Posts

Evento debate formalização do Turismo no Brasil

Representantes do MTur e dos Estados discutem ação conjunta para a regularização e fiscalização de operadores do setor

Começou nesta terça-feira (31), em Brasília, o 10º Encontro de Coordenadores do Cadastur, o cadastro oficial de prestadores de serviços turísticos do Ministério do Turismo. Reunidos até o próximo dia 02 na sede da Embratur, representantes da Pasta e de secretarias estaduais de Turismo de todo o país debatem o alinhamento de ações voltadas à formalização e fiscalização dos empreendimentos do setor.

Entre setembro de 2017 e maio deste ano, 1.300 meios de hospedagem de 24 capitais foram alvos da Operação Verão Legal do MTur, que identificou e notificou 940 irregulares. O diretor do Departamento de Formalização e Qualificação da Pasta, Gentil Venâncio Filho, citou benefícios do movimento de regularização. “Unindo esforços, vamos disponibilizar toda uma estrutura de turismo legalizada, desde hospedagem a outros serviços”, observou.

O Cadastur possui atualmente cerca de 72.400 registros em todo o território nacional. Além dos meios de hospedagem, a Lei Geral do Turismo obriga a realização do cadastro no sistema para mais seis ramos do segmento: acampamentos turísticos, agências de turismo, empresas organizadoras de eventos turísticos, guias de turismo, parques temáticos e transportadoras turísticas.

Juliana Maia, representante da Secretaria de Turismo da Bahia e coordenadora regional do Cadastur no estado, enfatizou que a regularização favorece todos os envolvidos com a atividade turística. “Isso é bom para o empresário da área e para o turista. A formalização é importante para gerar mais empregos, fazer com que turistas visitem os estados e que isso possa alavancar a economia de cada um deles”, apontou.

Na reunião, técnicos do MTur expuseram outras iniciativas que contemplam a qualificação de serviços. Uma delas foi o Prodetur + Turismo, linha de crédito do BNDES que disponibiliza R$ 5 bilhões a estados, municípios e empresários. A coordenadora de Cadastramento e Fiscalização do ministério, Tamara Galvão, defendeu empenho pela integração de ações. “É muito importante porque você propaga a política nacional de turismo e potencializa resultados para o País”, sublinhou.

MODERNIZAÇÃO – Desde março deste ano, uma nova versão do Cadastur (3.0) permite que a inscrição de prestadores de serviço seja feita de forma totalmente online. O sistema é interligado ao banco de dados da Receita Federal, e o certificado de formalização conta com tecnologia QR Code, reunindo todas as informações dos cadastrados. Além disso, veículos que realizam transporte turístico receberão selos dotados da mesma funcionalidade.

 

Fonte: Ministério do turismo

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Debate realizado no Ministério do Turismo teve como objetivo mostrar novas estratégias de marketing para conquistar turistas internacionais para o Brasil.

 

Tratar sobre a promoção do turismo brasileiro tendo em vista os novos perfis de turistas foi o assunto abordado no workshop “O Futuro da Promoção Turística” realizado nesta terça-feira (31), no auditório térreo do Ministério do Turismo. O encontro teve a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, do secretário-executivo do MTur, Alberto Alves, da presidente da Embratur, Teté Bezerra, além do diretor de estratégias globais e serviços a clientes da consultora MMGY Global, Chris Pomeroy, o qual apresentou palestra para e colaboradores e servidores do MTur e Embratur.

“As práticas de promoção turística farão com que o número de visitantes internacionais que escolhem o Brasil como destino ultrapassem os dados atuais de 6,6 milhões verificado em 2017”, comentou o ministro Vinicius Lummertz.

De acordo com o canadense Chris Pomeroy, existe um processo de mudança no turismo mundial no qual as nações precisam estar atentas. O diretor, que tem experiência no segmento de marketing internacional há mais de 30 anos, trouxe ao público uma análise dos novos perfis de turistas, apontando suas escolhas e desejos dentro do segmento turístico.

Na análise, a internet foi apontada como uma importante ferramenta utilizada por esses perfis para uma busca segmentada. “Não existe mais uma linearidade nas buscas no roteiro das viagens e agora o comportamento de cada turista é único. Portanto, a estratégia de divulgação não pode estar baseada apenas em promover o destino, pois os consumidores já têm essa informação. O que deve ser feito é manter a marca daquele país ou destino estável no mercado”, narra o diretor.

