Favoritos das crianças, resorts e parques temáticos faturam mais no feriado

 

Expectativa de ocupação nos resorts para o feriadão de 12 de outubro está entre 85% a 90% e o faturamento esperado é cerca de 5% acima do ano passado.

De tão completos, parques temáticos e resorts são considerados os principais atrativos de muitos destinos brasileiros. Não por acaso, alguns deles funcionam integrados em grandes complexos turísticos de hospedagem e entretenimento, o que os credencia como os favoritos das famílias para as viagens do feriado do Dia da Criança.

É o caso da brasiliense Luciana Boson, que embarcou no último domingo (7) com o marido Reinaldo e o filho Arthur, de 5 anos, para uma semana de folga no Beach Park. A proposta do passeio é realizar um pedido do pequeno: visitar, pela segunda vez, o parque aquático da costa cearense. “O espaço do parque destinado à família é muito bom. Então já que ele gostou e eu e meu marido também aprovamos a hospedagem integrada ao parque, vamos ficar uma semana com o Arthur e nos divertir também”, conta.

Para criar diferenciais de programação, os resorts investem em atrações para o público infantil e faturam alto com a estadia de famílias, o que gera um pico de ocupação entre 85% e 95% nesta época, marcando o início da alta temporada do segmento.

De acordo com dados da associação Resorts Brasil (ABR), 48 equipamentos com pacote “all inclusive”– que pode combinar hospedagem com lazer e pensão completa – devem faturar 5% a mais neste 12 de outubro, em comparação com o mesmo período do ano passado. O faturamento médio anual do segmento gira em torno dos R$ 2 bilhões, segundo o presidente da ABR, Alberto Cestrone.

Os resorts são grandes “fábricas” de empregos no Brasil, de acordo com avaliação do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. “A diversidade desses atrativos complementa a oferta de natureza do país na medida em que leva infraestrutura e gera e mantém postos de trabalho atendidos pela população local. Além disso, representam uma importante vantagem competitiva do turismo interno, considerando que o perfil dos hóspedes nos resorts brasileiros é 91% nacional e apenas 9% internacional”, analisa o ministro.

INFRAESTRUTURA INTEGRADA – Alguns resorts estão totalmente integrados com parques temáticos brasileiros. É o caso do Beach Park, em Aquiraz (CE), destino de sol e mar para toda a família; e do Hot Park, em Rio Quente (GO), onde o destaque são as águas termais naturais de 18 nascentes que ficam dentro do complexo hoteleiro.

Já o Beto Carrero World, em Penha (SC), maior parque temático da América Latina com cerca de 2 milhões de visitantes ao ano, pode se tornar o principal atrativo do primeiro distrito turístico do Brasil. A ideia é que um amplo projeto de melhorias de infraestrutura urbana e entorno do parque comece a sair do papel assim que a proposta de R$ 30 milhões apresentada ao Prodetur+Turismo, do MTur, seja aprovada.

Outra opção com alta demanda no feriado do Dia da Criança é o resort flutuante Grand Amazon. Nesse período, a baixa do rio Amazonas transforma a navegação em uma grande experiência familiar: da pesca esportiva à gastronomia legitimamente amazônica, o passeio tem tudo incluído em uma das embarcações mais luxuosas do país. Uma das muitas peculiaridades do cruzeiro fluvial é o encontro das águas dos rios Solimões e Negro, fenômeno natural apreciado de perto pelos turistas a bordo.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Prefeitura de Florianópolis lança Operação Verão e promete reforço na infraestrutura e segurança

Praias terão mais guarda-vidas, chuveiros e banheiros químicos, disse a administração municipal.

A prefeitura de Florianópolis apresentou na manhã desta terça-feira (9) os detalhes da Operação Verão para a próxima temporada. A proposta é de reforços na segurança, na infraestrutura das praias e acessos a elas, nas creches, na saúde e na manutenção da limpeza. Conforme a administração municipal, são mais de 8 mil pessoas envolvidas.

A Operação Verão vai começar em 15 de dezembro. “Vamos trabalhar a melhoria nas rodovias de acesso às praias, buscando a revitalização através da melhoria da pavimentação asfáltica, roçagem , pintura de meio-fio, uma nova sinalização horizontal e vertical, melhoria na iluminação em alguns pontos”, disse o prefeito Gean Loureiro (MDB).

Veja os números anunciados pela prefeitura:

  • 710 policiais militares, sendo 590 do efetivo local e mais 120 de outras cidades;
  • 370 guarda-vidas civis;
  • 119 funcionários temporários da Comcap (Companhia de Melhoramentos da Capital) para manter a limpeza da cidade;
  • 60 fiscais temporários vão monitorar os trabalhos dos vendedores ambulantes;
  • 780 vagas em oito creches para o período de janeiro;
  • 70 quiosques para venda de produtos nas praias;
  • 40 chuveiros na praia que poderão ser usados de graça;
  • 224 banheiros químicos;
  • 9 praias acessíveis com esteiras na areia e cadeiras anfíbias para ajudar os banhistas que têm algum tipo de deficiência física;
  • 69 garis, 40 auxiliares operacionais e dez motoristas temporariamente para o verão para reforçar a estrutura e manter a cidade limpa e organizada;
  • Contratação temporária de dez médicos de família, dois enfermeiros e 25 técnicos de enfermagem para recompor equipes de família e unidades de saúde dos balneários;
  • Contratação de dois cirurgiões e cinco médicos pediatras para ajudar no atendimento das UPAs.

Em relação ao transporte coletivo, a administração municipal disse que haverá renovação da frota e mudanças nos horários e itinerários das linhas de ônibus para adequar o sistema aos locais com maior demanda durante a temporada. Se comprometeu ainda a ampliar o wi-fi nos abrigos de ônibus e atualização do aplicativo Floripa no Ponto para deficientes visuais.

Informativo ABIH-SC 04 de outubro

 

No Informativo ABIH-SC de 04 de outubro você vai ler:

ABIH-SC comemora Dia do Hoteleiro;-“Oktoberfest é modelo de recuperação econômica pelo Turismo”, diz ministro;-Outubro: roteiros de fé em destaque;-Cooperação em Turismo aproxima Brasil e Eslováquia ;-Preços baixam para atrair argentinos durante a temporada de verão;-Mais de 2 milhões de pessoas são esperadas para festas de outubro em SC;-Japão conhece a força do turismo brasileiro;-Associados ABIH-SC.

 

Veja também: Mais de 2 milhões de pessoas são esperadas para festas de outubro em SC

Japão conhece a força do turismo brasileiro

Embratur marca presença como cooperada na feira JATA no estande do Rio Convention & Visitors Bureau

O apoio institucional da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) foi fundamental para a participação e a exposição do Rio de Janeiro durante a JATA Tourism EXPO Japan. O evento aconteceu entre os dias 21 e 23 de setembro, na capital do país, Tóquio. O Rio Convention & Visitors Bureau, como membro associado da JATA (Japan Association of Travel Agents), convidou o Instituto para das ações promocionais no continente asiático.

Nos dois dias subsequentes ao evento, foram promovidos roadshows sobre a capital carioca e os seus atrativos turísticos em duas das mais importantes cidades japonesas: Nagoya e Osaka. A Embratur, por meio do Escritório Brasileiro de Turismo, marcou presença para apresentar seu trabalho de promoção, que tem o objetivo de atrair mais turistas para o Brasil. Cerca de 50 agentes de viagens, operadores de turismo e profissionais do segmento MICE (Meetings, Incentives, Conferences and Exhibitions, em tradução livre: Reuniões, Incentivos, Conferências e Exposições) se reuniram em cada cidade, com o intuito de aprofundar seus conhecimentos e criar oportunidades de novos negócios.

“O Rio de Janeiro é um destino fundamental para o Ecoturismo e o Turismo de Aventura, os principais motivos de visita dos japoneses ao Brasil. Por isso, a importância de participarmos, junto ao Rio CVB, da feira e das rodadas de negócios, pois, com isso devemos atrair mais japoneses para o País. Além disso, queremos estimular e posicionar o Brasil e seus múltiplos atrativos na hora da escolha desses visitantes”, destacou a presidente da Embratur, Teté Bezerra.

