Carta aberta

Conselho Estadual de Turismo: Carta aberta à governadora Daniela Reinehr e aos prefeitos de SC

O Conselho Estadual de Turismo, por meio de suas entidades e Instâncias de Governança (IGRs), quer um basta no tratamento dispensado ao turismo catarinense por algumas autoridades que comandam o Governo Estadual e prefeituras municipais. Nossas empresas estão massacradas e sendo dizimadas pelas medidas impostas durante a pandemia da Covid-19, principalmente pela dificuldade no diálogo e pela falta de conhecimento técnico das autoridades da área da saúde, que desconhecem tecnicamente o
segmento.

Todas estão à margem do restante da economia catarinense, mesmo compondo um dos setores que mais contribuiu para o Governo Estadual na
construção dos protocolos de segurança, embasadas tecnicamente nas melhores práticas internacionais de prevenção ao vírus e convivência com a pandemia. Mesmo assim, as mesmas têm aguardado, disciplinadamente, pela promulgação dos decretos estaduais e cumprido todas as exigências do poder público.

Em que pese a disposição e o esforço da Santur, as ações não encontram eco no restante do Governo Estadual. O setor de eventos, feiras, congressos e fins está completamente impedidos de atuar há oito meses, enquanto bares, restaurantes, hotéis e empresas de transporte turístico, entre outros, ainda amargam restrições sem qualquer fundamento técnico. Um exemplo, como comparativo de tais inconsistências: a aviação civil opera com aeronaves lotadas, bem como o transporte coletivo de passageiros, como se o coronavírus escolhesse a quem contaminar.

Os eventos ainda estão proibidos, mas, enquanto isso, uma formatura
da Polícia Rodoviária Federal, realizada na última semana, reuniu mais de 1,6 mil pessoas no momento em que Florianópolis está classificada com risco gravíssimo para a doença (bandeira vermelha). E, no mesmo local, presentes todos os chefes dos poderes fiscalizatórios, descumprindo os próprios decretos estaduais e municipais.

Esta carta, aprovada por unanimidade em reunião plenária, reforça a necessidade imediata das liberações, pois não é mais possível aceitar novas imposições sem sentido. O agravamento da pandemia é decorrente da omissão em função do período eleitoral – os Executivos não fizeram seus ‘deveres de casa’ na área de saúde, preferindo a política às ações práticas. O setor ainda enfrenta a concorrência desleal por aqueles que não cumprem os protocolos, amparados pelo governo, já que as fiscalizações, quando existem, raramente miram aqueles que os ignoram.

Diante do exposto, o Conselho Estadual de Turismo necessita com urgência de uma audiência com a Governadora Daniela Reinehr, bem como e inclusão do setor no Conselho Econômico do Executivo de Santa Catarina, como atividade produtiva e geradora de tributos. O turismo catarinense precisa ser respeitado pela sua importância econômica e pelos milhares de empregos gerados em sua cadeia produtiva.

Às vésperas da temporada de verão, o setor está agonizando e abandonado.

Florianópolis, 11 de novembro, 2020


Nilton Silva Pacheco
Presidente do Conselho Estadual de Turismo Representante dos Agentes de Viagens e dos Transportadores Turísticos – AETTUSC

Ana Lúcia de Liz Vieira
IGR Serra Catarinense

Annye Mayara Bittencourt Bagio
IGR Encantos do Sul

Audrey Soares Rembowski
IGR Grande Florianópolis

Célia Denise Uller
Representante dos Bacharéis em Turismo

Edmilson Ferreira da Silva
IGR Vale Europeu
IGR Grande Oeste

Fábio de Paula Queiroz
Representante do Setor de Restaurantes e outros serviços de alimentação – ABRASEL

Gilberto Gonçalves dos Santos
Representante dos Jornalistas de Turismo – Abrajet IGR Caminho dos Cânions


Jane Balbinotti
Representante das Empresas Organizadoras de Eventos – ABEOC

João Eduardo Amaral Moritz
Representante do Comércio – Fecomércio

Luiza da Silva
IGR Caminho dos Príncipes