Posts

ABIH-SC Informa

Gestão do Dinheiro

Conhecida também como Finanças, a Gestão do dinheiro, de forma resumida, nada mais é do que você gerir seus ganhos e gastos de forma integral.

Acrescento ainda que essa integralidade deve vir acompanhada de responsabilidade, pois numa gestão financeira, não é só o nosso dinheiro que está em jogo, mas dos credores também.

Faço sempre a analogia da Gestão Financeira Pessoal com a Gestão Financeira Empresarial.

Nossa vida financeira pessoal é idêntica a de uma empresa, salvo as proporções.

Numa empresa, para que se tenha lucro, você precisa gastar menos do que ganha. Isso vai gerar um resultado operacional positivo (lucro). Com os lucros, podemos fazer os investimentos e ainda ter o retorno do capital investido, como se fosse uma aplicação financeira.

Nas finanças pessoais, precisamos controlar nossos gastos de acordo com nossos ganhos. Precisamos de controle financeiro. E ainda fazer sobrar um pouco no final de cada mês ou período. Essa sobra seria o nosso lucro. E da mesma maneira que uma empresa, faríamos investimentos (carro novo, casa, apartamento, poupança, viagens).

Muitas pessoas se espelham em outras mais bem sucedidas financeiramente criando parâmetro para saberem se estão indo bem nas finanças. Fazer a comparação propriamente dita não é ruim, pois devemos nos inspirar em bons cases. O problema é que esquecemos de avaliar as proporções. Cada caso é um caso particular. O sucesso é algo individual. Devemos respeitar o nosso tempo, nossas limitações e criar metas que sejam desafiadoras mas alcançáveis, caso contrário, teremos frustrações.

Não devemos nunca gastar mais do que ganhamos. As finanças fazem parte das ciências exatas, onde 1 + 1 é 2 e ponto final.

E é com essa matemática que as pessoas e empresas com bom controle financeiro se destacam em relação as que não possuem controle nenhum.

Não existe milagre. É apenas gestão financeira.

Desejo saúde financeira a todos!!!

Deverson L. G. Pereira

Diretor de Controladoria ABIH-SC

Extinta as taxas do ECAD sobre direito autoral em quartos de hotel

Extinta as taxas do ECAD sobre direito autoral em quartos de hotel

No dia 27.11.2019 foi publicada a Medida Provisória nº 907, dispondo sobre diversas matérias aplicáveis ao Setor do Turismo.

Merece destaque a EXTINÇÃO da cobrança, via Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD), de direitos autorais em relação à execução de obras literárias, artísticas ou científicas no interior das unidades habitacionais dos meios de hospedagem e de cabines de meios de transporte de passageiros marítimo e fluvial.

A Medida Provisória manteve a cobrança em áreas de uso coletivo dos meios de hospedagem, porém extinguiu a cobrança em áreas privadas, como os quartos de hotel.

É antigo o debate sobre a pertinência do pagamento de direitos autorais em quartos de hotel. No Superior Tribunal de Justiça prevalecia o entendimento sobre a legalidade da cobrança. A Medida Provisória corrige a injustiça que vinha sendo praticada contra o Setor Hoteleiro.

De acordo com o artigo 36, inciso II, a Medida Provisória nº 907/2019 entrou em vigor imediatamente após a sua publicação, isto em 27.11.2019. No entanto, a mesma deverá ser votada pela Câmara dos Deputados em até 120 dias, caso contrário perderá a sua validade.