Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e ministro de Turismo da Índia

Brasil busca aumento do fluxo de turistas indianos

Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e ministro de Turismo da Índia

Rafael Felismino, da Embratur; representante da Embaixada do Brasil na Argentina Guilherme Belli; Vinicius Lummertz, Ministro do Turismo; Rafael Luisi, MTur, e Ministro de Turismo da Índia

 

Embratur vai organizar reuniões de trabalho na Índia e em São Paulo

 

A pedido do Ministério do Turismo, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) vai preparar uma agenda de trabalho que incluirá visita à Índia de grupo composto por autoridades e lideranças do trade turístico nacional. O principal objetivo é alavancar o fluxo turístico daquele país – um dos maiores do mundo – para o Brasil. No ano passado, mais de 34 milhões de indianos viajaram para fora do país. Deste total, pouco mais de 24 mil estiveram no Brasil.

Para o ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, o potencial de crescimento é imenso. E o Brasil deve buscar soluções para aumentar esse fluxo, bem como trabalhar em conjunto com governantes e iniciativa privada indiana, para, também, aumentar o fluxo de brasileiros em direção a Índia. Lummertz sugeriu ao ministro indiano, K. J. Alphons, um outro encontro entre as duas partes, desta vez em São Paulo. A agenda foi definida nesta terça-feira (17) em Buenos Aires, durante a reunião dos ministros de turismo do G-20, que reúne os países com economia mais forte em todo o mundo.

“Todos os que estão aqui sabem que o turismo será a grande alavanca de empregos nessa aceleração do desenvolvimento das novas tecnologias. Dentro desse quadro, é preciso avançar e buscar parcerias para mover grandes fluxos, em especial entre os países que têm grande potencial a mostrar e mercado para conhecer novos destinos”, resumiu o ministro. Lummertz sugeriu ao representante da Índia que solicite ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil um pedido para que os indianos possam ter a possibilidade de solicitar vistos eletrônicos para entrar no País, a exemplo do que fazem hoje turistas norte-americanos, canadenses, japoneses e australianos. O ministro brasileiro apontou ainda dificuldades a serem superadas, como a baixa conectividade aérea entre os dois países.

O assessor de Gestão Estratégica da Embratur, Rafael Felismino, acredita que apesar do enorme desafio, será possível aumentar esse fluxo. “Hoje, a Índia não é um mercado emissor importante para o Brasil. Mas, pode vir a ser. Dentro desse contexto de BRICS, temos grandes países com enorme potencial. É importante começar um processo de crescimento mútuo, trabalhando mais fortemente com esses países”, comentou Rafael.

A comitiva brasileira participa do encontro de ministros do Turismo do G-20 e da 18ª Cúpula do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês), em Buenos Aires, na Argentina. No encontro de ministros, o foco da discussão é o turismo como instrumento prioritário para a criação de empregos.

Fonte: Embratur

Veja também: