Informativo ABIH-SC 26 de setembro de 2019

Maturidade Digital: como alavancar negócios na internet;- ABIH-SC comemora Dia do Hoteleiro;-Últimos detalhes para o lançamento da 2ª Edição da Revista ABIH-SC;-Sócio Colaborador – Realgem’s Guest Solutions;- ABIH-SC Informa-A Auditoria Financeira e sua finalidade;-Curso – Recepção, Comercial e Reservas;- Balneário Camboriú terá primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo;-Associados ABIH-SC.

Confira o informativo na íntegra AQUI!

Leia também: Curso – Recepção, Comercial e Reservas

Últimos detalhes para o lançamento da 2ª Edição da Revista ABIH-SC

A segunda edição da Revista da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC será lançada oficialmente no dia 05/11/2019 como parte das comemorações ao Dia do Hoteleiro.

Em suas 48 páginas a publicação irá apresentar um resumo completo do que foi a última edição do Encatho & Exprotel realizado em Agosto 2019, um pouco do dia-a-dia da Entidade,além da lista como nome e contato dos associados, e, é claro, a planta e chamada para a edição do 33º Encatho & Exprotel.“Além de muita informação para o mercado, a revista será um excelente material para apresentarmos a entidade, suas atividades e trajetória para novos empreendimentos, assim como, para a comercialização dos espaços de exposição da próxima edição do Encatho & Exprotel”, afirmou Osmar José Vailatti, diretor-presidente da ABIH-SC.

Sócio Colaborador – Realgem’s Guest Solutions

Com quase 30 anos de experiência no mercado hoteleiro, a Realgem’s Guest Solutions é uma empresa brasileira com reconhecimento internacional. A fabricante de amenities, amplia sua atuação e passa a oferecer ao mercado, completas e modernas soluções em hotelaria.

Com três plantas industriais e investimentos constantes nos melhores equipamentos para otimizar os processos produtivos, a Realgem’s tem hoje o maior parque industrial do mercado hoteleiro nacional. Uma empresa que trabalha com alta tecnologia e rígidos padrões internacionais de qualidade, mas sempre valorizando as riquezas naturais do Brasil.

Após ter conquistando os hóspedes mais exigentes nos mais de 4 mil empreendimentos atendidos entre eles: Redes Atlantica Hotels e Accor, Club Med, Tivoli, Bourbon, Fazenda Park Hotel, Faial, Ritta Hoppner, entre outros, chegou a hora de ampliar sua atuação. Além da ampla variedade de amenities, a empresa firmou parcerias nacionais e internacionais que oferecem soluções para atender todo o hotel, entre elas: essências para trabalhar com marketing olfativo e, alimentos e condimentos em sachês.

Para saber mais sobre a empresa acesse:

www.realgems.com.br

E-mail – contato@realgems.com.br

Fone: (41) 3907-9900

www.facebook.com/Realgems/

Instagram –  @realgems_guest

A Auditoria Financeira e sua finalidade

Cada dia mais as empresas tem a necessidade de transformar suas informações em indicadores e através destes, tomar decisões estratégicas no dia a dia da organização, para otimizar as receitas e reduzir a despesas, aumentando a lucratividade e a rentabilidade.

Algumas empresas tem dificuldades em conseguir essas informações através do departamento financeiro, onde praticamente todos os números da empresa são gerados. Essa dificuldade se dá pela falta de um padrão gerencial capaz de mostrar os números de forma que facilite sua leitura e gere segurança para tomada de decisões. Na maioria das empresas essas informações existem, mas estão de forma muito dispersas ou mal gerenciadas.

O primeiro passo, lógico, é organizar essas informações, através de um bom plano de contas financeiro, gerando controles diários, semanais e mensais e um bom software de gestão.

Um desses controles mensais é a Auditoria Financeira, que tem como objetivo validar as informações que foram geradas durante o período.

O processo é relativamente simples: o Hotel, quando inicia um novo período ele tem valores a receber compostos pelos cartões de crédito e débito, faturas fechadas à prazo e comandas em aberto ou hóspedes na casa (são os lançamentos que foram efetuados nas contas dos clientes no período anterior e não tinham sido fechadas até o término desse período, ficando em aberto).

Todos esses valores são somados ao faturamento do mês auditado e ao lançamento de adiantamentos de reserva à vista, em banco e cartões de crédito e débito gerando um total.

Subtrai-se desse total os valores recebidos no período atual, gerando assim o Saldo Auditado.

O Saldo Auditado será justificado pelos valores que ficaram a receber e os valores de comandas em aberto, através de relatórios do sistema.

