Informativo ABIH-SC 26 de março

O informativo da ABIH-SC desta semana trás pra você: Carta do Diretor-presidente da entidade “Avante hoteleiros de Santa Catarina”; Confira o link de atendimento da ABIH-SC – aos seus associados através do whatsapp; Matéria divulgada no portal do Sebrae-SC falando sobre os impactos da quarentena da COVID-19 nos pequenos negócios do turismo; Hotéis de Santa Catarina abrem portas para profissionais de saúde; Ministro do turismo em reunião com representantes do setor hoteleiro; Mantenha-se informado sobre as medidas econômicas do Estado de Santa Catarina, legislação e casos confirmados da COVID-19; Sócios colaboradores Alka Energia e SiteMinder; Hotéis associados Hotel Oscar e Hotel Beira Mar; Cidades como você nunca viu e muito mais.

Acesse aqui o informativo completo!

Nossas cidades como você nunca viu

Separamos para vocês vídeos de algumas cidades catarinenses, que talvez vocês até conheçam mas com detalhes que talvez nunca tenham visto. Vale a pena conferir de perto na próxima visita.

Cidade de Joinville

Cidade de Florianópolis

Serra Catarinense

Cidade de Balneário Camboriú

Cidade de São José

Cidade de São Francisco do Sul

A hotelaria quer voltar a trabalhar e gerar riquezas ao Estado e país

Florianópolis, 26 de março de 2020.

Ofício: 002/2020

Ref.: COVID-19

Assunto: Posicionamento da ABIH-SC

Avante hoteleiros de Santa Catarina. 

Passados quase dez dias do anúncio da triste quarentena em virtude da COVID-19, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, aguarda ansiosa e preocupada, decisões dos governos que, lamentavelmente, não chegam.

A hotelaria e o turismo parou. 80% a 90% dos hotéis permanecem fechados. Colaboradores em férias, demitidos. Desespero, um caos! Calcula-se que 300 mil demissões já ocorreram em todo o território nacional. O governo precisa anunciar medidas urgentes para prolongar e salvar o setor da hotelaria e do turismo. Setor que investe, paga milhões de tributos, gera empregos e renda a milhares de família, e qualifica as pessoas envolvidas. 

Diferentemente de outros setores econômicos, onde há queda na produção, o TURISMO

PAROU. Precisamos de medidas urgentes para minimizar os impactos econômicos, neste e em outros setores da economia de Santa Catarina e do país, entre elas:

  • A que responsabiliza o governo pelo pagamento do seguro-desemprego; 
  • A que libera 70% do Fundo de Garantia dos colaboradores;
  • A que fornece linhas de créditos a juros reduzidos e prazos prolongados, ainda não disponíveis e que preocupam o setor;
  • Admitir a entrada de novos hóspedes individuais e de profissionais de serviços públicos e atividades essenciais;
  • Iniciar imediatamente o planejamento da retomada da atividade econômica, isolando grupos de riscos, liberando parte da força de trabalho para retorno às atividades.

Está claro que a hotelaria foi um dos mais atingidos setores, pelos problemas causados pela pandemia global. É preciso urgente flexibilizar a atividade, criar mecanismos para abertura gradativa dos hotéis, injetar recursos para a sobrevida dos equipamentos turísticos. 

A hotelaria não quer receber vantagens, a hotelaria quer voltar a trabalhar e gerar riquezas ao país. 

Atenciosamente,

Osmar José Vailatti

Diretor-presidente

ABIH-SC

Estamos sempre prontos para atender você!

Hotel Beira Mar

Localizado a 50 metros do mar no Centro da praia de Itapema, o Hotel Beira Mar coloca à sua disposição uma completa estrutura de lazer para você e sua família desfrutarem de momentos inesquecíveis em Itapema. Com fácil acesso e próximo aos principais pontos turísticos de Santa Catarina é uma excelente opção em todos os meses do ano.

 www.beiramaritapema.com.br

SiteMinder dá dicas de como adquirir hóspedes

Quer adquirir mais hóspedes?

Junte-se aos mais de 35.000 hoteleiros clientes da SiteMinder e se beneficie das nossas soluções simples e inteligentes:

– Gestor de canais

– Sistema de reservas on-line

– Informação sobre os mercados e concorrência

– Criador de websites para hotéis

– Sistema de distribuição global (GDS)

Quem é SiteMinder?

