todo o potencial de Santa Catarina. É um estado que tem muito a desenvolver e somos parceiros do governo federal e queremos levar tudo de melhor para nosso estado”, declarou.

Por Rafael Brais

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Mtur

Ministérios do Turismo e da Justiça fortalecem parceria para garantir direitos do consumidor turista

No mês em que se comemora o Dia Internacional do Consumidor, os ministérios do Turismo e da Justiça e Segurança Pública reforçam o compromisso com a garantia dos direitos de turistas em todo o país. Nesta quarta-feira (24.03), os ministros Gilson Machado Neto (Turismo) e André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) assinaram um Acordo de Cooperação Técnica que prevê o compartilhamento de informações e ações conjuntas de proteção aos consumidores turistas.

Entre as ações previstas estão o incentivo à adesão de grandes empresas prestadoras de serviços turísticos à plataforma de resolução de conflitos “consumidor.gov.br”. Trata-se de um serviço público federal gratuito que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas para solução de conflitos de consumo pela internet, como cancelamentos e remarcações de viagens e eventos, principalmente, em decorrência da pandemia de Covid-19. Atualmente, estão presentes na plataforma 28 empresas do segmento de Turismo, Viagens e Hospedagem.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, destaca a importância de ações governamentais conjuntas em defesa do consumidor. “Nossos esforços são para garantir segurança jurídica às empresas do setor e aos cidadãos que, de forma rápida e mais facilitada, consigam cancelar ou remarcar viagens. Atuamos assim para garantir a boa relação entre consumidores e prestadores de serviços, evitando a judicialização”, afirmou.

O Acordo também prevê a oferta de cursos gratuitos pela Escola Nacional de Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, na modalidade de ensino a distância. O objetivo é disseminar informações sobre direitos dos consumidores para prestadores de serviços turísticos. Estão previstas ainda outras ações conjuntas de proteção, como a articulação com os órgãos do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, a partir de demandas apresentadas pelo Ministério do Turismo.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, ressalta que o Acordo assinado vai melhorar a relação entre agências de viagens e consumidores na área do turismo. “Para que ele tenha melhor atendimento para suas demandas e, também, para que o operador dessa área tenha maior conhecimento dos direitos e garantias que o Código do Consumidor dá”, disse. “Queremos que o brasileiro viaje mais, com mais direitos, com mais segurança, preço justo e que as operadoras possam auferir bom resultado de seu trabalho”, completou.

PROTEÇÃO 

Desde os primeiros casos de coronavírus registrados no Brasil, o Ministério do Turismo atuou para diminuir o impacto da pandemia no setor de turismo. Entre as medidas adotadas está o apoio e articulação da Medida Provisória 948, que regulamentou as relações de consumo no país, garantindo os direitos dos consumidores e, ao mesmo tempo, impedindo a falência de empresas do setor.

A MP trouxe regras claras para o cancelamento e a remarcação de reservas, tanto no turismo como na cultura, e disponibilizou o site consumidor.gov.br, reduzindo a judicialização das demandas. Administrada pela Secretaria Nacional do Consumidor, a plataforma registrou um aumento de 427,8% nas reclamações relacionadas a viagens, turismo e hospedagem. Passou de 7.724, em 2019, para 40.765, em 2020. Somente em janeiro e fevereiro deste ano foram 7.807 reclamações, um aumento de 606,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

As reclamações na plataforma Sindec, que congrega informações dos Procons, também teve um crescimento de 220,9% em 2020, quando comparando a 2019. Reclamações de janeiro e fevereiro deste ano chegam a 8.759, uma elevação de 289,6% em relação ao mesmo período de 2020. No setor da cultura houve um aumento de 178,6% no número de reclamações na plataforma Consumidor.gov.br, entre 2019 e 2020. Já na plataforma Sindec, o avanço foi de 157,7%.

PRORROGAÇÃO 

Na última semana, a MP n°1.036 de 2021 definiu que consumidores, prestadores de serviços dos setores de turismo e cultura, artistas e profissionais contratados para realização de eventos terão um novo prazo para remarcação, concessão de crédito ou devolução de valores referentes a atividades, reservas e eventos turísticos e culturais cancelados em 2020 e 2021 em razão da pandemia.

Na prática ela estende, até o dia 31 de dezembro de 2022, o período para as remarcações, emissão de créditos para utilização na compra ou abatimentos em outros serviços ou devoluções de valores já pagos em serviços, reservas e eventos. A ação visa garantir o direito dos consumidores e a sobrevivência do turismo e da cultura, fortemente afetados pela pandemia.

Além de estabelecer critérios claros e transparentes para cancelamento e remarcação de viagens, o Ministério do Turismo criou o movimento “Não Cancele, Remarque”. A campanha orienta turistas sobre a possibilidade de não cancelar, mas sim adiar viagens e pacotes turísticos.

Fonte: Mtur