Posts

Inovatur II vai investir R$ 900 mil em projetos inovadores na área de turismo

Inovatur II vai investir R$ 900 mil em projetos inovadores na área de turismo

Apoiar 15 projetos inovadores na área do turismo em todas as regiões de Santa Catarina. Esse é o objetivo do Programa Inovatur II, realizado pela Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc). As inscrições podem ser feitas até 23 de agosto.

Cada projeto escolhido receberá R$ 60 mil – o total de recursos investidos é R$ 900 mil, sendo R$ 600 mil da Santur e R$ 300 mil da Fapesc. Os projetos terão prazo de execução de até 12 meses, prorrogáveis por igual período.

– Esse é um programa de muito sucesso, sintonizado com o ecossistema de inovação de Santa Catarina. Por meio desse programa também avançamos nas parcerias com a Fapesc, algo totalmente integrado e que fomenta o turismo voltado para a tecnologia. Agora, com essa nova etapa, temos um aporte de recurso significativo e robusto. A inovação e a tecnologia são fundamentais para o turismo catarinense, e a Santur sempre irá apoiar esse tipo de programa – avaliou Renê Meneses, presidente interino da Santur.

– A partir da experiência exitosa da realização do Inovatur, a Fapesc e a Santur iniciaram as tratativas para o lançamento da segunda edição deste importante programa. A ideia é ampliarmos os recursos totais e por empresa apoiada e mantermos a regionalização dos incentivos nas 13 regiões turísticas do Estado de Santa Catarina. Objetivamos gerar novas empresas, novos produtos e serviços, gerando oportunidades, emprego e renda de forma conectada ao turismo, por intermédio da tecnologia e da Inovação – afirmou o presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen.

O edital também faz parte do Programa #Fapesc@Gov+Pesquisa&Inovação que visa a aproximar o ecossistema de Ciência,Tecnologia e Inovação (CTI) das demandas dos diversos órgãos e autarquias com o Governo do Estado. Com a própria Santur, além do Inovatur I, foi feita uma chamada pública para elaborar um estudo de demanda turística em Santa Catarina, com investimento de R$ 725 mil, que será realizado pela Univali.

Primeira edição

A primeira edição do Inovatur selecionou 13 projetos, cada um recebendo o aporte de R$ 23 mil, totalizando R$ 300 mil. Foi encerrado no dia 13 de julho, com um Demoday Inovatur, onde cada empresa apresentou seus projetos a investidores e consultores convidados para o evento, como representantes da Bridge 101 Aceleradora, Wakalua, Sebrae-SC e Uniinova – Incubadora Tecnológica Empresarial da UNIVALI.

As 13 iniciativas são de seis regiões turísticas do estado e de diferentes segmentos, como gastronomia, turismo de aventura, agroturismo, cicloturismo e camping, promoção de atrativos e serviços turísticos.

Uma delas é a Escaper, de Balneário Camboriú, que, segundo a empresa, é a primeira plataforma brasileira exclusiva para reservas de última hora em hotéis e atrações. “Os clientes encontram ofertas selecionadas com vantagens por terem reservado de última hora e os parceiros conseguem atender esta demanda de última hora sem prejudicar as reservas programadas”, contou Lynda Volker, responsável pelo marketing.

Outra proposta com investimento do Inovatur é o Circuito Desafio de Anita, um projeto de cicloturismo para ser realizado em três dias entre Tubarão e Laguna, com 132 quilômetros. Com o uso de gamificação, é realizado em parceria com o app Route Raiders. “O turista realiza o seu passeio conhecendo parte da história de Anita Garibaldi, da cultura local e é levado a decifrar enigmas pelo caminho, sendo recebido por personagens pelos pontos a partir de geolocalização. Cicloturismo e tecnologia conectados com o prazer de descoberta de lugares históricos, biodiversidade, pessoas e novas experiências”, explicou Prika Lourenço, fundadora e gestora do circuito Desafio de Anita e da Encantos do Sul.

(Fonte: Assessoria de Imprensa Fapesc)

Fonte: Santur

Sistema para hotel totvs

Sistema para hotel: Por que o seu negócio precisa adotar?

Na era da transformação digital, os hábitos para tocar um negócio estão mudando cada vez mais. Um sistema para hotel é a opção mais do que certa para aderir um plano de negócios que junte estratégia, tecnologia e pessoas para fortalecer o segmento.