O SiteMinder é a plataforma líder no setor hoteleiro para aquisição de hóspedes, uma das pioneiras a oferecer uma tecnologia simples e inteligente, que leva os hotéis até aos seus hóspedes, onde quer que estes estejam, durante todo o processo da sua viagem.

Desde os menores bed & breakfasts às maiores cadeias, o SiteMinder é o nome de mais de 35.000 hotéis em todo o mundo para adquirir novos hóspedes. Reconhecem que os hoteleiros preferem gastar tempo  criando experiências de hóspedes memoráveis ​​do que fazendo a tecnologia funcionar. O conjunto holístico de soluções gerencia todas as etapas da jornada de reserva de seus convidados para que você possa:

  • Tornar seu hotel mais visível nos principais sites de reserva do mundo e seja encontrado por convidados em todo o mundo;
  • Dirija reservas diretas através do site do seu hotel para que você possa ter o relacionamento com o hóspede e pagar comissão zero;
  • Acesse uma infinidade de aplicativos de terceiros para melhorar sua receita e a experiência de reservas dos hóspedes;
  • Use dados para entender a demanda local e oferecer preços competitivos e ótimos para as margens de lucro;
  • Deixe a entrada manual para trás com sistemas que funcionam perfeitamente juntos enquanto você administra seu hotel.

Quer saber mais a respeito do SiteMinder?

www.siteminder.com

natalia.zanuto@siteminder.com

Alka Energia – Dicas para reduzir energia em períodos de baixa demanda

 Neste momento de dificuldade, estamos oferecendo para os hotéis  – sem custo – uma análise da fatura da celesc para reduzir o gasto mensal e eliminar cobranças indevidas durante este período de baixa demanda dos empreendimentos. Solicite agora mesmo sua avaliação, enquanto isso, confira as dicas para reduzir o consumo.

1. DESLIGUE O GERADOR

Equipamentos funcionando com pouca carga consomem praticamente a mesma quantidade de diesel, resultando em um custo mais alto que a Celesc no horário de ponta.

 2. ALTERE O SEU FATURAMENTO PARA O GRUPO B  (SEM DEMANDA CONTRATADA)

Com esta mudança não haverá cobrança de demanda contratada nos próximos meses quando a ocupação deve ser baixa. Além disso, quando o hotel retornar para Grupo A ainda terá direito a um período de testes de 3 meses para adequar a sua demanda à nova ocupação.

 3. PROJETE OS SEUS CUSTOS COM ENERGIA

Neste momento é fundamental planejar os gastos com energia elétrica nos próximos meses.

4. ESTEJA ATENTO À ENERGIA REATIVA

Em momentos de baixo consumo de energia é importante estar atento aos equipamentos que demandam energia reativa para o seu funcionamento. Fique de olho em equipamentos tais como motores, elevadores, transformadores e reatores de lâmpada.

CONTE COM A ALKA!

Acesse todas as informações sobre COVID-19 em Santa Catarina

Mantenha-se informado sobre as medidas econômicas do Estado de Santa Catarina, legislação e casos confirmados; Tenha acesso a todas as coletivas do governador; Acesse todas as informações quanto a prevenção; e muito mais.

O governo do Estado de Santa Catarina criou este canal específico para você http://www.coronavirus.sc.gov.br/

Ministérios do Turismo e da Economia se reúnem com representantes da hotelaria e agentes de viagens

Ministro Marcelo Álvaro Antônio destacou as necessidades de medidas para o setor

Ministro Marcelo Álvaro conversou com representantes de agências de viagem por vídeoconferência. Crédito: Dênio Simões/MTur

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, se reuniu, nesta quarta-feira (25) com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa; e representantes da agências e operadores de viagens. O objetivo do encontro foi debater as propostas já encaminhadas ao governo federal para atender o setor turístico que tem sofrido grande impacto com a pandemia do coronavírus.

