Experiências internacionais marcam último dia de webinário sobre Conta Satélite de Turismo

A participação de representantes do México e de Portugal marcou, nesta quinta-feira (23.09), a última transmissão do webinário “O Turismo Conta”, promovido pelo Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e que debateu desafios da implantação da Conta Satélite de Turismo no país. Durante três dias, especialistas abordaram benefícios da ferramenta à avaliação da economia do setor e à promoção de ações (Assista ou reveja aqui).

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, elogiou a colaboração dos envolvidos e reafirmou os esforços pela adequada análise do desempenho do ramo. “A Conta Satélite exige esforço conjunto, e o evento mostrou exatamente isso. Termos todos os dados disponíveis do setor reforça o nosso trabalho de consolidar o turismo como um importante vetor da economia no governo federal, até pelo seu poder de gerar divisas, emprego e renda”, comentou.

Na live desta quinta-feira, Teresa Hilário, do Departamento de Contas Nacionais do Instituto Nacional de Estatística de Portugal, relatou os trabalhos voltados à adoção, desde 2003, da Conta Satélite de Turismo no país. A técnica frisou a necessidade de parcerias neste sentido. “A cooperação interinstitucional é fundamental, bem como a integração com as Contas Nacionais. A Conta Satélite de Turismo precisa de várias outras estatísticas para existir”, pontuou.

Exposição semelhante foi feita por Francisco Guillén Martín, diretor-geral adjunto de Contas Nacionais do Instituto Nacional de Estatística e Geografia (INEGI) do México. Martín detalhou a criação do instrumento, iniciada em 1991, e citou seus benefícios. “No México, ela foi um motor para o crescimento da economia. Para implementar a Conta Satélite, é necessário uma coordenação interinstitucional e de especialistas, que permita identificar necessidades de informação”, ressaltou.

A subsecretária de Gestão Estratégica do MTur, Luana Boldori, comemorou os avanços no processo de construção da Contra Satélite. “Esse webinário, com a presença e a soma de cada especialista, nos permitiu dar um grande e importante passo para a implementação da Conta Satélite. A palavra que marca a nova etapa desse processo é parceria. Então, que nós sigamos alinhados rumo à efetiva implementação dessa iniciativa”, conclamou.

Já o diretor de Pesquisas da Fundação IBGE, Cimar Azeredo, recordou parcerias com o MTur para a análise da economia do setor e defendeu empenho pela concretização da ferramenta. “A gente tem que acender a luz da Conta Satélite para ela começar a orbitar nas Contas Nacionais. A gente apertou o botão de largada. O que foi exposto aqui hoje mostra o quanto é importante o Brasil ter uma Conta Satélite de Turismo”, observou.

COLABORAÇÃO – O coordenador-geral de Dados e Informações do MTur, Elton Medeiros, colocou o órgão à disposição dos interessados em colaborar com as discussões. “Esse tema da Conta Satélite não se encerra com o fim desse evento, esse é um dos vários passos que vamos dar. A gente só vai alcançar o que a gente pretende por meio do trabalho conjunto”, afirmou, citando o email cgdi@turismo.gov.br para eventuais esclarecimentos.

Medeiros acrescentou que, até o dia 30 de setembro, participantes do webinário podem obter um certificado de acompanhamento do evento. (Acesse aqui o formulário). A emissão do documento exige a apresentação de dados pessoais e de palavras-chave exibidas ao longo dos três dias de transmissões. Após a validação das informações prestadas, o certificado será enviado para os emails indicados nos formulários preenchidos.

FERRAMENTA – As contas satélites são instrumentos de mensuração de uma atividade específica, além de representarem um importante fator de obtenção de informações estatísticas sobre o seu potencial econômico e a relação com outros setores. Elas permitem entender o cenário de determinado segmento de forma comparativa a outros países que possuem tal análise, possibilitando relevantes estudos e fomentando debates qualificados a respeito de políticas públicas.

O IBGE já coleta estatísticas de turismo em consultas como a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), a Pesquisa de Serviços de Hospedagem e o Módulo Turismo 2019 da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). Todavia, a implantação da Conta Satélite possibilitaria uma visão mais macro do setor. A ideia é que o IBGE desenvolva uma metodologia própria neste sentido, com base no manual das Nações Unidas para contas satélites.

Por André Martins

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Fonte: Mtur