Ainda não vencemos a guerra!

Isenção da cobrança de ECAD novamente em pauta na MP948

Ainda não vencemos a guerra. Nem mesmo a força dos 83 anos de atuação da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, os 55 anos da ABIH Santa Catarina e os mais de 32 mil meios de hospedagem foram suficientes para derrubar a cobrança da taxa do ECAD constante na Medida Provisória 907/19, que foi para votação nesta semana na Câmara e no Senado.

Apelidada de “A Hora do Turismo”, a MP tratava de diversos temas do setor, entre eles a isenção do pagamento dos direitos autorais para o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) para os hotéis, motéis e cabines de navios, sem alteração da cobrança nas áreas comuns. No entanto, este trecho foi suprimido pelo relator, e entrará novamente em pauta como uma emenda à Medida Provisória 948/20, que trata do cancelamento e renegociação de reservas e eventos no setor de turismo.

Esta matéria mantém nossa esperança. A votação da MP 948/20 ocorrerá dentro de pouco tempo, cerca de 60 dias, e é fundamental para garantirmos a competitividade dos meios de hospedagem, assim como, a manutenção dos cerca de 380 mil empregos diretos e mais de 1,3 milhões indiretos gerados pelo setor.

Quero agradecer aos senadores e deputados federais de Santa Catarina que estão apoiando esta proposta a reconhecendo a importância para o turismo e para a hotelaria, bem como, para o fortalecimento da economia do Brasil.

Se faz necessário que todos os hoteleiros se unam, deem as mãos e procurem seus legítimos representantes do congresso nacional, pedindo-lhes apoio a esta causa justa e tão esperada pelo setor.

Avante hoteleiros e hoteleiras de Santa Catarina!  

Osmar José Vailatti

Diretor-presidente ABIH-SC

Observasctur – Observatório do Turismo de Santa Catarina

O Observatório do Turismo de Santa Catarina é uma iniciativa da Fecomércio SC, com apoio do Senac SC, e que tem por objetivo analisar o comportamento das regiões turísticas por meio do monitoramento das atividades do setor. Dentro do planejamento, tem realizado lives com as Instâncias de Governança e temas pertinentes ao setor e ao cenário que nos apresenta o COVID 19.

A ABIH-SC tem participado ativamente das lives, com vários hoteleiros se fazendo presente e apresentando questionamentos para elucidar dúvidas e poder contribuir neste momento.

Covid-19: Santur atualiza Manual de Boas Práticas para hotéis e pousadas com regras para restaurantes e academias

A Agência de Desenvolvimento do Turismo do Estado de Santa Catarina (Santur) publica, neste domingo (26), uma atualização do Manual de Boas Práticas para hotéis e pousadas no Estado. O documento teve acrescido, a partir das Portarias nº 256 e nº 258 da Secretaria do Estado de Saúde (SES), detalhes do regramento estabelecido para o funcionamento de restaurantes, lanchonetes, academias e afins dentro dos estabelecimentos.

Para que esses espaços funcionem, as medidas preventivas precisam ser respeitadas. O documento da Santur, que havia sido publicado inicialmente no dia 16 de abril, foi construído juntamente com a Secretaria do Estado da Sáude (SES). As atividades em hotéis pousadas de Santa Catarina estão retomadas desde o dia 13 de abril.

A atualização do Manual de Boas Práticas para hotéis e pousadas no Estado contém também todas as informações da primeira versão, que orienta os estabelecimentos, funcionários e hóspedes o funcionamento. Neste documento você saberá aquilo que está permitido, o que é obrigatório e o que não está habilitado no momento.

Faça o download da atualização do Manual de Boas Práticas para hotéis e pousadas no Estado produzido pela Santur

Fonte: Santur

Os momentos que o Corona Vírus nos tirou vão voltar e a Morane estará lá!

Precisou de uma pandemia mundial para que percebêssemos e olhássemos mais com mais atenção para alguns hábitos que estavam enraizados em cada um de nós e que nunca nos demos conta.