O país asiático é considerando um mercado promissor, uma vez que, somente em 2017, destinou mais de 60 mil turistas ao Brasil. De acordo com o Panorama de Comercialização da Embratur, material que apresenta a percepção do trade turístico internacional em relação ao receptivo brasileiro, no Japão, há poucos dias de férias, por isso, eles consideram que as viagens de longa distância ficam mais difíceis.  Além disso, em janeiro deste ano, os turistas japoneses passaram a poder emitir os vistos de entrada no Brasil de maneira eletrônica. No terceiro trimestre de 2018, o crescimento nas solicitações de vistos deste país cresceu 12%, em relação ao mesmo período do ano passado.

“Nosso desafio é atrair mais japoneses para o Rio de Janeiro e, além disso, estimular uma maior permanência dos que já visitam a cidade. Sabemos que é um mercado bastante peculiar. Os japoneses têm, em média, 10 dias de férias por ano, o que reforça a necessidade de posicionar o Rio e o Brasil como ´top of mind´ desse público”, explicou a assistente de MICE do Rio CVB, Patricia Masche, presente na feira.

 

Fonte: Embratur 

Mais de 2 milhões de pessoas são esperadas para festas de outubro em SC

 

 

Outubro é o mês da música tradicional, da gastronomia típica e do chope, ingredientes que, além de catarinenses, atraem milhares de turistas ao Estado. Neste ano, a expectativa é de movimento até 10% acima do registrado no mesmo período de 2017.

De acordo com entidades do setor, o feriadão no dia 12 contribui para o incremento de pessoas e a estimativa é superar os 2 milhões de visitantes em SC – que é a média registrada em anos anteriores, diz o presidente da Santur, Valdir Rubens Walendowsky:

– As maiores festas estão muito bem preparadas e então a expectativa é muito boa. Para nós, é super importante esse lado tradicional das festas focadas nas etnias de SC, o que faz com que cresçam a cada ano. Devemos ter, no mínimo, o que tivemos no ano passado, mas a tendência é de melhora. Os organizadores das maiores festas estão falando em aumento (de público). Historicamente quando as festas caem no feriadão realmente dá um resultado bastante significativo – afirma Walendowsky.

calendário das festas começou no sábado (29), com a Oktoberfest mais antiga do Estado, em Itapiranga, no Oeste catarinense, que chega à 40ª edição. Em seguida, é a vez da maior festa alemã das Américas, a Oktoberfest de Blumenau, onde a estimativa é atrair pelo menos o mesmo número de foliões de 2017, que foi de aproximadamente 570 mil.

A rede hoteleira da região já registra ocupação máxima para boa parte dos dias da festa, e outras cidades da região, como Timbó e Indaial, também projetam receber bom número de hóspedes.

Por mais que as festas estejam concentradas no Vale do Itajaí e Litoral Norte, é comum que os visitantes estiquem o passeio e percorram outras regiões do Estado, como a Grande Florianópolis e a Serra, afirma o presidente da Associação Brasileira de Agência de Viagens de Santa Catarina (Abav SC), Eduardo Loch.

Ele diz que a meta agora deve ser criar novos produtos para preencher o calendário e atrair turistas durante todo o ano para o Estado. Loch acrescenta que, além de jovens, em outubro tem aumentado o turismo de famílias para destinos catarinenses, o que gera ainda mais fluxo e maior gasto per capita do turista.

O diretor-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de SC (ABIH-SC), Osmar José Vailatti, confirma a expectativa de crescimento entre 5% e 10% no fluxo no período, que também pode ser influenciado pela alta do dólar.

—Brasileiros viajaram menos ao exterior em agosto, então a gente imagina que os recursos serão canalizados para destinos do Brasil e SC sai na frente. Esperamos atingir 55% a 60% de ocupação na rede hoteleira do Estado em outubro, evidentemente que cidades como Blumenau, Joinville, Balneário Camboriú e Itajaí podem alcançar taxas ainda maiores.

Aeroportos têm voos extras

Os aeroportos retratam a expectativa positiva do setor. No período da Oktoberfest de Blumenau, que começa na próxima quarta-feira, o aeroporto de Navegantes contará com 58 voos extras, o que deverá incrementar o movimento em cerca de 7 mil passageiros. Os voos extras estarão distribuídos por outubro, mas com destaque para os dias 6, 11 e 20 do mês.