Uma maneira para o uso dessa estratégia está em aproveitar a segmentação para trazer mais viajantes ao Brasil, conforme explica o palestrante, utilizando o item “atrativos naturais” para focar em turistas que gostam de esportes radicais ou ecoturismo.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Praia de Piçarras (SC)

Temporada Bandeira Azul tem aumento de 50%

Praia de Piçarras (SC)

Praia de Piçarras (SC)

As 15 indicações do Brasil foram encaminhadas para homologação do júri internacional em Copenhague, na Dinamarca. Santa Catarina terá o maior número de certificação.

 

No próximo verão as praias do Brasil estarão ainda mais pontilhadas de bandeiras azuis. Serão 15 certificações internacionais, 50% a mais do que as 10 homologadas no verão passado. A conquista é exibida como um troféu. A Bandeira Azul hasteada significa mais qualidade da água para os banhistas e moradores dos locais que obtiverem os certificados validados pelo júri internacional.

“O programa Bandeira Azul reconhece o compromisso das comunidades e governos locais com a proteção das praias, rios e lagoas e a prática responsável das atividades turísticas em 45 países”, destacou Gabrielle Nunes, coordenadora-geral de turismo responsável do Ministério do Turismo, que integra o júri nacional.

A lista oficial será divulgada em outubro, quando o júri internacional vai homologar as certificações do programa para a próxima temporada de verão no hemisfério sul. A lista dos locais brasileiros que pleiteiam a Bandeira Azul foi divulgada nesta terça-feira (3). A escolha foi feita pelo júri nacional, em reunião realizada no dia 28 de junho no Ministério do Turismo, em Brasília. Os jurados, que representam 10 instituições públicas e não-governamentais, aprovaram a inclusão de cinco novas praias e uma marina no programa Bandeira Azul.

NOVAS BANDEIRAS – A partir de 15 de novembro Poderão hastear a Bandeira Azul, pela primeira vez, as praias do Estaleiro e do Estaleirinho, em Balneário Camboriú e Piçarras, em Santa Catarina. A praia de Palmas, em Governador Celso Ramos, também em Santa Catarina, que havia perdido a certificação na temporada passada, retornou ao programa e vai poder hastear a Bandeira Azul novamente. Ainda em Santa Catarina, a Marina Tedesco, de Balneário Camboriú, terá a Bandeira Azul pela primeira vez. A praia do Peró, em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, também atendeu todos os pré-requisitos do programa.

RENOVAÇÃO – Os turistas que visitarem a praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha do Frade, em Salvador (BA), vão continuar desfrutando da mesma qualidade da água e dos serviços oferecidos na temporada anterior. A praia do Tombo, no Guarujá (SP) também teve a Bandeira Azul renovada pelo júri nacional. A praia Grande/Caravelas, em Governador Celso Ramos (SC) continuará exibindo a certificação internacional, bem como a Lagoa do Peri, na capital catarinense, Florianópolis.

 

A lista das bandeiras renovadas inclui, ainda, a Marina CostaBella, em Angra dos Reis (RJ); Marina Nacionais, no Guarujá (SP); Marina Kauai, em Ubatuba (SP) e Iate Clube de Florianópolis (SC). A 15ª Bandeira Azul da próxima temporada do programa no Brasil será hasteada pela embarcação Água Viva Mergulho, que faz passeios turísticos e de mergulho em volta da Ilha de Santa Catarina e renovou o certificado, em Florianópolis. “Obter este certificado é uma grande responsabilidade que deve ser traduzida em mudança de comportamento e gestão responsável. Hastear a bandeira é somente o início deste processo de mudança”, destacou a coordenadora do programa no Brasil, Leana Bernardi.

O júri nacional é composto pelo Ministério do Turismo, Ministério do Meio Ambiente, Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – Secretaria do Patrimônio da União, Ministério da Educação, SOS Mata Atlântica, Agência Costeira, ACATMAR – Associação Náutica Brasileira, SOBRASA – Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático e ANAMMA – Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Leia também: Festival de Dança gera expectativas positivas para a hotelaria de Joinville (SC)

Receita cambial do turismo cresce 6,7% no acumulado do ano

Turistas estrangeiros gastaram US$ 2,86 bilhões no Brasil de janeiro a maio; em 2017 foram US$ 2,68 bilhões

 

Pelo segundo mês consecutivo, os gastos dos turistas internacionais no Brasil tiveram desempenho superior ao registrado em 2017. Depois do desempenho excepcional de abril, quando a receita cambial do turismo aumentou 19,63% em relação ao ano passado, em maio a variação ficou positiva em 2,3%, subindo de US$ 419 milhões para os atuais US$ 429 milhões.