Durante a reunião, Álvaro Antônio falou sobre a importância de ações imediatas para o setor. “Temos muitos segmentos que estão sofrendo com impactos de 90%, 100%. Então, nossa preocupação é adotar medidas rápidas para que possamos vencer essa crise e que a cadeia produtiva do turismo possa ser retomada com uma intensidade maior”, pontuou o ministro.

O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, elogiou o trabalho e empenho do Ministério do Turismo e destacou as ações realizadas tanto para o setor turístico quanto para os demais. “Nós precisamos tratar cada setor com suas especificidades, mas com medidas transversais como: ações que atenue a queda da receita, previsibilidade de retorno, fundos de garantias, entre outros. Estamos dispostos a fazer tudo o que for preciso”, declarou.

Representando as agências de viagens, Magda Nassar, celebrou a intenção do governo em se criar fundos de garantias e solicitou a disponibilização de crédito para as empresas independentemente do tamanho. “Temos um primeiro pleito praticamente atendido, que seria o fundo de garantia, mas precisamos estender o crédito para os pequenos, médios e grandes empreendimentos”, finalizou.

Além de Magda Nassar, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), participaram da reunião o presidente da Clia Brasil, Marcos Ferraz; o presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), Roberto Nedelciu e representante do BNDES.

SETOR HOTELEIRO

Mais cedo, o Ministro Marcelo Alvaro Antonio, acompanhado de integrantes do Ministério do Turismo, participou de uma reunião com representantes do setor hoteleiro. Na pauta, ações que visam amenizar os efeitos da crise provocada pelo Coronavírus. O ministro fez questão de ressaltar que a pasta acompanha de perto a situação e não medirá esforços para auxiliar empresários e trabalhadores. Os representantes dos hotéis e pousadas destacaram que estas ações precisam ser implementadas imediatamente, sob o risco de uma demissão em massa e um caos social. Para evitar justamente esse quadro, Marcelo Álvaro destacou que estão previstas várias intervenções por parte do MTur, com destaque para uma Medida Provisória (MP) que está em análise pelo Ministério da Economia e Casa Civil. Após essa avaliação, o texto, que – dentre outras coisas – apresenta alternativas para acordos entre empregadores e empregados, será assinado.

FUNGETUR

Anteriormente, em conversa com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezzano, o ministro do Turismo colocou à disposição a capitalização do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) junto à instituição. O objetivo é ampliar os R$ 381 milhões, já liberados pela Pasta. Nos últimos dias, a Pasta publicou portaria que amplia o prazo de carência de 6 para 12 meses e a queda nos juros de 7% para 5%.

Fonte: Ministério do Turismo

Hotéis de Santa Catarina abrem portas para profissionais de saúde

Hotéis de Santa Catarina abrem portas para profissionais de saúde, atendendo as solicitações das autoridades municipais. Confira como está sendo esse movimento.

O Grupo Faial, falou sobre a ação em suas redes sociais.

“Com a COVID-19 as prioridades das pessoas, empresas, cidades e do mundo mudaram. Sabemos que tudo isso irá passar, é apenas questão de tempo. Sabemos também que “esse tempo” pode variar de acordo com a nossa responsabilidade diante dessa situação. Acreditamos que a união de todos é o que fará toda a diferença em como iremos passar por esse processo — afirma Adriano Palma Silva, CEO do Faial Prime Suítes.

Confira também outras notícias veiculadas na imprensa sobre os hotéis que abriram suas portas.

https://www.nsctotal.com.br/colunistas/dagmara-spautz/hoteis-de-balneario-camboriu-abrem-portas-para-profissionais-de-saude-que

https://www.nsctotal.com.br/noticias/grupo-faial-disponibiliza-hotel-para-prefeitura-de-florianopolis-atuar-no-combate-a-covid

Pequenos negócios do setor do Turismo já sofrem com quarentena do Coronavírus

Confira a matéria divulgada no portal do Sebrae-SC falando sobre os impactos da quarentena da COVID-19 nos pequenos negócios do turismo, setor que contribuiu com US$ 151,2 bilhões para o PIB em 2018. Entre os entrevistados, Carla Costa, diretora da ABIH-SC, que possui um empreendimento na área gastronômica, em Florianópolis.