Em uma expectativa dos serviços prestados, tudo o que seu hóspede quer é um bom atendimento agregado à uma experiência sensacional, seja em uma viagem de negócios ou lazer.

É nesse cenário que um sistema de gestão hoteleira, como o PMS, pode entrar em ação, trazendo diversas frentes de atuação dentro da rotina, da reserva ao check-out.

Como um sistema para hotel pode ajudar o seu negócio?

sistema PMS tem o objetivo de não apenas otimizar processos internos para gestores de hotéis e administradores de franquias, mas também buscar soluções no aprimoramento dos serviços.

Implementar um software de gestão hoteleira torna mais fácil o controle de rotinas, como check-in e check-out. Esses tópicos, por exemplo, costumam ter filas acumuladas, algo que desagrada muito o público.

Da mesma forma, é comum observar falhas de comunicação entre pedidos de reservas não aprovados em tempo pela recepção, causando um grande transtorno para o hóspede.

Mas não são só essas tarefas de frontoffice que saem ganhando com a modernização dos sistemas. Veja outros tópicos que também são afetados positivamente ao modernizar a gestão de hotéis. Confira:

  • Almoxarifado;
  • Contábil;
  • Finanças;
  • Compras;
  • Contratos;
  • Planejamento e Orçamento;
  • Controle de Qualidade,
  • Faturas.

Em quais pontos o sistema para hotel são aplicados?

O que os hotéis podem fazer para garantir a satisfação do hóspede e assegurar que ele volte? Colocar o frequentador do seu hotel no centro da operação é a opção clara, porém um bom atendimento não basta.

É preciso trazer inovações e potencializar a jornada do público, fixando a experiência em sua memória. Nesse quesito, a tecnologia é a melhor escolha para apoiar todas as etapas desse processo. Acompanhe essas fases nos tópicos que separamos a seguir.

  • Receita: faça um planejamento da sua demanda de hospedagem e flexibilize tarifas para períodos onde a procura é menor. Dessa forma, hotel e hóspede saem ganhando;
  • Reservas: é muito importante poder inserir e editar reservas individuais ou de grupos de forma ágil. Valores de orçamento devem estar sempre à mão;
  • Mobilidade: oferecer atendimento ao hóspede fora do balcão do hotel é fundamental. Funcionalidades de FNRH e a Roomlist são associadas aos celulares dos hóspedes,
  • Vendas integradas: os sistemas hoteleiros permitem integrar o setor comercial com o de vendas de agências de viagem e sites de buscas, fazendo a comparação dos preços de pacotes.

Um sistema para hotel que otimiza a jornada do hóspede

É preciso entender que a tecnologia é um investimento que proporciona um aumento de produtividade e é capaz de transformar a experiência do hóspede, sempre agregando valor ao estabelecimento.

Enquanto muitos hotéis já utilizam sistemas para tentar reforçar o relacionamento com o cliente, essa cultura de dados muitas vezes não é usada de forma inteligente.

Imagine um cenário onde um cliente sempre se hospeda na mesma rede de hotéis. Em um determinado momento, na unidade específica de uma região, ele registra uma reclamação na avaliação final sobre o ar-condicionado ou os lençóis, por exemplo.

Se esses dados estiverem integrados à uma cadeia de informações, no próximo check-in em outro hotel da mesma rede os sistemas já conversam e trabalham para dizer à gerência que aquele hóspede precisa de mais opções.

Essa é uma ação bastante simples e que não exige muitos gastos, mas consegue transformar a experiência do hóspede em algo memorável e satisfatório.

Por que escolher um sistema de hospedagem TOTVS?

sistema de hotelaria TOTVS Hospitalidade PMS unifica todas as funções de gerenciamento em um só lugar. O PMS é disponibilizado na nuvem e prioriza o design responsivo.

Assim, você pode acessar a partir de tablets, desktop e notebooks. A proposta é conseguir acompanhar indicativos como REVPAR, taxa de ocupação, diária média e receita. Tudo em tempo real.

Os módulos podem ser contratados de forma flexível, atendendo desde pequenos até grandes empreendimentos. A tecnologia BYOD (Bring Your Own Device ou “Traga seu próprio dispositivo”) permite ao hóspede fazer solicitações pelo smartphone.

