Casa de Campo

Pouso campestre

No interior do Estado de São Paulo, não muito distante da capital, uma família investiu na construção de uma casa de fim de semana com proporções e personalidade generosas. Com uma área construída de 1.875 metros quadrados, a bela e confortável Residência Baronesa teve seu projeto arquitetônico assinado pelo arquiteto João Armentano.

São sete suítes, três delas para acomodar os hóspedes, duas piscinas – uma delas com uma raia –, salão de jogos, área recreativa para as crianças, adega, espaço gourmet com churrasqueira, sala de ginástica e sauna à disposição de familiares e amigos.

Devido à paixão da moradora por gatos, a Residência Baronesa possui, ainda, um confortável gatil. O espaço possui três divisões, que incluem áreas de alimentação, higiene e diversão – nesta última, há televisão, com programação de desenho animado escolhida a dedo pela proprietária e observada atentamente pelos bichanos. “Desde minha infância sempre ouvi falar em canil, mas fui desafiado a fazer um gatil. Para isso, precisei estudar e aprender sobre a natureza dessa espécie, uma das mais higiênicas, supereducada e tranquila”, conta Armentano.

Design repleto de sensações

Residência Baronesa – Pouso campestre
A varanda com pé-direito altíssimo é protegida da forte insolação por um sistema de brise de madeira Foto: Filippo Bamberghi
No terreno de grande proporção – são 9.197 metros quadrados –, o arquiteto teve de encontrar uma solução ideal para aproveitar a declividade natural da topografia. “Criei um corte que possibilita o acesso da residência pelo nível superior, onde se encontram quatro dos oito dormitórios, e que é ao mesmo tempo o térreo da entrada da residência.”

O hall social é formado por um túnel com revestimento de madeira no piso, na parede e no forro. Ao atravessar o espaço, o morador/visitante da Residência Baronesa consegue desligar-se pouco a pouco do dia a dia, da correria urbana e dos problemas, até chegar a um belíssimo hall de entrada. Aberto, com grandes fechamentos de vidro e ótima ventilação e iluminação natural, o ambiente oferece um pé-direito duplo belíssimo.

Na varanda com pé-direito alto, um sistema de brise de madeira protege da insolação e iluminação natural muito forte, uma vez que o local recebe toda a luz do pôr do sol. “O brise proporciona o calor na medida certa para as pessoas usufruírem do lugar, que é um dos pontos altos da casa”, revela Armentano.

Recepção em foco

Com a proposta de criar uma casa de fim de semana, Armentano desvencilhou o projeto de qualquer aspecto glamouroso, formal ou rígido. O partido arquitetônico apresenta grandes volumes, pés-direitos altíssimos e proporções gigantes, mas inspira informalidade e aconchego.

“Valorizei no layout ações informais ao dispô-las junto a setores sociais. Exemplo disso é a bela mesa de snooker unida ao estar e a área gourmet superintegrada com toda a residência. O cinema é o único espaço reservado por meio de uma porta de correr que deixa o ambiente mais escuro e exclusivo”, conta.

Na grande raia de 25 metros é possível se exercitar, enquanto piscina e jacuzzi convidam ao relaxamento. Além disso, a sauna úmida tem comunicação com a piscina. “E ainda tem academia, cinema e área gourmet. Não é uma casa monótona, é muito viva e rica, para usufruir com familiares e amigos”, atesta o arquiteto.

Materiais

Os materiais da Residência Baronesa agregam elementos capazes de transmitir sensações naturais: o piso frio, de pedra natural; a madeira, que aquece e acolhe; e o vidro, responsável pela integração entre interior e exterior. Segundo Armentano, a intenção era proporcionar elementos que passassem a sensação de natureza.

Assim, a grande parede da lareira ao fundo é toda feita de pedras naturais, deixando o ambiente despojado. Os grandes caixilhos de vidro e o pé-direito generoso proporcionam um casamento perfeito, pois integram visualmente as áreas interna e externa, em uma tentativa bem-sucedida de trazer a beleza do entorno para dentro de casa.

De volta para casa

Para Armentano, a Casa Baronesa é um verdadeiro oásis. “Um conjunto agradável, harmonioso, confortável e glorioso”, descreve. O arquiteto reforça a importância de a residência passar essa impressão, uma vez que a arquitetura pressupõe envolvimento e sentimento.

“A morada foi criada com todas essas preocupações, especialmente de proporcionar às pessoas mais energia para, após cada final de semana ou férias, elas poderem voltar refeitas para a cidade e o trabalho”, finaliza.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *