Mtur Rotas Turisticas

MTur e UFSC iniciam o diagnóstico de rotas turísticas em 158 municípios

Já começou o mapeamento e diagnóstico de 30 rotas turísticas estratégicas do Brasil, distribuídas em 158 municípios e contempladas no programa Investe Turismo. A parceria, firmada entre o Ministério do Turismo e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em outubro, vai permitir traçar as condições de transporte nestas rotas, incluindo a estrutura existente, integração dos modais e a disponibilidade de informações aos turistas. No último mês, representantes dos dois órgãos se reuniram, em Florianópolis (SC), para discutir o andamento das ações.

Na avaliação do secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões do Ministério do Turismo, Lucas Fiuza, a oferta de infraestrutura e integração entre os diversos modais de transporte é determinante para o desenvolvimento de destinos turísticos. “Este diagnóstico será fundamental para que consigamos planejar melhorias de infraestrutura nestas rotas e proporcionarmos mais conforto, segurança e viabilidade aos turistas nos deslocamentos”, justificou. “Assim, vamos oportunizar investimentos no setor e importantes parcerias que vão gerar mais empregos e renda no Brasil”, finalizou.

O mapeamento abrangerá os modais rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo das 30 rotas turísticas do programa Investe Turismo e possibilitará o planejamento de melhores condições ao transporte turístico de passageiros.

A coordenadora de Apoio a Projetos de Mobilidade e Conectividade do Ministério do Turismo, Valesk Rebouças, detalha as ações já em curso. “Estamos levantando legislações e resoluções que podem ser aprimoradas, realizando pesquisas, mapeando infraestruturas e serviços de rotas turísticas, inclusive, com visitas. Com isso, vamos conseguir entregar um plano de ação para todos os modais de transporte”, disse.

Além do diagnóstico das necessidades específicas no que se refere ao deslocamento de pessoas, a parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina também prevê o desenvolvimento de uma estratégia de capacitação aos setores públicos locais e entidades privadas ligadas ao turismo. E, ainda, o desenvolvimento de uma base georreferenciada com os principais elementos de infraestrutura e informações das 30 rotas turísticas.

PARCERIA – O Laboratório de Transporte e Logística (LabTrans) da Universidade Federal de Santa Catarina, é quem está conduzindo os estudos e pesquisas encomendados pelo Ministério do Turismo. Criado em 1998, a instituição já prestou serviços, por exemplo, ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Secretaria de Aviação Civil (SAC).

171120 - foto matéria conectividade 2.jpg

Representantes dos dois órgãos se reuniram para discutir o andamento das ações. Crédito: divulgação

O coordenador-geral de Mobilidade e Conectividade Turística do Ministério do Turismo, Higor Guerra, acredita que a expertise da instituição na área de transportes é um diferencial. “O Labtrans reúne um vasto conhecimento técnico em infraestrutura e serviços de transporte em todo o país, o que contribuirá para a eficiência deste diagnóstico que busca a melhoria da mobilidade e conectividade turística”, disse.

INVESTE TURISMO – O programa Investe Turismo é um esforço conjunto entre Ministério do Turismo, Sebrae e Embratur para acelerar o desenvolvimento, aumentar a qualidade e a competitividade de 30 rotas turísticas estratégias distribuídas em 158 municípios do país. O programa prevê investimentos e ações de incentivos a novos negócios, acesso ao crédito, melhoria de serviços, inovação e marketing. Para conhecer estas rotas clique AQUI.

Fonte: Mtur

ABIH Nacional - ABIH Santa Catarina

ABIH nacional participa dos 54 anos da Embratur e comemora sede da OMT no Brasil

No final da tarde da última terça-feira (17), em cerimônia concorrida no Palácio Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro e sua esposa, Michele Bolsonaro, do chefe da Casa Civil, general Braga Neto, do presidente da Embratur, Gílson Machado e do presidente dos Correios, General Floriano Peixoto, a Embratur – Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo comemorou seus 54 anos, com lançamento de um selo postal personalizado e do carimbo comemorativo da data.

