Posts

Procura de brasileiros por cruzeiros no país tem aumento de 21% no 1º semestre

Reforçando a importância do turismo como vertente da economia em 2019, a CLIA Brasil anunciou nesta quarta-feira (16/10) um significativo aumento no setor de cruzeiros marítimos. Estudo anual da entidade registrou 293 mil embarques de turistas brasileiros em navios na costa do país entre janeiro e junho deste ano, um aumento de 21% em relação ao mesmo período em 2018. Outro dado divulgado foi o de que 402 mil brasileiros embarcaram em cruzeiros dentro e fora do país no primeiro semestre de 2019, um aumento de 16,1% em comparação com os 346 mil do mesmo período em 2018.

No Brasil, a temporada 2019/2020 de cruzeiros receberá oito navios, um a mais do que a temporada passada, trazendo 531.121 leitos que serão divididos por 144 roteiros e 575 escalas. A temporada 2018/2019 foi responsável por um impacto econômico de R$ 2,083 bilhões na economia do país, gerando 31.992 postos de trabalho.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio ressaltou a relevância da atividade para o turismo brasileiro e para a economia do país. “Temos trabalhado e adotado ações com o objetivo de desenvolver o setor de cruzeiros para, quem sabe, termos 50, 100 navios fazendo turismo na costa brasileira todos os anos”, disse.

A temporada de cruzeiros no Brasil vai de novembro a abril e a CLIA espera que a popularidade das viagens entre os brasileiros cresça ainda mais. “Para acompanhar esse rápido crescimento, o Brasil tomou medidas significativas para receber navios em novos portos, aumentando a capacidade e melhorando a experiência geral dos viajantes”.

Terminal de passageiros

O Brasil terá seu primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas. Em setembro, o Ministério da Infraestrutura assinou o contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs) que permite a construção do porto de Balneário Camboriú pela empresa PDBS. O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil. A expectativa é de atrair mais empresas do setor de cruzeiros, mais navios para a costa brasileira e aumentar significativamente o número de turistas e o impacto econômico do setor.

Com a construção do primeiro terminal exclusivo de passageiros no porto de Balneário Camboriú, a estimativa é de que o impacto seja enorme no turismo marítimo brasileiro. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019.

Fonte: Ministério do Turismo

Turismo traça estratégia para fomentar cruzeiros no Brasil

 

Representantes das principais companhias de navios do mundo apresentam demandas para reduzir o custo operacional e desenvolver o setor.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, traçou uma estratégia junto com os representantes das maiores empresas de cruzeiros do mundo para desenvolver o setor no Brasil. A pauta do encontro, realizado nesta quinta-feira (21), em Brasília, incluiu a redução do custo operacional para atrair mais navios e aumentar a oferta no país. O Brasil, que já chegou a ter 20 embarcações no seu litoral e mais de 800 mil cruzeiristas, atualmente tem sete navios e 420 mil passageiros.

“Vamos atacar os gargalos para que esse setor, que apresenta expansão no mundo todo, possa crescer também no Brasil”, comentou Marcelo Álvaro Antônio. De acordo com um estudo realizado pela FGV, a última temporada de cruzeiros (2017/2018) movimentou R$ 1,8 bilhão e gerou 27,7 mil empregos na economia brasileira. Apesar de os números serem impactantes, eles são extremamente baixos se comparados com o contexto internacional.

O Brasil, com uma população de 207 milhões de habitantes, responde por apenas 0,25% do número de cruzeiristas no mundo. A título de comparação, a Austrália, com uma população de 25 milhões de pessoas, recebe 36 navios e 1,3 milhão de cruzeiristas, o equivalente a 5,3% do mercado global.

As demandas apresentadas pelo setor envolvem ainda a redução de impostos e taxas operacionais, bem como a melhoria da infraestrutura na área. O ministro do Turismo firmou o compromisso de levar o pleito à equipe econômica do governo, a fim de buscar soluções para permitir o desenvolvimento do setor no Brasil. “Não faz sentido, com o litoral que temos, receber apenas sete navios numa temporada curta e responder por menos de 0,24% dos cruzeiristas do mundo”, afirmou o ministro.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Brasil se prepara para a temporada de cruzeiros marítimos

 

Estados da Região Nordeste estão com grandes expectativas e já têm garantido o atracamento em seus portos

A temporada 2018/2019 de cruzeiros no Brasil já começou. As escalas dos navios levarão turistas para conhecer alguns dos destinos mais desejados do Brasil. Entre eles, estão alguns destinos do Nordeste, como Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas. Para a presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Teté Bezerra, o Brasil é um mercado com extremo potencial para cruzeiros marítimos.