Outro exemplo são as soluções de Customer Experience Relation, uma evolução do CRM. Se o hotel tem muitas informações sobre seus hóspedes, mas elas estão isoladas em plataformas distintas, aqui tudo é conectado em um só ambiente, com fácil acesso e leitura das informações.

Se você se interessou pela solução da TOTVS e quer saber mais sobre como transformar positivamente o seu negócio hoteleiro, continue acompanhando nosso blog para não perder nenhum conteúdo!

Fonte: Totvs

Contra taxação do governo argentino, ministros do Turismo e da Economia estudam adotar reciprocidade

Contra taxação do governo argentino, ministros do Turismo e da Economia estudam adotar reciprocidade

Os ministros do Turismo, Gilson Machado Neto, e da Economia, Paulo Guedes, decidiram nesta segunda-feira (26.07) estudar a adoção da reciprocidade como resposta à cobrança de taxas do governo argentino a seus cidadãos que visitam e gastam no Brasil. As medidas podem ser adotadas já nos próximos meses como uma das ações do governo federal para a retomada das atividades turísticas. Atualmente, a entrada de estrangeiros está proibida na Argentina.

Em 2019, o intercâmbio anual de turistas entres as duas nações foi expressivo: 1,95 milhão de argentinos visitaram o Brasil e 1,4 milhão de brasileiros estiveram no país vizinho. Os gastos médios também são importantes: enquanto o cidadão da Argentina gasta, por dia, quase US$ 72 em turismo de negócio e US$ 42 em viagens de lazer, os turistas do Brasil gastam US$ 102 em férias e US$ 126 por dia em turismo de negócios na Argentina.

Na reunião desta segunda-feira, o ministro Gilson Machado Neto explicou o planejamento do MTur para fomentar o turismo no pós-pandemia e detalhou alguns estudos em andamento para diminuir o “peso do Estado” no setor e, com isso, baratear as passagens aéreas e atrair mais visitantes para o Brasil. Para o ministro, a taxação do governo argentino é totalmente contrária aos preceitos do Mercosul.

O Mercado Comum do Sul (Mercosul) é uma organização intergovernamental fundada em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai para integração, múltiplos acordos e livre comércio entre países do continente. Os objetivos do Bloco preveem, dentre outras medidas, a livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos entre os países. Além disso, há o compromisso dos Estados Partes de harmonizar suas legislações nas áreas pertinentes para lograr o fortalecimento do processo de integração.

“A cobrança adotada pelo governo argentino vai de encontro aos objetivos do Mercosul, que surgiu exatamente para facilitar esse tipo de relação. Essa taxa é muito prejudicial”, disse o ministro. “A adoção da reciprocidade na cobrança desse imposto vai abrir espaço para que turistas brasileiros viajem pelo Brasil e, também, conheçam outros países como o Chile, o Paraguai, o Uruguai e toda a América do Sul”, disse.

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

Empresas aéreas têm alta de 16,2% no número de passageiros em junho

As empresas aéreas nacionais apresentaram alta no número de passageiros transportados em junho deste ano. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mais de 4,2 milhões de pessoas voaram pelo país, resultando em uma alta de 16,2% comparado ao mês de maio, quando cerca de 3,6 milhões de pessoas passaram pelos aeroportos brasileiros. O número é o maior dos últimos quatro meses, perdendo apenas para fevereiro, quando foram transportados 4,3 milhões de passageiros.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o resultado abre caminho para que as aéreas retornem aos índices registrados antes da pandemia. “Além do setor aéreo, já podemos ver bons resultados no setor hoteleiro, de bares e restaurantes em algumas cidades. Isso mostra que estamos indo no caminho certo, aliando vacinação à adoção de protocolos de biossegurança no setor de turismo para possibilitar o retorno seguro e responsável das atividades em todo o país”, acrescentou.

Demonstrando também sinais de recuperação da aviação civil, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) divulgou que as companhias aéreas registraram, em julho, o terceiro mês consecutivo de crescimento da malha aérea doméstica. Por dia, foram registrados uma média de 1.624 partidas em julho. A quantidade de voos é 16,4% maior do que a anotado em junho, mês que teve 1.230 decolagens. E é o maior desde janeiro de 2021, quando houve 1.798 voos por dia.