O mundo do século 21 é o mundo da informação e da tecnologia. Nunca, na história, produzimos e consumimos tanta informação. São notícias, vidas passando pela nossa timeline, sonhos, vidas reais e irreais. O desafio que nos é imposto é filtrar o que de fato é relevante para a nossa vida e o que é descartável.

Essa parada que a pandemia nos impôs nos colocou o desafio de olhar para essas informações para que, através dela, possamos compreender o momento em que vivemos e buscar alternativas para retomar alguma normalidade dentro de um novo panorama que nunca nos tinha sido imposto. Assim, ficamos mais isolados de tudo que nos era importante e caro. Mais de 1/3 da população mundial, nesse momento, está isolada em suas casas, tendo a tela do celular e do computador como janela para um mundo que ainda não sabemos como vai sair dessa pandemia.

O que vai mudar no nosso planeta e nos seus habitantes depois de 2020? Ainda não há respostas para essa pergunta, assim como não há uma vacina ou uma cura efetiva para a doença que assola a humanidade. O que nos resta então é olhar para essa nova realidade que nos foi imposta e avaliar como era a nossa vida antes de tudo isso, e o mais importante, o que esperamos da nova vida que vamos viver depois que a pandemia passar. Estamos assistindo famílias se reencontrando dentro das casas em que já viviam, amigos se conectando das formas possíveis para amenizar a saudade com festas realizadas por vídeo chamadas.

Percebemos o valor de pequenas coisas, como aproveitar um dia com as pessoas que amamos, andar na rua sem preocupação, curtir um dia de praia, uma caminhada pela areia, uma ida ao shopping. Tudo isso vai ter um novo significado depois da pandemia. Se irá durar essa mudança não sabemos, mas sabemos que nunca mais seremos os mesmos.

Mas seremos melhores ou piores? A Morane sempre buscou trazer para os seus clientes produtos inovadores que trouxessem soluções e facilidades para o seu dia a dia. Com essa crise que vivemos, de saúde pública e consequentemente econômica, percebemos também que os nossos produtos, além de trazerem inovações, fazem parte desse ritual de “aproveitar a vida”. São protetores para a família na beira da praia, caixas de som para festas em casa ou para restaurantes (setor que vai sofrer um grande baque com a crise que se aproxima) e telhados em palha sintética tão utilizados pela rede hoteleira, que vai ter que se reinventar depois de 2020.

A Morane sempre fez parte de momentos felizes de confraternização em família, com amigos, em momentos de lazer e descontração. Agora, esses momentos estão relegados às quatro paredes das casas e apartamentos, mas acreditamos que vamos sair dessa ainda mais fortalecidos e, acredite, iremos em busca de produtos ainda mais inovadores e diferenciados para fazer parte dos momentos alegres que virão, pois eles virão e serão muitos.

Equipe Morane Outdoor Solutions

Como diminuir o impacto financeiro durante a crise

Estamos vivendo momentos sem precedentes para a nossa geração. Ninguém pôde prever e nem se preparar totalmente para isso. Mesmo aqueles que possuem capital de giro e reservas acumuladas, não deixarão de sofrer, apesar que sofrerão menos por estarem mais preparados financeiramente.

Em média, as pequenas empresas tem capital de giro suficiente para aguentarem fechadas por apenas 27 dias. Veja o gráfico a seguir:

(fonte JP Morgan Institute)

Isso significa que em muitos casos terão que contrair empréstimos para continuar funcionando ou utilizarem suas revervas.

Muitos gestores se recusaram durante muito tempo em reduzir as despesas por diversos motivos: números inconsistentes, ausência de indicadores e relatórios financeiros e até mesmo por deixarem a emoção ultrapassar a razão, colocando o coração nas decisões empresariais.

Vários dos problemas que estão enfrentando hoje e que se agravaram não foram causados nos últimos 45 dias, mas durante anos.

