Posts

Temperaturas mais baixas aquecem turismo no Planalto Norte

 

Neve que encantou turistas no Sul e na Serra Catarinense não deve se repetir na próxima semana em Santa Catarina. O que se repete é o frio que segue bastante intenso, com temperaturas que podem chegar a 7°C em Joinville e não ultrapassam 20°C, de acordo com a previsão do tempo do Ciram/Epagri. O Sol deve predominar até o fim de semana.

Na região, o frio ainda é ainda mais intenso no Planalto Norte. Em Campo Alegre, nesta terça-feira (10), os termômetros chegaram a 3°C. Na quarta, a mínima por lá será de 0°C e na quinta -3°C. Tudo isso movimenta o turismo e faz com que muita gente suba a Serra Dona Francisca para aproveitar o inverno.

Os hotéis da cidade já registram um aumento na procura por hospedagens. Por lá há opção para quem curte aproveitar o frio em pousadas e hotéis mais simples, com preço médio de R$ 150, a opções mais exclusivas e sofisticadas, nas quais uma diária para casal pode chegar a R$ 720 em hotéis fazendas ou refúgios de descansos.

“O frio é um grande atrativo para o aumento da procura por hospedagens na região de Campo Alegre. Este ano, acredito que por conta da Copa do Mundo, muita gente demorou para buscar opções de lazer na região. Agora ela começou a aumentar bastante, principalmente nesta semana”, comenta Simone Kalbusch, gerente da Olímpia Tur, que fica em Joinville.

Neve encantou no Sul do Estado 

A previsão não era neve, apenas uma pequena possibilidade de chuva congelada, mas o turista que estava no Sul do Estado e na Serra Catarinense foi surpreendido pela neve que caiu e encantou. Quem estava nos pontos mais altos como Urubici, Bom Jardim da Serra e São Joaquim teve o privilégio de ver os floquinhos de neve caindo do céu.

Segundo a Epagri/Ciram, a ocorrência de neve depende da combinação de frio com umidade.

“O frio veio com a massa de ar polar, trazida por um anticiclone (alta pressão) com centro entre o norte da Argentina e Uruguai. A umidade que chega ao sul catarinense é transportada do mar pela presença de um ciclone (baixa pressão) próximo à costa. Entre o anticiclone (ventos girando no sentido anti-horário) e o ciclone (ventos girando no sentido horário), forma-se uma pista de vento sul de forte intensidade, atingindo principalmente as regiões da Grande Florianópolis e sul de SC”, explica Laura Rodrigues, meteorologista da Epagri/Ciram.

Além do frio intenso e das belas paisagens na serra, os sistemas atmosféricos predominantes no sul do Brasil propiciam condições adversas de mar. “Quanto ao frio, será ainda mais intenso nos próximos dias, com madrugadas geladas e geada em SC, enquanto a condição de neve permanece somente nesta terça-feira”, avisa a meteorologista. (Gabriel Júnior)

 

Fonte: OCP News

Parque Nacional de São Joaquim.

Neve, frio e culinária europeia movimentam o turismo da serra catarinense

Parque Nacional de São Joaquim.

Parque Nacional de São Joaquim.

 

Todo ano é assim. Vai chegando o inverno, que coincide com período de férias escolares, e a serra catarinense vira a bola da vez para turistas de Santa Catarina e também de outros estados do país. Mas quando a temperatura despenca e a neve dá o ar da graça, como aconteceu esta semana, a expectativa cresce e a ocupação hoteleira pode chegar a quase 100% nos municípios da região, segundo a Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures).

A rede hoteleira da região conta com 10 mil leitos, principalmente pequenas pousadas, distribuídos por 18 municípios. A maior concentração, não por acaso, se dá entre os municípios que têm a ocorrência de neve no histórico, como Urupema, Urubici, Bom Jardim da Serra, São Joaquim, Lauro Müller e Lages.

O Morro das Torres, que tem uma das menores sensações térmicas da região, e a cascata que congela, ambos em Urupema, além do Morro da Pedra Furada, em Urubici, são atrativos imperdíveis na serra catarinense. À mesa, a tradição do café colonial, chocolates, fondue e outros atrativos da culinária europeia. A região recebe cerca de dois milhões de visitantes por ano, mais da metade concentrada no período de inverno, segundo a Amures.

ESTUDO 

Pesquisa realizada em 2017, pela Fecomércio, mostrou que 99,4 dos turistas na região, nessa época do ano, são brasileiros e 0,6% estrangeiros. Para 69,6% dos viajantes a motivação foi o turismo de inverno e o valor médio de gasto com a viagem foi de R$ 1.236,10. O saldo foi tão positivo que 98,5% afirmaram que indicariam o passeio para parentes e amigos.

 

Fonte: Ministério do Turismo.