Posts

Em janeiro, Brasil registra alta de 7% em voos internacionais

 

Dados foram divulgados pela Embratur, com base nas informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

 

Janeiro terminará com um crescimento de 7% na chegada de voos internacionais ao Brasil em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), com base nas informações disponibilizadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Um total de 6.120 voos aterrissaram nos aeroportos brasileiros no primeiro mês do ano. O número representa cerca de 400 voos a mais em relação a janeiro de 2018, garantindo um incremento de 107 mil assentos disponíveis.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o número revela resultados de medidas como o visto eletrônico e o trabalho pelo aumento da conectividade aérea no país. “São ações que entraram na nossa agenda de prioridades estratégicas e vão colocar o turismo brasileiro em um outro patamar de capacidade e eficiência para gerar resultados”, defende.

Para a presidente da Embratur, Teté Bezerra, “receber mais voos, de mais cidades e países, é fundamental para o crescimento do turismo internacional para o Brasil”.

POR REGIÃO – Os destaques são os aeroportos da região Sul, com aumento de 19% em relação ao mesmo mês do ano passado. A região Nordeste também apresentou bom desempenho no período, com alta de 17%. Guarulhos, em São Paulo, maior porta de entrada de estrangeiros no País, registrou 7% de ampliação no número de voos internacionais no primeiro mês do ano, com mais 222 voos ante janeiro do ano anterior. O Galeão, na cidade do Rio de Janeiro, segundo maior aeroporto internacional do País, teve 9% a mais, com 1.320 voos neste mês, o que significa 107 voos a mais que no mesmo mês de 2018. Brasília, no Centro-Oeste, ampliou em 32% o número de chegadas, passando de 137 para 182 voos em janeiro de 2019.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Brasil se prepara para a temporada de cruzeiros marítimos

 

Estados da Região Nordeste estão com grandes expectativas e já têm garantido o atracamento em seus portos

A temporada 2018/2019 de cruzeiros no Brasil já começou. As escalas dos navios levarão turistas para conhecer alguns dos destinos mais desejados do Brasil. Entre eles, estão alguns destinos do Nordeste, como Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas. Para a presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Teté Bezerra, o Brasil é um mercado com extremo potencial para cruzeiros marítimos.

“Temos uma costa linda e repleta de atrativos para os mais vários tipos de viajantes, e precisamos aproveitar melhor esse potencial. Tivemos alguns avanços, como o Decreto Presidencial número 9.500, que alterou de 90 para 180 dias a validade do visto dos profissionais que trabalham em navios em viagem de longo curso. O governo entende que o setor inclusivo, gera emprego e renda”, afirma a presidente.

O Porto de Cabedelo, no litoral norte da Paraíba, um dos destinos que contará com sucesso na temporada, voltará a entrar na rota dos cruzeiros marítimos a partir do dia 8 de fevereiro de 2019, quando ocorrerá o primeiro de 26 atracamentos que estão previstos para o verão no País. A presidente da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo), Ruth Avelino, comemora: “A previsão é de que passem pelo estado cerca de 13 mil cruzeiristas, fora a tripulação. Esse público é visto com boas expectativas, já que eles têm a oportunidade de conhecer os atrativos do local. Toda a cadeia turística é beneficiada, como bares, restaurantes, nossos postos de artesanatos”.

A última temporada de cruzeiros marítimos no Porto de Cabedelo aconteceu em 2012, segundo informou Ruth Avelino. “A atividade é importante não só para a Paraíba, mas para todo o País”, disse a presidente da PBTur. Ao todo, foram 14 atracações que levaram para a Paraíba mais de 15 mil turistas.

Dados do setor

Na última temporada (2017/2018), cerca de 420 mil pessoas viajaram de navio no Brasil, um crescimento de quase 17% em comparação ao período anterior. Dos mais de 470 mil turistas que fazem cruzeiro no País, 20% são estrangeiros. De acordo com a CLIA Brasil (Cruise Lines Internacional Association), entidade que representa o setor, cada navio pode gerar 4 mil empregos. Entre 2017 e 2018, foram gerados 27.748 empregos, quase 10% a mais que em 2016/2017, com os sete navios que estiveram na costa brasileira.