Já o aeroporto de Florianópolis irá receber 40 voos extras no mês, provenientes de São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro, entre os dias 5 e 21, segundo dados divulgados na semana passada pela concessionária do terminal. Com isso, a estimativa é que desembarquem 3 mil passageiros a mais na Capital.

— Como agentes de viagem, já sentimos uma pequena melhora do movimento. Eu acredito que pelos números que ouvimos vai ter incremento na ordem de 6% a 10% em relação ao ano passado. As festas também estão se remodelando, se reformando e estão cada vez mais interessantes para que turistas venham – explica o presidente do Sindicato das Empresas Turismo do Estado de Santa Catarina (Sindetur SC), Kid Stadler

No ano passado, além da Oktoberfest de Blumenau que atraiu cerca de 570 mil pessoas, a Marejada, em Itajaí foi a segunda festa mais movimentada de outubro e recebeu 220 mil visitantes. Depois veio a Fenarreco, em Brusque, com 120 mil pessoas.

 

Fonte: NSC DC 

Preços baixam para atrair argentinos durante a temporada de verão

 

No sábado (22) começa a primavera e vão faltar 90 dias para o começo do verão. A preparação para a próxima temporada já começou em Santa Catarina. Porém, este ano a preocupação maior se relaciona com a presença dos turistas argentinos que, anualmente, lotam as praias do Norte da Ilha em Florianópolis. Com uma crise interna grave e o preço do dólar frente ao peso dobrando em relação ao último verão, o sinal vermelho acendeu para empresários que possuem negócios ou empreendimentos que sobrevivem da movimentação turística. Em uma imobiliária consultada pelo Conexão, o pedido de reservas da Argentina caiu 50% em relação a 2017. Até os hotéis estão baixando as tarifas para conseguir atrair esse público que vai gastar menos na temporada.

Para vir de férias, os 330 mil argentinos que estiveram na Capital na última temporada, trocam o peso pelo dólar. Chegando ao Brasil, eles fazem a conversão novamente e acabam ganhando mais dinheiro na troca. Só que na última temporada, o valor de U$$ 1 dólar era $ 20 pesos. Hoje, o valor dobrou com possibilidade de aumentar para $ 60 pesos até o fim do ano, segundo preveem economistas. No país vizinho, a moeda se desvalorizou e a inflação disparou.

Em uma imobiliária dos Ingleses, os hermanos diminuíram o número de reservas para o verão em 50%, se comparado o mesmo período do ano passado. Para tentar driblar a crise argentina, a SC Imóveis está diminuindo ou congelando preços para aluguéis de temporada. Segundo José Carlos de Oliveira, proprietário, para o período pós-réveillon os valores de apartamentos com ar-condicionado, TV e internet estão sendo segurados.

“Um apartamento de um dormitório, não pode passar de R$ 200 reais por dia. Dois dormitórios R$ 300 e três R$ 400. Isso, no período intermediário da temporada, depois do ano novo e antes do Carnaval. Nos períodos de maior movimento, estamos colocando aqui para a virada, por exemplo, valores que chegam a R$ 300 reais para um imóvel de um quarto, R$ 400 de dois dormitórios e R$ 500 por dia se for de três quartos. Precisa haver uma conscientização de que se não baixarmos preços em vários setores neste verão, os turistas argentinos não vão vir para nossas praias e ninguém ganha nada”, comentou.

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina (ABIH/SC) também confirmou a diminuição no valor das diárias de hotéis. Osmar Vailatti, presidente da entidade, explicou que não só a redução de valores, mas o prazo para pagamento também está mudando. “A consciência do hoteleiro é real que vivemos um momento difícil. Temos que atuar com promoções, tarifas e preços menores, prazos mais dilatados de pagamento para mantermos o nosso faturamento. Isso é certeza, tarifas menores. Quando faltam turistas, você faz isso. Não só em Santa Catarina, mas diárias em todo o país estão menores para não perder venda. É uma política nova que os hoteleiros estão tendo para não deixar quartos vazios”, explicou. A associação ainda não calcula perdas, pois espera a Feira Internacional do Turismo (FIT) marcada para Buenos Aires no mês de outubro.

