Pesquisa sobre turismo no Litoral Catarinense mostra impactos da temporada para empresários

 

Os turistas desembolsaram em média R$ 4.130,90 na temporada, 33,9% a mais do que 2017 (R$3.085,26). O valor é calculado levando em conta a média de gastos por tipo, conforme relato dos turistas. Enquanto os gastos com lazer representaram aumento de 42,3% em relação ao ano anterior, as compras no comércio caíram 13,5%.

Para atender o aumento no fluxo de clientes, 39,4% dos estabelecimentos contrataram funcionários extras, especialmente bares e restaurantes e mercados e supermercados. A admissão foi maior no setor de hotelaria (63,2%).

Apesar da alta no ticket médio – valor médio que cada cliente gastou nas compras em um estabelecimento, exceto hotelaria- de R$ 135,28 para R$ 156,11, na percepção de mais da metade dos empresários o faturamento encolheu 8,1% em comparação a temporada passada. Já em relação ao outros meses, a avaliação é positiva (34,1%). Nas agências de viagens e operadores turísticos, que vendem de ingressos a pacotes completos de viagens, a alta chegou a 82,2%.

O gasto médio no setor de hotelaria foi de R$ 816,41, crescimento de 26% em relação ao ano anterior. Embora também tenha registrado retração (-0,8%), a queda desacelerou significativamente na comparação com 2017 (-12,5%). Na comparação com os outros meses, houve aumento de 68,3% no faturamento, puxado pelo aumento na média de permanência (5,8 dias) e taxa de ocupação (81,6%). A expansão no número de leitos (7,9%) também aponta mais otimismo e o início da recuperação do nível de investimentos do setor.

 

Fonte: Fecomércio 

Leia também