O aumento no número de voos reflete diretamente na movimentação de passageiros nos aeroportos do país. Os terminais da Rede Infraero, por exemplo, devem receber cerca de 3,5 milhões de viajantes durante o mês de julho. O número representaria um aumento de 284% em relação ao mesmo período do ano passado, quando mais de 900 mil pessoas embarcaram e desembarcaram nos terminais da empresa, que contempla terminais como o de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ).

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Reunião da Diretoria executiva abih-sc

Reunião da Diretoria Executiva ABIH-SC

Na manhã desta quinta-feira (15) aconteceu a reunião da Diretoria Executiva da ABIH-SC.

A reunião foi presidida por Rui Eduardo W. Schurmann, no formato digital. Estiveram presentes membros da Diretoria Executiva e membros da Diretoria Regional da ABIH-SC! Foi colocado o evento Dia do Hoteleiro e a 4ª edição da Revista ABIH-SC.

Em decreto contra Covid, SC suspende limitação de horários

Em decreto contra Covid, SC suspende limitação de horários e prevê retorno presencial na administração pública

O Governo de Santa Catarina publicou nesta quarta-feira (14) um novo decreto com definições para o enfrentamento da Covid-19. As regras entram em vigor nesta quinta (15) e valem até quando durar o estado de calamidade pública, previsto para terminar em 31 de outubro.

Entre as definições estão a suspensão da limitação no horário de funcionamento dos serviços. Agora, as horas de abertura e fechamento das atividades deixam de ser reguladas por protocolos e regramentos sanitários do estado.

Porém, mesmo sem a necessidade do encerramento antecipado das atividades, os serviços deverão observar os demais regramentos sanitários para o funcionamento.

O decreto também prevê medidas para o retorno presencial das atividades da administração pública do estado e informa sobre normativas vigentes para a realização dos eventos de grande porte ou de massa com mais de 500 (quinhentos) participantes.

uso obrigatório de máscara em espaços públicos e privados e a suspensão de público em competições esportivas públicas ou privadas continua valendo. Quem estiver sem a proteção em ambiente fechado fora de espaços domiciliares está sujeito a multa de R$ 500, dobrado o valor em caso de reincidência.

Assim como já ocorria anteriormente, os municípios podem estabelecer regras mais restritivas caso julguem necessário.

Serviço público estadual

Os servidores do Executivo estadual voltarão ao trabalho presencialmente. O decreto estabelece ainda que a listagem dos agentes públicos que forem submetidos ao regime de trabalho remoto deverá ser mantida atualizada pelos setoriais e seccionais de gestão de pessoas dos órgãos e das entidades.

Outras regras

acesso do público a competições esportivas segue suspenso até 31 de agosto.

Evento com mais de 500 participantes precisam de avaliação da Diretoria de Vigilância Sanitária e autorização do município-sede e da Comissão Intergestores Regional.

Covid-19 em SC

Santa Catarina confirmou nesta quarta-feira (14) que 1.084.339 pacientes testaram positivo para Covid-19 desde o início da pandemia. A doença respiratória causou 17.445 óbitos. Além disso, 1.048.762 se recuperaram e 18.132 estão em acompanhamento. A taxa de ocupação dos leitos de UTI Adulto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina é de 85,5%.

Segundo o Vacinômetro, 3.141.631 pessoas já tomaram a primeira dose das vacinas contra a Covid-19 e 1.068.536 doses foram aplicadas na D2. Ao todo, 4.210.167 doses foram aplicadas em Santa Catarina.

Fonte: G1

Índice de atividades turísticas cresce 18,2% em maio

Índice de atividades turísticas cresce 18,2% em maio

Índice de Atividades Turísticas subiu 18,2% no mês de maio, impulsionado, principalmente, pelo aumento na receita de empresas que atuam nos segmentos de transporte aéreo de passageiros (60,7%) e de alojamento e alimentação (18,0%), que inclui restaurantes e hotéis. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira (13.07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Todas as 12 Unidades da Federação pesquisadas mostraram taxas positivas, com destaque para Bahia (+52,5%), Distrito Federal (+49,3%), Rio Grande do Sul (46,9%), Espírito Santo (+37,3%) e Minas Gerais (+34,3%). O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, avalia que o resultado indica a tendência de reaquecimento da cadeia produtiva do turismo, a partir do avanço da vacinação no país.