O que podemos fazer então, já que lamentar não ajudará em nada? Reduzir os custos a qualquer custo. Cortar despesas desnecessárias nesse momento. Negociar e renegociar contratos com os fornecedores, vendo se é melhor diminuir o desembolso mensal ou até mesmo zerar por um determinado período. Diminuir o custo trabalhista, avaliando se as remunerações estão de acordo com o mercado e se o volume de mão de obra está adequado para o momento atual (será percebido que é possível aumentar a produtividade com menor custo e ter os profissionais mais qualificados).

Verificar a possibilidade de terceirizar setores como: lavanderia, manutenção e jardinagem, A&B, marketing, auditoria e outros.

As vantagens da terceirização vão desde a redução real de despesas quanto a possibilidade de dar mais foco ao principal produto do negócio.

É importante saber que nem tudo é possível ou viável terceirizar. Não confunda terceirização com troca de colaborador com CLT por colaborador com CNPJ. Oriente-se de forma financeira, jurídica e contábil, para que haja vantagem de fato.

Coloque tudo no papel. Faça e refaça seu fluxo de caixa para os próximos 6 meses e Orçamento de Receitas e Despesas para 12 meses. Analise minunciosamente todas as receitas e despesas, pois a redução de hoje pode não ser suficiente para o amanhã, exigindo nova diminuição.

“Sente sobre o caixa”. Controle suas receitas e valores a receber, negocie com seus clientes. Talvez em alguns casos de inadimplência você terá de dar descontos e aumentar o prazo para poder receber. Tome cuidado com as vendas a prazo. É melhor não vender do que não receber. Revise sua política de vendas. Não esqueça que preço quem faz é o mercado.

De qualquer forma, tudo isso deve ser visto com otimismo, sem deixar o realismo de lado. A empresa que souber colocar essa situação a seu favor irá reduzir custos a níveis nunca alcançados antes e se for inteligente, fará com que os novos custos, depois da retomada, nunca mais alcancem os níveis anteriores, fazendo com que tenha melhor lucratividade e rentabilidade. A empresa Deverson Consultoria Financeira se coloca a disposição dos Associados da ABIH SC para responder perguntas relacionadas ao setor financeiro e oferecer suporte para planilhas de fluxo de caixa e controles financeiros, através do e-mail: consultoria@deversonconsultoria.com.br

Deverson L. G. Pereira

Consultor Financeiro na Empresa Deverson Consultoria Financeira

Diretor de Controladoria ABIH-SC

Todos de máscara!

A campanha lançada pela ABIH-SC visa divulgar a preocupação da rede hoteleira catarinense em cumprir todas as normas de higiene e segurança determinadas pela Vigilância Sanitária, decretos e portarias, para o combate ao Covid-19.

Sim, estamos de volta, juntos e Todos de Máscaras!

Isso mesmo. Os meios de hospedagem estão adaptados às regras de convívio e tudo o que determinam as autoridades garantindo que seus hóspedes estejam em um ambiente que segue todas as normas para garantir a segurança de quem está hospedado ou trabalhando.

A hotelaria catarinense está, aos poucos, retomando as atividades. Abaixo estão os hotéis associados que compartilham suas boas-vindas. Têm muito mais vindo por aí!

Hotel Tirol
Pousada Barra Mar
Villas Jurerê Hotel Boutique
Hotel Villa Real – São Francisco

Convidamos você, hotel associado, a enviar sua foto e compartilhar esse momento com todos! A essência da hotelaria é bem receber, portanto, sorriso além da máscara, e tudo mais que pudermos fazer!

#estamosjuntos #todosdemascara

Envie a foto do seu hotel!

Hotel Renar em Tempos de Quarentena

É tempo de se reinventar. É assim que o Hotel Renar está aproveitando este momento para adotar melhorias com inovação, criatividade e parceria.