No acumulado de janeiro a maio os gastos dos visitantes estrangeiros cresceram 6,71%, alcançando US$ 2,86 bilhões contra os US$ 2,68 bilhões do ano passado, segundo dados divulgados pelo Banco Central. Apesar da variação positiva, maio foi o único mês do ano no qual o crescimento foi de apenas um dígito. Com exceção de março, quando houve queda, os demais meses registraram crescimento de dois dígitos em relação aos resultados de 2017.

“Temos trabalhado fortemente para ampliar cada vez mais a presença de turistas estrangeiros em solo brasileiro porque eles trazem novas divisas para o país e esses números mostram que estamos no caminho certo e que iniciativas como a facilitação de vistos para americanos, canadenses, australianos e japoneses foi acertada”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

Os gastos de brasileiros no exterior também apresentaram crescimento em maio, de 7,95%, e no acumulado do ano, de 10,83%. A despesa cambial do turismo aumentou de US$ 7,29 bilhões para US$ 8 bilhões de janeiro a maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Em maio, cresceu de US$ 1,49 bilhão para US$ 1,6 bilhão.  As estatísticas do Banco Central referem-se a gastos com cartões de créditos e trocas cambiais oficiais.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Encontro com a vice-ministra de Cultura da Rússia

Brasil e Rússia se unem para promover o Ano do Turismo entre os países do BRICS

Encontro com a vice-ministra de Cultura da Rússia

Encontro com a vice-ministra de Cultura da Rússia

 

Em reunião realizada em Moscou, ministro Vinicius Lummertz e a vice-ministra de Cultura da Rússia, Alla Manilova, lançaram a ideia para 2019.

Brasil e Rússia vão se juntar para promover o Ano do Turismo entre os países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) em 2019, quando o Brasil terá a presidência do bloco e sediará encontros entre os países participantes. A proposta surgiu em um encontro realizado em Moscou entre o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, e a vice-ministra de Cultura da Rússia, Alla Manilova.

“Saímos da reunião com uma proposta conjunta para transformarmos 2019 no ano do turismo nos BRICS. A ideia é fazer com que os países se aproximem por meio do turismo e da conectividade aérea, o que renderá benefícios econômicos. Pelo turismo abrimos as economias e aproximamos os negócios”, afirmou o ministro Vinicius Lummertz.

A ideia é que os cinco países do BRICS tragam propostas concretas na reunião que será realizada em 2019, no Brasil. O objetivo é estimular o turismo entre essas nações e, consequentemente, fortalecer as relações entre eles.

Durante o encontro, a vice-ministra Manilova resgatou uma proposta russa feita há cinco anos voltada para a colaboração entre os membros do BRICS na esfera cultural. Segundo ela, o entendimento entre os países decolou e um memorando assinado gerou ações concretas na área, como coproduções cinematográficas.

Além disso, ela ressaltou que adotar ano do turismo já rendeu frutos no passado. Segundo Manilova, a Rússia promoveu anos temáticos com China e Itália e relatou ter havido um aumento considerável no número de visitas daqueles países à Rússia. Assim como o Brasil fez recentemente com Japão, Austrália, Canada e Estados Unidos, os russos também adotaram o visto eletrônico na Coreia do Sul e tiveram experiências de crescimento.

CONECTIVIDADE – As autoridades brasileiras e russas também conversaram sobre uma aproximação especifica na esfera do turismo. A falta de voos diretos entre os países foi apontada como o principal obstáculo para o aumento do fluxo de turistas. “Na Rússia existe toda uma simpatia com o Brasil. A impressão que temos do país é positiva. É uma imagem atraente e formada há muito tempo”, declarou a vice-ministra russa.

Lummertz e Manilova trocaram informações sobre uma negociação com companhias aéreas árabes que estão dispostas a facilitar os voos entre os dois países. De acordo com a proposta, os voos passariam por Dubai para fazer a ligação entre Brasil e Rússia. Após a reunião, o ministro e a vice-ministra despediram-se prometendo levar as conversas adiante para viabilizar a novidade.

Fonte: Ministério do Turismo

Leia também: Para presidente da ABIH-SC, governo deveria repensar acordo feito com o Airbnb