Agradecendo a presença da cúpula do governo federal e dos ministros das Comunicações, Fábio Faria, da Cidadania, Onix Lorenzoni, da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, da Educação, Milton Ribeiro, e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, além de seis congressistas, Gilson Machado Neto, abriu sua fala destacando a presença do diretor-geral da OMT, Zurab Pololikashvili e seu encontro no dia anterior com o Presidente da República:

“Na imprensa em geral não se falou nisso, mas a maior autoridade de turismo do mundo está no Brasil e se disse encantado com o que viu em nosso país e anunciou ter escolhido o Brasil para receber um dos quatro escritórios no mundo da Organização Mundial do Turismo (OMT). O escritório da organização no Brasil será o primeiro na América Latina e terá como objetivo principal desenvolver o turismo no continente”, disse Gilson Machado citando o Rio de Janeiro, Brasília e Manaus como possíveis sedes para o escritório da OMT.

Ainda de acordo com o presidente da Embratur, o Brasil tem muitos desafios e entraves, mas tem no turismo um enorme potencial econômico, que pode se tornar do tamanho do agronegócio. “Quero dar boas noticias. O Brasil é o país com o maior potencial no período pós pandemia, e de acordo com ministério do Turismo, já temos a volta de 88% do fluxo de turistas internos recuperados. As Cias aéreas já voltaram com cerca de 80% de suas operações e, na segunda feira, recebi um telefonema do presidente da  Royal Caribbean International dizendo que voltará operar no Brasil”. Gilson Machado também anunciou uma nova coordenação da Embratur para o Turismo de inclusão, uma vez que esse segmento merece ter programas especiais como acontece no mundo todo.

Entre as autoridades presentes, representando o setor de hotelaria brasileiro, Manoel Cardoso Linhares, presidente da ABIH Nacional – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, acompanhado do atual presidente da ABIH-DF, Henrique Severian, e de Adriana Pinto, ex-presidente da entidade na capital federal, também prestigiaram o evento.

Segundo Linhares, o redirecionamento que o governo do presidente Bolsonaro vem dando à Embratur será fundamental nesse momento da retomada das atividades no setor

Segundo Linhares, o redirecionamento que o governo do presidente Bolsonaro vem dando à Embratur será fundamental nesse momento da retomada das atividades no setor: “Conversei pessoalmente com o presidente durante uma hora antes do evento e fiquei muito satisfeito com que ouvi. O presidente Jair Bolsonaro reconhece o potencial do turismo e disse que não medirá esforços para incentivá-lo, principalmente através da Embratur que no seu governo passou a ter sua atuação focada na divulgação de nossos destinos. Parafraseando o presidente da Embratur, acredito que o turismo tem o potencial de contribuir para a economia nacional no mesmo nível do agronegócio”, afirmou o presidente da ABIH Nacional.

Fonte: Diário do Turismo

Sócio Colaborador – Anfer Design

Há 20 anos no mercado, a ANFER atua em todo Brasil na área de importação e exportação de Espelhos, Gravuras, Pôsteres e diversos outros produtos para área de Decoração e aposta no desenvolvimento e inovação de novas soluções para essa área. Procura levar toda a tradição no que sabe fazer de melhor: oferecer bom gosto, qualidade, responsabilidade e segurança.

Dispõe de uma linha exclusiva de produtos produzidos e elaborados por seus designers. Uma Empresa preocupada com o meio ambiente e utilizamos apenas madeiras de reflorestamento, contribuindo com a sua preservação. O corpo técnico é altamente capacitado para oferecer soluções rápidas e precisas para atender suas necessidades.

Estão sempre buscando novos desafios, com o prazer de ter uma equipe de profissionais quem fazem a diferença.

Anfer Design

Entre em contato para conhecer o catálogo de produtos!

www.anferdesign.com.br

import@anfer.com.br

(48) 3651-1750

Carta aberta

Conselho Estadual de Turismo: Carta aberta à governadora Daniela Reinehr e aos prefeitos de SC

O Conselho Estadual de Turismo, por meio de suas entidades e Instâncias de Governança (IGRs), quer um basta no tratamento dispensado ao turismo catarinense por algumas autoridades que comandam o Governo Estadual e prefeituras municipais. Nossas empresas estão massacradas e sendo dizimadas pelas medidas impostas durante a pandemia da Covid-19, principalmente pela dificuldade no diálogo e pela falta de conhecimento técnico das autoridades da área da saúde, que desconhecem tecnicamente o
segmento.

