Informativo ABIH-SC 27 de setembro

No Informativo ABIH-SC de 27 de setembro você vai ler:

ABIH-SC apresentou a criação do Núcleo de Educação Permanente;-Pesquisa da Fecomércio SC traça perfil e impacto do turismo de inverno na Serra de SC;-ABIH-SC realiza curso de Recepção;-É dia de festa no Turismo;-ABIH-SC comemora Dia do Hoteleiro;-ABIH-SC presente na Equipotel em São Paulo;-Eficiência Energética em Edificações (EEE) no setor Hoteleiro;-Associados ABIH-SC.

 

Leia também: A ABIH-SC apresentou a criação do Núcleo de Educação Permanente

 

A ABIH-SC apresentou a criação do Núcleo de Educação Permanente

 

Aconteceu na ABIH-SC uma reunião com algumas entidades de Ensino onde foram discutidos assuntos relacionados a capacitação da mão de obra e da hotelaria em geral.
Estiveram presentes: SENAC, CESUSC, FMP – Faculdade Municipal de Palhoça, UNIVALI Campus Camboriu.
A ABIH-SC apresentou a criação do Núcleo de Educação Permanente, que será composto por entidades da área de educação e empresas, que tenham interesse em fomentar o ensino de qualidade para a área de hotelaria.
Foram debatidos assuntos desde a demanda do mercado, variação salarial e qualificação da mão de obra, além das formatações de estágio e características das funções dentro dos meios de hospedagens que podem abrigar infinitas qualificações profissionais.

O que é:

Núcleo formado por entidades da área de educação e empresas, que tenham interesse em fomentar o ensino de qualidade para a área de hotelaria.

Como funciona:

As entidades interessadas devem enviar um e-mail para a ABIH-SC , informando o interesse e passando um descritivo  da entidade e de cursos e ações que querem divulgar.
As entidades se comprometem a informar mensalmente para que possam ser divulgados dentro da programação.
A ABIH-SC se compromete a divulgar as ações e cursos das entidades e demais contrapartidas previstas no contrato e fortalecer o relacionamento com associados.

Critérios de participação:

As entidades não precisam ter cursos exclusivos na área de turismo e hotelaria.
As empresas fornecedoras que tiverem interesse devem enviar o e-mail solicitando informações de credenciamento.
As entidades de ensino e empresas que tenham interesse em participar devem enviar um e-mail para abih@abih-sc.com.br solicitando informações.

É dia de festa no Turismo!

 

Sob o tema “Turismo e Transformação Digital”, Dia Mundial do Turismo de 2018 marca sucesso do visto eletrônico implantado pelo Ministério do Turismo.

O dia 27 de setembro é de dupla celebração para quem ama ou trabalha no setor de viagens. Foi escolhido pela Organização Mundial do Turismo (OMT) como Dia Mundial do Turismo e também é a data nacional dedicada aos turismólogos, profissionais que atuam no planejamento e execução de ações estratégicas para que as viagens sejam feitas de forma legal, sustentável e segura. Neste ano em que o tema da comemoração é “Turismo e a Transformação Digital”, o Ministério do Turismo aproveita para festejar a marca de 119 mil vistos eletrônicos solicitados por cidadãos do Estados Unidos, Japão, Canadá e Austrália, primeiros países beneficiados com a medida.

O visto eletrônico promove uma verdadeira transformação no turismo brasileiro. O início da facilitação de emissões teve início em novembro de 2017 para a Austrália e em janeiro deste ano para os demais países. Desde então, o Ministério das Relações Exteriores observou um aumento de 39% na solicitação do documento – entre os meses de janeiro e agosto de 2018 – em comparação com o mesmo período do ano anterior. Se convertidas em viagens, as autorizações de visita ao Brasil podem representar US$ 47 milhões a mais na economia nacional.

“O visto eletrônico é um exemplo claro de como tecnologia e inovação impactam positivamente no turismo e ajudam na circulação de pessoas e ideias” , afirma o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Para a OMT, os avanços digitais e de inovação são parte da resposta ao desafio de conciliar crescimento contínuo com maior sustentabilidade e responsabilidade no setor do turismo.