Uma reportagem do jornal argentino Clarín, publicada na semana passada, adjetivou como “caro” um voo de ida e volta para um casal que vem férias para Florianópolis. A pesquisa realizada pela publicação colocou o trecho a $ 20 mil pesos, enquanto no último verão o valor era a metade. Uma casal e dois filhos sai por $ 85 mil pesos, cerca de R$ 8,5 mil. No Facebook, agências argentinas comercializam pacotes de sete dias em Canasvieiras com voo, hotel (7 noites), traslado e meia pensão negociado a $ 65 mil pesos por pessoa, cerca de R$ 6,5 mil reais. Existem pacotes mais baratos. Outra agência negocia em valores que chegam a $ 22 mil pesos, o que dá R$ 2,2 mil reais no câmbio do dia 19/09. Uma empresa de Buenos Aires montou pacotes de ônibus e hospedagem em Canasvieiras por 7 noites por $ 19 mil pesos, cerca de R$ 1,9 mil por pessoa. Uma agência consultada pelo Conexão confirmou que está sofrendo muitas consultas, mas não tem fechado pacotes para Florianópolis.

Para Vinicius de Lucca, superintendente de turismo de Florianópolis, ‘provavelmente’ teremos menos turistas argentinos nesta temporada, sendo que no ano passado 330 mil visitaram a cidade. Segundo ele, ações já estão sendo desenvolvidas. “Estamos trabalhando para que eles não venham no período de alto movimento. Estamos buscando a negociação com as empresas que fretam voos para que eles venham para cá fora do período de altíssima temporada (Ano Novo e Carnaval). As tarifas estão mais altas no ano novo em Florianópolis. Queremos colocar para a segunda semana de janeiro. Estamos tentando colocar também para março voos charter, quando as tarifas estão mais baixas”, comentou. Ele ainda não especula quanto deve ser a redução no número de argentinos na cidade.

Quem lida com o turista

Foto: Divulgação

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/SC) confirmou que a temporada será ditada pelo câmbio. Eles acreditam na redução no número de argentinos. Segundo Raphael Dabdab, presidente da associação, o setor trabalha com a redução no número de turistas e que os preços serão pautados pela concorrência. “Florianópolis tem um restaurante por mil habitantes. (…) Não teríamos artifícios para regularizar os preços. Vimos na última temporada turistas frequentando mais supermercados e atacados, do que restaurantes. Entendemos que existem abusos de preços, mas são pontuais. Não é a grande maioria. Hoje o empresário luta para sobreviver. No verão, o empresário tira as promoções e não aumenta os preços. Porém, camarão e filé mignon triplicam de preço (no fornecedor) no verão”, comentou. Ele disse ainda que não faz sentido o dono do restaurante aumentar o preço e não ganhar na quantidade, quando não há muito movimento. “O maior inibidor de abusos é a concorrência”.

Eduardo Loch, presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (ABAV/SC), acredita que quem ia para outros destinos mais distantes daqui, deve vir para Florianópolis. Ele não aposta em diminuição de preços ou congelamento de tarifas. “Queremos um turismo que seja profissional. (…) Nós precisamos qualificar o turista. Precisamos de uma cidade que seja boa para o turista”, afirmou. Ele defende que o turista que venha tenha condições financeiras de gastar na cidade, além de comentar que haverá um incremento de turistas vindos do Chile diretamente para a Capital.

Fonte: Jornal Conexão

Brasil homenageia secretário de Turismo da Argentina

 

 

Após recorde na entrada de turistas argentinos no Brasil, governo brasileiro entrega medalha de reconhecimento a Gustavo Santos.

Brasil e Argentina são os principais destinos da América do Sul e os principais emissores de turistas entre si. Em 2017, o Brasil registrou recorde na entrada de viajantes do país vizinho. Um total de 2,62 milhões de argentinos escolheram o Brasil como destino, crescimento de 14,4% em relação a 2016, e injetaram US$ 1,61 bilhão na economia do país. Só no primeiro semestre deste ano, 1,7 milhão de argentinos visitaram o Brasil e deixaram US$ 1 bilhão na economia nacional.

