Ir ou não ir a um evento do setor onde atuo?

 

Poderia começar esse artigo, identificando as primeiras razões para estar num evento do segmento e do setor onde a minha e a sua empresa ou as nossas atividades profissionais se encontram. Mas prefiro listar razões contrárias, aquelas que pesam na balança e fazem com que você e eu desistamos de ir. Vou dar um exemplo do Encatho e da Exprotel que acontece em Florianópolis. Quando eu morava e trabalhava em Minas Gerais, haviam vários motivos pra vir ao evento:

1) Segmento que eu trabalhava, o tema era atual e eu precisava fazer networking. Ahh, também precisava alavancar as vendas do produto que eu trabalhava. E, bom, também seria bom participar das capacitações. Pensando bem , sempre fiz bons negócios e bons relacionamentos;

Pesava contra:

1) Deslocamento, gasto com passagens, alimentação e estadia. Ah, também pensava, mas é longe. Até tenho um valor que posso gastar, mas …viajar?✈🤔

Observava que tinha mais motivos para ir do que desistir, e porque a palavra aqui é desistir? Porque um evento no setor onde a gente atua, de alguma forma parece ser importante, tem aqueles que a gente fala: não posso deixar de ir ( e uma série de motivos pessoais e sensações intuitivas e às vezes até comprováveis, alimentam nossos pensamentos já concordando que a decisão de ir está praticamente tomada). Então entramos num momento em que buscamos o que pesa contra, para convencer a nós mesmos que desistir é o melhor.

O que fazer? Vamos as dicas:

  • priorize o momento da sua empresa ou da sua atividade profissional, vale aqui não esconder de si mesmo as necessidades e o momento pelo qual estão passando.
  • analise o cenário atual ( clique e conheça o cenário que envolve o exemplo);
  • conheça o que o evento tem a oferecer ( clique e veja o exemplo deste ano para este evento);
  • se o evento é pago faça as contas! E se for gratuito também;
  • se a sua empresa ou o seu planejamento pessoal não previa o investimento, volte nas prioridades ou nas atuais demandas para o crescimento de sua empresa ou o seu pessoal e veja se este investimento tem chance de dar o retorno que você e sua empresa precisam;
  • pergunte! Pergunte aos seus conhecidos de mercado se vão na edição do ano em questão! Ligue ou mande e-mail para a organização do evento e peça detalhes!;
  • e se você é investidor ou fornecedor deste mercado, caso tenha ido anteriormente faça um levantamento estratégico, entre em contato com a organização, certifique-se dos detalhes. Veja um dos videos da Feira deste exemplo; Um dos critérios que utilizo quando vou investir num evento como este é fazer as contas de quanto custa visitar cada cliente individualmente e quanto custará, neste evento que reúne muitos compradores ( as vezes se tem uma previsão junto a organização) o investimento dividido pelo número de possíveis compradores. Comparo! E decido!

E porque resolvi escrever este artigo?

Porque durante anos, como Relações Públicas, as vezes realizando eventos ou ás vezes contratada para analisar eventos para investidores, convivi com essas dúvidas da maioria das pessoas, quer seja para suas empresas, quer seja para suas vidas pessoais.

Hoje o exemplo que dei no artigo, faz parte do meu portfólio de evento visitado durante anos como investimento pessoal e profissional, depois estratégico para empresas e hoje, com muita satisfação faço parte da organização. Então, prestes a ver o presidente da entidade, Sr. Osmar Vailatti, dar como aberto oficialmente o evento, eu gostaria de auxiliar de forma genérica mas exemplificando de forma pontual, aqueles que tem dúvidas. Eventos sempre foram importantes, mas hoje em dia podem ser cruciais para o posicionamento de marcas e de marketing pessoal no mercado. Ir ou não ir? a resposta pode ser decisiva para a concretização do seu planejamento ou dar início a um, caso ainda não tenha. O mercado dá as cartas! Vamos jogar?

 

Conteudista: Lara Perdigão