“Esse é um dia de festa para nosso setor e de prestarmos homenagens aos profissionais que tanto fazem pelo turismo nacional, além de também ser um momento de reflexão para o momento da chegada de novas tecnologias que vivemos e que já têm um impacto significativo na atividade, contribuindo de forma vital inclusive para o rumo do futuro”, finalizou.

TURISMÓLOGO – Criada inicialmente com o objetivo de celebrar o Dia do Bacharel em Turismo, a ideia é transformar a data em Dia do Turismólogo por meio do Projeto de Lei 3629/12. A profissão passou a ser reconhecida em 2012 e, segundo a Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR), o Brasil conta com aproximadamente um milhão de profissionais. Sua atuação no mercado se divide entre bacharéis, tecnólogos, licenciados e provisionados.

 

Fonte: Ministério do Turismo

ABIH – SC realiza curso de Recepção

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, realizou nesta quinta-feira (27) o curso de Recepção, ministrado pela Diretora Executiva e Relações Públicas da ABIH-SC, Sra. Lara Perdigão.

Lara é Relações Públicas com registro no Conrerp RS/SC com Pós graduação em Gestão de Pessoas, capacitada em marketing de varejo e marketing escolar, Psicologia da Comunicação, Auditoria Interna em meios de hospedagem e Administração de Pousadas.

O curso teve como objetivo proporcionar ao colaborador participante, noções de comportamento, leis, regras de atendimento e ferramentas para qualificar o trabalho e promover a qualidade profissional, o desenvolvimento e a ocupação no estabelecimento em que trabalha.

Pesquisa da Fecomércio SC traça perfil e impacto do turismo de inverno na Serra de SC

 

A combinação de clima, belezas naturais, hospitalidade e boa gastronomia faz da Serra catarinense um destino turístico bastante procurado no inverno, com muito potencial e oportunidades a serem exploradas pelos empresários e setor público, conforme aponta a pesquisa da Fecomércio SC, divulgada nesta sexta-feira (21), na véspera do fim da estação.

Leia a pesquisa na íntegra

A parcela de visitantes que citou o ecoturismo, turismo de aventura e o turismo gastronômico como motivo para a visita mais do que triplicou: chegou a 24,3% neste ano, diante do resultado tímido em 2017 (7,5%). Só o ecoturismo evoluiu de 3,4% para 10,8%. Embora o inverno seja o carro-chefe (52,1%), os dados sinalizam para a importância da dessazonalização do turismo na Serra, ou seja, não concentrar em apenas uma estação.

descentralização dos destinos também foi diagnosticada na pesquisa. Espontaneamente, os visitantes apontaram 60 pontos turísticos diferentes, 47,5% em Urubici, com destaque para a Cachoeira do Avencal, a Serra do Corvo Branco e a Cascata Véu de Noiva.

“O trade catarinense tem trabalhado estas duas frentes para que o turista e o próprio catarinense, que fomenta o turismo interno, possa desfrutar diferentes destinos no Estado e em todas as estações”, afirma o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt. Segundo ele, apesar da paralisação dos caminhoneiros ter impactado diretamente no caixa dos empresários neste ano, com queda de 5,7% no faturamento, a alta de 10,5% em relação aos demais meses reforça a importância da qualificação do destino.

Inteligência de mercado

A pesquisa foi realizada com 514 visitantes e 273 empresários ou gestores dos estabelecimentos no mês de julho, em 12 cidades da região: Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Correia Pinto, Lages, Painel, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

Desde 2011, a Federação mapeia o perfil do visitante e as percepções dos empresários do setor terciário sobre o impacto nos negócios, gerando insights e informações relevantes para a tomada de decisão. Nos últimos dois anos, a entidade encorpou as pesquisas de turismo com a utilização do protocolo Tourqual, que retrata a avaliação da qualidade dos atrativos turísticos a partir das categorias: Acesso, Ambiente, Elemento Humano, Segurança, Qualidade Técnica e Experiência.