Os números positivos são resultado do trabalho realizado pelo secretário de Governo de Turismo da Argentina, Gustavo Santos. Em agradecimento e reconhecimento pelo esforço de Santos para maximizar a integração entre os dois países, o governo brasileiro concedeu a ele a comenda Cruzeiro do Sul, maior homenagem do país a personalidades estrangeiras.

A medalha foi entregue pelo ministro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummertz, e pelo embaixador do Brasil na Argentina, Sérgio Danese, nesta segunda-feira (01) em Buenos Aires. “Fico realmente muito emocionado e vou honrar essa homenagem com muito trabalho para fortalecer o turismo na nossa região”, prometeu Gustavo Santos. Ele apontou o turismo como uma das alternativas para os países do Mercosul gerarem emprego e renda. De acordo com o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês), o setor de viagens foi responsável pela geração de um em cada cinco empregos no mundo na última década.

O ministro Vinicius Lummertz também destacou que a atuação conjunta de Brasil e Argentina é fundamental para atrair turistas de mercados mais distantes, como a China. Para o embaixador Danese, a medalha ajuda a reconhecer todo o esforço do secretário argentino em integrar os países do Mercosul. “Estamos falando de uma atividade que usa mão-de-obra intensiva e ajuda a movimentar a economia”, afirmou.

A ocasião contou com a presença de representantes do turismo dos dois países. Para o fundador da CVC, Guilherme Paulus, Brasil e Argentina têm ofertas turísticas complementares e trabalhar de forma integrada potencializa as oportunidades para os dois países. “Faz todo o sentido promover conjuntamente os nossos atrativos para os viajantes de destinos mais distantes”, afirmou Paulus.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Outubro: roteiros de fé em destaque

 

Das 185 atrações e festividades inscritas no Calendário Nacional de Eventos do Ministério do Turismo, 49 estão relacionadas ao turismo religioso em outubro.

Em outubro, a força dos destinos brasileiros da fé está voltada para as grandes celebrações, ponto alto da programação religiosa do país. Do total de 185 atrações e festividades inscritas, para o mês, no Calendário Nacional de Eventos do Ministério do Turismo, 49 estão relacionadas a romarias, círios, procissões, peregrinações e missas.

No Brasil, o turismo religioso movimenta cerca de 20 milhões de viagens por ano e é responsável por injetar R$ 15 bilhões nas economias anfitriãs, aquecendo atividades do comércio e serviços com a geração de emprego e renda.

De acordo com Cristiano Borges, coordenador-geral de Produtos Turísticos do MTur, o fato de um a cada quatro eventos do Calendário estar focado neste segmento ao longo do mês revela a importância das comemorações da fé para o turismo doméstico.

“Enquanto os viajantes podem conhecer melhor a oferta de eventos em épocas e regiões específicas, os destinos têm o calendário como uma vitrine de divulgação direta para um público segmentado. Assim, a ferramenta digital oferece apoio ao turista que planeja uma viagem pelo Brasil e aos destinos, por estimular o incremento do fluxo turístico em todas as regiões”, explica Borges.

AGENDA – Entre os grandes momentos de religiosidade no país, estão as festas de São Francisco de Assis, cujo centro de romarias é Canindé (CE), localizada a 110 km de Fortaleza. A cidade tem a segunda maior romaria Franciscana do mundo, com um milhão de fiéis por ano. Eles percorrem até esta quinta-feira (4), Dia de São Francisco, mais de cento e vinte quilômetros debaixo do forte sol até chegar ao maior santuário franciscano das Américas.

Além do complexo do santuário, formado pela basílica e pela praça dos romeiros, o turista poderá conhecer a estátua de São Francisco com 30 metros de altura e sua vista panorâmica, o museu de São Francisco e o zoológico dedicado ao santo protetor dos animais.

O feriadão de 12 de outubro coincide também com o Círio de Nazaré, em Belém (PA), realizado sempre no segundo domingo de outubro, quando a cidade chega a reunir mais de dois milhões de fiéis. A celebração religiosa dura duas semanas e está para os paraenses assim como o Natal para o restante do Brasil. De tão significativa e simbólica, a festa da padroeira da Amazônia foi reconhecida pela Unesco como patrimônio imaterial da humanidade.

