Covid-19: 12 atitudes a serem tomadas pelos hotéis no setor de Alimentos & Bebidas

Confira as regras e orientações do Governo do Estado de Santa Catarina para reabertura limitada do setor hoteleiro, a partir de 13 de abril de 2020. Ressalto a decisão da prefeitura de Florianópolis de proibir totalmente as hospedagens.

“Os serviços de alimentação, tais como restaurantes, bares e lanchonetes, localizados dentro das hospedagens poderão atender aos hóspedes somente em serviço de quarto”.

Ou optar pela terceirização do serviço de alimentação na modalidade do tipo tele-entrega (delivery)”.

Selecionei algumas atitudes a serem tomadas pelos hotéis:

1) As refeições, lanches, cafés, bebidas e alimentos em geral devem estar em recipientes prontos para viagem, marmitas ou “pratos feitos” para entrega aos clientes, sendo proibida a modalidade de bufê de auto serviço (self service).

2) Não poderão disponibilizar autoatendimento de produtos não embalados aos clientes. Os alimentos e bebidas são entregues na porta do quarto. Mas para poder entrar no hotel, os ingredientes devem passam por um rigoroso processo de desinfecção e higienização.

3) A disponibilização de pratos e talheres deve ser feita de modo a minimizar os riscos de contato. Por exemplo, em restaurantes self-service, os talheres podem ser ofertados em sacos de papel ou plástico.

4) O cardápio das refeições deve ser montado por cozinheiros e nutricionistas, que tem como objetivo elaborar uma alimentação perfeitamente balanceada e segura.

5) Adoção de horários alternativos para a entrada dos funcionários e escalas, de forma a evitar que estejam todos ao mesmo tempo no local.

6) Caso algum funcionário venha apresentar algum sintoma, seja síndrome gripal, tosse ou febre ele deve procurar imediatamente um médico. Funcionários doentes devem permanecer em casa durante 14 dias. Após esse período de tempo ele está liberado pela autoridade sanitária.

7) Todos os trabalhadores deverão usar máscaras de tecido não tecido (TNT) ou tecido de algodão durante todo seu turno de serviço, independentemente de estarem em contato direto com o público. Inclusive no serviço de entrega (room service) recomenda-se que os funcionários que venham a ter contato com os hóspedes ou seu ambiente de moradia utilizem máscara cirúrgica e luvas. Não é necessário usar aquela máscara mais sofisticada, chamada n-95.

8) Disponibilizar locais para higiene frequente das mãos, além de dispenser com álcool em gel 70% e toalhas de papel descartáveis, inclusive nos pontos de atendimento ao cliente.

9) Ampliar a frequência de limpeza e utilizar álcool 70% ou solução de água sanitária nas áreas e bancadas de trabalho.

10) Fazer a higiene de pratos e utensílios de maneira correta é essencial. Os funcionários responsáveis pela manipulação dos objetos devem além de usar o uniforme completo, bem como os EPI’s (avental, luvas e máscara,…).

11) O lixo do room service deve ser retirado com uso de máscara e luvas e deve ser posteriormente incinerado. O problema é a dispensação final, ao ser levado para o depósito de lixo, e que não é no hotel. Quem for no depósito de lixo manipular esse material pode ter alguma contaminação, uma vez que o vírus pode permanecer de sete horas a alguns dias vivo. Isso depende de como é feita a logística de coleta e depósito desse lixo.

12) Mantenha o ambiente da cozinha bem ventilado.

Bianca Antonini

Assessoria empresarial em Gestão de Serviços de Alimentação

Nutricionista CRN10 0337

biancaantonini11@gmail.com

48 999718670