Indicadores analisados

Turistas

  • Perfil socioeconômico
  • Origem do visitante
  • Meio de transporte utilizado
  • Opção de hospedagem
  • Tempo de permanência
  • Gasto médio por setor
  • Motivação da viagem
  • Pontos turísticos mais visitados
  • Avaliação da qualidade de serviço em atrativos turísticos (Tourqual®)

Empresários

  • Índice de contratação de temporários
  • Avaliação do movimento
  • Ticket médio
  • Formas de pagamento
  • Variação do faturamento
  • Taxa de ocupação de leitos

Fonte: Fecomércio 

ABIH-SC presente na Equipotel em São Paulo

 

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina – ABIH-SC, esteve presente na Equipotel representada pelo Diretor-presidente Osmar José Vailatti, a Diretora Executiva e Relações Públicas Lara Perdigão e A Assistente Administrativo Juliana Bossi Castro.

A Equipotel em São Paulo iniciou no dia 18 de setembro e encerra hoje (21), é a maior feira de hospitalidade da américa latina, com 55 edições.

Em 2018 a Equipotel contou com 7 áreas: Cozinhar & Servir, Décor & Conforto, Gestão & Conectividade, Lazer & Entretenimento, Cuidados & Limpeza, Relax & Bem-Estar e Serviços & Facilidades. A divisão faz com que a Equipotel seja a única feira latinoamericana que envolve todos os segmentos do mercado da hospitalidade. Trazendo diversas empresas enquanto expositoras em cada um dos setores, o evento visa atrair um público qualificado, reunindo empreendedores a procura de fornecedores para serviços e produtos, técnicos cujo trabalho tenha foco na hospitalidade e estudantes em busca de mais conhecimentos e contatos para a jornada profissional.

Eficiência Energética em Edificações (EEE) no setor Hoteleiro

 

No momento atual com notícias constantes de reajustes dos valores das contas de energia, é necessário investir em estratégias sustentáveis para economia. Assim é essencial que a rede hoteleira mantenha uma gestão otimizada de custos, analisando quais gastos podem ser diminuídos ou suprimidos sem acarretar em queda na qualidade dos serviços.

Edificações hoteleiras demandam como peculiaridade o fato de funcionarem sucessivamente sem paradas e serem um espaço no qual grande número de atividades ocorrem em suas dependências. O aumento das demandas por viagens e hospedagens eleva cada vez mais a concorrência no setor, gerando necessidades de ampliar as escalas de operação, minimizar custos, concentrando desta forma diversos esforços neste sentido.

Portanto é importante ressaltar que a implementação de medidas sustentáveis de Eficiência Energética em Edificações (EEE) pode afetar significativamente o impacto do consumo de energia neste setor. Estas ações organizadas de forma sistêmica (MR- Modelo de Referência) podem tornar o empreendimento uma respeitável indicação para um público que valoriza e se preocupa cada vez mais com esse tipo de prática.

Esta nova visão pode ser desenvolvida por meio de novas posturas acompanhadas por Modelagens Específicas (ME) e voltadas para este nicho de mercado, complementadas ainda por estratégias de marketing que atrelam a imagem destas iniciativas socioambientais a um diferencial competitivo de mercado.

A cada dia que passa cresce o número de pessoas que utilizam a internet como forma de compra dos meios de hospedagem, estes posteriormente respondem a avaliações feitas sobre suas experiências de estadia. Estas avaliações, sutilmente contemplam também itens de sustentabilidade e possuem por objetivo sensibilizar quanto a importância destas práticas.

Porém, por outro lado, percebe-se também que alguns empreendimentos hoteleiros, não estão preparados ou até mesmo possuem desconhecimento técnico específicos que os tornem capazes de se destacar no mercado por meio destas medidas.

Finalmente é fundamental a conscientização para que esta nova visão perdure, diminuir o impacto ambiental e otimizar a Eficiência Energética em Edificações (EEE). Para isto é necessário que gestores, funcionários e colaboradores sejam preparados e treinados a usar uma modelagem específica buscando “o como” realizar este feito, por meio de técnicas, processos e serviços.