A baixa ocupação tem permitido ao Hotel Renar preparar uma estrutura especialmente renovada para o inverno que está chegando. As piscinas aquecidas ganharam novos ares. As instalações da caldeira e os sistemas de calefação foram totalmente revistos para garantir o melhor acolhimento neste inverno na Terra da Maçã. Tudo isso embalado pelos encantadores e sempre bem cuidados jardins do hotel.

Pensando em sustentabilidade, o Hotel Renar está instalando placas fotovoltaicas, o que irá gerar uma economia de 30% na sua energia elétrica, revertendo-se em mais melhorias. Além disso, a estrutura metálica que serve de base para as placas servirá também como garagem coberta para os veículos dos hóspedes.

Outra novidade implantada neste momento pelo Hotel Renar chega como um grande diferencial: é a parceria com a Clínica Vitalis, para promover aos hóspedes muito mais conforto com os tratamentos terapêuticos e estéticos que os profissionais oferecem à base da fruta mais famosa da região: a maçã.

E para quem deseja viver uma experiência diferenciada, em apartamentos de até 98 m², com a vista mais incrível, o Hotel Renar tem uma ala totalmente nova, com muito requinte, conforto e personalização, que foi inaugurada no início deste ano. Esses ambientes novos, com acomodações Super Luxo, Suíte Luxo e Personalité, compõem a Ala Biz do hotel.

E a ala tão tradicional do Hotel Renar continua proporcionando o já reconhecido aconchego e conforto familiar com total qualidade, preservação da saúde e segurança de todos. O tradicional Apfel Bar, localizado em um ambiente aquecido, conta com lareira para acolher os hóspedes no melhor clima da região: o inverno. É quando as manhãs ficam branquinhas pela geada por conta dos 1.100 metros de altitude de Fraiburgo.

“Estamos cientes de que não há alternativa para enfrentarmos a pandemia sem ser por meio da cautela, criatividade, união e disposição. Por isso, estamos nos esforçando para manter e melhorar o que for possível. O maior desafio tem sido readequar nosso quadro de colaboradores para esta realidade, e a nossa maior alegria é a parceria dos nossos terceirizados, abertos a negociações. Agradecemos diariamente a esses verdadeiros parceiros, eles se destacam nesta hora.”, explica Edson Ziolkowski, sócio-diretor do Hotel Renar.

Localizado na região meio-oeste de Santa Catarina, o Hotel Renar fica em Fraiburgo, na Avenida Beira Lago, n° 150. O telefone para reservas e contato é o 55 49 99977-5236.

Acesse o site do hotel aqui para saber mais.

Fonte: Bom Dia SC

Lei Geral de Proteção de Dados é adiada para maio de 2021

A Lei estava prevista para entrar em vigor em agosto deste ano.

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta quarta-feira (29) a Medida Provisória (MP) nº 959 que trata da operacionalização do pagamento do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda e também prevê o adiamento da Lei nº 13.709 que estabelece a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

 A MP foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial da União desta quarta-feira (29).A LGPD deveria entrar em vigor em agosto deste ano e agora passa a valer apenas em maio de 2021.

A LGPD disciplina como empresas e entes públicos podem coletar e tratar informações de pessoas, estabelecendo direitos, exigências e procedimentos nesses tipos de atividades. No dia 3 de abril, o Senado havia adiado a entrada em vigor da lei. O tema foi incluído no projeto de lei 1179 de 2020, que flexibiliza a legislação para a manutenção de empregos durante o enfrentamento da pandemia.

Lei de Proteção de dados traz desafios a empresas, cidadãos e governo

Segundo a norma, dados pessoais são informações que podem identificar alguém. Dentro do conceito, foi criada uma categoria chamada de “dado sensível”, informações sobre origem racial ou étnica, convicções religiosas, opiniões políticas, saúde ou vida sexual. Registros como esses passam a ter nível maior de proteção, para evitar formas de discriminação. Mas quem fica sujeito à lei? Todas as atividades realizadas ou pessoas que estão no Brasil. A norma valerá para coletas operadas em outro país desde que estejam relacionadas a bens ou serviços ofertados a brasileiros. Mas há exceções, como a obtenção de informações pelo Estado para segurança pública.