Durante o período em questão acontece diversas situações que aparecem na Auditoria Financeira e que precisam ser justificadas através de notas explicativas, como cancelamentos/estornos/exclusões de adiantamentos de reservas, exclusões e alterações de valores do contas à receber, estornos de comandas em aberto, lançamentos com datas retroativas e diversas outras situações.

Além de justificar essas informações, a Auditoria Financeira garante que os indicadores que estão sendo analisados e os números que ficaram para o mês posterior à receber, são fieis gerando assim um novo ciclo com segurança na informação.

Deverson L. G. Pereira

Diretor de Controladoria

Maturidade Digital: como alavancar negócios na internet

Metodologia inédita explica como implementar de forma mais eficiente a transformação digital e a inovação necessária nas empresas.

Já parou para pensar o quanto o nível de maturidade digital pode impactar o seu negócio? Se você não sabe do que trata este estudo, não se preocupe, assim como você, grande parte dos empresários ainda carecem de entendimentos para melhorar sua presença online. Para esclarecer mais sobre o assunto conversamos com o presidente do Instituto da Transformação Digital – IDT, Paulo Kendzerski.

O Instituto é uma entidade sem fins lucrativos que tem como missão mobilizar, sensibilizar e promover iniciativas que continuam para que os empresários compreendam o quanto a inovação e transformação digital pode impactar e estimular o desenvolvimento dos negócios. Em parceria com entidades associativas de diferentes segmentos da economia, é realizado uma pesquisa envolvendo os associados da entidade, resultando assim, no estudo de mercado de uma determinada região.

O objetivo da pesquisa

A metodologia inédita desenvolvida para medir o nível de maturidade digital das empresas analisa 25 itens e pretende detalhar qual o nível de utilização de ferramentas de administração de mídia on-line, navegabilidade de sites em dispositivos móveis, tempo de resposta às interações, entre outros. No segmento hoteleiro, o ITD firmou uma parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, divulgando durante o maior encontro hoteleiro do sul do país, o Encatho, o resultado do estudo realizado nos meios de hospedagens associados à entidade.

O especialista explica que a transformação digital acontece no dia a dia das pessoas e está acontecendo por causa do consumidor. “O nível de inteligência digital impacta no dia a dia das empresas. Ter o acesso a estas informações vai permitir que o empresário possa evoluir e crescer o faturamento em curto espaço de tempo”, afirma Paulo Kendzerski.

Números que impressionam

Todos os itens analisados – desde a quantidade de ferramentas de inteligência digital até a experiência do consumidor – são ferramentas gratuitas o que permite colocar empresas de todos os portes em nível de igualdade neste setor. Este índice nos hotéis de Santa Catarina chegou a 9,1%, um número bastante baixo em relação ao número de ferramentas e inteligência que se pode e deve ter. “Isso não é um problema hoje, isso será um problema se o empresário não tomar a iniciativa de mudar este percentual. O patamar ideal é acima de 40%”, enfatiza Paulo.

Outro índice que impressionou foi o tempo de respostas. 95% dos que interagiram não respondem em até 4h, mas pior do que isso é que 50% nunca respondeu. “Muitos empreendimentos utilizam ferramentas digitais, mas continuam agindo de forma analógica”, enfatiza Paulo ao citar como exemplo a comunicação por whatsapp, onde a maioria dos hotéis pesquisados utiliza esta ferramenta de comunicação, mas apenas em horário comercial.

Analisando apenas três itens 1) ter no mínimo o analytics para conhecer o público, 2) um site responsivo e com abertura rápida (já que o mundo é móvel) e 3) rapidez na taxa de resposta da comunicação on-line, a pergunta que fica é: “Deu pra entender que não precisa ser uma grande empresa para investir nessas ferramentas? O que falta é o entendimento da importância, pois em sua maioria, as ferramentas são gratuitas ou requerem apenas ajustes”, reforça o especialista.

Inteligência de mercado para o desenvolvimento hoteleiro

O setor hoteleiro catarinense tem muito a melhorar na performance digital dos seus empreendimentos. O índice assusta, mas mostra a realidade de um setor que preocupou-se com a arte do bem receber e esqueceu que o mundo mudou.

Para o diretor-presidente da ABIH-SC, Osmar José Vailatti, o estudo é fundamental para que o empresário conheça melhor o cenário em que sua empresa está inserida e possa agir o mais rápido possível. “Em tempos onde as agências onlines – OTA’s atendem 24h, comunicam de forma personalizada, fazem o mapeamento dos acessos no site, a hotelaria também deve se modernizar e descobrir que pode ampliar o seu potencial apenas corrigindo erros. No mundo conectado, não podemos admitir 12% dos nossos associados com pontuação “zero” e nenhum acima dos 40 pontos. O futuro já bateu na nossa porta, é preciso parar de reclamar e começar a agir”, afirma Vailatti.

Balneário Camboriú terá primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo

Projeto é construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil.