  • JC Berndsen é Consultor Técnico da AYZER Soluções Técnicas (www.ayzer.com.br), Doutor pela UFSC – Engenharia de Sistemas Mecânicos; Mestre em Ciências Térmicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); Pós-Graduado em Engenharia Econômica; Graduado em Engenharia Mecânica. É membro do grupo de pesquisa da UFSC (GEPPS) no qual desenvolve pesquisas na Modelagem de Desenvolvimento de Processos, Produtos e Serviços;

 

CURSO PMOC: Plano de Manutenção Operação e Controle

Objetivo

Capacitar os participantes demonstrando a importância que representa o conhecimento do PMOC – Plano de Manutenção Operação e Controle com o respectivo gerenciamento adequado.

Benefícios

Otimizar a manutenção, atender as normas da vigilância sanitária, reduzir desperdícios, perdas, além de prejuízos financeiros.

Público Alvo

Gerentes, Profissionais que estejam envolvidos direta ou indiretamente com a gestão de Manutenção e Melhorias de Processos.

Competências desejadas:

Ao final do curso o participante deverá ser capaz de:
a) Compreender as principais técnicas e práticas sobre o PMOC, aplicável aos sistemas de
climatização.
a) Perceber a importância que representa o conhecimento do PMOC – Plano de Manutenção Operação e Controle com o gerenciamento adequado.
c) Aplicar o Plano de Operação, Manutenção e Controle em seu local de trabalho

Estrutura do Curso:

• Portaria nº 3523 (PMOC – Plano de Manutenção Operação e Controle)
• Programa Qualidade Total “5S”
• Elaboração e acompanhamento do PMOC
• Passos de Implantação (Controle e Qualidade)
• Manutenção Preventiva e Preditiva
• Manutenção Corretiva e Controle de ocorrências
• Relatórios e Indicadores Controle de documentos

Confira a agenda das próximas capacitações!

Garanta sua vaga! 🛎🛎

– Associado: R$ 160,00 ✅
– Não Associado: R$ 220,00✅

Inscrições e Informações:

comercial@abih-sc.com.br
48 3222-8492
48 9 8843-7659

Especial em comemoração aos 63 anos da FBHA

Presidente Alexandre Sampaio

Presidente Alexandre Sampaio

 

Presidente Alexandre Sampaio

1 ) A Federação completará 63 anos no próximo dia 23 de setembro e seu mandato, que começou em maio deste ano, vai até 2022. Poderia fazer um balanço do primeiro semestre? Quais foram os principais desafios?

Resposta: O principal desafio será lidar com a sobrevivência dos sindicatos diante do fim da contribuição sindical obrigatória. E também fazer com que tenham uma boa gestão, integrá-los à base empresarial de sua representação, captar patrocínios e prestar serviços que os façam ser reconhecidos como necessários para o patronato local. Outro desafio importante será apoiar a aprovação no Congresso Nacional do pacote Brasil + Turismo, documento que reúne medidas para desenvolver o setor no país

2 ) Quais os projetos para os próximos anos?

Resposta: Integrar os nossos sindicatos às Fecomércios estaduais e aos conselhos Sesc/Senac regionais, propor práticas de melhor administração por meio do Sistema de Excelência em Gestão Sindical da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e ajudar na boa interlocução e comunicação entre eles.

3 ) Com a proximidade das eleições no Brasil, qual é a expectativa dos setores de turismo, alimentação e hotelaria?

Resposta: A expectativa é pela eleição de bons gestores e parlamentares, pessoas honestas, e que possibilitem que a classe empresarial comece a participar da política do setor mais ativamente. Uma questão fundamental é o combate à informalidade por parte das autoridades, visando à concorrência mais justa e a regulação das novas práticas comerciais desruptivas para um convívio mais equilibrado de todos no setor.

4 ) A Federação esteve à frente do movimento de empresários e entidades do setor na confecção do documento com ideias, reivindicações e sugestões entregue aos candidatos à Presidência. Quais seriam as mudanças mais urgentes para o setor e qual a importância de ações como essa?