“O setor de turismo foi um dos mais impactados pela pandemia de Covid-19. Por isso, desde o início atuamos para proteger o setor e prepará-lo para a retomada das atividades, com oferta de crédito, investimentos em infraestrutura turística e orientações sobre boas práticas de segurança, por exemplo. A cada dia mais o nosso governo avança na vacinação da população e, aliada a adoção de protocolos de biossegurança, acredito que muito antes do que se imagina vamos ter a tão sonhada retomada plena das atividades turísticas”, diz Machado Neto.

É o segundo crescimento consecutivo do índice, tendo em vista que o IBGE revisou a taxa de abril, passando de uma retração de 0,6% para um avanço de 4,3%. O aumento registrado no mês de maio recupera boa parte da queda de 26,5% observada em março deste ano.

“Em março, houve um maior número de restrições ao funcionamento dos estabelecimentos considerados não essenciais motivados pela tentativa de se conter o espalhamento da Covid-19 naquele mês”, explica o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo. “O setor de serviços [no qual o Turismo está incluído], com esse crescimento no mês de maio, volta a ultrapassar o nível pré-pandemia, situando-se 0,2% acima de fevereiro de 2020”, completa Lobo.

A Pesquisa Mensal de Serviços produz mensalmente indicadores que possibilitam acompanhar o comportamento do setor de serviços, no qual o Turismo está incluído. Em maio, o volume de serviços no Brasil avançou 1,2% frente a abril.

 Pesquisa Mensal de Serviços –   Volume de Atividades Turísticas

Variação mai/2021 a abr/2021

UFVariação
BA52,6
DF49,3
RS46,9
ES37,3
MG34,3
SP30,3
GO26,1
CE19,5
RJ18,5
PE16,8
SC13,3
PR11,7
Brasil18,8

Fonte: IBGE/PMS


PROTOCOLOS – Para preparar o setor de turismo para a retomada das atividades, de forma segura e responsável, ainda no ano passado, o Ministério do Turismo lançou o Selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro. Trata-se de uma sinalização visual que identifica estabelecimentos e guias de turismo que assumiram, declaradamente, o compromisso em adotar protocolos de biossegurança elaborados pela Pasta. E, desta forma, proteger turistas e trabalhadores contra a Covid-19.

Atualmente, mais de 28,7 mil selos já foram emitidos para 15 atividades turísticas, como meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, centros de convenções, feiras, exposições, guias de turismo, dentre outros. Cada segmento possui um protocolo sanitário específico. Para saber mais, acesse AQUI.

Fonte: Mtur

Ministério do Turismo lança campanha “Turismo em Natureza”

Ministério do Turismo lança campanha “Turismo em Natureza”

Ministério do Turismo lançou, nesta quarta-feira (14.07), no Parque Estadual do Cantão, em Caseara (TO), a campanha promocional “Turismo de Natureza”, que busca reposicionar o país no segmento. Com o slogan “Viaje pelo Brasil. Gigante pela própria natureza”, as peças publicitárias terão como foco a experiência do viajante e retratarão a importância de se praticar um turismo consciente, sustentável e seguro neste momento de retomada. Todo o material, que inclui cards, vídeos, entre outros, poderá ser conferido em mídias digitais, sites do trade turístico e na TV aberta.

A escolha do Cantão para o lançamento da campanha foi um pedido do ministro Gilson Machado Neto, que destacou o local como um dos destinos pouco conhecidos pelos turistas, mas que possui um potencial gigantesco para o turismo. O Parque Estadual do Cantão, que completa 23 anos nesta quarta-feira, é uma unidade de conservação de proteção integral que faz parte do Sistema Estadual de Unidades de Conservação (SEUC) do governo do estado do Tocantins. Tem uma área definida de aproximadamente 90 mil hectares, com cerca de 800 lagos.

Durante o lançamento, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou que a campanha deve proporcionar maior visibilidade a destinos pouco conhecidos pelos brasileiros. “Nada se compara ao Brasil quando falamos em recursos naturais. Estamos entre os maiores no segmento em um ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial e somos o único no mundo com seis biomas: Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa. Temos atrativos ainda pouco conhecidos que podem ser visitados agora pelos cerca de 11 milhões de brasileiros, que antes viajavam para o exterior, e que agora têm a oportunidade de conhecer melhor o nosso país”, disse.

Esta campanha é mais uma das ações que o Ministério do Turismo vem realizando para promover um turismo mais sustentável e inclusivo no país. As ações passam também pela concessão dos parques nacionais e implementação da RedeTrilhas, iniciativas conjuntas com o Ministério do Meio Ambiente, que garantirão infraestrutura adequada para a visitação turística, de forma sustentável, já que os investimentos e as ações provenientes destas medidas aprimorarão a conservação das unidades do país.

O turismo de natureza vem despontando no país. Pesquisas apontam um crescimento na busca por destinos deste segmento e por atividades ao ar livre. Levantamento da Booking.com mostra, por exemplo, que 9 em cada 10 viajantes brasileiros passaram a buscar destinos mais tranquilos e mais afastados, o que reforça a ideia do turismo em natureza.

Neste mês, o Ministério do Turismo já havia lançado uma radiografia do Turismo Náutico no país, destacando a forte vocação do Brasil para o desenvolvimento e consolidação de atividades praticadas em água, que também possibilitam o contato com a natureza. Sobretudo, devido aos 8.500 quilômetros de litoral, 35 mil quilômetros de rios e canais navegáveis e mais 9.260 quilômetros de margens de reservatórios de água doce, lagos e lagoas, além de um clima propício ao esporte e ao lazer náutico.

#AgendadoMinistro 🗓️

O ministro @gilsonmachadont lançou hoje, no Parque Estadual do Cantão, em Caseara (TO), a campanha promocional #TurismoemNatureza. Confira o discurso no lançamento e o vídeo da campanha ⬇️ pic.twitter.com/2EsPNCfMC5— Ministério do Turismo (@MTurismo) July 14, 2021

DADOS DO BRASIL –

O Turismo de Natureza foi responsável por motivar a viagem de 18,6% dos turistas internacionais, em 2019, registrando o maior índice dos últimos cinco anos. No mesmo ano, o IBGE apontou que cerca de 1,5 milhão de turistas brasileiros viajaram dentro do país motivados pela aventura e natureza, o que representa 26% das viagens realizadas a lazer. Entre os destinos mais procurados, atualmente, para Turismo em Natureza estão: Foz do Iguaçu (PR), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Angra dos Reis (RJ) e Florianópolis (SC).

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur

Mtur Cadastur

Regularização de serviços turísticos avança no país

A regularização dos prestadores de serviços turísticos segue avançando no país. Atualmente, 127.758 prestadores fazem parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos, o Cadastur, administrado pelo Ministério do Turismo. O número representa um aumento de 97,7% em relação a 2017.

São Paulo lidera o ranking dos estados com maior número de serviços cadastrados (27.203), seguido do Rio de Janeiro (19.993) e de Minas Gerais (10.677). Já o estado de Alagoas se destaca por apresentar crescimento de 112% nos cadastros no primeiro semestre deste ano, saindo de 2.726, em janeiro, para 5.790, em julho.

“O aumento contínuo do número de cadastros mostra que o trabalho do Ministério do Turismo está fazendo efeito e que os prestadores de serviços turísticos têm consciência da importância da regularização para melhorar a qualidade do turismo brasileiro”, comentou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

O registro no Cadastur é obrigatório para guias de turismo, acampamentos turísticos, agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de evento, parques temáticos e transportadoras turísticas. O cadastro é válido por dois anos, no caso das pessoas jurídicas, e cinco anos para os guias de turismo.

Também podem se cadastrar, mas de maneira opcional, as seguintes atividades: casas de espetáculo, centros de convenções, empreendimentos de entretenimento e lazer e parques aquáticos, empreendimentos de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva, locadoras de veículos para turistas, prestadoras de serviços de infraestrutura para eventos, prestadoras especializadas em segmentos turísticos e restaurantes, cafeterias, bares e similares.

BENEFÍCIOS – O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo (SNDTur), William França, explica que o Cadastur, além de ser uma importante fonte de consulta para os turistas, também garante diversas vantagens e oportunidades aos cadastrados.

“São diversos benefícios ofertados, como acesso a financiamento; oportunidades de qualificação exclusivas; apoio em eventos, feiras e ações do Ministério do Turismo; incentivo à participação em programas e projetos do governo federal; e visibilidade nos sites do MTur e do Cadastur”, pontua o secretário.

Entre os programas exclusivos para os prestadores regulares no Cadastur está o Selo “Turismo Responsável, Limpo e Seguro”. A iniciativa foi criada pelo Ministério do Turismo há um ano em resposta à pandemia de Covid-19 e é uma importante aliada na retomada do turismo. “Até agora, mais de 28 mil estabelecimentos e guias de turismo possuem o selo. Ele é um diferencial para os prestadores de serviços turísticos, um símbolo do compromisso assumido por eles em adotar medidas que protejam turistas e trabalhadores do setor”, destacou França.

Saiba mais sobre o Selo Turismo Responsável e como aderir à iniciativa AQUI.

Os prestadores de serviços turísticos que fazem parte do Cadastur também têm acesso a linhas de crédito especiais pelo Fundo Geral de Turismo (Fungetur). O Fungetur possui como principais diferenciais as taxas, que são pré-definidas e menores que as comumente praticadas no mercado, e a possibilidade de ser utilizado para financiar capital de giro, aquisição de bens (máquinas e equipamentos) e realização de obras (implantação, modernização, ampliação ou reforma). Após emissão do certificado do Cadastur, o empresário pode se dirigir a um agente financeiro credenciado para solicitar o financiamento.

Saiba mais sobre o Fungetur e quais são os bancos credenciados AQUI.

As vantagens do cadastro também se ampliam ao campo da qualificação. Os guias de turismo regulares no Cadastur têm acesso a cursos exclusivos, ofertados periodicamente pelo Ministério do Turismo em parceria com instituições de ensino de todo o Brasil. Só no último mês foram disponibilizadas mais de 7.100 vagas de capacitação a guias de turismo cadastrados de todas as regiões do país.

“Vários programas do Ministério do Turismo estão interligados com o Cadastur. Ademais de todas essas vantagens, os prestadores de serviços turísticos possuem um canal estreito com o Ministério do Turismo, estados e municípios. Eles estão sempre recebendo informações, sendo atualizados sobre políticas públicas e novos programas”, destaca William França.

Clique AQUI e conheça os principais programas do Ministério do Turismo.

O secretário da SNDTur lembra ainda que, além de todos estes benefícios, algumas atividades turísticas só poderão ter acesso ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) se estiverem regulares no Cadastur, como estabelece a Portaria n° 7.163/2021 do Ministério da Economia. É o caso de empresas de realização ou comercialização de congressos, eventos esportivos, feiras de negócios, shows, festas, casas de eventos, hotelaria em geral, entre outros. A Lei nº 14.148/2021, que cria o Perse, foi sancionada em maio deste ano pelo presidente Jair Bolsonaro e apoia o setor de eventos e turismo diante dos impactos causados pela pandemia.

fONTE: Mtur

Costão do Santinho associado ABHSC

Costão do Santinho aposta em resort office

Com a pandemia da Covid-19, muitas empresas optaram pelo home office e, segundo a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 30% dessas empresas pretendem manter o trabalho remoto pós-pandemia. Assim, o work of anywhere (trabalhe de qualquer lugar) tem se tornado tendência em resorts e hotéis em todo o mundo. No Norte da Ilha de Santa Catarina, o Costão do Santinho vem se mostrando como uma boa opção para esse novo método de home office, com a possibilidade de trabalhar com uma bela vista para o mar e ainda poder curtir shows, exclusivos para hóspedes, ou um passeio pela praia ao fim do expediente. Além disso, a alimentação é inclusa na estadia, fazendo com que os hóspedes não precisem se preocupar com tarefas domésticas que acabam ocupando seu tempo.

O Costão oferece apartamentos espaçosos e conexão com a internet de boa qualidade, para que os trabalhos possam ser feitos sem interrupções técnicas. Com a impossibilidade de organizar eventos, as salas antes usadas para este fim também podem ser usadas pelos hóspedes para que possam trabalhar em um ambiente privativo, confortável e seguro.

Mila Müller, gerente de Marketing do Costão, acredita que esse é um momento de mudança na hotelaria mundial e que as adequações no resort são de muita importância. “A possibilidade de trabalhar em qualquer lugar agora é real. Por isso, queremos proporcionar um lugar tranquilo, para que os pais possam exercer suas funções enquanto as crianças se divertem. O objetivo é que realmente se sintam em casa”, ressalta.

Sobre o Costão do Santinho Resort

Localizado na Praia do Santinho, o empreendimento que está há quase 30 anos no mercado e que figura entre os principais resorts do país, conta com mais de 700 mil m² de Mata Atlântica preservada e mais de 250 mil m² de infraestrutura, sendo um verdadeiro refúgio de férias.

Fonte: Guia GPHR