O Brasil terá seu primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas. Na quarta-feira, o Ministério da Infraestrutura assinou o contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs) que permite a construção do porto de Balneário Camboriú pela empresa PDBS. No início de setembro, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, se reuniu com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, para articular e ressaltar a importância do investimento em um terminal exclusivo de passageiros, inédito no país.

O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil. A expectativa é de atrair mais empresas do setor de cruzeiros, mais navios para a costa brasileira, e aumentar significativamente o número de turistas e o impacto econômico do setor.

“Para que o turismo seja desenvolvido, precisamos de infraestrutura. O BNDES vai oferecer linhas de crédito para o financiamento de portos para receptivo de turistas. Serão pelo menos 15 portos, sendo o primeiro deles o de Balneário Camboriú. Exatamente para dar condições aos navios de aportarem e conseguirem fazer com que os turistas tenham acesso às cidades na costa brasileira. Isso é fundamental para girar a economia”, destacou o ministro Marcelo Álvaro Antônio.

Segundo dados da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil), o país recebeu sete navios e teve 462,3 mil cruzeiristas na temporada 2018/2019, o que gerou uma movimentação de R$ 2,083 bilhões. Foram oferecidos quase 500 mil leitos no período, número 15% superior ao da temporada passada, e os navios registraram 100% de ocupação. Os turistas tiveram um tempo médio de permanência de 5,5 dias e um gasto médio de R$ 2.929. Em cada cidade de escala, o impacto econômico médio gerado pelos cruzeiristas foi de R$ 581,35.

Em termos de empregos, a temporada 2018/2019 gerou 31,9 mil postos de trabalho na economia brasileira, resultado 15,3% superior ao número alcançado em 2017/2018. Deste total, 2,1 mil foram de tripulantes dos navios e 29,8 mil de empregos diversos. Foi o melhor resultado das últimas quatro temporadas.

EXPECTATIVA DE CRESCIMENTO

Com a construção do primeiro terminal exclusivo de passageiros no porto de Balneário Camboriú, a estimativa é de que o impacto seja enorme no turismo marítimo brasileiro. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019.

Fonte: Ministério do Turismo

ABIH-SC presente nas reuniões do FORTUR e CODECEN

Na última terça-feira a ABIH-SC esteve presente em vários momentos de reuniões envolvendo ações para o turismo. No SEBRAE-SC da Rodovia 401, em reunião do FORTUR ( Forum de turismo da Grande Florianópolis) pudemos acompanhar os assuntos que impactam no turismo e conhecer a Operação Verão apresentada pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria Municipal de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, e seus representantes:  Juliano Richter Pires ,Secretário Municipal de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico e  Vinicius de Lucca Filho, Superintendente de Turismo, que explanaram os avanços e os critérios desde o edital de licitação para ambulantes, até o esquema de limpeza, iluminação, segurança e tudo mais que envolve a qualidade do verão para moradores e turistas.

No final do dia, em reunião do CODECEN, Conselho de Desenvolvimento do Centro da cidade, a ABIH-SC foi aprovada para compor e contribuir com as ações em prol do desenvolvimento da região. Na oportunidade, tivemos a chance de conhecer a programação da Fundação Franklin Cascaes, que tem relação direta com o que podemos apresentar para hóspedes como lazer e entretenimento, sendo em sua maioria gratuitas para que possam aproveitar ao máximo o que a cidade tem de história, cultura, diversão e tradição.O objetivo da participação nos Conselhos de Desenvolvimento é além de contribuir , poder também conhecer o entorno  onde os meios de hospedagens estão inseridos, fomentar as possibilidades e criar oportunidades.

Sócio Colaborador – Sustentare Soluções Tecnológicas

A Sustentare Soluções Tecnológicas é uma empresa de Florianópolis, atua no setor de energias renováveis, fornecem aos clientes soluções em eficiência energética e soluções em geração de energia para reduzir os custos operacionais.

A empresa acredita no desenvolvimento sustentável baseado no uso racional e eficiente de recursos energéticos e hídricos, desenvolvem ações tecnológicas que possibilitam o uso eficiente de água e energia, corroborando com o desenvolvimento sustentável.

Entre em contato e saiba mais a respeito!!

Alexandre Vieira

Gestor de Negócios

48 99973-1816

alexandre@sustentaretecnologia.com.br

www.sustentaretecnologia.com.br

Turismo interno: catarinenses foram maioria no inverno 2019 na Serra

A estação mais fria do ano termina na próxima segunda-feira (23), mas já possível fazer um balanço desta temporada. A pesquisa Inverno na Serra de SC, realizada pela Fecomércio SC, aponta que o turismo doméstico está se consolidando como motor da economia regional: sete a cada dez visitantes que circularam na Serra em 2019 são do próprio estado. Em 2017, a fatia era de 62,5%.

