Otimismo no setor de hospedagem no 2º semestre

Otimismo no setor de hospedagem no 2º semestre

 

Otimismo no setor de hospedagem no 2º semestre

O setor de hospedagem brasileiro deve iniciar recuperação neste segundo semestre de 2018. Essa é a expectativa do mercado, segundo uma pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo. Realizado em abril, o levantamento contou com a participação da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), de secretarias e órgãos estaduais de Turismo e de entidades representativas do setor.

De acordo com a pesquisa, 64,2% dos empreendimentos hoteleiros de todo o país declararam possibilidade de realizar investimentos nos próximos seis meses.

Outros dados demonstram o otimismo no setor da perspectiva dos estabelecimentos em relação aos destinos turísticos até o fim do ano: 30,9% apostam no aumento da rentabilidade do setor de turismo; 37,9% acreditam no crescimento da demanda pelo destino onde seus hotéis estão localizados e 32,2% acham que aumentarão os gastos dos turistas nas cidades que visitam.

Também para os próximos seis meses são esperados aumento de 40,9% no faturamento de empresas, crescimento de 17,1% no número de empregados e ainda ampliação de 39,7% na demanda de serviços ofertados.

A Pesquisa de Sondagem – Empresários do Setor Hoteleiro no Brasil ouviu 664 empreendimentos de todos os portes, dos quais 19% com mais de 100 quartos, para compreender as perspectivas dos empresários em relação ao desempenho de seus estabelecimentos e dos destinos onde estão inseridos. O levantamento avaliou questões como número de empregos, rentabilidade do setor de turismo, faturamento, demanda de serviços ofertados, demanda pelo destino, e gastos do turista no destino.

 

Fonte: FBH

Informativo ABIH-SC 03 de agosto

Informativo ABIH-SC 02 de agosto

Informativo ABIH-SC 03 de agosto

 

No Informativo ABIH-SC de 02 de agosto você vai ler:

 

31º Encatho & Exprotel em destaque na mídia ;-Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop;-Cresce conexão aérea dos continentes para o Brasil;-Receita do turismo cresce 5,94% no Brasil no primeiro semestre;-Evento debate formalização do Turismo no Brasil;-Hotel Renar comemora 37 anos de sucesso;-Os investimentos em turismo vêm crescendo no BRDE;-Infraspeak: operações hoteleiras mais simples e inteligentes;-Acessibilidade no turismo foi debatida no Encatho;-Harus e suas soluções para hotelaria;-Painel Aspectos Humanos na Operação;-Associados ABIH-SC.

 

Leia também: Hotel Renar comemora 37 anos de sucesso

Hotel Renar comemora 37 anos de sucesso

 

A ABIH-SC homenageia o amigo e competente empresário e  hoteleiro Edson Ziolkowski, pelos 37 anos do hotel Renar, marca de valor, e sua história de sucesso.

O Hotel Renar, situado na conhecida ”Terra da Maçã”, em Fraiburgo (SC), comemorou no dia 31 de julho 33 anos de fundação. O hotel conta com 150.000 m² de área verde, permitindo uma ampla visão da cidade, em especial o Lago das Araucárias. O empreendimento foi fundado em 1981 por Rene Frey e já recebeu ao longo de sua existência mais de 1,5 milhão de hospedes.

Desde sua fundação, em 1981, o Hotel Renar vem encantando turistas de todas as regiões do país. Seja por sua arquitetura, estilo alpino-germânico; pela localização, no alto de um morro ou seus jardins deslumbrantes.

Pioneiro no meio oeste catarinense – quando o assunto é turismo e lazer – o hotel é o lugar perfeito para quem procura relaxar e manter contato com a natureza, mas não abre mão do conforto e qualidade.

A diversão é presente em todo o estabelecimento. Além das noites musicais, no Apfel Bar, os hóspedes podem desfrutar de tardes tranquilas nas piscinas aquecidas, tomar sol nos deques ou relaxar nas saunas e banheiras de hidromassagem. Caso a ideia seja extravasar, o hotel dispõem de salão de jogos, quadra poliesportiva, playground e equipe de recreação.

Tudo isso aliado à hospitalidade e apartamentos amplos e confortáveis. Além da presença do Restaurante das Estações – que é um destaque a parte – com sua vasta opção de pratos nacionais e internacionais que satisfazem os mais exigentes paladares.

 

Hotel Renar

Receita do turismo cresce 5,94% no Brasil no primeiro semestre

 

Uns dos motivos para o crescimento é resultado do trabalho conjunto entre Embratur e MTur na promoção do turismo brasileiro no mercado internacional

Dados da Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisa do Ministério do Turismo revelam que, em comparação ao primeiro semestre de 2017, a receita cambial turística foi 5,94% superior em 2018, um total de US$3,24 bilhões injetados na economia brasileira por turistas estrangeiros.

No mês de junho de 2018, a receita cambial referente aos gastos de turistas estrangeiros no Brasil foi de US$ 379 milhões, correspondendo a um percentual de 0,52% superior a junho de 2017, quando a receita foi de US$ 377 milhões.

Os resultados demonstram a importância de mais investimentos para o setor no Brasil, o mercado de turismo internacional é altamente competitivo e já faz parte de uma das principais fontes arrecadadores de alguns países. Na Espanha, em 2017, o turismo contribuiu com 14,9% do PIB, relatório do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) aponta que a evolução se deve às boas ligações de transporte, qualidade da oferta, experiência e colaboração entre as administrações públicas e as empresas privadas do país.

No Brasil, recentemente, a Embratur e o Ministério do Turismo uniram forças na promoção do turismo internacional e lançaram a campanha #FelizesPorNatureza, que impactou mais de 300 milhões de pessoas durante a Copa do Mundo na Rússia. As ações no mercado russo foram estratégicas, no ano passado, 23 milhões de russos viajaram para outros países, apenas 19 mil escolheram destinos brasileiros.

 

Fonte: Embratur

Cresce conexão aérea dos continentes para o Brasil

 

Boletim da Malha Aérea Internacional da Embratur registra bons resultados no mês, em comparação ao mesmo período de 2017

Durante o mês de julho de 2018, os números de voos e assentos da malha aérea internacional para o Brasil aumentaram nos continentes. Em comparação ao mesmo período do ano passado, ao todo, houve um acréscimo de 11,24% na oferta mensal de voos diretos (4.942 para 5.611 frequências mensais) e, também, nos assentos (11,41%), passando de 1.153.194 para 1.256.235.

Para o coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Alisson Andrade, isso se deve, também, ao aumento da procura de turistas pelo Brasil.

“Com a facilitação dos vistos eletrônicos; ações específicas realizadas nos mercados internacionais, em parceria com as companhias aéreas, e as campanhas promocionais da Embratur são alguns dos motivos para este crescimento. A ampliação de voos internacionais é um dos principais pontos da agenda governamental do Instituto e do Ministério do Turismo”, destacou Alisson.

De acordo com os dados do Boletim da Malha Aérea da Embratur, para a América Latina, houve uma melhora significativa em julho deste ano, em relação ao mesmo período de 2017. O acréscimo foi de 14,62% no número de voos (passou de 2.825 para 3.238) e, nos assentos, foi de 12,86% (passando de 508.945 para 574.412).

“Os números mostram que a estratégia de promoção da Embratur, com foco nos vizinhos sul-americanos, pode ser um dos fatores determinantes para o crescimento do turismo brasileiro”, informou o coordenador Alisson Andrade.

Na América do Norte, o aumento de voos diretos foi de 8,25% e, nos assentos, de 10,97%. No continente Europeu, o crescimento do número de voos foi de 5,77% e, de assentos, 10,7%. No continente asiático, em relação a julho de 2017, houve aumento apenas nos assentos, já que não ocorreu alteração nas frequências, totalizando 124 voos. Os assentos passaram de 45.043 para 45.787. Entretanto, ocorreram grandes acréscimos no continente africano: 13,53% no número de voos (que passou de 133 para 151) e 12,09% nos assentos (passando de 32.940 para 36.921).

 

Fonte: Embratur

Evento debate formalização do Turismo no Brasil

Representantes do MTur e dos Estados discutem ação conjunta para a regularização e fiscalização de operadores do setor

Começou nesta terça-feira (31), em Brasília, o 10º Encontro de Coordenadores do Cadastur, o cadastro oficial de prestadores de serviços turísticos do Ministério do Turismo. Reunidos até o próximo dia 02 na sede da Embratur, representantes da Pasta e de secretarias estaduais de Turismo de todo o país debatem o alinhamento de ações voltadas à formalização e fiscalização dos empreendimentos do setor.