“Temos uma costa linda e repleta de atrativos para os mais vários tipos de viajantes, e precisamos aproveitar melhor esse potencial. Tivemos alguns avanços, como o Decreto Presidencial número 9.500, que alterou de 90 para 180 dias a validade do visto dos profissionais que trabalham em navios em viagem de longo curso. O governo entende que o setor inclusivo, gera emprego e renda”, afirma a presidente.

O Porto de Cabedelo, no litoral norte da Paraíba, um dos destinos que contará com sucesso na temporada, voltará a entrar na rota dos cruzeiros marítimos a partir do dia 8 de fevereiro de 2019, quando ocorrerá o primeiro de 26 atracamentos que estão previstos para o verão no País. A presidente da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo), Ruth Avelino, comemora: “A previsão é de que passem pelo estado cerca de 13 mil cruzeiristas, fora a tripulação. Esse público é visto com boas expectativas, já que eles têm a oportunidade de conhecer os atrativos do local. Toda a cadeia turística é beneficiada, como bares, restaurantes, nossos postos de artesanatos”.

A última temporada de cruzeiros marítimos no Porto de Cabedelo aconteceu em 2012, segundo informou Ruth Avelino. “A atividade é importante não só para a Paraíba, mas para todo o País”, disse a presidente da PBTur. Ao todo, foram 14 atracações que levaram para a Paraíba mais de 15 mil turistas.

Dados do setor

Na última temporada (2017/2018), cerca de 420 mil pessoas viajaram de navio no Brasil, um crescimento de quase 17% em comparação ao período anterior. Dos mais de 470 mil turistas que fazem cruzeiro no País, 20% são estrangeiros. De acordo com a CLIA Brasil (Cruise Lines Internacional Association), entidade que representa o setor, cada navio pode gerar 4 mil empregos. Entre 2017 e 2018, foram gerados 27.748 empregos, quase 10% a mais que em 2016/2017, com os sete navios que estiveram na costa brasileira.

A temporada 2018/2019 de cruzeiros no Brasil, que começou esta semana e termina em abril, terá sete navios de cabotagem, com viagem com início e fim nos portos nacionais, e 29 embarcações de longo curso, com escalas no País. Em média, os navios permanecem 120 dias em operação.

 

Fonte: Embratur

Cruzeiros poderão ficar mais tempo no Brasil

Decreto publicado no Diário Oficial evita a perda de 7 mil empregos e R$ 450 milhões na economia brasileira.

 

Os amantes dos cruzeiros marítimos têm motivo para comemorar. O Decreto Presidencial número 9.500, publicado nesta  terça-feira (11) no Diário Oficial aumentou de 90 para 180 dias a validade do visto dos profissionais que trabalham nos navios em viagem de longo curso. O texto afasta o risco do Brasil ter uma temporada reduzida de 120 para 90 dias em 2018/2019. Pelas estimativas da entidade que representa os navios de cruzeiros, Clia Brasil , com base na última temporada, caso a duração da estada dos navios na costa brasileira fosse encurtada, a economia nacional perderia 7 mil empregos e R$ 450 milhões.

Para os cruzeiros marítimos, o aumento na validade do visto para marítimos representa uma redução no custo operacional com taxas em R$ 5 milhões.  “Essa era uma demanda histórica, que ajuda a simplificar a nossa operação e, consequentemente, facilita a busca por novos navios para a próxima temporada. É mais um entrave que, com a ajuda fundamental do Ministério do Turismo, com a ajuda da Casa Civil e a atuação determinante da Presidência da República a gente consegue superar”, comentou Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil.

A temporada 2018/2019 de cruzeiros começa em novembro e terá sete navios de cabotagem, com viagem com início e fim nos portos nacionais, e 29 embarcações de longo curso, com escalas no país. Em média os navios permanecem 120 dias em operação no Brasil. Uma eventual redução para 90 dias representaria uma perda de 25% na movimentação econômica e geração de emprego. De acordo com estudo da FGV, um cruzeirista gasta mais de R$ 500 em cada escala.

“Não podemos nos dar ao luxo de perder esses empregos e a injenção desses recursos na nossa economia. Temos a obrigação moral de abrir postos de trabalho e criar alternativas para a população. O turismo tem diversas soluções nesse sentido”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Evento reuniu autoridades do setor de Viagens e Turismo em Brasília nesta quarta-feira (29)

Lideranças discutem estratégias para expandir cruzeiros no Brasil

Evento reuniu autoridades do setor de Viagens e Turismo em Brasília nesta quarta-feira (29)

Evento reuniu autoridades do setor de Viagens e Turismo em Brasília nesta quarta-feira (29)

 

O crescimento de 13% na oferta de leitos em navios na temporada 2018/2019 foi considerado baixo perto do potencial do setor no Brasil, segundo análise do II Fórum Clia Brasil 2018, realizado em Brasília nesta quarta-feira (29). “Aquela temporada 2010/2011, com 20 navios no nosso litoral não nos sai da cabeça. Este evento reúne as pessoas corretas para discutir soluções plausíveis para voltarmos a incluir o país na rota dos navios”, comentou Estela Farina, presidente do Conselho da Clia Abremar. Apesar do aumento na oferta de vagas nos cruzeiros, o número de embarcações permanece estável, com sete navios.