A temporada 2018/2019 de cruzeiros no Brasil, que começou esta semana e termina em abril, terá sete navios de cabotagem, com viagem com início e fim nos portos nacionais, e 29 embarcações de longo curso, com escalas no País. Em média, os navios permanecem 120 dias em operação.

 

Fonte: Embratur

WTM começa com forte participação brasileira

 

Estande da Embratur conta com a participação de 25 co-expositores em uma das maiores feiras de turismo do mundo

Londres, capital do Reino Unido, é palco da World Travel Market 2018, ou WTM, como é conhecida a maior feira de turismo do Reino Unido, e uma das mais importantes do setor na Europa. Este ano, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) conta com a participação de 25 co-expositores brasileiros, entre empresários e destinos que apresentam atrações e toda a diversidade do turismo nacional. No total, são cinco mil expositores e mais de 88 mil visitantes durantes os três dias de feira, que começa hoje (5) e acontece até o dia 7 de novembro.

A presidente da Embratur, Teté Bezerra, ressalta a importância da presença do Instituto neste evento, explicando que “nós promovemos a plataforma, que é nosso estande, para que os nossos destinos e empresários estejam aqui, em Londres, hoje, representando as múltiplas oportunidades para o turismo no Brasil, com a chancela do Governo Federal, por meio da autarquia”.

No total, são centenas de reuniões agendadas com compradores internacionais, a fim de gerar negócios para o mercado brasileiro. O estande da Embratur também apresenta diversas atrações culturais e gastronômicas, que são duas das principais características destacadas pelos turistas internacionais que nos visitam. Além disso, amanhã, à noite, a Embratur promoverá um evento com 50 influenciadores digitais do continente europeu, no qual profissionais brasileiros e do mundo farão apresentações sobre os principais destinos e atrações ligadas ao segmento de Ecoturismo e Turismo de Aventura no Brasil.

Diogo Beltrão, executivo de marketing internacional da Secretaria de Turismo de Pernambuco, afirma que “nós, como destino, aproveitamos a visibilidade do estande brasileiro neste mercado britânico, que é tão importante e representa pelo menos 5% dos turistas internacionais que visitam nosso estado”. “Esta feira não abrange apenas o Reino Unido, mas a Europa toda, e é uma boa forma de fechar o ano, atraindo mais visitantes estrangeiros para a região”, completa Beltrão.

A chefe de promoção internacional de Foz do Iguaçu, Jandira Cordeiro, reforça a importância da WTM: “Esta feira é muito importante para Foz. Encontramos, pelo menos, 60 nacionalidades de todo o mundo, para apresentar nossa estrutura e atrativos”, frisa Jandira. “Além disso, os britânicos estão entre os cinco principais turistas internacionais. É um palco diferenciado para mostrar o que temos de melhor para o turista”, completa a executiva.

No estande brasileiro estão nove destinos, 12 operadores de viagens, uma rede hoteleira, uma agência de transportes de turismo, uma agência de turismo e um centro de convenções.

MMGY London Summit

O tradicional encontro promovido pela empresa de marketing de turismo MMGY London Summit foi realizado a bordo de um barco que realiza passeios no rio Tâmisa, ícone da cidade de Londres. No encontro, a presidente da Embratur e os representantes do Ministério do Turismo, profissionais do trade internacional, da Organização Mundial de Turismo e dos promotores do evento apresentaram informações acerca das novidades e principais diretrizes da promoção turística internacional. O encontro reuniu cerca de 50 líderes do segmento de todo o mundo, abordando a importância do uso de dados, e como as empresas e destinos podem ser mais relevantes para auxiliar a tomada de decisão e atrair visitantes para seus países.

 

Fonte: Embratur

Embratur apresenta a percepção do trade internacional em relação ao Brasil

 

O Panorama de Comercialização traz a opinião do trade internacional sobre o receptivo brasileiro, bem como os pontos fortes e fracos do país

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) lançou a segunda edição do Panorama de Comercialização em que apresenta a percepção do trade turístico internacional em relação ao receptivo brasileiro, que são fornecedores do segmento no país. O documento traz informações dos 14 principais países emissores de visitantes estrangeiros para o Brasil.