Entre setembro de 2017 e maio deste ano, 1.300 meios de hospedagem de 24 capitais foram alvos da Operação Verão Legal do MTur, que identificou e notificou 940 irregulares. O diretor do Departamento de Formalização e Qualificação da Pasta, Gentil Venâncio Filho, citou benefícios do movimento de regularização. “Unindo esforços, vamos disponibilizar toda uma estrutura de turismo legalizada, desde hospedagem a outros serviços”, observou.

O Cadastur possui atualmente cerca de 72.400 registros em todo o território nacional. Além dos meios de hospedagem, a Lei Geral do Turismo obriga a realização do cadastro no sistema para mais seis ramos do segmento: acampamentos turísticos, agências de turismo, empresas organizadoras de eventos turísticos, guias de turismo, parques temáticos e transportadoras turísticas.

Juliana Maia, representante da Secretaria de Turismo da Bahia e coordenadora regional do Cadastur no estado, enfatizou que a regularização favorece todos os envolvidos com a atividade turística. “Isso é bom para o empresário da área e para o turista. A formalização é importante para gerar mais empregos, fazer com que turistas visitem os estados e que isso possa alavancar a economia de cada um deles”, apontou.

Na reunião, técnicos do MTur expuseram outras iniciativas que contemplam a qualificação de serviços. Uma delas foi o Prodetur + Turismo, linha de crédito do BNDES que disponibiliza R$ 5 bilhões a estados, municípios e empresários. A coordenadora de Cadastramento e Fiscalização do ministério, Tamara Galvão, defendeu empenho pela integração de ações. “É muito importante porque você propaga a política nacional de turismo e potencializa resultados para o País”, sublinhou.

MODERNIZAÇÃO – Desde março deste ano, uma nova versão do Cadastur (3.0) permite que a inscrição de prestadores de serviço seja feita de forma totalmente online. O sistema é interligado ao banco de dados da Receita Federal, e o certificado de formalização conta com tecnologia QR Code, reunindo todas as informações dos cadastrados. Além disso, veículos que realizam transporte turístico receberão selos dotados da mesma funcionalidade.

 

Fonte: Ministério do turismo

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Futuro da Promoção Turística é debatido em Workshop

Debate realizado no Ministério do Turismo teve como objetivo mostrar novas estratégias de marketing para conquistar turistas internacionais para o Brasil.

 

Tratar sobre a promoção do turismo brasileiro tendo em vista os novos perfis de turistas foi o assunto abordado no workshop “O Futuro da Promoção Turística” realizado nesta terça-feira (31), no auditório térreo do Ministério do Turismo. O encontro teve a presença do ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, do secretário-executivo do MTur, Alberto Alves, da presidente da Embratur, Teté Bezerra, além do diretor de estratégias globais e serviços a clientes da consultora MMGY Global, Chris Pomeroy, o qual apresentou palestra para e colaboradores e servidores do MTur e Embratur.

“As práticas de promoção turística farão com que o número de visitantes internacionais que escolhem o Brasil como destino ultrapassem os dados atuais de 6,6 milhões verificado em 2017”, comentou o ministro Vinicius Lummertz.

De acordo com o canadense Chris Pomeroy, existe um processo de mudança no turismo mundial no qual as nações precisam estar atentas. O diretor, que tem experiência no segmento de marketing internacional há mais de 30 anos, trouxe ao público uma análise dos novos perfis de turistas, apontando suas escolhas e desejos dentro do segmento turístico.

Na análise, a internet foi apontada como uma importante ferramenta utilizada por esses perfis para uma busca segmentada. “Não existe mais uma linearidade nas buscas no roteiro das viagens e agora o comportamento de cada turista é único. Portanto, a estratégia de divulgação não pode estar baseada apenas em promover o destino, pois os consumidores já têm essa informação. O que deve ser feito é manter a marca daquele país ou destino estável no mercado”, narra o diretor.

Uma maneira para o uso dessa estratégia está em aproveitar a segmentação para trazer mais viajantes ao Brasil, conforme explica o palestrante, utilizando o item “atrativos naturais” para focar em turistas que gostam de esportes radicais ou ecoturismo.

 

Fonte: Ministério do Turismo