Para o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, o Brasil precisa traçar uma estratégia clara de atração de investimentos com a melhoria do ambiente de negócios e redução da burocracia. “Não é possível que um investidor precise esperar 12 anos para abrir uma marina ou um resort no Brasil ou que a burocracia expulse os cruzeiros dos nossos litorais”, comentou Lummertz.

Entre os entraves que dificultam a atração de novos navios para o Brasil estão a falta de infraestrutura, as leis trabalhistas brasileiras, altas cargas tributárias e elevadas taxas de atracação. “Geralmente temos mais de 50 nacionalidades trabalhando a bordo e, por isso, existe a convenção trabalhista internacional para regular a relação emprego e empregador”, explicou Mário Franco, diretor da Royal Caribbean, empresa responsável por 25% do mercado de cruzeiros no mundo e que detém mais de 40 navios.

Além de representantes do cruzeiros, o II Fórum Clia Brasil 2018 reuniu gestores públicos da esfera federal e de estados onde a atividade de cruzeiros representa um importante vetor da economia, como o Ceará, e os municípios de Búzios, Ilhabela, Porto Belo, Camboriú e Santos. De acordo com estudo realizado pela FGV, cada cruzeirista gasta R$ 515 nas escalas e cada grupo de 15 passageiros gera um emprego.

 

Fonte: Ministério do Turismo.

Veja também: Curso de Recepção

Informativo ABIH-SC 29 de março

Receba semanalmente o informativo ABIH-SC

 

No Informativo ABIH-SC de 29 de março você vai ler:

Florianópolis está mais próxima de entrar na rota dos cruzeiros;- Apresentação do Novo Cadastur e da Implementação da Fiscalização;- Reunião técnica avalia obras de acesso ao novo aeroporto de Florianópolis;- Município da Grande Florianópolis tem a segunda melhor água termal do mundo;

 

Leia também:

Cruzeiro MSC Preziosa em Florianópolis

Florianópolis está mais próxima de entrar na rota dos cruzeiros

No último sábado, dia 24 de março, a capital catarinense recebeu o transatlântico MSC Preziosa da MSC Cruzeiros, que comporta 4.300 passageiros mais 1.300 tripulantes, para uma escala teste próxima ao Trapiche de Canasvieiras. Desde o ano passado, o prefeito Gean Loureiro vinha pleiteando em Brasília esse avanço para o turismo da capital catarinense, aguardado há anos pelo trade. A operação foi marcada pela tradicional cerimônia de troca de placas, que acontece sempre que um transatlântico atraca em um destino pela primeira vez.

A solenidade

Na solenidade, estiveram presentes o diretor geral da armadora, Adrian Ursilli, o governador do Estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, o deputado estadual, Luiz Fernando Cardoso “Vampiro”, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Francisval Dias Mendes, além do Capitão de Mar e Guerra da Capitania dos Portos, Emerson Gaio Roberto, dentre outros convidados.

“Esse é um momento histórico, marcante e repleto de expectativas. A escala teste é o primeiro passo para tornar realidade um desejo forte da sociedade e contou com o envolvimento de todos os setores, empresarial e público. Estamos mais próximos de possibilitar a chegada de visitantes pelo mar, o que significa mais investimento em nossa Ilha da Magia e uma economia mais fortalecida”, salienta Gean Loureiro.

MSC Cruzeiros nas próximas temporadas

Com a finalização desta operação e, após a análise da armadora e das autoridades competentes, o destino poderá se tornar mais uma escala oficial e inédita da MSC Cruzeiros nas próximas temporadas. “A escala teste na capital de Santa Catarina é um momento extremamente importante para nós. Estamos muito felizes e entusiasmados por sermos pioneiros em mais uma iniciativa nacional. Para a próxima temporada, confirmamos Itajaí (SC) como mais um porto de embarque e estamos bastante confiantes de que Florianópolis será a nossa próxima novidade”, destaca Adrian Ursilli, diretor geral da MSC Cruzeiros.

Santa Catarina

“Só neste verão, Santa Catarina recebeu 2,5 milhões de turistas, movimentando a economia, gerando trabalho e renda para os catarinenses. A escala teste de um cruzeiro na capital do Estado representa uma nova oportunidade para o setor, atendendo aos anseios dos visitantes de Florianópolis, que encontram aqui lazer e um povo hospitaleiro, além de todas as belezas naturais da cidade”, afirma o governador do Estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira.

 

Leia também

 

Fonte: Prefeitura de Florianópolis