Todas estão à margem do restante da economia catarinense, mesmo compondo um dos setores que mais contribuiu para o Governo Estadual na
construção dos protocolos de segurança, embasadas tecnicamente nas melhores práticas internacionais de prevenção ao vírus e convivência com a pandemia. Mesmo assim, as mesmas têm aguardado, disciplinadamente, pela promulgação dos decretos estaduais e cumprido todas as exigências do poder público.

Em que pese a disposição e o esforço da Santur, as ações não encontram eco no restante do Governo Estadual. O setor de eventos, feiras, congressos e fins está completamente impedidos de atuar há oito meses, enquanto bares, restaurantes, hotéis e empresas de transporte turístico, entre outros, ainda amargam restrições sem qualquer fundamento técnico. Um exemplo, como comparativo de tais inconsistências: a aviação civil opera com aeronaves lotadas, bem como o transporte coletivo de passageiros, como se o coronavírus escolhesse a quem contaminar.

Os eventos ainda estão proibidos, mas, enquanto isso, uma formatura
da Polícia Rodoviária Federal, realizada na última semana, reuniu mais de 1,6 mil pessoas no momento em que Florianópolis está classificada com risco gravíssimo para a doença (bandeira vermelha). E, no mesmo local, presentes todos os chefes dos poderes fiscalizatórios, descumprindo os próprios decretos estaduais e municipais.

Esta carta, aprovada por unanimidade em reunião plenária, reforça a necessidade imediata das liberações, pois não é mais possível aceitar novas imposições sem sentido. O agravamento da pandemia é decorrente da omissão em função do período eleitoral – os Executivos não fizeram seus ‘deveres de casa’ na área de saúde, preferindo a política às ações práticas. O setor ainda enfrenta a concorrência desleal por aqueles que não cumprem os protocolos, amparados pelo governo, já que as fiscalizações, quando existem, raramente miram aqueles que os ignoram.

Diante do exposto, o Conselho Estadual de Turismo necessita com urgência de uma audiência com a Governadora Daniela Reinehr, bem como e inclusão do setor no Conselho Econômico do Executivo de Santa Catarina, como atividade produtiva e geradora de tributos. O turismo catarinense precisa ser respeitado pela sua importância econômica e pelos milhares de empregos gerados em sua cadeia produtiva.

Às vésperas da temporada de verão, o setor está agonizando e abandonado.

Florianópolis, 11 de novembro, 2020


Nilton Silva Pacheco
Presidente do Conselho Estadual de Turismo Representante dos Agentes de Viagens e dos Transportadores Turísticos – AETTUSC

Ana Lúcia de Liz Vieira
IGR Serra Catarinense

Annye Mayara Bittencourt Bagio
IGR Encantos do Sul

Audrey Soares Rembowski
IGR Grande Florianópolis

Célia Denise Uller
Representante dos Bacharéis em Turismo

Edmilson Ferreira da Silva
IGR Vale Europeu
IGR Grande Oeste

Fábio de Paula Queiroz
Representante do Setor de Restaurantes e outros serviços de alimentação – ABRASEL

Gilberto Gonçalves dos Santos
Representante dos Jornalistas de Turismo – Abrajet IGR Caminho dos Cânions


Jane Balbinotti
Representante das Empresas Organizadoras de Eventos – ABEOC

João Eduardo Amaral Moritz
Representante do Comércio – Fecomércio

Luiza da Silva
IGR Caminho dos Príncipes

Nota de pesar

Nota de pesar

Os ​nossos mais sinceros pêsames. A hotelaria está de luto com o falecimento de Leonardo Dall’Agnol, sócio-diretor da rede Estação 101.

Santa Catariana presta solidariedade aos amigos e familiares de Leonardo Dall’Agnol por esta irreparável perda, rogamos para que Deus possa confortá-los nesse momento de grande dor, em que as palavras se apequenam, reafirma Osmar Vailatti, diretor presidente – ABIH-SC.

Mtur cursos de qualificação

MTur oferece cursos de inglês e espanhol para qualificação de guias de turismo

Qualificação profissional busca atender demanda crescente do setor e aumenta produtividade e competitividade na economia dos destinos turísticos. Os guias de turismo do Brasil têm mais uma oportunidade de qualificação profissional, oferecida gratuitamente pelo Ministério do Turismo, em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO). O curso de qualificação nos idiomas de língua inglesa e espanhola, que começa nesta quarta-feira (11.11), foi pensado para atender a demanda crescente no mercado brasileiro de turistas estrangeiros. A capacitação dos profissionais do setor é um dos eixos de atuação da Retomada do Turismo, lançado pelo Ministério do Turismo na última terça-feira (10.11).

Os cursos, que foram estruturados no formato EAD (Ensino à Distância) e semipresencial, têm carga horária de 200 horas e contaram com a participação da Federação Nacional dos Guias de Turismo (FENAGTUR), no levantamento de demandas para a oferta das vagas. Está prevista para 2021 a abertura de novas turmas para os cursos de idiomas.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a qualificação profissional tem papel fundamental na retomada do turismo e, também, no aumento de produtividade e competitividade da economia nos destinos. “Os cursos oferecidos pelo MTur preparam os profissionais do setor para o atendimento aos turistas internacionais e contribuem para a melhoria dos serviços prestados”, disse. “É uma conquista importante para avançarmos com as políticas públicas de qualificação profissional aos atores que trabalham na linha de frente do turismo”, concluiu.

RETOMADA – Além dessa capacitação, o Ministério do Turismo está oferecendo os cursos de: “Atendimento ao Turista – Brasil Braços Abertos – BBA”; “Gestor de Turismo”; “Idiomas Inglês e Espanhol para Condutores” e, muito em breve, disponibilizará cursos de “Especialização em Atrativos Naturais e Culturais para Guias de Turismo Regionais” nas cinco  macrorregiões do País e, ainda, oferta de cursos gratuitos por meio do” Edital de Chamada Pública a Instituições de Ensino, Públicas e Privadas/Entidades do Sistema S.

Fonte: Mtur

Retomada d turismo

Governo federal lança a Retomada do Turismo

Liderada pelo Ministério do Turismo, iniciativa promove o retorno seguro e gradual do turismo em parceria com instituições públicas, privadas e terceiro setor.

O governo federal lançou, nesta terça-feira (10.11), a Retomada do Turismo, aliança nacional que, com segurança e responsabilidade, busca acelerar a recuperação do setor e reduzir o impacto socioeconômico da Covid-19 após a paralisação das atividades. Em cerimônia no Palácio do Planalto, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, lançou ainda a campanha “Viaje com responsabilidade e redescubra o Brasil”.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, ao citar os impactos da pandemia no setor, destacou o empenho do governo federal em socorrer a cadeia produtiva que atua no segmento. “A economia é vital. Quando se destrói um setor todos sofrem. Temos que buscar mudanças. Temos como mudar o destino do Brasil”, declarou o presidente.

Liderada pelo Ministério do Turismo, a Retomada do Turismo é uma aliança do setor que reúne esforços dos setores público e privado, terceiro setor e Sistema S para que o turismo retome plenamente as atividades de maneira gradual e planejada, voltando a gerar emprego e renda no país.

“Nós podemos afirmar que o turismo brasileiro está preparado para recebê-lo. Procure os estabelecimentos que contenham o Selo Turismo Responsável. São mais de 23 mil estabelecimentos em todo o Brasil obedecendo os protocolos de biossegurança e demonstrando que se preocupam verdadeiramente com a saúde do turista e com o desenvolvimento econômico do país”, destacou o ministro do Turismo ao se dirigir aos turistas brasileiros.

O presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA Brasil), Marco Ferraz, em nome do trade turístico, agradeceu o apoio do governo federal e a liderança para a retomada das atividades. “Agradeço as medidas tomadas que nos ajudaram em um momento tão difícil. Hoje vamos assinar um documento feito a muitas mãos e tentamos retomar o nosso turismo. Já vemos aviões voando e hotéis cheios em finais de semana. Temos um caminho grande a ser percorrido”, destacou.

Durante a cerimônia, o ministro Marcelo Álvaro Antônio assinou portaria ministerial que institui os eixos de atuação e os parâmetros para o desenvolvimento de programas, projetos e ações para a Retomada do Turismo.

REPRESENTATIVIDADE – O setor de turismo responde por cerca de 8,1% do PIB e emprega cerca de 7 milhões de pessoas direta e indiretamente no Brasil. As restrições impostas pela pandemia de Covid-19 fizeram com que milhares de brasileiros cancelassem suas viagens, colocando em risco a sobrevivência do setor e o emprego de quem tira da atividade o seu sustento.

No primeiro semestre de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado, a Receita Cambial Turística acumulou queda de 37,2%; o saldo entre contratações e demissões na economia do turismo foi negativo em 364.044 postos de trabalho formais; e o faturamento das atividades turísticas, medido pela Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, teve retração de 37,9%. Agora, o turismo brasileiro se organiza para viver sua retomada de maneira consistente e segura, contribuindo para a recuperação econômica do país.

RETOMADA DO TURISMO – A iniciativa reúne um conjunto de programas, projetos e ações que buscam resultados efetivos até 31 de julho do próximo ano. As ações são organizadas em quatro eixos: preservação de empresas e empregos no setor de turismo; melhoria da estrutura e da qualificação de destinos; implantação dos protocolos de biossegurança; e promoção e incentivo às viagens.

As ações vão desde o reforço na concessão de linhas de crédito para capitalizar empresas do setor e preservar empregos, até realização de obras de melhoria da infraestrutura dos destinos turísticos. Também estão previstas ações de qualificação dos trabalhadores e prestadores de serviços tanto na oferta de cursos para a adoção aos protocolos sanitários que garantam segurança para turistas e trabalhadores do segmento, quanto para melhoria de atendimento, considerando as tendências do mercado.

Para promover a Retomada do Turismo, a campanha “Viaje com responsabilidade e redescubra o Brasil” começa a ser veiculada em todo o país e conta com uma série de vídeos voltada à promoção dos destinos turísticos brasileiros. Serão veiculados materiais específicos de cada estado do país, além do Distrito Federal.

PARTICIPAÇÃO – A adesão à aliança Retomada do Turismo já conta com 32 entidades nacionais ligadas à cadeia produtiva do turismo (conheça AQUI todas elas). Dentro deste planejamento, cada instituição possui uma atribuição voltada para o retorno das atividades turísticas no país, apoiando, por exemplo, a promoção das campanhas lançadas pelo governo federal.

Entre as atividades desenvolvidas pelos órgãos públicos, entidades do terceiro setor e Sistema S estão incentivar a adoção do “Selo Turismo Responsável” e demais protocolos de biossegurança contra a Covid-19 pelos prestadores de serviços turísticos, turistas e comunidades receptoras, bem como difundir informações sobre linhas de crédito disponíveis, por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur).

Já as empresas privadas, além de aderirem aos protocolos de biossegurança e aperfeiçoarem os seus produtos e serviços à realidade pós-pandemia, devem fornecer orientações aos turistas quanto ao cumprimento dos protocolos estabelecidos em seus estabelecimentos, incentivando a conduta responsável de cada cidadão.

As instituições públicas e privadas também devem incentivar as viagens pelo Brasil, em especial as viagens a lazer, de forma responsável e segura; definir medidas para a retomada do turismo de negócios e eventos, como feiras e congressos e convenções, que também já se prepara para retornar; e adotar medidas para melhor distribuição de turistas pelo país, priorizando o turismo em áreas naturais – visto que é uma tendência mundial no cenário pós-Covid-19.

Cabe registrar que todos os brasileiros podem participar deste movimento. Quem se prepara para viajar e aqueles moram em destinos turísticos podem, desde já, adotar condutas responsáveis e cumprir os protocolos de biossegurança, detalhados no Guia do Viajante Responsável, desenvolvido pelo Movimento Supera Turismo Brasil – que reúne entidades representativas do setor de viagens e turismo –, em parceria com o Ministério do Turismo. Clique AQUI e saiba mais sobre como você, sua empresa ou instituições pode participar.