“Além de destacar a visão dos profissionais que comercializam para os turistas interessados no País, o material mostra quais são as principais características do destino Brasil, principais concorrentes, os segmentos e nichos mais procurados e respectivos destinos com apelo na geração de negócios”, explica a presidente do Instituto, Teté Bezerra.

O trade turístico internacional, responsável pelos dados fornecidos no Panorama de Comercialização, é composto por operadores e agências de viagens, companhias aéreas e players da indústria de turismo, como as associações. O produto possui destaques de cada país (Argentina, Alemanha, Canadá, Chile, Colômbia, EUA, Japão, França, Portugal, Itália, Espanha, Rússia, Paraguai e Reino Unido). Os lançamentos de novos voos, de frequências e as ações mais demandadas no mercado também constam no material.

O material mostra, por exemplo, que, na Alemanha, a diversidade de oferta turística é um fator que contribui para a escolha do destino Brasil. Na Argentina, a proximidade, a grande extensão de praias e a boa conectividade aérea são os principais destaques do trade em relação ao País. Canadá, Estados Unidos, Japão e Rússia afirmam que a distância e a baixa oferta de voos diretos dificultam a comercialização. No entanto, no mercado norte-americano, o trade demonstrou boas expectativas em relação ao visto eletrônico. Já na Rússia, o Brasil é considerado um País exótico pela natureza diversificada, com rica fauna e flora, e atrativo pelo Carnaval.

Devido à proximidade, nos demais países sul-americanos, como Chile, Colômbia e Paraguai, o destaque é para a grande oferta de frequências de voos semanais. Além disso, os chilenos reforçam a hospitalidade brasileira como fator diferencial, os colombianos se sentem atraídos pelos preços e os paraguaios pela variedade de opções para diferentes tipos de público e faixa de renda.

Na Europa, Espanha, França e Itália também foram consultados. Os franceses demonstraram boas expectativas em relação ao aumento na oferta e voos e, os italianos, escolhem os destinos brasileiros pela possiblidade de fazer roteiros com os países vizinhos da América do Sul.

“Para a elaboração do documento, consolidado pela Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística da Embratur, foram utilizadas informações de pesquisas realizadas pelos Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs), junto ao trade turístico de cada mercado”, informa a chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo, Angela Baltazar.

As publicações estão disponíveis no portal Visit Brasil, na aba Trade.

 

Fonte: Embratur

Brasil busca referências mundiais de formação em Turismo

Qualidade dos cursos de Turismo foi pauta de seminário internacional nesta quarta-feira (12), em Brasília. Foto: Roberto Castro/MTur

 

Certificação da Organização Mundial do Turismo para cursos de formação profissional foi tema de seminário internacional no Ministério do Turismo em parceria com o MEC.

 

A proposta de adesão do Brasil ao programa da Organização Mundial do Turismo (OMT), que certifica a qualidade da formação em Turismo, foi discutida em seminário realizado nesta quarta-feira (12) em Brasília. O evento foi promovido pelo Ministério do Turismo em parceria com o Ministério da Educação e a Fundação Themis, braço educacional da OMT. O debate foi sobre os critérios, já aplicados em 30 países, para atestar a qualidade dos cursos de Turismo no Brasil e no mundo. Além dos ministros do Turismo e substituto da Educação, Vinicius Lummertz e Henrique Sartori, e da presidente da Embratur, Teté Bezerra, estiveram presentes técnicos das duas pastas, da OMT e de instituições públicas e privadas de ensino superior que atuam na formação profissional em Turismo e hospitalidade no Brasil.

Para o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, o Brasil está dando um passo importante ao buscar referências internacionais para a formação dos profissionais brasileiros da indústria do turismo. “O referencial internacional vai elevar o patamar de qualidade dos serviços brasileiros, já conhecidos mundialmente através de pesquisas, pela nossa receptividade. Mas precisamos levantar esse patamar em parceria com a OMT. Com a certificação internacional, mais rapidamente nós aprenderemos. As instituições de ensino vão se transformar por competição ou por motivação e os formados sairão melhor preparados para o mercado de trabalho”, destacou.

A busca por referências mundiais sobre a qualidade dos serviços no turismo poderá render vantagens para as instituições que formam profissionais do setor. O ministro substituto da Educação, Henrique Sartori, assegurou o compromisso do Ministério da Educação com o MTur em agregar a certificação da OMT aos programas do MEC. “Vamos conferir bonificações regulatórias para que esses cursos possam aderir a essa programação da OMT e as instituições possam gozar de renovação e de reconhecimento e, até mesmo, a ampliação de oferta de vagas de forma mais robusta”, disse Sartori.

Entre outras vantagens da certificação de qualidade atestada pela OMT, além da regulamentação brasileira, o aluno de turismo, em seu banco escolar, se iguala com a formação em Turismo praticada no mundo inteiro. Para a coordenadora do curso de Turismo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Danielle Fernandes, uma chancela da OMT representa um diferencial importante para o curso que obteve um “cinco”, nota máxima na avaliação do MEC. “Se obtivermos essa chancela da OMT será o reconhecimento internacional do trabalho que temos feito aqui no Brasil”, disse a professora, ao destacar que o curso passou por uma atualização recente no projeto pedagógico.

Para o secretário nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do MTur, Bob Santos, o evento marca o início de uma nova fase do ensino do Turismo no País. “Na formação superior, embora seja voluntária, garantir a aplicação do certificado TedQual nos mais de 700 cursos de graduação de turismo em funcionamento no país trará um importante diferencial competitivo para nossos profissionais, uma vez que eles terão uma formação referendada pela maior e mais importante entidade do turismo mundial”, garantiu.

No Brasil, já são mais de 250 instituições de ensino superior que oferecem cursos de Turismo reconhecidos pelo MEC. O diretor da fundação Themis, Omar Valdez, ressaltou que o programa Ted.Qual já certificou mais de 200 programas de 70 universidade em todos os continentes. No Brasil, até o momento, nenhuma instituição solicitou a certificação. A principal base de avaliação da OMT é o Código Global de Ética para o Turismo que, além de formação e qualificação profissional, defende a atividade de forma responsável e sustentável.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Turismo Summit 2018 debate inovações e o futuro do setor

Presidente da Embratur, Teté Bezerra, discursa durante a cerimônia de abertura do evento

Presidente da Embratur, Teté Bezerra, discursa durante a cerimônia de abertura do evento

 

Embratur, MTur e Sebrae promovem diálogo sobre impacto da transformação digital no turismo. Evento faz parte de convênio com investimentos de R$ 200 milhões para empresas do setor

A conferência #TurismoSummit2018 – Destinos Turísticos Inteligentes e Inovadores reuniu, nos dias 4 e 5 de setembro, na sede do Sebrae Nacional, em Brasília, gestores públicos, coordenadores dos projetos de destinos turísticos inteligentes, lideranças do setor, empresários e estudantes para debater os impactos da transformação digital no turismo e como a parceria entre a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), o Ministério do Turismo e o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), organizadores do evento, pode auxiliar na adaptação do setor às transformações propostas pelos avanços tecnológicos.

As três instituições firmaram recentemente um Convênio de Cooperação Técnica, no valor de R$ 200 milhões, para promover a realização de ações voltadas ao aumento da competitividade das micro e pequenas empresas da cadeia produtiva do turismo. Nos próximos dois anos, serão desenvolvidas iniciativas de produção de inteligência, inovação da oferta turística, qualificação dos produtos e serviços, promoção internacional dos destinos, melhoria do acesso a serviços financeiros e atração de investimentos para o setor. Todo o montante que será investido no convênio provém de recursos do Sebrae.

Segundo a presidente da Embratur, Teté Bezerra, jogar luz sobre a pauta das inovações tecnológicas e buscar a transformação de produtos turísticos nacionais em Destinos Inteligentes são ações importantes para entender as demandas dos turistas internacionais, que estão cada vez mais conectados, se adaptar as mudanças do setor de viagens e buscar superar as expectativas dos visitantes.