Os negócios que trabalham com turismo vêm sendo um dos mais atingidos pelos efeitos da pandemia do coronavírus, em especial, as pequenas empresas. Segundo dados do World Travel (WTTC), entidade mundial de viagens e turismo, em 2018, o turismo contribuiu com US$ 152,5 bilhões para o Produto Interno Bruto (8,1% do total). Ao todo, o segmento gerou 6,9 milhões de empregos. O levantamento ainda detalha que 99% dessa cadeia é composta por pequenas empresas. Elas representam 1,9 milhões de empreendimentos, divididos entre diferentes atividades, como agências de turismo, hotéis e pousadas, transporte, atrativos, eventos e até bares e restaurantes.

Germana Magalhães, coordenadora de Turismo do Sebrae, orienta que os empresários devem planejar como será a administração do negócio durante a paralisação; estruturar canais de atendimento com o cliente visando a negociação das reservas  que possam ser utilizadas futuramente, seja remarcando ou gerando créditos, além de dar respostas e soluções rápidas a clientes e fornecedores.

“É essencial que a política de cancelamento seja flexibilizada ao máximo para que essa reserva seja remarcada, evitando o cancelamento e o reembolso. Em um momento como esse, reservas futuras podem garantir o fluxo de caixa mínimo”, orienta. Depois que todas as medidas emergenciais e de adaptações estiverem em curso, é importante o empresário começar a planejar iniciativas para a retomada da normalidade, explica a coordenadora do Sebrae.

Carla Costa é empresária de Florianópolis e está ligada diretamente ao ramo. Além de ser dona de um restaurante e um café, ela tem uma fazenda marinha de ostras e unidade de beneficiamento de pequeno porte. Com o auxílio do Sebrae, a empresa desenvolveu um serviço de visita de turistas que iam até a fazenda de ostras, e na volta, comiam no restaurante. A empresária conta que começou o ano muito bem, com a alta temporada durante o verão, e estava com boas perspectivas até abril, por conta da Páscoa, período em que recebe muitos turistas vindos do Uruguai e Argentina.

Com a realidade da pandemia o fluxo de clientes caiu, e como consequência, a equipe já sofreu cortes. Carla teve que dispensar 10 de seus empegados, ficando com uma equipe de 30 pessoas. Para diminuir os impactos, ela resolveu aproveitar a estrutura do restaurante, mas mudou a estratégia de atuação. “Observei meu inventário e a demanda da região. Optei em vender porções congeladas, coisa que eu já tinha. Fiz a divulgação online para a venda. Depois, observei que na minha região havia uma carência de boas pizzarias, e por conta da minha cozinha bem equipada, aproveitei a oportunidade”, explicou a empresária.

O que pode ser feito no período de paralização das atividades:

  • Transfira o que for possível das atividades com sua equipe, fornecedores e clientes por canais a distância/ virtuais.
  • Comunique em todos os canais as medidas que a empresa está tomando relacionadas à política de cancelamento. Aproveite esse momento para demonstrar os serviços futuros.

Planeje como irá administrar sua empresa nesse momento de paralização.

  • Analise quais contratos podem ser negociados para depois, converse com os fornecedores.
  • Isole ambientes que ficaram parados durante este período.
  • Acompanhe e planeje o fluxo de caixa.

Fique atento às medidas econômicas do governo e bancos quanto ao apoio aos pequenos negócios e ao setor de turismo.

  • Converse com seus agentes financeiros sobre linhas de créditos e flexibilização de pagamentos de empréstimos

Depois que todas as medidas emergenciais e de adaptação estiverem em curso, comece a pensar na sua retomada.

  • Mantenha-se ou se insira na governança do seu destino, esse é o momento de se unir e trocar boas praticas.
  • Use o momento para refletir sobre o seu negócio, veja como ele está posicionado. Se reorganize para, quando essa fase passar, a empresa retorne mais fortalecida.
  • Pense em uma campanha de marketing associada ao destino no qual está inserido.
  • Avalie novos canais de comercialização e mantenha ainda mais forte o que a empresa já tem.
  • Crie conteúdos que demonstrem a experiência futura que o cliente terá, sempre deixando a mensagem que no momento ele precisa ficar em casa, mas que em breve o seu serviço ou produto estará ainda melhor pra recebê-lo.

Fonte: SEBRAE-SC