AÇÕES JÁ REALIZADAS – Enquanto os turistas tiveram que dar uma pausa nas viagens, o Ministério do Turismo lançou um tripé de ações para proteger o setor. A primeira delas foi focada na manutenção dos postos de trabalho, por meio do pagamento de auxílio emergencial, da flexibilização da jornada de trabalho e suspensão temporária do contrato de trabalho (MP 936/2020). O governo também atuou em defesa dos direitos do consumidor e impedimento de falência em massa das empresas do setor do turismo (MP 948/2020), estabelecendo regras para cancelamento e remarcação de reservas tanto no turismo como na cultura. E, ainda, criou a campanha “Não cancele, remarque”, indicando o site consumidor.gov.br para conciliação.

Por fim, o Ministério do Turismo disponibilizou o crédito histórico para o setor na ordem de R$ 5 bilhões, com condições especiais, com foco no capital de giro das empresas (MP 963/2020). Estes recursos do Fungetur deram fôlego ao setor e garantiram o funcionamento das empresas neste período, preservando mais de 26 mil empregos.

Concluída a etapa de preservação do setor, o Ministério do Turismo iniciou um planejamento para a retomada das atividades turísticas no país. O Brasil foi um dos 10 primeiros países no mundo a estabelecer protocolos de biossegurança específicos para a volta em segurança de 15 atividades do setor, por meio do Selo Turismo Responsável, que já conta com mais de 23 mil adesões. Agora, a Retomada do Turismo é mais uma ação para apoiar o setor e permitir que os brasileiros redescubram o Brasil com segurança e responsabilidade.

Fonte:Mtur

Informativo ABIH-SC 05 de novembro

No informativo da ABIH-SC desta semana você vai ver:

ABIH-SC elege nova diretoria executiva para biênio 2021-2022;-Save the Date;Sócio Colaborador – Realgem’s;Lideranças dos principais segmentos do turismo nacional falam sobre o delicado processo de retomada que aguarda o setor;Faturamento do setor de Turismo cresce 28% em setembro, aponta pesquisa;Associados ABIH-SC

Confira AQUI o informativo na íntegra

Conotel – Edição Especial: lideranças dos principais segmentos do turismo nacional falam sobre o delicado processo de retomada que aguarda o setor

Os dois dias da Edição Especial do Conotel que aconteceu de maneira híbrida, direto dos estúdios da Hoffmann, em São Paulo, reuniu nas diferentes plataformas em que foi transmitido cerca de 4020 pessoas durante seis horas de apresentações e debates.

Para Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional, o evento trouxe uma visão real de como se comportará o turismo no próximo ano, e como o processo de retomada se dará na visão de vários setores que interagem com o turismo. “Pudemos ouvir as opiniões e análises das principais lideranças dos setores de viagens, aviação, transportes, hotelaria e turismo.

Se por um lado precisamos estar sempre atentos às recomendações da autoridades de saúde, como já estamos fazendo, por outro, é preciso acelerar o processo de retomada para que o turismo e os setores que ele impacta diretamente possam voltar as suas atividades para continuar realizando um dos principais sonhos dos brasileiros que é viajar”, afirmou, Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional.

Érica Drumond

Para a vice-presidente da ABIH Nacional e mediadora do evento, Érica Drumond, a participação, no primeiro dia do Conotel, de três atuais ministros de estado, Marcelo Álvaro Antônio, do Turismo, Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, e Ricardo Sales, do Meio Ambiente, do presidente da Embratur, Gílson Machado, e de diversas lideranças do turismo brasileiro trouxe um panorama das ações que o governo federal vem tomando e que impactam diretamente os setores de turismo e hotelaria. “Além disso, também tivemos as apresentações de Raul Martins, presidente da hotelaria de Portugal, que nos trouxe a experiência do setor hoteleiro do seu país diante da pandemia, de Orlando Souza, presidente executivo do FOHB, Sérgio Souza, presidente da Resorts Brasil, além do presidente da ABIH Nacional, Manoel Linhares”, destacou.

Segundo dia do Conotel

O segundo dia do Conotel – Edição Especial teve como tema central “Trabalhando o Novo Normal – Hotelaria, Turismo, Agenciamento, Aviação e Eventos”. Para debater o assunto foram convidados Chieko Aoki, presidente da Blue Tree Hotels, Patrick Mendes, CCO da Accor Global, Eduardo Sanovicz, presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, Claiton Armelin, diretor Executivo de Produto Terrestre Nacional da CVC Corp, Toni Sando, presidente da Unedestinos, e Alexis Pagliarini, presidente executivo da AMPRO – Associação de Marketing Promocional.

A primeira apresentação do dia foi da carismática fundadora da Rede Blue Tree de hotéis, Chieko Aoki. Ela contou sua impressionante trajetória no turismo em vários países, atuando em diversos segmentos, e as razões que escolheu o Brasil para investir e estruturar sua empresa. Sobre o atual momento que passa o turismo mundial, a empresária ofereceu algumas dicas importantes para os hoteleiros enfrentarem a queda na arrecadação. “Primeiro ponto fundamental, é regularmos o caixa, ficar atentos à sustentabilidade financeira. Mas, ainda mais relevante, são os investimentos em segurança sanitária. Na Bue Tree fizemos isso, em parceria com autoridades de saúde, e nosso trabalho se tornou referência e vem sendo usado por muitos hotéis”, afirmou.

Em seguida, a vice-presidente da ABIH Nacional destacou que os hotéis estão aplicando as normas e padrões de prevenção antes mesmo de isso se tornar obrigatório. “A hotelaria está fazendo a sua parte, mas precisamos encaminhar algumas questões que se tornaram ainda mais importantes nesse momento difícil que passa o setor. É necessário resolver de uma vez por todas questões como a cobrança de direitos autorais sobre músicas executadas nos quartos de hotéis, a liberação do câmbio nas recepções e a relação com as agências, que necessita urgentemente de uma regulação que impeça abuso por parte das grandes empresas que chegam a cobrar 28% de comissão”, afirmou. Sobre o mesmo tema, Chieko Aoki ainda completou: “Acho que o mercado pode encontrar a solução com a chegada de empresas e plataformas que não são exclusivas e que cobram menos comissão. Vejo isso já acontecendo no Japão, por exemplo”.

Patrick Mendes, CCO da Accor Global, começou sua apresentação mostrando os números do grupo que hoje conta com 480 hotéis na América do Sul, sendo 340 no Brasil, e o impacto da pandemia de Coronavírus nos indices de ocupação dos hotéis que comanda. “Chegamos a fechar 80% de nossa unidades no continente. A reabertura começou em agosto e, hoje, estamos com 90% dos hotéis abertos, mas com apenas 30% de ocupação média. O que temos no momento, são alguns locais pontuais que estão tendo demanda. A hotelaria está muito mal e precisa da ajuda do governo para quitar impostos e outras despesas. Somos um setor importante que gera empregos e que muitas vezes é a porta de entrada do mercado de trabalho para os jovens”, alertou.

Eduardo Sanovicz

Para comentar a situação do setor de aviação, Eduardo Sanovicz, presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas. “De fato, o pior ja passou. Estávamos com 8% da malha no ar em abril, operando somente para locais onde apenas a aviação poderia chegar, transportando gratuitamente equipes de saúde. Mas a construção de uma unidade no setor nos deu força e, aos poucos, estamos vendo os números melhorarem. A expectativa é que chegaremos a dezembro com 70% da malha aérea no ar”, comentou. Segundo ele, é o turismo de lazer que está sustentando o setor. “Há um determinado público que ia para o exterior mas que agora está viajando pelo Brasil. Com isso, o brasileiro está descobrindo que temos destinos, produtos e serviços de qualidade para transportar, receber, hospedar e encantar esse público, cobrando em real, o que é muito importante nesse momento que o dólar está 6 reais”, completou.

Cleiton Armelin

Cleiton Armelin, diretor Executivo de Produto Terrestre Nacional da CVC Corp, abriu sua apresentação ressaltando destacando a união do setor que vem fazendo com que a retomada esteja sendo bastante satisfatória para o turismo rodoviário, principalmente porque o Brasil é o único pais aberto para o turismo. Em sua intervenção, Toni Sando, presidente da Unidestinos, também ressaltou a importância da união de todos os segmentos da cadeia produtiva do setor de turismo. “A crise uniu a todos e nos mostrou a importância do associativismo. O mais importante é que aprendemos a usar mais os dados para debater o desenvolvimento dos setores, apresentando propostas, independente de qualquer questão política. O que precisamos é nos ajudar para que os empresários possam retomar seus negócios e só vamos fazer isso juntos”, afirmou. Antes de chamar o próximo palestrante, a mediadora Érica Dumont ressaltou também a importância da união de toda a cadeia do turismo para que o setor possa atuar e investir, independente da divulgação realizada pelos destinos e poderes públicos.