Ao coletar um dado, as empresas deverão informar a finalidade. Se o usuário aceitar repassar suas informações, como ao concordar com termos e condições de um aplicativo, as companhias passam a ter o direito de tratar os dados (respeitada a finalidade específica), desde que em conformidade com a lei. A Lei previu uma série de obrigações, como a garantia da segurança dessas informações e a notificação do titular em caso de um incidente de segurança. A norma permite a reutilização dos dados por empresas ou órgãos públicos, em caso de “legítimo interesse” desses, embora essa hipótese não tenha sido detalhada, um dos pontos em aberto da norma.

De outro lado, o titular ganhou uma série de direitos. Ele poderá, por exemplo, solicitar os dados que a empresa tem sobre ele, a quem foram repassados (em situações como a de reutilização por “legítimo interesse”) e para qual finalidade. Caso os registros estejam incorretos, poderá cobrar a correção. Em determinados casos, o titular terá o direito de se opor a um tratamento. A lei também permitirá a revisão de decisões automatizadas tomadas com base no tratamento de dados (como as notas de crédito ou perfis de consumo).

Proteção de dados ganha importância na política e economia no Brasil

Todos os dias, deixamos “rastros” em diversas atividades cotidianas. Quando damos “likes” ou compartilhamos algo em redes sociais, indicamos preferências sobre temas. Ao fazer um cadastro para acessar um site ou serviço na internet, fornecemos identificações importantes, como carteira de motorista e endereço. Ao dar o CPF após uma compra ou para adquirir descontos, fornecemos ao vendedor nossa identificação e informações sobre o que adquirimos e quanto gastamos. Ao usar a digital para entrar em um prédio, deixamos um registro biométrico fundamental sob responsabilidade de empresas e órgãos que, muitas vezes, são desconhecidos.

Há casos em que a simples presença próxima a dispositivos com câmeras e microfones pode significar a gravação de imagens e conversas. Os rastros das nossas atividades, assim como informações sobre nós (como identidade, CPF, data de nascimento, gênero, cor, endereço, nome de pai e mãe, entre outros), ao serem coletados e tratados, transformam-se em dados pessoais. Com a disseminação de tecnologias digitais, informações variadas são transformadas em bits (0s e 1s), reunidas, cruzadas e analisadas em bancos de dados de capacidade crescente e com sistemas cada vez mais complexos, inAgênciclusive com alta capacidade de processamento naquilo que passou a ser chamado de inteligência artificial.

Relembre como foi o debate da Lei Geral de Proteção de Dados no Brasil

Com a disseminação da coleta massiva de informações das pessoas, os riscos de abusos e violação ao direito à privacidade (garantido no Brasil pela Constituição Federal) vêm crescendo, provocando o debate sobre a necessidade de legislações específicas.

Fonte:Agência Brasil

Informativo ABIH-SC 23 de Abril

No informativo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, você vai ver:

Todos de máscara! ;– Uma perda irreparável! – Como a saúde deve ser tratada pelos hotéis ;- O Foco em Governança Hoteleira com o covid 19;- Santur e Fecomércio lançam cartilhas e manuais pra meios de hospedagens ;- Sócio Colaborador – Wier ;- O que há de novo no TOTVS hospitalidade PMS ;- Turismo garantirá até R$ 5 bilhões de crédito ao setor;-
Parabéns aos agentes de viagem!;- Associados ABIH-SC.

Confira o informativo completo AQUI!!

Parabéns aos agentes de viagem!


A ABIH-SC presta sua homenagem a este profissional que é um elo transformador de sonhos.

🌐www.abih-sc.com.br
📧 abih@abih-sc.com.br
☎ 48 3222-8492
#turismo#hotelaria#associativismo#santacatarina#sc#hotéis#pousadas#hostels#informação#hospedagem#hotéissc