“Tivemos dois dias de trabalho bastante produtivos com ricos debates sobre os novos conceitos norteadores do turismo no mundo. O #TurismoSummit2018 representa o pontapé inicial da implementação de ações de articulação, fomento do setor e atração de mais investimentos para transformar os nossos destinos turísticos”, explica.

No turismo, as mudanças tecnológicas fizeram com que o setor evoluísse da dinâmica de destinos analógicos (tradicional, off-line), para os digitais (multicanal, online) e, agora, o desafio é transformá-los em inteligentes (sensoriais).

Para o coordenador-geral de Segmentos Turísticos da Embratur, Alexandre Nakagawa, o convênio e a realização da conferência sinalizam um movimento de integração entre os órgãos envolvidos em prol do desenvolvimento do setor e da melhoria da promoção do Brasil no exterior. “A integração dos entes do Governo Federal é fundamental para uma promoção coesa tanto nacional quanto internacional, bem como na qualificação dos serviços turísticos que compõe a experiência dos turistas”, pondera.

PROGRAMAÇÃO

Entre os assuntos apresentados e debatidos na conferência, estão o Turismo na Era da Digital; o Uso de Big Data para conhecer o perfil do turista; Marketing Turístico; A gestão sustentável dos destinos; O caso de sucesso da Rota das Emoções e o Voucher Digital; A economia criativa como vetor de fomento ao turismo; A apresentação do Peru como destino de experiência e Dicas sobre como potencializar a experiência utilizando a sensorização.

As palestras, mediadas por técnicos do MTur, Embratur e Sebrae, foram ministradas por profissionais como Aline Prado, do Google Brasil; Mário Gárcia, chefe do Departamento de Big Data do destino Benidorm, na Espanha; Alexandre Garrido, especialista em sustentabilidade do grupo de trabalho na ISO de Turismo Sustentável; o economista português Carlos Martins; Mônica Sâmia, Diretora Executiva da Braztoa e a peruana Milagros Ochoa, diretora de Turismo do Escritório Comercial do Peru no Brasil, entre outros.

O #TurismoSummit2018 contou com aproximadamente 700 estudantes e profissionais do setor de turismo inscritos e reuniu autoridades e lideranças de entidades representativas do turismo nos dois dias de evento.

 

Fonte: Embratur 

WTM lança novo prêmio e Brasil concorre

Fundadora do Viajar Verde, blog com foco na divulgação de destinos responsáveis, Ana Duék destaca papel da Embratur na promoção internacional

Todos os anos, a WTM Londres apresenta novidades para a cadeia internacional do turismo. Em 2018, o Brasil, com participação confirmada na feira, uma das mais importantes do mundo, poderá ser melhor representado. A jornalista brasileira Ana Duék, fundadora do blog Viajar Verde, foi indicada para concorrer, entre os finalistas, o 1º International Travel & Tourism Awards, na categoria “Melhor Influenciadora Digital no Turismo”. Em sua primeira edição, o prêmio criado pela World Travel Market (WTM) reconhece organizações, empresas e representantes de destaque do setor turístico privado.

Teté Bezerra, presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), destaca a relevância da representatividade. “O blog estimula o intercâmbio de ideias, incentiva que atitudes sustentáveis sejam compartilhadas e cria uma corrente verde e responsável. Atuações como essa devem ser reconhecidas e valorizadas. Desejamos sucesso e boa sorte para a brasileira Ana Duék”, comentou.

Única representante brasileira a participar da fase final do novo prêmio da WTM Londres, Ana falou da importância do reconhecimento e da oportunidade de apresentar seu trabalho, que é de divulgar e ampliar a troca de informações e ideias sobre turismo responsável no Brasil e no mundo e tornar o setor mais consciente e sustentável.

“Acredito que trazer para o prêmio a representatividade não só do Brasil e da América Latina, mas também do Turismo Responsável, é uma oportunidade incrível”, disse a jornalista. Ana destacou, também, o trabalho de promoção turística internacional promovido pelo Instituto: “O Brasil, por meio da Embratur e do MUDA – Coletivo Brasileiro pelo Turismo Responsável, vem fazendo esforços no sentido de se promover como um destino responsável. E espero que eu possa reafirmar isso em Londres, mostrando que o turismo brasileiro está apto a entrar na rota de grandes atrativos turísticos internacionais”, escreveu.

De acordo com Ana Duék, além do Viajar Verde, estão concorrendo outros quatro blogs importantes: The Family Project, In a City Near You – City Break Travel Blog, Inside the Travel Lab e Vagabrothers. Entre os jurados do prêmio estão representantes da OMT, da Reed Exhibitions, WTM, Euromonitor International, Adventure Travel News (ATTA), entre outros. Como destaque, no júri, a brasileira e ex-presidente da Embratur Jeanine Pires.

As outras categorias que serão premiadas pelo International Travel & Tourism Awards são: Melhor Campanha de Organização de Destinos, Melhor Agência de Marketing de Turismo, Melhor Campanha Regional, Contribuição Excepcional para a Indústria, Melhor Destino Gastronômico, Melhor em Luxo, Melhor em Bem-Estar, Melhor em Turismo Responsável, Uso de Tecnologia Mais Inovador em Destinos, Melhor Campanha Digital em Turismo, Melhor em Turismo de Aventura, Melhor em LGBT e Melhor Campanha de Relações Públicas. A premiação acontecerá durante a WTM London, que será realizada entre os dias 5 e 7 de novembro, na capital inglesa.

 

Fonte: Embratur 

Representantes brasileiros se reuniram na Dinamarca nesta segunda-feira (20)

Promoção conjunta e irmanamento é foco de destinos brasileiros

Representantes brasileiros se reuniram na Dinamarca nesta segunda-feira (20)

Representantes brasileiros se reuniram na Dinamarca nesta segunda-feira (20)

Santa Catarina e Ceará trabalham em conjunto para atrair mais europeus, em especial, os dinamarqueses

Em encontro com operadores de turismo dinamarqueses, nesta segunda-feira (20), na Embaixada do Brasil em Copenhague, representantes de Santa Catarina e o secretário de Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, juntamente com Ministério do Turismo e Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), conversaram sobre a possibilidade de realizar a promoção integrada e desenvolvimento de uma rota Ceará-Santa Catarina para atrair mais europeus e turistas internacionais em geral.

Segundo o secretário de Turismo do Ceará, “atualmente, o estado já recebe 48 voos de fora do Brasil a cada semana, com previsão de chegar a 60”. “Somos um hub na parte norte do país, e seria ideal criar rotas internas que favorecessem outros pontos, como já fazemos atualmente com Foz do Iguaçu“, disse. A ideia é aproveitar a maior proximidade do estado nordestino ao continente europeu, facilitando a operação das companhias aéreas e ampliando a malha aérea brasileira.

Além disso, os empresários catarinenses propuseram ao embaixador brasileiro em Copenhague, Carlos Antônio da Rocha Paranhos, o irmanamento da capital dinamarquesa com Florianópolis, capital de Santa Catarina, por conta das semelhanças que possuem, como serem ambas com forte ligação com o mar, com potenciais turísticos e também na geração de negócios para os dois países.

Urbanismo como ferramenta de mudança social

A comitiva brasileira se encontrou também com o arquiteto Jan Gehl, do estúdio internacional Gehl Architects, referência em urbanismo voltado para as pessoas, e que já desenvolveu projetos para metrópoles como Sydney, na Austrália, e Moscou, na Rússia. O arquiteto dinamarquês destacou que muitas vezes pensamos nas cidades do futuro como lugares muito tecnológicos, automatizados, e que talvez a cidade do futuro tenha chegado: “Portanto, temos um futuro promissor. Podemos mudar, transformar nossas cidades em lugares onde queremos viver, feitos para as pessoas, acolhedoras“, completou o urbanista. O urbanista mostrou como foi a evolução da cidade de Copenhague, que começou há mais de 60 anos com projetos buscando priorizar os pedestres e ciclistas na estrutura da cidade.

A chefe de planejamento urbano de Copenhague, Tina Saaby, também se encontrou com os representantes brasileiros, mostrando como a capital dinamarquesa investiu e promoveu experiências para chegar ao patamar atual. “As experimentações, as inovações, as tentativas fizeram com que o sistema evoluísse. Buscamos transformar a cidade em um melhor lugar para o cidadão viver. Os projetos sempre contam com a integração entre os públicos privados, os governantes e também a população. É uma solução conjunta“, completa a urbanista.

 

Fonte: Embratur

Brasil está entre os destinos preferidos dos russos após a Copa

 

País fica em segundo lugar em pesquisa do site Skyscanner sobre quais países os turistas russos querem visitar depois do contato com torcedores durante o mundial

A Campanha Happy By Nature (Felizes Por Natureza) que a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) realizou na Rússia, durante a Copa do Mundo, e que levou a alegria e hospitalidade do povo brasileiro como atrativo turístico continua dando resultados. Segundo pesquisa realizada na Rússia pelo site Skyscanner, o Brasil ficou na segunda colocação entre os países que os turistas russos desejam visitar após terem tido contato com a torcida durante o torneio.

O Brasil, de acordo com a pesquisa online do site especializado em busca de passagens aéreas, hotéis e aluguel de carros, ficou atrás apenas da Islândia, uma das sensações da Copa e à frente de países como México, Austrália e Peru. O resultado da pesquisa reforça o interesse dos russos pelo Brasil como destino turístico, pelo povo brasileiro e ratifica a escolha do tema da campanha.

“Nosso povo é acolhedor e bem humorado. O brasileiro é sim um atrativo turístico. Em um país com tamanha variedade de produtos turísticos, esse resultado da pesquisa é uma demonstração da força que a energia e a simpatia brasileira têm ao redor do planeta”, afirma a presidente da Embratur, Teté Bezerra.

Um dos motivos para escolha do tema da campanha Felizes Por Natureza foi o resultado de outra pesquisa, realizada após as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. Após o megaevento, 98% dos turistas estrangeiros que visitaram o Brasil elencaram a hospitalidade do brasileiro como diferencial. Esse dado foi um dos balizadores para a definição da estratégia da campanha da Embratur.

O retorno de mídia da campanha é considerado expressivo. A campanha durou 40 dias e teve alcance de 304 milhões de pessoas, contabilizando os impactos gerados nas ruas, com as publicações da imprensa internacional e também com o engajamento nas redes sociais. Somente na imprensa internacional, o público estimado é de 200 milhões, com mais de 50 matérias publicadas em veículos nacionais e internacionais. Nas mídias sociais, são 104 milhões de impressões das publicações. Mais de 2,8 milhões de engajamentos nas postagens, como curtidas, reações e comentários. Além disso, houve um alcance aproximado de 3 milhões via influenciadores digitais.

MERCADO RUSSO

A Rússia é um mercado considerado estratégico para a Embratur. Desde setembro do ano passado, a Embratur realiza ações e reuniões in loco, ao estabelecer um escritório em Moscou. São 23 milhões de russos que viajaram pelo mundo no ano passado e gastaram US$ 27 bilhões, mas apenas 27 mil visitaram o Brasil.

 

Fonte: Embratur

Tufi Micherffi Neto deixa secretaria de turismo em SC

Tufi Micherffi Neto

 

Empossado em abril como secretário de Turismo, Cultura e Esporte em Santa Catarina, Tufi Micherffi Neto não está mais no cargo. Ele deixou a função para coordenar a campanha do candidato Mauro Mariani (MDB) ao governo estadual.

Valdir Walendowsky, presidente da Santur (Santa Catarina Turismo), assume interinamente. A expectativa, segundo informa a atual gestão estadual, é que Neto retorne à secretaria após o pleito, que ocorre em outubro.

Tufi Micherffi Neto: turismo

O agora ex-secretário chegou à pasta depois de uma jornada de cinco anos no Embratur. Entre 2012 e 2017 passou por diferentes áreas dentro da autarquia se firmou no departamento de finanças.

Neto é formado em administração, tem MBA em Economia e Gestão pela Fundação Getúlio Vargas.

Em seus meses à frente da secretaria estadual participou, como líder do setor, nas edições deste ano da BNT Mercosul e do Encatho & Exprotel, ambos em solo catarinense. Num dos seus pronunciamentos exaltou as possibilidades de turismo no estado e deu alguns índices do setor.

 

Fonte: Hotelier News