Alexis Pagliarini

Alexis Pagliarini, presidente executivo da AMPRO – Associação de Marketing Promocional destacou a interdependência entre os setores de eventos e de hotelaria e ressaltou que o momento é delicado, mas que pode gerar uma oportunidade de equacionar algumas antigas questões. “A retomada precisa ser responsável e muito criteriosa. Temos uma chance única também de mudar algumas relações no setor, tornando-as mais sustentáveis do ponto de vista econômico. Já vínhamos convivendo com posições muito complicadas com relação aos pagamentos e prazos. Nesse momento, há quase 7 meses sem trabalho, estamos chamando os clientes para podermos tratarmos o setor de eventos com mais empatia, encontrando um caminho satisfatório para todos. É sempre bom lembrar que a cada real investido em eventos, cerca de 35 reais são movimentados em toda a cadeia produtiva que o setor envolve”, completou.

Manoel Linhares

Após a apresentação dos palestrantes, o presidente da ABIH Nacional, Manoel Linhares, finalizou o evento agradecendo às ABIHs estaduais e aos parceiros,  palestrantes, jornalistas e às entidades e empresas que patrocinaram o evento e convocou o presidente da ABIH-BA, Luciano Lopes, para convidar a todos para o Conotel 2021 que acontecerá em maio na capital baiana. “Vamos preparar um grande evento em Salvador. Estamos com os braços abertos esperando por vocês para mais uma vez discutirmos os caminhos e propostas para a hotelaria e o turismo brasileiro”, finalizou.

Fonte ABIH NACIONAL

Faturamento do setor de Turismo cresce 28% em setembro, aponta pesquisa

O turismo segue dando sinais positivos de retomada nos últimos meses. Dados de uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com a Cielo, mostram que o setor faturou R$ 12,8 bilhões em setembro, alta de 28% em relação a agosto. Quando comparado a abril, pior mês para o segmento no ano de 2020, o número é três vezes maior do que o registrado no período (R$ 4,07 bilhões). Mais da metade do faturamento no mês vieram dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o número é animador e mostra que as ações coordenadas pelo Pasta junto aos demais segmentos estão no caminho certo. “Ficamos muito satisfeitos com essa retomada gradual, positiva e significativa de maneira gradual e responsável. Estamos mostrando, mais uma vez, que a importância do turismo para a recuperação econômica de nosso país. Continuaremos com o nosso trabalho, de colocar o turismo brasileiro de volta aos antigos patamares, gerando emprego e renda para toda a nossa população”, disse.

Quando analisados por segmento, os empreendimentos da área de Hospedagem e Alimentação registraram o maior volume de vendas em setembro, totalizando R$ 8,533 bilhões. O destaque foi para os restaurantes que movimentaram R$ 6,63 bilhões. O transporte de passageiros também registrou parcela significativa no montante total. Em setembro, o setor faturou R$ 2,76 bilhões, representando 21% de tudo o que foi arrecadado em setembro.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destacou que o aumentou no faturamento pode ser resultado de inúmeros fatores. “A partir de maio, o faturamento do setor passou por um processo de recuperação mês a mês, devido a inúmeros fatores, como o maior número de pessoas nas ruas, o aumento da confiança dos consumidores, além das estratégias digitais adotadas pelas empresas”, afirma Tadros.

Desde março, quando foi decretado estado de calamidade pública devido à pandemia do novo coronavírus, o Ministério do Turismo tem trabalhado em diversas ações para dar sobrevida ao setor. Entre elas, estão a criação da lei 14.046, que propõe regras de cancelamentos/remarcações para serviços turísticos e culturais; a MP 963, que liberou R$ 5 bilhões para o setor em linha de crédito e contribuiu para a formulação da MP 936, que manteve milhares de empregos no país.

Veja a pesquisa aqui.

Fonte: Mtur