Resposta: O turismo é um segmento que contribui para o desenvolvimento econômico do país e, cientes da importância do setor, a FBHA, juntamente com alguns dos principais órgãos, entidades e instituições, preparou uma série de informações, dados e reivindicações baseados em cinco pilares que consideramos fundamentais: infraestrutura promoção, gestão e monitoramento; segurança jurídica e competitividade. Esperamos que a nossa contribuição seja positiva. Principalmente porque o turismo, apesar de ser realizado pela iniciativa privada, é uma indústria impactada por políticas públicas porque depende de infraestrutura, segurança, serviços de saúde e condições macro e microeconômicas favoráveis para o seu bom desempenho, como câmbio e tributação.

5 ) Como a FBHA, com sua longa experiência, pode contribuir com o novo governo?

Resposta: Da mesma forma que estamos atuando ao longo desses anos. Somos integrantes de conselhos federais, buscamos interagir cada vez mais com o Ministério do Turismo, temos participação ativa no Congresso Nacional, no corpo a corpo com os parlamentares e conseguimos nos pronunciar e nos fazer ouvir por nossos dirigentes. A FBHA assume o seu papel de uma das lideranças do setor no país e trabalhamos muito para isso.

6 ) Atualmente a representatividade da federação está consolidada por meio dos 66 sindicatos filiados e mais de 940 mil estabelecimentos em todo Brasil. Isso faz com que a entidade possa contribuir com o desenvolvimento econômico do país. Quais os pleitos importantes que a FBHA já vem sendo discutidos com os órgãos federais e estaduais?

Resposta: No setor de hotelaria, pretendemos debater temas como a regulação do Airbnb, isenção de direitos autorais por sintonia de TV, rádio ou streaming nos quartos de hotel e reenquadramento dos meios de hospedagem de lucro real e presumido no recolhimento previdenciário sobre a folha salarial na base do faturamento bruto, além da criação de uma nova tarifa elétrica para os hotéis entre a comercial e a industrial.

Já no segmento de restaurantes, os temas passarão pela ampliação de faixa de enquadramento do Simples e uma reforma tributária ampla, com um enquadramento único nacional para o ICMS setorial de alimentação fora do lar.

7 ) A Federação é uma referência e uma das lideranças do setor e, por meio do seu departamento jurídico, vem confirmando sua boa atuação e seu trabalho eficiente no auxílio aos seus filiados em diversas questões sindicais. O que os filiados podem esperar para este e para os próximos anos do seu mandato?

Resposta: Vamos intensificar as orientações jurídicas aos sindicatos filiados, especialmente quanto às relações coletivas do trabalho, ponto fundamental da Reforma Trabalhista. Pretendemos levar ao Poder Executivo e ao Congresso Nacional, em 2019, propostas de regulamentos e leis relativos às gorjetas e direitos autorais derivados da execução de obras musicais em hotéis, bares em restaurantes, bem como a periodicidade máxima para coincidência da folga dos empregados com o domingo, postulando-se até sete semanas contínuas. Vamos manter o apoio jurídico em ações de interesse dos sindicatos, além de defesas em processos onde figurem no polo passivo, com nosso canal de atendimento por todos os meios de comunicação, como já fazemos.

 

Fonte: FBHA

Rota das Baleias Franca poderá oferecer turismo embarcado

 

Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, comentou a vitória do setor durante palestra em Imbituba (SC).

 

A autorização da justiça para a retomada dos passeios embarcados para avistamento de baleias Franca no litoral catarinense, após seis anos de proibição, foi o destaque da programação desta quinta-feira (20) da Semana Nacional da Baleia Franca, realizada em Imbituba (SC). O evento contou com a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

O município integra, juntamente com Laguna e Garopaba, a Rota da Baleia Franca, um roteiro desenvolvido para incentivar o turismo na região, principalmente durante o período de inverno. No entanto, com a proibição dos barcos durante o avistamento, a atividade turística foi prejudicada. Situação que deverá mudar com a nova decisão judicial.

“Já conversei com o ministro do Meio Ambiente que garantiu que os técnicos daquele ministério estão trabalhando no assunto e até novembro deveremos ter uma solução positiva. Certamente isso é motivo de otimismo para todo o turismo desta região de Santa Catarina”, anunciou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

A ideia é que uma portaria que orienta a atividade nos estados da Bahia e Espírito Santo, onde a observação de baleias é um atrativo turístico, passe a reger também a prática no litoral catarinense, de modo a assegurar a proteção dos cetáceos.