No Sudeste, Aparecida do Norte (SP) é amplamente conhecida pelo Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, segundo maior do mundo, atrás apenas da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A Basílica de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, é considerada também o maior santuário mariano do mundo. Maior espaço religioso do país, com 143 mil m² de área construída, recebe mais de 12 milhões de romeiros por ano, entre turistas e excursionistas.

A passagem do turista pelo santuário inclui visita ao Nicho de Nossa Senhora Aparecida, uma capela com 37 metros de altura onde está a imagem encontrada por pescadores no rio Paraíba do Sul (SP) em 1717; e também à Sala das Promessas, ao Memorial da Devoção, ao Museu, ao campanário com 13 sinos e ao mirante no 18º andar, de onde se tem uma visão privilegiada do rio e da Passarela da Fé. Outro atrativo é o passeio nos bondinhos aéreos, com extensão de 1.170 metros, até o Morro do Cruzeiro.

03.10.2018 basilicadenazare belem BrunaBrandao
Basílica de Nazaré, em Belém (PA). Foto: Bruna Brandão/Banco de Imagens do MTur

 

Fonte: Ministério do Turismo

Cooperação em Turismo aproxima Brasil e Eslováquia

 

Países firmam acordo para promover intercâmbio de visitantes e ações em parceria para o desenvolvimento do setor.

Um memorando de entendimento assinado nesta quarta-feira (03) em Brasília entre o Ministério do Turismo brasileiro e o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Europeus da República Eslovaca define bases para a cooperação dos países em ações voltadas para o desenvolvimento do Turismo nos próximos cinco anos. Sugerido pelo governo eslovaco, o acordo considera a importância do ramo à economia e prevê esforços no sentido de estimular o intercâmbio de viajantes, impulsionando o desenvolvimento sustentável do setor nas duas nações.

O secretário-executivo do MTur, Alberto Alves, que participa das negociações junto à Embaixada da Eslováquia desde fevereiro de 2017, prevê avanços a partir da aproximação bilateral. “Este memorando segue a estratégia do governo brasileiro de ampliar a inclusão do Brasil no cenário internacional, e o nosso objetivo é fazer do turismo um agente de aproximação. Vamos inaugurar uma nova fase na relação com a Eslováquia, proporcionando o aproveitamento de todo o potencial turístico dos países e o crescimento econômico”, observou Alves.

O texto prevê a facilitação de formalidades e procedimentos alfandegários, em conformidade com leis, regulamentos e acordos internacionais dos quais os países sejam signatários, com o objetivo de intensificar o fluxo turístico. O documento estabelece, ainda, diretrizes para ampliar a troca de conhecimentos sobre a cultura, o modo de vida e a história de cada povo.

O secretário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Lukáš Parízek, manifestou o otimismo quanto ao estreitamento das relações. “O turismo é essencialmente uma forma de desenvolver economias, gerando recursos e conhecimento aos povos. Muitos eslovacos querem conhecer o Brasil, e desejamos que os brasileiros também queiram. Juntos, podemos oferecer informações aos dois lados”, frisou Parízek.

Brasil e Eslováquia também deverão incentivar investimentos públicos e privados no segmento, de forma a permitir a melhoria da infraestrutura voltada à recepção de viajantes, além de cooperar por meio de treinamentos, intercâmbio de especialistas e outras formas de assistência técnica.

Também participaram da assinatura do memorando Milan Cigán, embaixador extraordinário e plenipotenciário da República Eslovaca no Brasil; o secretário nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do MTur, Bob Santos; o chefe da Assessoria de Relações Internacionais do MTur, Rafael Luisi; a diretora de Marketing e Apoio à Comercialização do MTur, Vanessa Mendonça; e o secretário da Divisão de Operações de Promoção Comercial do Ministério das Relações Exteriores, Jean Paul Coly, entre outras autoridades presentes.