Leia a pesquisa na íntegra

Embora o maior público seja formado por família (45,5%) e casal (21,8%), dois grupos cresceram neste ano: amigos, que passaram de 15,4% para 18,2%, e aqueles que viajam sozinhos, que saltaram de 6,6% para 11,2%.

Hotéis, pousadas e hostel (46,3%) foram as principais formas de hospedagem, mas chama atenção o aumento na parcela de turistas que optaram pela locação de imóveis (6,8%). Um percentual significativo (19,2%) também desfrutou do destino turístico, mas não pernoitou na região.

Clima, belezas naturais, hospitalidade e boa gastronomia atraíram os turistas para várias cidades da Serra. Conforme a pesquisa, os pontos turísticos mais citados estão em Urubici (32,6%), com destaque para o Parque Cascata do Avencal, o Morro da Igreja e a Serra do Corvo Branco, Lages (21,5%) e Urupema (15,4%).

A percepção dos empresários e gestores sobre o movimento nos seus estabelecimentos foi menos otimista neste ano: 35,9% consideraram “bom”, contra 48% em 2018. A parcela que avaliou como “irrelevante” foi de 32,6%, diante dos 25,6% no ano passado.

“Apesar da variação negativa no faturamento (-0,8%) na comparação com a temporada de inverno do ano passado, a série histórica indica uma recuperação. Em 2018 (-5,7%) e 2017 (-3,3%) a retração havia sido ainda maior, reflexo da queda na confiança dos consumidores. Já em relação aos meses comuns do ano, o resultado no faturamento foi positivo em 2019, com alta de 10,9%, o que mostra o potencial a ser desenvolvido na região”, comenta o superintendente da Fecomércio SC, Renato Barcellos.

A pesquisa foi realizada nos meses de julho e agosto de 2019, com 473 visitantes e 301 empresários/gestores dos estabelecimentos comerciais, nas cidades de Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Correia Pinto, Lages, Painel, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

Fonte: Fecomercio sc

Um olhar otimista para o turismo

A pesquisa de sondagem empresarial realizada pelo Ministério do Turismo, realizada em julho deste ano com empresas do setor de hospedagem no Brasil, referente à percepção dos empresários quanto ao desempenho e à perspectiva de seus estabelecimentos e de seus destinos mostrou número que nos fazem refletir.
No fechamento do 1º semestre houve queda de 29,4% no número de empregados, mas mesmo assim, ainda somos a indústria líder na geração de novos postos de trabalho no mundo. Se olharmos para Santa Catarina, em números gerais, somos o Estado que mais contratou em 2019, no ranking nacional, conforme divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS).
A pesquisa do Ministério do Turismo também mostrou que o somatório entre os empresários que se mantiveram estável ou aumentaram o volume da demanda de serviços ofertados alcançou 67%. Número bem superior aos 33% que informaram queda.
Talvez o número que mais impacte seja o do faturamento, onde 39,6% das empresas indicaram queda. No entanto, se compararmos ao número de empresas que informaram aumentar o seu faturamento (29,3%), ainda assim mostramos que o primeiro semestre não foi tão ruim para o mercado hoteleiro em geral.
O que nos motiva são as projeções para os próximos 6 meses. 79% dos empresários pretende se manter ou aumentar o número de empregados. A oferta de serviços que já vinha com bom desempenho cresce ainda mais, já que 39,8% das empresas estima aumento da demanda de serviços ofertados e 39,2% pretende se manter estável.
Se no primeiro semestre o que preocupou foram os 39,6% das empresas que indicaram queda no faturamento, para o segundo semestre 42,8% dos empresários indicaram perspectivas de aumento na receita.
O ano de 2018 não foi dos melhores, mas também não foi o pior. O poder aquisitivo caiu, a taxa de desemprego alcançou percentuais enormes e foi preciso fazer malabarismo para manter a rentabilidade dos empreendimentos. Mas como bons brasileiros, sempre temos uma visão otimista e, certamente, 2019 será um ano melhor que o anterior, assim como temos a expectativa de ter um 2020 com uma taxa de ocupação em crescimento.
O pensamento positivo e a expectativa de todo empresário são de um amanhã sempre melhor. Isso percebemos no Encatho & Exprotel. O empresário visitou o evento para conhecer novas tecnologias e investir em produtos/serviços tanto para modernizar, quanto para proporcionar mais qualidade e eficiência. O hoteleiro está consciente que para ter sucesso é preciso melhorar sua infraestrutura, sua presença no meio digital e a experiência vivida pelo hóspede. Rumo à dias melhores no turismo e hotelaria!
Osmar José Vailatti
Diretor-presidente ABIH-SC