“O turismo de observação embarcada das baleias representa um passo importante para qualificar a atividade turística na região. A nova regulamentação vai trazer mais segurança e, com certeza, ajudará na preservação da baleia Franca”, assegurou o ministro.

MUSEU – Ainda durante a tarde, o ministro visitou o Museu Ferroviário de Tubarão, criado em 1997, com o objetivo de resgatar e preservar a história da ferrovia no sul de Santa Catarina. O acervo do atrativo é composto por máquinas a vapor (28 locomotivas), vagões, documentos e outros objetos utilizados no transporte ferroviário.

Este ano o Ministério do Turismo retomou as discussões do Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário coordenado, desde 2010, pela Pasta e responsável pela elaboração de políticas de fomento ao setor. Atualmente, o Brasil conta com mais de 30 trens turísticos em operação. Desde 2003, o MTur já investiu mais de R$ 20 milhões na recuperação de equipamentos, estações e trechos ferroviários.

 

Fonte: Ministério do Turismo

Embratur apresenta a percepção do trade internacional em relação ao Brasil

 

O Panorama de Comercialização traz a opinião do trade internacional sobre o receptivo brasileiro, bem como os pontos fortes e fracos do país

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) lançou a segunda edição do Panorama de Comercialização em que apresenta a percepção do trade turístico internacional em relação ao receptivo brasileiro, que são fornecedores do segmento no país. O documento traz informações dos 14 principais países emissores de visitantes estrangeiros para o Brasil.

“Além de destacar a visão dos profissionais que comercializam para os turistas interessados no País, o material mostra quais são as principais características do destino Brasil, principais concorrentes, os segmentos e nichos mais procurados e respectivos destinos com apelo na geração de negócios”, explica a presidente do Instituto, Teté Bezerra.

O trade turístico internacional, responsável pelos dados fornecidos no Panorama de Comercialização, é composto por operadores e agências de viagens, companhias aéreas e players da indústria de turismo, como as associações. O produto possui destaques de cada país (Argentina, Alemanha, Canadá, Chile, Colômbia, EUA, Japão, França, Portugal, Itália, Espanha, Rússia, Paraguai e Reino Unido). Os lançamentos de novos voos, de frequências e as ações mais demandadas no mercado também constam no material.

O material mostra, por exemplo, que, na Alemanha, a diversidade de oferta turística é um fator que contribui para a escolha do destino Brasil. Na Argentina, a proximidade, a grande extensão de praias e a boa conectividade aérea são os principais destaques do trade em relação ao País. Canadá, Estados Unidos, Japão e Rússia afirmam que a distância e a baixa oferta de voos diretos dificultam a comercialização. No entanto, no mercado norte-americano, o trade demonstrou boas expectativas em relação ao visto eletrônico. Já na Rússia, o Brasil é considerado um País exótico pela natureza diversificada, com rica fauna e flora, e atrativo pelo Carnaval.

Devido à proximidade, nos demais países sul-americanos, como Chile, Colômbia e Paraguai, o destaque é para a grande oferta de frequências de voos semanais. Além disso, os chilenos reforçam a hospitalidade brasileira como fator diferencial, os colombianos se sentem atraídos pelos preços e os paraguaios pela variedade de opções para diferentes tipos de público e faixa de renda.

Na Europa, Espanha, França e Itália também foram consultados. Os franceses demonstraram boas expectativas em relação ao aumento na oferta e voos e, os italianos, escolhem os destinos brasileiros pela possiblidade de fazer roteiros com os países vizinhos da América do Sul.

“Para a elaboração do documento, consolidado pela Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística da Embratur, foram utilizadas informações de pesquisas realizadas pelos Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs), junto ao trade turístico de cada mercado”, informa a chefe de Divisão da Coordenação-Geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo, Angela Baltazar.

As publicações estão disponíveis no portal Visit Brasil, na aba Trade.

 

Fonte: Embratur