SOBRE A ESLOVÁQUIA – O país da Europa Central faz fronteira com República Checa, Áustria, Polônia, Ucrânia e Hungria. Em 2015, 4,7 milhões de cidadãos eslovacos viajaram pelo mundo, segundo a OMT, que também aponta a escolha da Eslováquia como o destino de 1,7 milhão de viajantes mundiais. As relações diplomáticas com o Brasil tiveram início em 1993, quando da dissolução da Tchecoslováquia. A Embaixada do Brasil em Bratislava, capital eslovaca, foi inaugurada em 2008. Até então, o relacionamento bilateral era promovido pela Embaixada do Brasil em Viena, na Áustria.

03.10.2018 eslovaquia3

 

Fonte: Ministério do Turismo

Ministro participa do momento da sangria do primeiro barril de chopp da 35ª Oktoberfest, ato inaugural da festa.

“Oktoberfest é modelo de recuperação econômica pelo Turismo”, diz ministro

Ministro participa do momento da sangria do primeiro barril de chopp da 35ª Oktoberfest, ato inaugural da festa.

Ministro participa do momento da sangria do primeiro barril de chopp da 35ª Oktoberfest, ato inaugural da festa.

 

Na abertura da segunda maior festa alemã do mundo, ministro Vinicius Lummertz lembrou que Blumenau usou Turismo para vencer tragédia climática na década de 80

A cidade de Blumenau (SC) abriu na noite desta quarta-feira (3) a 35ª edição da Oktorberfest, considerada a segunda maior festa da tradição alemã no mundo, atrás apenas da Oktoberfest de Munique, na Alemanha. O evento vai receber nos próximos dias cerca de 600 mil visitantes, quase o dobro da população local, de 348 mil pessoas. Por causa da chuva, o desfile de abertura pelas ruas centrais de Blumenau, com 3 mil pessoas vestidas a caráter, foi adiado.

Ao discursar na solenidade de abertura, na Vila Germânica, o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, lembrou que a cidade “fez do Turismo uma grande alavanca para vencer a tragédia que foram as enchentes de 1983 e 1984. O evento recuperou a economia local, contribuiu para promover a internacionalização da cidade e também resgatou a autoestima de toda uma região que foi abatida pelas inundações”.

Lummertz afirmou que o município deu uma lição de desenvolvimento e é exemplo ao Brasil. “Vejo um modelo que deu certo, uma prova de que o turismo é fundamental para sair da crise, criando milhares de empregos, gerando renda e arrecadação para que o poder público possa reverter esses recursos em programas de educação, saúde e segurança”, pontuou.

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, afirmou que é um orgulho, para a cidade, ser exemplo de desenvolvimento para outros municípios que enxergam no Turismo uma grande oportunidade econômica. “É uma grande alegria construir para o Brasil essa verdadeira instituição que se tornou a Oktoberfest e que hoje atrai gente de todo o país. É gratificante saber que também viramos um modelo para festas de outubro aqui e em outros estados”, destacou.

A Oktorberfest da cidade prossegue até o dia 21 com atrações que incluem bandas típicas nacionais e vindas da Alemanha, o tradicional chopp em metro, desfiles a caráter, cardápio com mais de 150 itens da gastronomia germânica, cervejarias artesanais, além de programação especial para crianças. “Em torno desse evento foram criados dezenas de outros similares, também no mês de outubro – como a Marejada, em Itajaí, e a Feira Nacional do Marreco, a Fenarreco, em Brusque. Juntos, eles trazem todos os anos a Santa Catarina mais de 1,5 milhão de turistas, impactando de forma indispensável e decisiva a economia do estado”, reforçou o ministro.

INVESTIMENTOS – Blumenau está entre as 29 cidades catarinenses que apresentaram proposta para acessar recursos do programa Prodetur+Turismo, do Ministério do Turismo. A linha de crédito oferece um total de R$ 5 bilhões para investimentos em projetos turísticos dos setores público e privado, dos quais R$ 3 bilhões já foram pleiteados em 69 propostas de todo o Brasil. O projeto da cidade de Blumenau, orçado em R$ 86,7 milhões, prevê uma série de melhorias como a restauração de imóveis históricos, implantação de mobiliário turístico e recuperação urbanística.

 

Fonte: Ministério do Turismo